Espaço PR Newswire para Comunicadores

O Blog da PR Newswire é um espaço dedicado à produção e desenvolvimento de conhecimento. Aqui você encontra as notícias e os artigos mais interessantes sobre Comunicação. São abordados temas relacionados às Relações Públicas, Jornalismo, Marketing, Publicidade, Mídias Sociais e Digitais. Confira nossos posts e deixe suas observações nos comentários. Queremos saber sua opinião.

Mediaware

Bem-vindo ao MEDIAware, a newsletter mensal com o resultado das pesquisas da equipe de mídia PR Newswire.





MEDIAware tem como objetivo trazer a seleção das mais importantes atualizações da mídia e dos jornalistas que ocorrem em todo o Brasil, através do trabalho feito por nossos pesquisadores. Caso tenha informações sobre alterações recentes nas mídias e nos profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br

     

PR NEWSWIRE - TWITTER

Na página da PR Newswire são compartilhadas notícias sobre tecnologia, marketing, publicidade, atualidades, jornalismo, empreendedorismo e muito mais. Siga, interaja, compartilhe e saiba tudo que acontece no Brasil e no mundo na página da PR Newswire https://twitter.com/prnewswirebr

EDITORA ABRIL

A empresa demitirá um número de funcionários ainda não divulgado e pretende parcelar as verbas rescisórias declarando estar com problemas financeiros. Os funcionários desaprovam a proposta. 

REVISTA PIAUÍ

O jornalista Fábio Victor agora é repórter da PIAUÍ, deixando a Folha de S.Paulo após 20 anos de casa.

ISTO É

Com a saída de Ilimar Franco, o jornalista Octávio Costa reassume a direção da revista IstoÈ em Brasília, depois de cinco anos fora.

REVISTA ÉPOCA

Dárcio Oliveira, após sete anos, deixa a Editora Globo onde era diretor de redação da revista Época Negócios.

REDE RECORD

Os jornalistas Ricardo Kotscho e Nirlando Beirão não fazem mais parte do quadro de funcionários da emissora, foram demitidos meses antes de terem seus contratos encerrados.

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO

O repórter e colunista Kennedy Alencar, optou por deixar a emissora de Silvio Santos, que passava por mudanças em seu principal telejornal, SBT Brasil.

GRUPO GLOBO

Cerca de trinta profissionais foram demitidos devido a uma reestruturação na área de esporte, englobando a TV Globo, o canal SporTV e o site GloboEsporte.com, o número de dispensa pode aumentar.

Tags: MEDIAware, MEDIAware Brasil, jornalismo brasileiro, mídia brasileira

Mediaware - R7, Zero Hora e Record

Bem-vindo ao MEDIAware, a newsletter mensal com o resultado das pesquisas da equipe de mídia PR Newswire.



MEDIAware tem como objetivo trazer a seleção das mais importantes atualizações da mídia e dos jornalistas que ocorrem em todo o Brasil, através do trabalho feito por nossos pesquisadores. Caso tenha informações sobre alterações recentes nas mídias e nos profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br

     

PR NEWSWIRE - TWITTER

Na página da PR Newswire são compartilhadas notícias sobre tecnologia, marketing, publicidade, atualidades, jornalismo, empreendedorismo e muito mais. Siga, interaja, compartilhe e saiba tudo que acontece no Brasil e no mundo na página da PR Newswire https://twitter.com/prnewswirebr

PORTAL R7

O jornalista Domingos Fraga, 58, além de gerente de opinião passa a assinar sua própria coluna sobre economia e política no portal.

JORNAL EXTRA

O veículo criou a editoria Guerra, desde o mês passado (16/08), para retratar o que acontece no estado do Rio de Janeiro, com o intuito de não ser normalizado o cenário de violência que vivem a sociedade fluminense

ZERO HORA

Luis Fernando Verissimo, 80, foi demitido do jornal e após 40 anos, deixa o Grupo RBS.

REVISTA ÉPOCA

João Gabriel de Lima não será mais o diretor de redação da revista, cuidará de seus projetos acadêmicos relacionados a área de jornalismo.

REDE RECORD

Morreu aos 65 anos o jornalista e apresentador do Cidade Alerta Marcelo Rezende, que estava com câncer no pâncreas. Luiz Bacci comandará o telejornal.

O ESTADO DE S. PAULO

Após sete anos, a jornalista Renata Cafardo retorna ao Jornal como repórter especial.

GRUPO RBS

O maior grupo de comunicação do sul do país completou 60 anos de existência em agosto.

REVISTA PAIS E FILHOS

O jornalista e colunista Fernando Calmon completa 50 anos de carreira este mês, sendo considerado um dos principais jornalistas da imprensa automotiva no país.

