A Ninety Plus® Coffee do Panamá estabelece novo preço recorde de US$ 10.000 por quilo

CIDADE DO PANAMÁ, 16 de setembro de 2019 /PRNewswire/ -- A fazenda de café Ninety Plus do Panamá vendeu um protótipo de seu café Gesha (Geisha) em Dubai por um preço recorde mundial de US$ 10.000 por quilograma, batendo seu próprio recorde estabelecido em leilão em 2017 de US$ 5.001,50 por quilograma.

Um lote experimental do café Gesha (Geisha) desenvolvido pelo fundador da Ninety Plus Joseph Brodsky, impressionou o empresário dos Emirados Ibrahim Al Mallouhi, fundador do The Espresso Lab, que convenceu Brodsky a lhe vender um pouco do café que será vendido no varejo por US$ 250 por xícara. Os protótipos de café envolvem cultivo altamente controlado e usam estirpes de leveduras locais durante as fermentações de vários estágios.

Os cafés da Ninety Plus ganharam 5 campeonatos mundiais de preparo de café, World Brewers Cup, e obtiveram mais avaliações de 97 pontos do que qualquer outra fazenda de café de todo o mundo. Esses protótipos de café "têm a chave para os verdadeiros produtos do futuro e representam uma fronteira totalmente nova de sabor", de acordo com Al Mallouhi.

Joseph Brodsky fundou a Ninety Plus em 2006 e se mudou para a Etiópia onde criou novas formas de processamento com os produtores locais. Esses cafés rapidamente se tornaram os mais caros de todo o mundo. Ele então trouxe estes métodos para um ambiente mais controlado em Volcan, Chiriqui, uma província do Panamá, local das últimas erupções do vulcão Baru e iniciou o trabalho com a variedade crioula (relíquia da família) Ethiopia Gesha.

O trabalho de Brodsky criou uma onda de mudanças no Panamá, já considerado um território líder global de café, com os cafés do distrito vizinho de Boquete sendo vendidos em julho por US$ 2.263 por quilograma em leilão. Juntamente com Brodsky, os produtores inovadores do Panamá continuam desenvolvendo suas práticas para alcançar novos níveis sensoriais. Um desses inovadores é o novo sócio de Brodsky, o panamenho Guillermo de Saint Malo Eleta, CEO do fundo de investimentos ELETA. A ELETA, que também é uma empresa produtora de café, viu uma oportunidade de aumentar ainda mais o desenvolvimento sustentável dos cafés exclusivos do Panamá. "Nossa parceria reflete o compromisso de promover a colaboração entre todos os produtores de café panamenhos, para criar mais justiça social e sustentabilidade ambiental na cadeia de valor".

A Ninety Plus também inovou com seu modelo de reflorestamento, produzindo café sob a copa das árvores, com os nativos Ngäbes (povo indígena, que reside no oeste do Panamá) recebendo altos salários e também fazendo parte do ciclo de inovação. "A fazenda se parece com um parque da vida selvagem com o café e as pessoas integrados dentro do ecossistema", de acordo com Brodsky.

Da mesma forma que aconteceu com o turismo do vinho em todo o mundo, os plantadores do Panamá desenvolveram um Circuito do Café com a ajuda do governo panamenho e sua Autoridade de Turismo, com as fazendas oferecendo passeios e experiências de degustação de xícaras de café. Visitas guiadas para a fazenda da Ninety Plus estão disponíveis mediante reserva.

A Ninety Plus ® Coffee é uma plantadora e produtora de café de origem única, variedade única tanto no Panamá quanto na Etiópia, dedicada à criação de notável experiência de sabor através da inovação de processos, com princípios orientadores de sabor, humanidade e ecologia. Para mais informações visite o site: https://www.ninetypluscoffee.com

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/995869/Ninety_Plus_Benjamin_Tugri.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/995870/Ninety_Plus_founder.jpg

FONTE Ninety Plus

CIDADE DO PANAMÁ, 16 de setembro de 2019 /PRNewswire/ -- A fazenda de café Ninety Plus do Panamá vendeu um protótipo de seu café Gesha (Geisha) em Dubai por um preço recorde mundial de US$ 10.000 por quilograma, batendo seu próprio recorde estabelecido em leilão em 2017 de US$ 5.001,50 por quilograma.

