Espaço PR Newswire para Comunicadores

O Blog da PR Newswire é um espaço dedicado à produção e desenvolvimento de conhecimento. Aqui você encontra as notícias e os artigos mais interessantes sobre Comunicação. São abordados temas relacionados às Relações Públicas, Jornalismo, Marketing, Publicidade, Mídias Sociais e Digitais. Confira nossos posts e deixe suas observações nos comentários. Queremos saber sua opinião.

90 anos de rádio no Brasil: ele nunca esteve tão jovem e atual

O rádio é um dos meios de comunicação social e, desde seu surgimento, no inicio do século XX, continua sendo um dos principais veículos para propagação de informação e cultura da atualidade. Nenhuma outra mídia foi capaz de substituir o rádio e sua roupagem nunca esteve mais moderna, com transmissões via dispositivos móveis, como smartphones.

No Brasil, a primeira transmissão radiofônica oficial aconteceu em 1922 e partiu do Corcovado (RJ), quando o país comemorava o centenário de sua independência. O antropólogo Edgard Roquete Pinto foi um dos principais incentivadores do rádio por aqui, especialmente por acreditar que o meio conseguia atingir uma grande fatia da população que não sabia ler e não era capaz de absorver conhecimento por meio de livros e jornais.

Na década de 30, o rádio se popularizou, principalmente pelos programas de auditório e pelos lançamentos musicais como Francisco Alves e Vicente Celestino, ganhando força nos anos seguintes. Foi um importante protagonista durante os períodos de guerra e em grandes eventos, como a Copa do Mundo de 1958.



A chegada da TV – A década de 50 e, com ela, o início da popularização da Televisão, colocaram a importância do rádio em pauta. Muitos artistas consagrados no rádio migraram para a TV e, frente aos atrativos do novo meio, houve quem chegou a acreditar que era o fim do rádio. Não aconteceu.

O rádio na era da Internet – Com o boom da Internet praticamente todas as mídias foram colocadas “na parede” e com o rádio não seria diferente. Mas, novamente, ele se reinventou e mostrou seu poder. Suas versões “web” são hoje populares e a sua presença é constante em dispositivos móveis, como telefones celulares e tocadores MP3.

O futuro do rádio também é promissor quando se pensa na digitalização das transmissões e na convergência de mídias. Assim, O aniversário de 100 anos dele no país está mais do que garantido. Que bom! :)

Por Camila Conte, Gerente de Relacionamento com a Mídia PR Newswire

Tags: historia+radio, radio, radio+brasil, Tecnologia

Portal R7 e PR Newswire firmam parceria para divulgação de conteúdo

Releases distribuídos pela PR Newswire também estarão dentre o conteúdo de um dos principais portais de notícias do país, o R7 

O R7 anuncia sua parceria com a PR Newswire,  – líder global em distribuição de releases.  A seção dedicada ao conteúdo da empresa global (http://www.r7.com/tudo-do-r7/pr-newswire) poderá ser vista por qualquer visitante do portal. O portal possui 42 milhões visitantes por mês, segundo dados do Omniture,   interessados nas mais de 2 mil notícias produzidas e divulgadas diariamente pelo portal, e agora também contará com conteúdo nacional e internacional distribuído pela PR Newswire direto da fonte da informação.



Para o Presidente da PR Newswire no Brasil e Vice-presidente na América Latina, Marco França, a parceria confirma a relevância do conteúdo distribuído pela empresa e atesta qualidade nos serviços de postagem de releases online aos clientes. “Por se tratar de um acordo firmado entre duas importantes empresas de disseminação de conteúdo mundial e nacional, a parceria trará ainda maior visibilidade e credibilidade às distribuições da PR Newswire no Brasil e tornará o R7 mais uma fonte de informações primárias de grandes companhias, com conteúdo fornecido diretamente da fonte da informação.”

Já para o R7, a parceria com a PR Newswire torna o portal ainda mais completo.  “Desde a criação do R7 temos trabalhado para tornar o portal um ambiente cada vez mais completo. As parcerias são fundamentais neste processo e a chegada da PR Newswire representa mais um avanço do portal”, afirma Antonio Guerreiro, diretor geral de Internet da Record e diretor geral do R7.