Caso tenha outras informações sobre alterações recentes na mídia e/ou sobre os profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato com nossa equipe de Relacionamento com a Mídia pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br

Tags: MEDIAware, MEDIAware Brasil, jornalismo brasileiro, mídia brasileira

3 Dicas para impulsionar a Mídia Espontânea para a área de Marketing

As menções em mídia espontânea são o “anel de ouro” para muitos programas de RP. Obter uma grande cobertura em uma publicação que é se tornar referência continua sendo um objetivo fundamental para muitas campanhas de Relações Públicas e com razão – meios de comunicação tradicionais continuam exercendo uma grande influência apesar das receitas mostrarem uma diminuição em assinantes pagos.

Menções em mídia espontânea têm uma utilidade real para as marcas além do clipping de RP. Quando um possível cliente está em fase de descoberta e em busca de informação, ele está aberto a uma ampla gama de conteúdos e opiniões. Dependendo da fonte (como um formador de opinião ou uma publicação especializada), a mensagem pode também ter sua importância mais adiante no processo de decisão, especialmente se a sua marca é desconhecida e alguém está à procura de dicas ou conselhos para a tomada de decisão.

Neste ponto do ciclo de vendas, a mídia espontânea é absoluta. Alguém mais abaixo desse funil que tenha experiência e credibilidade provavelmente será mais aberto à sua mensagem do que alguém que não tenha.

Veja nossas 3 dicas abaixo:

  1. Alinhe os objetivos de Relações Públicas e Marketing. Certifique-se que RP está contando histórias e direcionando a mídia de acordo com o plano de marketing e na trajetória dos seus compradores.

 

  1. Certifique-se que marca usa a mesma linguagem em todos os canais - incluindo as buscas. Como as menções na mídia são anunciadas nos resultados de buscas online, é importante utilizar uma linguagem consistente para conseguir mais benefícios.

 

  1. Faça a cobertura de imprensa e comunique suas vitórias. Use ferramentas de monitoramento de mídias para identificar imediatamente a cobertura de notícias e compartilhe com sua equipe de mídia social, marketing e vendas. Garantindo um grande buzz da cobertura de notícias por meio de canais sociais da marca para amplificá-la. Você também pode ser o próprio repórter da sua marca– o número de visualizações (pageviews) que essas histórias receberam são um importante métrica editorial com base na cobertura.

RP precisa informar a estratégia de conteúdo, e vice-versa. Entrar em um acordo com o público-alvo, mensagens, palavras-chave e métricas finais de sucesso

Equipe PR Newswire

Tags: marketing, mídia espontânea, dicas

Medindo o valor de Mídia Espontânea

A Outsell, uma empresa líder em pesquisa e consultoria, realizou pesquisas independentes para determinar como as atitudes de profissionais de marketing mudaram em relação a diferentes tipos de mídia. Eles também se propuseram a responder as questões-chave que esses profissionais têm sobre mídia espontânea. Essas perguntas incluíam:

  • A mídia espontânea é efetiva?
  • A ampliação da mídia própria é amplamente utilizada, ou já está chegando ao fim?
  • Podem ser identificadas as formas comuns pelas quais as empresas melhoram seus resultados de mídia ganhos?

Reconhecemos que profissionais de comunicação precisam saber onde a mídia espontânea é mais eficaz para alavancar oportunidades e gerar melhores resultados.

A mídia espontânea é efetiva?

Em resumo, sim! E especialistas na área acreditam neste fato. Sejam de empresas grandes ou pequenas, eles classificam a mídia espontânea como mais efetiva ou tão eficaz quanto a mídia paga.

Screen Shot 2017-07-28 at 10.25.24 AM.png

A mídia espontânea é particularmente adequada para resolver dois problemas críticos que os profissionais de marketing enfrentam:

  • "Dificuldade em identificar e engajar-se com as perspectivas corretas e no momento certo".
  • "Maximizar a pré-qualificação dos prospects"

Com a mídia espontânea, os influenciadores emprestam sua credibilidade, o que encoraja outras pessoas a interagir com sua ideia. Esse tipo de mídia se conecta com os prospects certos porque os próprios estão buscando informações e validação, enquanto estão ativos no mercado por um produto ou solução - o que, de forma intrínseca, proporciona pré-qualificação do público de um influenciador.

A Mídia Espontânea é utilizada de forma ampla?

Enquanto a mídia espontânea continua a ser uma área de crescimento, profissionais do setor já a visualizam como um canal de marketing significativo. O relatório da Outsell mostra que 87% a 96% das grandes empresas valorizam uma grande variedade de táticas de mídia espontânea.

Como melhorar os resultados de Mídia Espontânea?

Os profissionais de marketing devem superar alguns desafios em relação ao tema como por exemplo encontrar e conectar-se com influenciadores, adotando tecnologias de distribuição efetivas e mensurando seu ROI para provar o valor de Relações Públicas. 72% das grandes empresas classificaram os seguintes pontos como os principais métodos:

  • Investir em pessoas para monitorar e se envolver nas mídias sociais.
  • Publicar comunicados de imprensa regularmente.
  • Procurar oportunidades de falar.
  • Incentivar depoimentos.

