A vacina de dose única 'Sputnik Light' (primeiro componente da vacina 'Sputnik V') demonstra 70% de eficácia contra a infecção contra a variante Delta durante os primeiros três meses após a vacinação, mostra análise do Centro Gamaleia

  • A vacina é mais de 75% eficaz entre indivíduos com menos de 60 anos. A 'Sputnik Light' também oferece eficácia muito maior contra doenças graves e hospitalizações.
  • A 'Sputnik Light' demonstrou uma eficácia superior em comparação com algumas vacinas estrangeiras de duas doses, que mostraram um grande declínio na eficácia contra a variante Delta para menos de 50% cinco meses após a injeção.
  • Um artigo com os resultados da análise da eficácia da "Sputnik Light" contra a variante Delta foi enviado ao portal de preprints de artigos científicos na área da medicina MedRxiv para publicação nesta semana.
  • A vacina de duas doses 'Sputnik V está autorizada em 70 países, com população total de mais de 4 bilhões de pessoas.
  • A vacina de dose única 'Sputnik Light' está autorizada em mais de 15 países, com processos de registro em andamento em outros 30.
  • A 'Sputnik Light' é um reforço universal para outras vacinas: dados positivos de estudos clínicos na Argentina e em outros países demonstram alta segurança e imunogenicidade da 'Sputnik Light' administrada como injeção de reforço para vacinas de outros produtores.
  • A eficácia da vacina de dose única 'Sputnik Light' como reforço contra a variante Delta combinada com outras vacinas será próxima da eficácia contra a variante Delta da vacina 'Sputnik V': mais de 83% contra infecção e mais de 94% contra hospitalização.

MOSCOU, 13 de outubro de 2021 /PRNewswire/ -- O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF, fundo de riqueza soberana da Rússia) e o Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleia publicam os resultados de sua análise de eficácia da vacina de dose única 'Sputnik Light' contra a infecção da variante Delta do coronavírus.

Um artigo com os resultados da análise da eficácia da "Sputnik Light" contra a variante Delta foi enviado ao portal de preprints de artigos científicos na área da medicina MedRxiv para publicação nesta semana.

I. Eficácia da 'Sputnik Light' como vacina independente

Dados do Centro Gamaleia demonstram que a vacina 'Sputnik Light' administrada sozinha demonstrou eficácia de 70% contra a infecção pela variante Delta do coronavírus durante os primeiros três meses após a vacinação. A vacina é 75% eficaz entre indivíduos com menos de 60 anos. A 'Sputnik Light' demonstrou uma eficácia superior em comparação com algumas vacinas estrangeiras de duas doses, que mostraram um grande declínio na eficácia contra a variante Delta para menos de 50% cinco meses após a injeção .

O uso independente da 'Sputnik Light' também oferece uma eficácia muito maior contra doenças graves e hospitalizações.

A análise foi conduzida com base em dados de 28.000 participantes que receberam uma única dose da 'Sputnik Light', em comparação com um grupo de controle de 5,6 milhões de indivíduos que não foram vacinados. Os dados usados no estudo foram coletados em julho de 2021 em Moscou.

II. Eficácia da 'Sputnik Light' como dose de reforço

Um regime de vacinação com a 'Sputnik Light' tem uma série de vantagens importantes, incluindo facilidade de administração da vacina, monitoramento e esquema de revacinação mais flexível quando usada como reforço.

A eficácia da 'Sputnik Light' como reforço contra a variante Delta combinada com outras vacinas será próxima da eficácia contra a variante Delta da vacina 'Sputnik V': mais de 83% contra infecção e mais de 94% contra hospitalização.

III. Dados do mundo real sobre a 'Sputnik Light' e estudos de combinação com outras vacinas

A vacina 'Sputnik Light' é baseada no adenovírus humano sorotipo 26, o primeiro componente da 'Sputnik V' - a primeira vacina registrada no mundo contra o coronavírus. A 'Sputnik Light' já foi autorizada em mais de 15 países, com o processo de registro em andamento em mais 30. A 'Sputnik Light' será produzida pelos parceiros internacionais da RDIF em mais de 10 países (Índia, China, Coreia do Sul, Vietnã, México, Argentina, Sérvia, Turquia, etc.). Isso inclui o Serum Institute of India, o maior produtor mundial de vacinas.