A distribuição de conteúdo da PR Newswire conta com uma rede de mais de 5 mil pontos de mídia na América Latina, mais de 18 mil jornalistas cadastrados no Brasil e parcerias com divulgação garantida de conteúdo em sites e agências de notícias.

Tags: Comunicação Organizacional, Institucional, parceria, pr+newswire, r7, r7+prnewswire

Hebe Camargo Supera Atores Globais é a Primeira no Ranking de Celebridades da PR Newswire em Setembro

Mesmo com cobertura jornalística apenas no último dia do mês, a morte de Hebe Camargo coloca a apresentadora na primeira posição do Top Cast da PR Newswire de setembro, desbancando as estrelas globais. Outro fator que também alavancou sua posição foram as negociações de seu retorno ao “SBT”, que renderam algumas menções na mídia. Em seguida, aparece Juliana Paes com a eleição da mulher mais sexy do Brasil pela terceira vez, segundo a Revista “IstoÉ Gente”. Na terceira posição vem Ronaldo “Fenômeno” que é convidado a diminuir suas medidas em rede nacional, no Fantástico, e ganha a capa da Veja.

Reynaldo Gianecchini, em quarto lugar, e Camila Pitanga, em quinto, entram no ranking pela repercussão do lançamento das novelas Globais “Guerra dos Sexos” e “Lado a Lado”. Os folhetins globais também colocam os holofotes da imprensa sobre Débora Nascimento, Débora Bloch, Mariana Ximenes e Lázaro Ramos, que ocupam os principais espaços na mídia.

No mesmo período de 2011, Reynaldo Gianecchini liderava o ranking com a descoberta de seu câncer, hoje já superado. “O rei” Roberto Carlos vinha em seguida, com a visita a Jerusalém, e Alinne Moraes ocupava a terceira posição como a mulher mais sexy, segundo a “IstoÉ Gente”.

Tatiana Meneses, Gerente de Comunicação e Marketing, América Latina Marina Landert, Coordenadora de Análise de Conteúdo de Mídia PR Newswire

Tags: gianecchini, hebe+camargo, juliana+paes, ranking+celebridades, reinaldo+gianecchini, ronaldo+fenomeno, Top Cast PR Newswire

As Pesquisas Eleitorais e o Peso no Voto dos Cidadãos

Em época de eleição, as pesquisas eleitorais servem como termômetro do que vem por aí, um direcionamento do contexto que será encarado em um país, em uma cidade ou em um estado. Mas nas últimas eleições, alguns fatos vêm chamando a atenção do eleitorado. As pesquisas estão se equivocando. Mas o que está acontecendo?

Em 2010, nas eleições presidenciais e para o Senado, em São Paulo, chamou atenção a concorrência para o Senado. Desde o primeiro momento, as pesquisas indicavam Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PC do B) nas primeiras posições, com Aloysio Nunes (PSDB) se alternando entre o terceiro e quarto lugar. No final, deu Aloysio Nunes na liderança, com Marta Suplicy sofrendo para se eleger em segundo, com dois pontos à frente de Netinho. Um grande erro das pesquisas. É claro, no dia da eleição em si, a boca de urna já apontava o cenário que de fato ocorreu. Muitos comentam sobre erro em metodologia de pesquisa. Outros, mais radicais, falam sobre acordos políticos, etc. A proposta aqui não é discutir, nem pender para qualquer lado político, e sim apontar para o real significado das pesquisas. Ou se de fato, é dada importância para algo que não deveria ter tanta influência no voto dos cidadãos.

Na mais recente eleição para a prefeitura de SP (07/10), mais um caso recebe atenção. Durante todo o primeiro turno, Celso Russomano (PRB) despontou desde o começo das pesquisas na primeira colocação, com Serra (PSDB) em segundo. Veredicto: Serra em primeiro e Fernando Hadadd (PT) em segundo. Durante a última semana, as pesquisas já apontavam queda de Russomano, mas nada que indicasse seu o terceiro lugar.