Outras ideias incluem:

  • Gerenciar comunidades de clientes.
  • Perseguir os rankings da indústria.
  • Semear ideias de matérias para jornalistas.
  • Incentivar as classificações de clientes em sites de avaliação.

É claro que os profissionais valorizam a mídia espontânea, entretanto eles estão buscando formas de obter melhores resultados e um forte impacto comercial. A adoção de uma estratégia que impulsiona uma combinação de táticas tende a maximizar oportunidades. Além disso, medir o impacto das campanhas de comunicação convertidas em receita revelará o que funciona bem e o que não funciona. Quando estas informações são incorporadas, profissionais podem continuar a crescer por meio dos números.

Como adicionar mais Mídia Espontânea na seu mix de marketing?

Começa com a identificação dos influenciadores certos. Os comunicadores precisam de um banco de dados com contatos de qualidade que lhes permita gerenciar relacionamentos e gerar matérias relevantes. Eles também precisam executar campanhas integradas, enviar e-mails para interagir em mídias sociais, distribuir comunicados de imprensa e muito mais. Finalmente, eles precisam atribuir valor monitorando os resultados e acompanhando as conversões vinculadas. Quando você juntar tudo, você terá um programa de marketing efetivo que influenciará o público e obterá resultados.

Texto original publicado no Cision: Measuring the Value of Earned Media

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: mídia espontânea, mídia, estratégias de marketing

Segmentação de jornalistas por meio de uso de mídia social

De maneira geral, as práticas recomendadas para o marketing muitas vezes sugerem algum grau de segmentação de clientes. Encontrar diferentes maneiras de identificar comportamentos e diferenciar mensagens para melhor atender essas pessoas é crucial para a maioria das funções de marketing. É comum que pessoas escrevem sobre jornalistas como "jornalistas" – caracterizando-os como um grupo de pessoas indiferenciadas que realizam as mesmas tarefas de quem escreve. Por isso você ouve os jornalistas queixarem-se sobre essa falta de diferenciação e como a comunidade de relações públicas os caracteriza.

O Cision 2017 Global Social Journalism Study fornece informações tangíveis sobre a relação entre o comportamento dos jornalistas com a forma que eles usam suas redes sociais. Na verdade, existem muitas maneiras diferentes para que os jornalistas incorporem as mídias sociais em relação ao seu trabalho, e isso afeta desde a forma como percebem as plataformas até em quanto tempo e até que ponto eles usam as redes sociais para fazer seu trabalho.

O estudo segmentou esses comportamentos em seis tipos:

  • Céticos
  • Observadores
  • Mensageiros
  • Caçadores
  • Promotores
  • Arquitetos

O intuito desta publicação é comentar cada um desses arquétipos e falar sobre suas percepções, seu uso e como este tipo de segmentação pode ser uma informação útil para um profissional de relações públicas ou de marketing.

Arquitetos

"Arquitetos" são o grupo mais pró-social de jornalistas. Cerca de 9% dos jornalistas se enquadram nesta categoria. Um arquiteto sente que não pode fazer seu trabalho sem redes sociais e tipicamente produz muito conteúdo digital.

O que é único em relação aos arquitetos é a extensão em que usam as redes sociais para buscar conteúdo e interagir com a audiência. Um jornalista "arquiteto" passa pelo menos cinco horas por dia nas redes sociais, e um terço passa mais de oito horas por dia usando social.

Dois em cada cinco “arquitetos” relataram abertura para receber parcerias em mídias sociais de profissionais de relações públicas. Este é de longe o grupo mais propenso para esta prática.

Promotores

Os "Promotores" são os focados em promoção nas plataformas de redes sociais. Cerca de 12% dos jornalistas se enquadram nesta categoria.

Esses jornalistas também são muito pró-sociais, mas percebem os benefícios do social de maneira um pouco diferente. Um promotor vê o social como um meio para promover seu conteúdo e interagir com seu público. Eles criam conteúdo digital e consideram o ambiente online importante para a promoção, mas também acreditam que ele promove qualidade.

Quase a metade dos promotores dizem que gostariam de serem contatados pelos profissionais de relações públicas no âmbito social, embora sejam mais céticos quanto ao conteúdo de RP do que os arquitetos.

Caçadores

"Caçadores" lideram o ranking. Cerca de 19% dos jornalistas se enquadram nesta categoria. Ela é caracterizada pelo monitoramento das mídias sociais, mas não pela busca ou verificação da maior parte de suas informaçõe. Como os Promotores e Arquitetos, os Caçadores ainda têm muito valor na promoção e na interação do público, preferindo o Facebook e o Twitter do que outras plataformas.

Há uma queda brusca na quantidade de tempo que os caçadores gastam nas redes sociais diariamente em relação a promotores e arquitetos. Quase todos os caçadores gastam menos de quatro horas por dia em redes sociais, a maioria com menos de duas horas.

Mensageiros

Os "Mensageiros" são o segundo grupo mais provável a se comunicar com aplicativos de mensagens como o WhatsApp e o Facebook Messenger, sendo especializados nesta prática. Cerca de 6% dos jornalistas se enquadram nesta categoria.