A 'Sputnik Light' provou ser segura e altamente eficaz com base em dados de vacinação do mundo real em vários países. Em particular, a vacina demonstrou eficácia entre 78,6-83,7% entre os idosos, conforme confirmado pelo Ministério da Saúde de Buenos Aires, Argentina. O Ministério da Saúde do Paraguai também concluiu que a 'Sputnik Light' foi 93,5% eficaz durante a campanha de vacinação em andamento no país.

Graças à sua segurança e eficácia, a vacina 'Sputnik Light' agora é usada de forma autônoma e estudada em combinação com vacinas de outros produtores em vários países.

A abordagem de reforço heterogênea (um "coquetel de vacina" usando o adenovírus humano sorotipo 26 como o primeiro componente e o adenovírus humano sorotipo 5 como o segundo componente) estava no cerne da 'Sputnik V'. Esta abordagem foi comprovada por ser bem sucedida na criação de um mais longo e mais imunidade durável contra o coronavírus. O RDIF iniciou parcerias com outros produtores de vacinas para conduzir estudos conjuntos sobre a combinação do primeiro componente da 'Sputnik V' com outras vacinas.

Esses estudos estão em andamento na Rússia, Argentina, Azerbaijão e Emirados Árabes Unidos, entre outros.

Em particular, o RDIF, o Ministério da Saúde da Argentina, o Ministério da Ciência da Argentina e o CONICET estão conduzindo um estudo para avaliar a resposta imunológica e a segurança de regimes heterogêneos combinando 'Sputnik Light' e vacinas produzidas pela AstraZeneca, Sinopharm e Moderna na cidade e província de Buenos Aires, bem como as províncias de San Luis, Córdoba e La Rioja. Os resultados iniciais do estudo confirmam um perfil de alta segurança de combinações sem eventos adversos graves relacionados à vacinação.

Os resultados preliminares do uso combinado da vacina AstraZeneca e 'Sputnik Light' de um ensaio clínico no Azerbaijão demonstraram que os anticorpos para a proteína spike do vírus SARS-CoV-2 (proteína S) apareceram em 100% dos voluntários. O uso combinado das vacinas também mostra um perfil de alta segurança, sem eventos adversos graves ou casos de infecção por coronavírus após a vacinação.

Denis Logunov, Diretor Adjunto do Centro Gamaleia, comentou:

"A variante Delta do coronavírus é uma das cepas mais comuns e perigosas. A análise de dados pelo Centro Gamaleia demonstra que a 'Sputnik Light' permanece altamente eficaz meses após a vacinação. Os resultados obtidos durante o estudo superam significativamente os de algumas outras vacinas, conforme publicado anteriormente na mídia científica.

O regime de dose única da vacina a torna uma solução forte para países com baixas taxas de vacinação. A 'Sputnik Light' também pode ser usada com sucesso para manter a imunidade de rebanho existente como uma injeção de reforço."

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), disse:

"Os indicadores de eficácia da vacina de componente único "Sputnik Light" contra a variante Delta do coronavírus excedem significativamente os de uma série de outros fármacos. Dados do Centro Gamaleia, assim como estudos em todo o mundo, confirmam que hoje a vacina 'Sputnik Light' é um dos melhores medicamentos contra o coronavírus.

A Sputnik Light é segura e altamente eficaz quando usada isoladamente e quando combinada com outras vacinas. A vacina proporciona flexibilidade na imunização da população, contribuindo para a formação da imunidade primária e revacinação efetiva para pessoas que receberam originalmente uma vacina diferente. Levando em consideração sua alta segurança e eficácia, a 'Sputnik Light' pode se tornar o melhor reforço universal.