Segundo o sociólogo Alberto Almeida, no livro Erros nas pesquisas eleitorais e de opinião, “as pesquisas erram, e muito... o erro não tem compromisso ideológico. Elas erram a favor e contra todos”. Os principais erros, ainda segundo o autor, é superestimar as intenções de voto no candidato líder e subestimar brancos e nulos.



Se as pesquisas de fato erram, e para todos os lados, será que deveriam ser levadas tão a sério? A grande vantagem dos levantamentos é que são um indicativo do que acontecerá. Mas um fator de real importância para o voto já é um equívoco. Supondo que a margem de erro seja maior do que a divulgada, ela não deveria ser considerada. Muitas pessoas, por exemplo, poderiam votar em candidato X, pois não querem que o Y se eleja, o que ocorreria segundo os levantamentos. Segundo essa lógica, mais um desvio na eleição aconteceria.

Mas o que de fato acontece para as pessoas levarem tão a sério as pesquisas como fator considerável para escolha de votos? Na atualidade, e após tantas desilusões com a política, a sociedade no geral “cansou” do mesmo “arroz com feijão” e dos constantes casos de corrupção. Um indicativo dessa descrença com a política é como as pessoas não se manifestam mais, não lutam por um ideal político, como ocorria com os caras-pintadas, por exemplo, em 1992 contra o até então presidente Fernando Collor de Melo. É claro que estava no cerne daquela geração o ideal de manifestação, recém saído de uma época de ditadura. Mas será que caminhamos para tanto? De uma sociedade altamente contestadora para uma que simplesmente não se manifesta? Essa questão de difícil solução está nas mãos principalmente das futuras gerações, que construirão o futuro do país.

Se a solução é difícil, se a política já não empolga mais como antigamente e se não podemos nos guiar pelas pesquisas, uma coisa é certa: antes de votar, pesquise sobre os candidatos, olhe seus projetos, vote com consciência e não baseado nas pesquisas ou em opiniões alheias. O futuro da sociedade e do país depende disso.

Fontes:

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/boca-de-urna-do-ibope-erra-em-oito-de-11-capitais/ http://eleja-se.com.br/73/3-mitos-sobre-acreditar-ou-nao-nos-resultados-de-pesquisas-eleitorais http://www.parcialmenteimparcial.com.br/pesquisas-erram-1-turno-2008/ http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI100658-15223,00.html http://multiplosuniversos.com.br/site/archives/acertos-“acertos”-erros-e-“erros”-nas-pesquisas-eleitorais

 Por Marina Domingues Landert, Coordenadora de Análise de Conteúdo de Mídia PR Newswire

Tags: eleicoes, eleicoes+influencia, pesquisa+influencia+eleições

Série Trajetórias – Perfil José Luciano da Silva

Levar a vida com um sorriso no rosto e ser grato pelo que se alcançou e pelo que ainda virá. Acreditar que com dedicação, trabalho, confiança e foco todo mundo pode chegar lá. Essa pode ser uma visão bastante otimista da vida, e é isso mesmo. Depois de passar pela experiência que o fez amadurecer precocemente, a de viver pelas ruas de São Paulo, José Luciano da Silva, Zé para alguns e apenas Luciano para outros, hoje com 35 anos de idade não se vê como vítima e nem tem raiva da situação, ao contrário, amadureceu tanto que a compreensão que possui o ajuda na vida profissional também.

Há sete anos na PR Newswire, o gerente de TI entrou na empresa quando ainda se chamava Notilog e passou por muitas mudanças na companhia e também em sua vida pessoal na qual celebra cada conquista. Em agosto do ano que vem se formará em Banco de dados com ênfase em Business Intelligence, iniciou a carreira na área de TI sem nunca ter feito curso ou faculdade, aprendeu tudo o que sabe com os livros e a prática do dia a dia. “Estudei e me formei na FIVE – Faculdades Integrada da Vida”, brinca Luciano.

Já trabalhou em serviços como auxiliar de jardinagem, borracheiro, servente de pedreiro e ajudante geral, entre muitos outros.

Um amigo que o apresentou para a área de informática sugeriu que Luciano fosse trabalhar dando aulas, substituindo um professor. Deram-lhe livros e ele ficou o final de semana inteiro estudando e se preparando para a aula na segunda-feira. “Fui do desespero à alegria nos cinco minutos iniciais da aula, que foram os mais longos e mais decisivos da minha vida, depois disso não parei mais de estudar e dar aulas de informática”, conta Luciano.