Mais de 80% dos Mensageiros usam “diários sociais”, com um terço utilizando o social entre três e quatro horas por dia. O que é exclusivo neste grupo é que percebem o digital como uma oportunidade de aumentar sua produtividade ao invés de diminuí-la.

Observadores

Os "observadores" são os maiores de todos os arquétipos sociais e estão presentes principalmente divididos entre o Facebook e o Twitter. Cerca de 39% dos jornalistas se enquadram nesta categoria.

Caracterizamos Observadores por uso de mídia social inconsistente (alguns jornalistas nesta categoria usam apenas social por algumas horas por mês, e muitos usam menos de duas horas por dia). Eles promoverão seu conteúdo, mas lamentarão o impacto das redes sociais sobre o jornalismo tradicional.

Uma coisa interessante sobre esta categoria é que os jornalistas deste tipo aumentaram em mais de 100% desde 2014 e quase 400% desde 2012. Isso é algo contra intuitivo, sendo que poderíamos supor que os Arquitetos e Promotores mostrariam o maior crescimento devido ao aumento do uso das mídias sociais.

Céticos

Os "céticos" são apenas isso: céticos das mídias sociais. Cerca de 15% dos jornalistas se enquadram nesta categoria.

Curiosamente, muitos céticos estão preocupados com o copyright de autor em relação às mídias sociais. Eles usam o e-mail consistentemente e o preferem como meio de contato. E os céticos, embora apreensivos nas mídias sociais, não são mais ambivalentes como outros grupos em relação a profissionais de relações pública.

Conclusão

Uma das ofertas mais importantes do Cision 2017 Global Social Journalism Study é que há uma enorme variação na forma como os jornalistas veem as mídias sociais e usam-na para fazer seu trabalho. Analisando as categorias, vemos que a maioria dos jornalistas tem um relacionamento conflitante com o RP.

Texto original publicado no Cision: How to Segment Journalists By Social Media Use

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: jornalistas, redes sociais, cision

9 Dicas para escrever mais rápido e melhor

Este texto foi escrito por Anna Jasinski - Gerente sênior de Relações com Audiência na PR Newswire EUA. Seu Twitter é @annamjasinski. Você também pode ver seus textos e as últimas notícias em jornalismo e blogs em @BeyondBylines.

Uma das primeiras lições que aprendi como escritora foi a parar de pensar demais.

Eu estava fazendo um estágio em uma grande revista adolescente, e normalmente eu tinha ótimas ideias de matérias com a qual eu me identificava profundamente.

Um dia, meu gerente me pediu para escrever uma dessas matérias até o final do dia de trabalho. O horário de saída já estava chegando, então eu tinha que fazer isso rápido.

Sentei-me e comecei a escrever. Minha matéria se espalhou pelo papel. Era real e objetiva, uma história que ia direto ao ponto.

Naquela mesma noite, voltei para o meu apartamento e comecei a pensar na ideia de que eu tinha acabado de dar o primeiro passo para minha tentativa de ser jornalista.

Eu estava com medo, então comecei a escrever novamente tudo que escrevi anteriormente; queria estar pronta para o próximo dia, quando com certeza eles me pediriam mais.

No dia seguinte, mostrei a segunda versão para a minha gerente, e ela simplesmente me pediu para jogar fora. A primeira versão estava ótima. Era simples, real, objetiva e direto ao ponto.

Mais tarde, esta história seria a capa da revista.

Combatendo o seu “editor interior”

Mesmo estando anos no ramo de jornalismo, o “editor interior” ainda é um grande desafio para mim.

Travo uma batalha todos os dias para vencer o sentimento de que “ainda não está bom”. Tenho que ter confiança e passar para a próxima matéria.

Aqui estão alguns truques que me ajudam com esse problema. Essas nove dicas me ajudam a escrever histórias mais consistentes e com mais frequência.

  1. O primeiro passo para aceitar é admitir que você tem um problema.

“Oi, meu nome é Anna ... e eu tenho um problema de insegurança ao escrever”

A única maneira de escrever melhor e mais rápido é admitir para si mesmo e colegas escritores que você está lutando e tem dificuldade neste ponto.

Isso irá ajudá-lo a se responsabilizar por vencer essa voz na sua cabeça. Além disso, sua equipe de redação pode oferecer excelentes dicas que irão ajudá-lo a superar este desafio.

  1. Pense antes, não durante.

Algumas das minhas melhores ideias sobre como enquadrar uma história vêm até mim quando estou fazendo algo completamente casual, como dirigir ou andar pela minha casa ou escritório.

Como minha memória é fraca, sempre anoto esses pensamentos em um rascunho no computador ou meu telefone.

Mesmo que eu não esteja planejando escrever logo, isso me ajuda estar preparada quando for a hora de criar. Essas anotações reativam os momentos de criatividade para escrever de forma mais eficiente.

  1. Finja até você conseguir

Finja que você é um dos escritores que produz diversas matérias, e é seu objetivo criar um trabalho incrível.