O RDIF apoia ativamente a pesquisa de combinações da Sputnik Light com outras vacinas e também convidou pesquisadores internacionais independentes e instituições científicas para cooperar em estudos do mundo real de segurança e eficácia das vacinas contra o coronavírus."

***

O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF) foi fundado em 2011 para investir no capital de empresas principalmente na Rússia, juntamente com os principais investidores financeiros e estratégicos estrangeiros. O fundo atua como um catalisador para o investimento direto na economia russa. No momento, o RDIF tem um histórico de sucesso na implementação conjunta de mais de 80 projetos com parceiros estrangeiros com um volume total de mais de 1,9 trilhão de rublos, cobrindo 95% das regiões russas. As empresas do portfólio do RDIF empregam mais de 800.000 funcionários e sua receita anual é de 6% do PIB da Rússia. O RDIF estabeleceu parcerias estratégicas conjuntas com os principais co-investidores internacionais de 18 países, totalizando mais de US$ 40 bilhões. Mais informações podem ser encontradas no site: rdif.ru

FONTE The Russian Direct Invest Fund (RDIF)

  • A vacina é mais de 75% eficaz entre indivíduos com menos de 60 anos. A 'Sputnik Light' também oferece eficácia muito maior contra doenças graves e hospitalizações.
  • A 'Sputnik Light' demonstrou uma eficácia superior em comparação com algumas vacinas estrangeiras de duas doses, que mostraram um grande declínio na eficácia contra a variante Delta para menos de 50% cinco meses após a injeção.
  • Um artigo com os resultados da análise da eficácia da "Sputnik Light" contra a variante Delta foi enviado ao portal de preprints de artigos científicos na área da medicina MedRxiv para publicação nesta semana.
  • A vacina de duas doses 'Sputnik V está autorizada em 70 países, com população total de mais de 4 bilhões de pessoas.
  • A vacina de dose única 'Sputnik Light' está autorizada em mais de 15 países, com processos de registro em andamento em outros 30.
  • A 'Sputnik Light' é um reforço universal para outras vacinas: dados positivos de estudos clínicos na Argentina e em outros países demonstram alta segurança e imunogenicidade da 'Sputnik Light' administrada como injeção de reforço para vacinas de outros produtores.
  • A eficácia da vacina de dose única 'Sputnik Light' como reforço contra a variante Delta combinada com outras vacinas será próxima da eficácia contra a variante Delta da vacina 'Sputnik V': mais de 83% contra infecção e mais de 94% contra hospitalização.

MOSCOU, 13 de outubro de 2021 /PRNewswire/ -- O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF, fundo de riqueza soberana da Rússia) e o Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleia publicam os resultados de sua análise de eficácia da vacina de dose única 'Sputnik Light' contra a infecção da variante Delta do coronavírus.

Um artigo com os resultados da análise da eficácia da "Sputnik Light" contra a variante Delta foi enviado ao portal de preprints de artigos científicos na área da medicina MedRxiv para publicação nesta semana.

I. Eficácia da 'Sputnik Light' como vacina independente

Dados do Centro Gamaleia demonstram que a vacina 'Sputnik Light' administrada sozinha demonstrou eficácia de 70% contra a infecção pela variante Delta do coronavírus durante os primeiros três meses após a vacinação. A vacina é 75% eficaz entre indivíduos com menos de 60 anos. A 'Sputnik Light' demonstrou uma eficácia superior em comparação com algumas vacinas estrangeiras de duas doses, que mostraram um grande declínio na eficácia contra a variante Delta para menos de 50% cinco meses após a injeção .

O uso independente da 'Sputnik Light' também oferece uma eficácia muito maior contra doenças graves e hospitalizações.

A análise foi conduzida com base em dados de 28.000 participantes que receberam uma única dose da 'Sputnik Light', em comparação com um grupo de controle de 5,6 milhões de indivíduos que não foram vacinados. Os dados usados no estudo foram coletados em julho de 2021 em Moscou.

II. Eficácia da 'Sputnik Light' como dose de reforço

Um regime de vacinação com a 'Sputnik Light' tem uma série de vantagens importantes, incluindo facilidade de administração da vacina, monitoramento e esquema de revacinação mais flexível quando usada como reforço.