Casado e pai de dois filhos, Luciano tem um perfil analítico e detalhista em seu trabalho, diz que atuar com TI não é algo solitário como pode parecer e tão pouco com uma carga leve de tarefas no dia a dia. Amante da área de programação e de banco de dados, para ele é gratificante desenvolver uma ferramenta e vê-la sendo utilizada por outras pessoas, desenvolver novos projetos e implantá-los. No futuro, já formado, Luciano que trabalhar com Business Intelligence, Inteligência de Negócios baseada em TI.



“As dificuldades que vivi nas ruas me fazem encarar com mais vontade os desafios diários que tenho. Não me considero vítima, porque fui atrás do que queria e provei que sou capaz. A dificuldade faz a gente crescer e acreditarmos em nós mesmos. Reclamar da vida não nos ajuda em nada, ao contrário. Basta olhar para o lado e ver que sempre terá alguém com um problema maior que o seu, o que te faz vencedor é a forma com que você vai lidar com seus problemas.”

Por Richele Manoel, Coordenadora de Distribuição Online PR Newswire

Tags: Comunicação Organizacional, Institucional, jose+luciano, pr+newswire, superacao

Que tipos de vídeos se tornam virais no Youtube?

Postado originalmente em 09 de agosto de 2012 por Gena Sabin, diretora de negócios multimídia da MultiVu, no Blog da PR Newswire USA.

Assim como há diversos tipos de mídia, existem também várias maneiras que uma informação pode ser difundida, dissecada e analisada. Assim, o engajamento multimídia pode ser discutido por meio de abordagens infinitas.



Em um dos últimos esforços para obter uma luz sobre o tema, o Pew Research Center  lançou um estudo sobre os vídeos de notícias mais populares carregados e vistos no YouTube. O objetivo foi analisar algumas características concretas destes vídeos no canal de  Notícias e Política do YouTube, levando em conta o que foi mais "viral" a cada semana ao longo de um período de 15 meses (janeiro de 2011 a março de 2012). Alguns dos principais achados incluem:
  • Pessoas comuns (não jornalistas ou veículos de comunicação) postaram perto de 40% do conteúdo.
  • Enquanto muito destes 40% foram originalmente produzidos por um veículo de comunicação, uma porção significativa não foi creditada corretamente.
  • Os vídeos mais populares (“viral”) focam em controvérsias, eventos desastrosos e ocorrências bem humoradas.
  • A duração dos vídeos populares varia desde menos de um minuto para mais de 15 minutos.
  • Uma grande quantidade destes conteúdos populares vai ao ar cru, sem edição.
Isto realmente mostra as diferenças entre os hábitos de ver TV e assistir a conteúdo online. Você consegue se imaginar vendo uma história mais longa que 2 ou 3 minutos num telejornal? E que tal um vídeo cru, sem edição? Conteúdo postado por pessoas comuns (Jornalismo cidadão) parece ser bem aceito quando se trata de notícias exclusivas e/ou chocantes, mas o consenso mostra que mais quesitos são necessários para fontes oficiais de notícias, além das diretrizes atuais do Youtube.

Outro ponto notável é que enquanto o YouTube contém uma grande parte dos vídeos online populares e audiência internacional, o site não é o único destino para vídeos de notícias, especialmente para o público dos Estados Unidos (apenas 30% do tráfego do YouTube é baseada nos EUA).

Seria interessante ver como se comportam algumas destas tendências em outros canais do YouTube, e talvez em outros sites de vídeo como o Vimeo ou Treemo. A definição de "notícias", sem dúvida, evoluiu durante os últimos anos, assim como "jornalista", "marca", "marketing" e "RP".

Traduzido por Camila Conte, Gerente de Relacionamento com a Mídia PR Newswire

Tags: Comunicação Organizacional, multimidia, noticias+youtube, Tecnologia, videos+virais, youtube

O que os Jornalistas Brasileiros Esperam para o Futuro da Profissão? - Participe da Pesquisa da PR Newswire

Pesquisa quer entender o futuro da profissão no Brasil sob a ótica dos próprios jornalistas, levando em conta a realidade digital atual.