As pessoas estão esperando sua próxima grande história, então você não pode decepcioná-las.

Ao ignorar a desconfiança e mudar sua mentalidade para o que deseja faz com que você atinja seus objetivos.

  1. Adote um novo mantra: escreva ou morra

Às vezes, o melhor é aumentar a pressão apertando o prazo, como no exemplo da revista adolescente (no começo do texto). Colocando este tipo de desafio, você pode criar uma escrita mais real e autêntica.

"Muitas vezes a pressão vem porque não há tempo suficiente. Mas isso também pode ser uma benção disfarçada ", diz o vice-presidente da Viacom Catalyst, neste artigo sobre a criatividade sob pressão. "Quando não há tempo, você não pode pensar demais e não há como os outros revisarem e fazerem alterações. Isso permite a clareza da visão ".

  1. Ou, abandone o barco. Assim que possível.

Dependendo do seu humor ou personalidade, prazos apertados podem te prejudicar. A pressão pode “afundar o barco” de algumas pessoas.

Se o estresse fizer você ficar olhando para uma tela em branco sem que nada flua, diminua a pressão e dê uma volta.

Você sempre pode começar novamente mais tarde.

  1. Use “sinais” quando você simplesmente não consegue encontrar as palavras certas.

Em vez de passar o dia inteiro em uma frase, implemente uma estratégia de preenchimento que te ajude a progredir.

Esse é meu superpoder secreto de escritor. Que não é tão secreto assim.

Como uma jovem redatora de revista, fui treinada para indicar qual a informação ou o texto precisa ser completada mais tarde. Use esta tática. Quando você não consegue encontrar as palavras certas coloque um “sinal”, e continue escrevendo como se nada houvesse acontecido.

É contra a nossa natureza deixar espaços em branco - especialmente como escritores. Mas com alguma prática, isso permitirá que você continue em frente sem quebrar seu fluxo.

  1. Se você tem um editor, confie em sua ajuda.

Alguns escritores têm dificuldade em confiar em seus editores. Porém, é muito libertador quando você o faz.

Meu cenário ideal é entregar o trabalho para meu editor com pequenas partes que ainda precisam ser feitas.

Permita que sua matéria não esteja tão perfeita. Geralmente, os editores adoram pegar sua caneta vermelha e fazer suas correções.

  1. Capitalize os momentos em que as palavras fluem.

Quando as palavras fluem com facilidade, escreva uma ou mais matérias extras na sua linha do tempo. Ou use esse impulso para delinear algumas outras ideias.

Não pare de escrever.

Impulsionar essas linhas extras ajudará a aumentar sua confiança e a obter a prática que você precisa para escrever com facilidade.

Image result for anchorman it's science gif

  1. Trate seu “editor interior” como uma pessoa real que trabalha para você.

Seu “editor interior” agora é um membro da equipe.

Enquanto eles são um bem, você pode mantê-los ao seu lado. Se eles têm maus hábitos, é hora de treiná-los.

Na maioria das vezes, eles podem ser treinados. Mantenha um olhar atento sobre o seu editor para se certificar de que eles não estão te prejudicando.

Texto original publicado no Blog Beyond Bylines: 9 Tips: Defeat Your Inner Editor to Write Better and Faster

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: escrita, jornalismo, redação

Jornalismo Esportivo - 6 Estratégias para crescer sua audiência em Redes Sociais

As redes sociais são uma ótima maneira para os jornalistas esportivos se envolverem com os leitores e criar novas ideias.

Hoje, ter uma forte presença no ambiente online é parte essencial para se tornar um jornalista de destaque.

Há várias maneiras pelas quais os jornalistas esportivos usam as mídias sociais para se envolverem com seu público. Veja algumas das tendências atuais:

  1. Incluir informações diretamente da fonte

Uma das melhores maneiras de obter matérias é incluir informações diretamente da fonte. Alguns dos atletas mais populares do mundo usam as mídias sociais regularmente para oferecer aos jornalistas e fãs acesso às suas vidas tanto profissionais quanto pessoais.

Os jornalistas também usam as listas de mídia social de outros jornalistas em suas matéroas para ajudar estruturar outros pontos de vista.

Neste exemplo, o diretor cinematográfico Spike Lee compartilha um post de uma manifestação do contra o racismo do jogador de futebol americano Colin Kaepernick.

  1. Comentários em redes sociais

Os jornalistas frequentemente perguntam a opinião de usuários em mídias sociais para ajudar a se envolver com seus leitores. Às vezes eles usam essas respostas e comentários como citações diretas.

Neste artigo, Ashley Petty, da TheBillsWire, perguntou a seus seguidores do Twitter sobre qual jogador estão mais entusiasmados para ver nos Buffalo Bills na próxima temporada.

 

  1. Facebook Live

Vários jornalistas esportivos usam vídeo ao vivo para interagir com seu público. O Facebook está rapidamente se tornando uma plataforma para eventos esportivos em streaming e discussão em torno de atletas e equipes.