Um lote experimental do café Gesha (Geisha) desenvolvido pelo fundador da Ninety Plus Joseph Brodsky, impressionou o empresário dos Emirados Ibrahim Al Mallouhi, fundador do The Espresso Lab, que convenceu Brodsky a lhe vender um pouco do café que será vendido no varejo por US$ 250 por xícara. Os protótipos de café envolvem cultivo altamente controlado e usam estirpes de leveduras locais durante as fermentações de vários estágios.

Os cafés da Ninety Plus ganharam 5 campeonatos mundiais de preparo de café, World Brewers Cup, e obtiveram mais avaliações de 97 pontos do que qualquer outra fazenda de café de todo o mundo. Esses protótipos de café "têm a chave para os verdadeiros produtos do futuro e representam uma fronteira totalmente nova de sabor", de acordo com Al Mallouhi.

Joseph Brodsky fundou a Ninety Plus em 2006 e se mudou para a Etiópia onde criou novas formas de processamento com os produtores locais. Esses cafés rapidamente se tornaram os mais caros de todo o mundo. Ele então trouxe estes métodos para um ambiente mais controlado em Volcan, Chiriqui, uma província do Panamá, local das últimas erupções do vulcão Baru e iniciou o trabalho com a variedade crioula (relíquia da família) Ethiopia Gesha.

O trabalho de Brodsky criou uma onda de mudanças no Panamá, já considerado um território líder global de café, com os cafés do distrito vizinho de Boquete sendo vendidos em julho por US$ 2.263 por quilograma em leilão. Juntamente com Brodsky, os produtores inovadores do Panamá continuam desenvolvendo suas práticas para alcançar novos níveis sensoriais. Um desses inovadores é o novo sócio de Brodsky, o panamenho Guillermo de Saint Malo Eleta, CEO do fundo de investimentos ELETA. A ELETA, que também é uma empresa produtora de café, viu uma oportunidade de aumentar ainda mais o desenvolvimento sustentável dos cafés exclusivos do Panamá. "Nossa parceria reflete o compromisso de promover a colaboração entre todos os produtores de café panamenhos, para criar mais justiça social e sustentabilidade ambiental na cadeia de valor".

A Ninety Plus também inovou com seu modelo de reflorestamento, produzindo café sob a copa das árvores, com os nativos Ngäbes (povo indígena, que reside no oeste do Panamá) recebendo altos salários e também fazendo parte do ciclo de inovação. "A fazenda se parece com um parque da vida selvagem com o café e as pessoas integrados dentro do ecossistema", de acordo com Brodsky.

Da mesma forma que aconteceu com o turismo do vinho em todo o mundo, os plantadores do Panamá desenvolveram um Circuito do Café com a ajuda do governo panamenho e sua Autoridade de Turismo, com as fazendas oferecendo passeios e experiências de degustação de xícaras de café. Visitas guiadas para a fazenda da Ninety Plus estão disponíveis mediante reserva.

A Ninety Plus ® Coffee é uma plantadora e produtora de café de origem única, variedade única tanto no Panamá quanto na Etiópia, dedicada à criação de notável experiência de sabor através da inovação de processos, com princípios orientadores de sabor, humanidade e ecologia. Para mais informações visite o site: https://www.ninetypluscoffee.com

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/995869/Ninety_Plus_Benjamin_Tugri.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/995870/Ninety_Plus_founder.jpg

FONTE Ninety Plus

Você acabou de ler:

A Ninety Plus® Coffee do Panamá estabelece novo preço recorde de US$ 10.000 por quilo

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/a-ninety-plus-coffee-do-panama-estabelece-novo-preco-recorde-de-us-10-000-por-quilo-2/