A PR Newswire quer saber como os jornalistas brasileiros estão enxergando os novos caminhos da profissão levando em conta a realidade digital em que vivemos. Em muitos países, a conversão dos meios impressos para digitais já é um realidade, mas e no Brasil? Qual é a expectativa dos profissionais da área com relação à digitalização dos meios?

Se você é jornalista, ajude-nos a entender estas questões respondendo à pesquisa “Jornalistas brasileiros: o que esperam para o futuro da profissão?” iniciada hoje pela PR Newswire e que será finalizada dia 10 de outubro, com os resultados ainda no próximo mês.

Para responder acesse: https://www.surveymonkey.com/s/pesquisa_futuro_do_jornalismo

A pesquisa contém 14 perguntas de múltipla-escolha, que contemplam desde a utilização de dispositivos móveis pelos jornalistas até a predileção pelas versões impressas ou digitais do conteúdo jornalístico. O questionário leva menos de 10 minutos e as respostas vão ajudar a mapear o impacto que novos meios e tecnologias têm gerado nessa área de atuação.

Os resultados serão divulgados em outubro e compartilhados via SlideShare, Twitter e também por meio de um paper nos canais de divulgação da PR Newswire. O conteúdo estará à disposição de todos para ser compartilhado e multiplicado.

Qualquer dúvida, entre em contato conosco através do e-mail mr@prnewswire.com ou pelo Twitter (www.twitter.com/prnewswirebr).

Tatiana Meneses, Gerente de Comunicação e Marketing, América Latina PR Newswire

Tags: futuro+jornalismo, jornalistas, jornalistas+brasileiros, pesquisa+jornalistas

Da Série Conectado – Foodspotting, Path, Pair e Tumblr

Não é novidade que a cada momento surja uma nova rede social na internet, mas dentre todas elas por aí, quais valem a pena? Nós sabemos que é muito incômodo ter vários cadastros em diversas redes sociais e participar ativamente em somente duas ou três. Por isso, selecionamos algumas redes sociais que são bem bacanas para você aproveitar tanto em seu computador, quanto em seu smartphone.

Foodspotting: É um aplicativo para quem é ligado em gastronomia, ele funciona como um Foursquare para estabelecimentos do ramo alimentício. Os clientes postam fotos do estabelecimento e pratos, que além de ter comentários, você pode seguir o “profile” do lugar e ainda colocar “likes” nas fotos. Outra coisa bacana também é a busca que pode ser feita por produtos, tipos de produtos ou por estabelecimentos, e caso você não tenha um smartphone, é possível acessar pelo computador. Então aproveite e marque algo com seu namorado (a), amigos e família!



Path: Indo em contradição ao termo “rede social”, o Path coloca uma restrição aos seus contatos (no máximo 150), fazendo assim uma rede apenas para melhores amigos. Já que o Facebook está se “orkutizando”, o Path está crescendo, atualmente conta com mais de 2 milhões de usuários cadastrados. Nele, você pode compartilhas fotos, vídeos, mostrar sua localização e etc.



Pair: Continuando a linha de restrição, o app (aplicativo)  Pair, como já se deduz de seu nome, é somente para casais, restringindo-se literalmente ao casal. Com ele, você pode enviar recados, guardar fotos, vídeos, lembretes (bem útil em alguns casos). Com esse app não se pode adicionar outros casais, a proposta dele é realmente ser um diário para o “par” de namorados, ficantes e etc.



Tumblr: Essa não chega a ser uma rede social em si, é mais uma plataforma de blog. O Tumblr faz um enorme sucesso com o compartilhamento de imagens, vídeos, textos, áudios e etc.. Também é possível seguir outros usuários para ser avisado a cada publicação nova, personalizar o seu próprio tumblr entre várias outras coisas.



E aí? Gostou da nossa seleção? São boas opções para quem já está cansado das redes tradicionais.