O usuário pode digitar perguntas e comentários para que o jornalista responda em tempo real.

Alguns dos tópicos mais populares nessas sessões incluem shows e jogos ao vivo, a ação por trás das cenas, recapitulações de jogos e perguntas e respostas.

  1. Instagram Stories

O Instagram está rapidamente se tornando um lugar proeminente para comentários e interações esportivas, além de oferecer destaques aos jornalistas.

Com o recurso de apresentação de slides, a capacidade de fazer postagens de tamanho variados e o recurso Stories, a mídia tem muita flexibilidade para criar postagens compartilháveis que podem gerar muito mais do que apenas seguidores.

A plataforma torna uma narrativa linear interessante e atraente, seja compartilhando vídeos ou destacando fotos.

When Kyrie got the first flagrant foul of his career defending LeBron.

Uma publicação compartilhada por House of Highlights (@houseofhighlights) em

  1. Twitter FAQ

Os jornalistas esportivos muitas vezes demoram certo tempo para responder a uma variedade de perguntas que os leitores podem ter sobre a equipe ou o esporte que eles cobrem. É comum que o jornalista publique algo como “FAQ” ou respondendo as dúvidas mais recorrentes. Quando um jornalista trabalha de forma envolvente no Twitter, a probabilidade de crescimento rápido aumenta de forma significativa.

  1. Entretenimento com GIFs

GIFs são uma ótima maneira para os jornalistas se envolverem com seu público e utilizar referências de cultura pop humorísticas. Utilizando-se do eclipse solar que ocorreu no dia 21 de agosto, SB Nation publicou vários GIFs divertidos com o hashtag #SportsEclipse.

Texto original publicado no Blog Beyond Bylines: 6 Ways Sports Journalists are Growing Audiences with Social Media

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: esportes, jornalismo, Mídias Sociais

Cooperação e colaboração nos departamentos de marketing

Com o domínio do digital se expandindo e se tornando cada vez mais complexo, muitos departamentos de marketing modernos estão se dividindo em várias equipes especializadas. Diretores e executivos de Marketing acreditam que esta é a melhor maneira de se atualizar em relação a novas técnicas e estratégias de maneira ágil - e estão corretos.

No entanto, se não forem cuidadosos, a decisão de dividir o grupo em áreas especializadas pode facilmente fracassar.

A união de equipes sempre foi uma tarefa muito difícil dentro das organizações. Agora, não só as barreiras de comunicação crescem, como também os gerentes de cada equipe também são altamente protetores de seus recursos enquanto priorizam suas metas internas acima de qualquer outra coisa. Esta é uma receita para prazos perdidos, campanhas de baixo desempenho e estresse no local de trabalho. Os colaboradores da equipe ficarão frustrados com o trabalho e o volume de negócios se tornará uma preocupação. De acordo com os números mais recentes da Society for Human Resource Management, as empresas possuem um custo de mais de US$ 4.000 para preencher posições vazias – num período de 40 dias ou mais para fazê-lo.

Se sua empresa ou seu departamento se encontra no meio desses tipos de confusões de equipes, é hora de agir. Mostre ao seu time o valor da colaboração e ofereça processos e ferramentas que a tornem possível.

Alinhar as equipes

Antes que uma verdadeira colaboração possa ocorrer, todas as suas equipes de marketing precisam entender (e acreditar genuinamente) que o crescimento da empresa é - e sempre será - sua principal prioridade.

Isso pode parecer óbvio, mas é realmente algo que inúmeras empresas lutam para transmitir aos seus trabalhadores. De fato, um estudo descobriu que 29% dos funcionários não conseguiram encontrar uma relação clara entre seu papel e a estratégia global da empresa.

Uma vez que todos concordem em trabalhar pela mesma causa, os líderes de marketing devem então trabalhar para criar um processo colaborativo claro -  e responsabilizar suas equipes por isso. O processo deve direcionar o procedimento para aceitação e priorização de projetos e transmitir claramente os papéis e responsabilidades de cada membro da equipe.

Conduza o trabalho

Pense nas campanhas de marketing digital como instrumentos musicais - sua equipe compõem a orquestra e você é o maestro. Seu papel é garantir que todas as seções da sinfonia funcionem em harmonia e fiquem focadas no objetivo final.

Você tem uma visão detalhada de como cada grupo contribui para o todo, e ela é orientada para decisões inteligentes. Comunique claramente o principal objetivo do departamento e mostre como os KPIs de cada equipe alimentam esse objetivo.

Em seguida, defina o processo de colaboração entre equipes e invista em ferramentas e plataformas que atuem como facilitadoras. No entanto, certifique-se de manter o seu “kit de ferramentas” enxuto. Um estudo recente da empresa Ipsos revelou que um número crescente de funcionários sente que eles perdem tempo no trabalho, porque eles têm muitas ferramentas de comunicação. Esforce-se para encontrar uma ferramenta ou plataforma que crie uma única fonte de gerenciamento de tarefas, agendamento, comunicação e organização.

Ao longo do tempo seu processo evoluirá, então não tenha medo ao medir tentativa e erro. À medida que você implementa novos sistemas e processos, certifique-se de educar suas equipes sobre por que você está fazendo essas mudanças e os benefícios que terão ao aplica-las

Um maestro é tão bom quanto sua orquestra. Alinhar suas equipes a tocar em sintonia pode ser um desafio, mas não é impossível. Se você definir um processo, escolha as ferramentas certas e garanta o apoio dos funcionários ao longo do caminho, seu departamento pode prosperar facilmente no mercado de marketing digital no ritmo acelerado de hoje.

Texto original publicado no Blog Cision: Your Marketing Department Needs More Collaboration

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: marketing, cooperação, colaboração e diálogo

Como aproveitar o poder das emoções e impulsionar Relações Públicas no Digital

Ao longo dos últimos anos, principalmente com o crescimento das mídias sociais, as reações emocionais dos consumidores mudaram a face das relações públicas. As pessoas começaram a reagir a diferentes tipos de informação.

Felizmente, essas emoções podem ser amplamente utilizadas em sua estratégia de RP digital, especialmente para contar histórias que se conectam com seu público. Na verdade, os consumidores pensam em marcas e produtos como algo (ou alguém) que poderia atender às suas necessidades emocionais. Então, por que não aproveitar esta abordagem para criar um relacionamento duradouro com seus consumidores?

Aqui está uma lista de quatro dicas que o ajudarão a aproveitar as emoções de seus consumidores para impulsionar sua RP digital.

  1. Identifique as emoções que você quer enfatizar

A felicidade, o medo, a tristeza, o desgosto, a raiva e a surpresa são os seis principais tipos de emoções que os humanos experimentam quase diariamente. No entanto, nem todos eles podem ser a chave para impulsionar seu PR digital. Então, quais emoções você precisa segmentar para tornar seu conteúdo mais compartilhado?

Uma empresa de marketing digital realizou uma pesquisa com 400 pessoas pedindo que eles relacionassem 100 imagens com emoções do dia-dia. As 10 emoções mais comuns foram “positivas”, com felicidade, surpresa e admiração no topo da pesquisa.

Fractl1.png

É claro que você precisa incorporar felicidade e positividade em sua estratégia de RP digital. Quando seu público-alvo se sente entretido e feliz, eles são mais propensos a compartilhar o seu conteúdo. Então, concentre sua atenção na criação de estratégias de relações públicas que desencadeiam uma resposta emocional positiva.

Embora a felicidade e a surpresa sejam suas melhores apostas, a ira e o medo também podem funcionar. A Índia representa mais de 50% do total mundial de mortes que acontecem com pessoas que arriscam suas vidas para tirar uma selfie. Assim, a Samsung, uma das principais marcas móveis presentes no país, revelou uma nova campanha de segurança rodoviária denominada #SafeIndia. A Samsung usou o medo em sua propaganda para falar sobre a questão de aumento de mortes com selfies.

  1. Humanize sua marca

Como mencionado anteriormente, os consumidores percebem as marcas como alguém (ou algo) que atenda suas necessidades emocionais. É possível potencializar esta ação ao mostrar o lado humano da sua marca para seus consumidores. Mostrar as pessoas que estão por trás da fabricação de seu produto ou serviço favorito pode criar uma forte conexão pessoal e sensação de confiança com o público-alvo. De líderes corporativos a empregados, envolva as pessoas que estão por trás da sua empresa em sua campanha de RP digital.

A Lendistry, uma empresa que fornece financiamento para pequenas empresas localizadas no sul da Califórnia, é um excelente exemplo de como humanizar uma marca. A empresa está ativa em sua comunidade. Eles compartilharam os pontos de diversão favoritos de sua equipe e amarraram-no em um tema #SpringBreak, certificando-se de marcar os locais que eles mencionaram para tirar o máximo proveito de cada publicação.

california2.png

Durante o #RestaurantWeek, os membros da equipe Lendistry compartilharam seus restaurantes favoritos, principalmente restaurantes locais, já que a clientela da empresa são pequenas empresas locais. Essa abordagem única permitiu que a Lendistry criasse um vínculo íntimo com sua base de consumidores e com a comunidade local.

california3.png

  1. Compartilhe Histórias Relevantes

Como um profissional de relações públicas, você deve ter ouvido muitas vezes sobre histórias emocionantes. No entanto, contar uma história “emocionante” é apenas a primeira metade da equação de RP. Se você deseja que sua campanha conduza seu público-alvo a reagir ao estimulo, você deve compartilhar histórias que se relacionam.