Fontes:

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.path https://play.google.com/store/apps/details?id=com.tenthbit.juliet&feature=search_result#?t=W251bGwsMSwxLDEsImNvbS50ZW50aGJpdC5qdWxpZXQiXQ http://www.em6.com.br/redes-sociais-so-para-amigos-e-casais-viram-febre http://itunes.apple.com/br/app/path/id403639508?mt=8 http://pt.wikipedia.org/wiki/Tumblr

Leandro Santos, Executivo de Contas PR Newswire

Tags: apps, Comunicação Organizacional, foospotting, novas+redes+sociais, pair, path, redes+sociais, Tecnologia, tumblr

Mais que merecido! - Selton Mello é o número 1 no ranking de celebridades da semana



Qualquer jornalista, site ou blogueiro interessado em obter mais informações sobre o assunto poderá entrar em contato pelo email atendimento@prnewswire.com.

Equipe de Auditoria de Imagem

PR Newswire

Tags: caua+reymond, dayenne+mesquita, gianecchini, juliana+paes, ranking+celebridades, selton+melo, to+cast, Top Cast PR Newswire, top+cast+prnewswire

Como Escrever um Press Release que Funcione

Postado em 11 de setembro de 2012 por no blog Beyond PR.

[slideshare id=14225229&doc=raganprbestpracticesslideshare-120909155449-phpapp02]

Ontem, no Seminário Ragan das Melhores práricas de Comunicação, Ruth Sarfaty da Spark PR e eu apresentamos as melhores práticas de press release. Essa é uma discussão que tenho frequentemente, e a resposta é sempre envolvente. Eu falo "sempre envolvente" porque hoje nós operamos em uma ambiente fluido. Os números que ditam o que nós vemos nas redes sociais e nos mecanismos de busca podem mudar dramaticamente dia a dia, transformando as melhores práticas da semana passada em inúteis hoje.

"Releases têm mudado, assim como nós", observou minha co-apresentadora Ruth. "Enquanto os releases podem ter sido projetados para os jornalistas, não vamos nos esquecer a cauda longa que tuíta e retuíta nossas notícias!".

Aqui estão melhores práticas atuais, junto com o estudo de caso que Ruth apresentou de nosso trabalho conjunto sobre press release e mídias sociais que fizemos para o CrowdFactory. Ele é longo e compreensível. Eu não vou redigitar todos os detalhes aqui (você pode acessar todo o trabalho via SlideShare, apenas clique na imagem no começo deste post), mas vale a pena enfatizar alguns detalhes.

A casa deles, regra deles.

É importantes lembrar algumas coisas sobre os mecanismos de busca e de redes sociais que proporcionam tanta visibilidade para as nossas notícias hoje.

1- O Google não existe para promover seus press releases. Muitas pessoas se esquecem que o motivo para o Google existir é para retornar o lucro para seus acionistas. Eles fazem isso para vender seus anúncios. Esse anúncios são efetivos devido sua imensa utilidade para nós em buscar informações. É muito importante para o Google que as pessoas achem seus mecanismos de busca úteis. Assim, a melhor forma de ganhar visibilidade no Google? Publicar coisas úteis e interessantes.

2- Redes sociais são sociais. Não comerciais. Não anúncios (para a maior parte). As pessoas acessam o facebook para curtir, por exemplo. Twitter, por outro lado, é frequentemente sobre a troca de informação, principalmente em informações para nichos e furos. A conclusão é, se sua mensagem não encaixa no contexto em que as pessoas estão usando uma rede social em particular, você terá dificuldade em ganhar adesão. Você já ouviu a expressão "Cavalos para cursos" - bom, o mesmo se aplica para conteúdo nas redes sociais. Conteúdo que funciona no Facebook, não necessariamente funcionará no LinkedIn.

Muito tempo e energia são gastos na otimização de press releases. Sem dúvida, algumas das melhores práticas irão aumentar a visibilidade da mensagem. No entanto, no fim do dia a melhor forma de se fazer isso é providenciar conteúdo que seja últil e interessante para seu público.

Autora  Sarah Skerik é a vice presidentede Mídias Sociais da PR Newswire, e autora do ebook gratuito Unlocking Social Media for PR.

Traduzido por Marina Landert, Coordenadora de Análise de Conteúdo de Mídia PR Newswire

Tags: como+escrever+releases, Comunicação Organizacional, escrever+release, press+releases, Release, releases