Eric Bandholz , dono da Beardbrand, transformou uma empresa que vendia produtos de higiene masculina em uma comunidade online para a um negócio de sucesso, compartilhando histórias sobre o crescimento de uma barba de alguns homens. Hoje, com mais de 270.000 assinantes do YouTube, a Beardbrand tornou-se um negócio de sete dígitos.

orange4.png

  1. Medir o Sentimento que realmente importa

Agora você deve saber como usar as emoções. No entanto, isso é suficiente para impulsionar sua RP? Talvez não. O que funciona para todos pode não funcionar necessariamente para você. Como mensurar emoções online? Uma das maneiras mais fáceis de medir a resposta emocional de seus consumidores é a análise do sentimento.

A maioria das ferramentas de análise de sentimentos (tanto pagas, quanto gratuitas) funcionam de forma semelhante. Essas ferramentas permitem acompanhar o sentimento indicando menções em vários canais de mídia social. Por exemplo, se você quiser traçar emoções positivas, configure sua ferramenta para verificar termos positivos como "incrível", "bonito" e "obrigado". Algumas das ferramentas mais avançadas permitem que você digitalize os emojis indicando o sentimento. No entanto, para obter melhores resultados, você deve usar uma combinação de ferramentas de análise de sentimentos gratuitas e pagas.

Além disso , um curso rápido sobre a arquitetura e fundamentos da Internet das Coisas lhe dará mais direção para pesquisa, aplicativos e implementação.

Conclusão

Os seres humanos são emocionais em sua natureza. É por isso que despertar emoções pode ajudá-lo a criar um vínculo de confiança com seus consumidores, levando seus esforços de RP a outro nível. De fato, com o surgimento das mídias sociais, o papel da inteligência emocional tornou-se mais crucial do que nunca, pois os consumidores podem expressar suas respostas emocionais instantaneamente. Essas quatro dicas irão ajudá-lo a aproveitar as emoções para que seu negócio cresça.

Texto original publicado no Blog Cision: How to Leverage Emotions to Boost Digital PR

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: digital, relações públicas, consumidor, emoções nas internet

3 fatores para considerar ao mensurar o envio de suas mensagens

Ao mensurar resultados de campanha, a métrica mais importante é retorno do investimento (ROI). No entanto, avaliar os elementos de sucesso da campanha podem revelar detalhes importantes sobre seu desempenho. Além disso, comunicadores experientes podem usar essas conclusões para melhorar os resultados de futuras campanhas.

“Performance de uma única mensagem” – ao falarmos de press release, blogs ou até mesmo de posts em mídias sociais, podemos obter informações importantes com estes 3 itens sobre as preferências do público e da eficácia de uma mensagem específica:

  1. Visualizações: O número total de visualizações que uma mensagem gera diz muito sobre a linguagem que você usou no título ou em um post nas redes sociais (que imediatamente chamou a atenção). Isole mensagens de alto desempenho e procure padrões. Você pode até testar diferentes abordagens (mídia social é excelente para isso) e comparar os resultados usando um formato específico para um grupo de mensagens, e depois comparar os resultados com suas referências.
  2. Interações: Depois de identificar as mensagens com alto desempenho, filtre e analise as que geraram o maior número de interações. “Interação” é um termo amplo, abrange desde comentários, curtidas, um e-mail compartilhado até o número de downloads. Porém é um indicador importante que aponta que o público aprovou sua mensagem. Essas ações sociais são a amplificação da mensagem e interações específicas estão mais perto do resultado final. O conteúdo que impulsiona muitas visualizações, mas pouca interação não agrega valor para a marca. Analise o conteúdo que gera o maior número de interações, e mais uma vez atento aos padrões.
  3. Cliques: Ao analisar o click-through rate (CTR - taxa de cliques) em uma base de mensagem, estamos apertando o filtro mais uma vez. Avaliando se uma mensagem é ou não um sucesso. Se ela motiva o público a continuar pelo caminho que desejamos até a ação - como se inscrever em um formulário para um webinar, fazer um download de um arquivo ou clicar em um link disponível no conteúdo. Preste atenção no CTR irá revelar quais mensagens foram mais convincentes (e mais eficazes).

Sua próxima mensagem pode ser melhorada aplicando as principais conclusões de cada uma dessas três métricas.

Uma dica para precaução: Os buscadores e as preferências do público mudam em uma velocidade surpreendente. Tenha tempo para executar este tipo de avaliação várias vezes ao ano. Além disso, se você está interagindo em diferentes mercados e públicos com o seu conteúdo, avalie os resultados da mensagem dentro de setores específicos.

Além de avaliar o conteúdo por meio de resultados de negócios, também é importante notar que o número de visualizações, engajamento e a taxa de cliques também são importantes indicadores da qualidade do conteúdo aos olhos dos algoritmos dos buscadores. Continuamente ajuste essas métricas para que elas possam contribuir positivamente para a classificação nas buscas (pagerank) da empresa.

A interação que acontece quando um usuário lê um conteúdo digital e fica interessado o suficiente para clicar em um link disponível na mensagem é uma conversão importante dentro do funil de decisões, além de ser um dado relevante para a equipe de Relações Públicas, que deve usá-lo em relatórios e como ferramenta para medir o ROI de uma campanha.

Equipe PR Newswire

Tags: mensagem, dados, análise