A eficácia da 'Sputnik Light' como reforço contra a variante Delta combinada com outras vacinas será próxima da eficácia contra a variante Delta da vacina 'Sputnik V': mais de 83% contra infecção e mais de 94% contra hospitalização.

III. Dados do mundo real sobre a 'Sputnik Light' e estudos de combinação com outras vacinas

A vacina 'Sputnik Light' é baseada no adenovírus humano sorotipo 26, o primeiro componente da 'Sputnik V' - a primeira vacina registrada no mundo contra o coronavírus. A 'Sputnik Light' já foi autorizada em mais de 15 países, com o processo de registro em andamento em mais 30. A 'Sputnik Light' será produzida pelos parceiros internacionais da RDIF em mais de 10 países (Índia, China, Coreia do Sul, Vietnã, México, Argentina, Sérvia, Turquia, etc.). Isso inclui o Serum Institute of India, o maior produtor mundial de vacinas.

A 'Sputnik Light' provou ser segura e altamente eficaz com base em dados de vacinação do mundo real em vários países. Em particular, a vacina demonstrou eficácia entre 78,6-83,7% entre os idosos, conforme confirmado pelo Ministério da Saúde de Buenos Aires, Argentina. O Ministério da Saúde do Paraguai também concluiu que a 'Sputnik Light' foi 93,5% eficaz durante a campanha de vacinação em andamento no país.

Graças à sua segurança e eficácia, a vacina 'Sputnik Light' agora é usada de forma autônoma e estudada em combinação com vacinas de outros produtores em vários países.

A abordagem de reforço heterogênea (um "coquetel de vacina" usando o adenovírus humano sorotipo 26 como o primeiro componente e o adenovírus humano sorotipo 5 como o segundo componente) estava no cerne da 'Sputnik V'. Esta abordagem foi comprovada por ser bem sucedida na criação de um mais longo e mais imunidade durável contra o coronavírus. O RDIF iniciou parcerias com outros produtores de vacinas para conduzir estudos conjuntos sobre a combinação do primeiro componente da 'Sputnik V' com outras vacinas.

Esses estudos estão em andamento na Rússia, Argentina, Azerbaijão e Emirados Árabes Unidos, entre outros.

Em particular, o RDIF, o Ministério da Saúde da Argentina, o Ministério da Ciência da Argentina e o CONICET estão conduzindo um estudo para avaliar a resposta imunológica e a segurança de regimes heterogêneos combinando 'Sputnik Light' e vacinas produzidas pela AstraZeneca, Sinopharm e Moderna na cidade e província de Buenos Aires, bem como as províncias de San Luis, Córdoba e La Rioja. Os resultados iniciais do estudo confirmam um perfil de alta segurança de combinações sem eventos adversos graves relacionados à vacinação.

Os resultados preliminares do uso combinado da vacina AstraZeneca e 'Sputnik Light' de um ensaio clínico no Azerbaijão demonstraram que os anticorpos para a proteína spike do vírus SARS-CoV-2 (proteína S) apareceram em 100% dos voluntários. O uso combinado das vacinas também mostra um perfil de alta segurança, sem eventos adversos graves ou casos de infecção por coronavírus após a vacinação.

Denis Logunov, Diretor Adjunto do Centro Gamaleia, comentou:

"A variante Delta do coronavírus é uma das cepas mais comuns e perigosas. A análise de dados pelo Centro Gamaleia demonstra que a 'Sputnik Light' permanece altamente eficaz meses após a vacinação. Os resultados obtidos durante o estudo superam significativamente os de algumas outras vacinas, conforme publicado anteriormente na mídia científica.

O regime de dose única da vacina a torna uma solução forte para países com baixas taxas de vacinação. A 'Sputnik Light' também pode ser usada com sucesso para manter a imunidade de rebanho existente como uma injeção de reforço."

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), disse:

"Os indicadores de eficácia da vacina de componente único "Sputnik Light" contra a variante Delta do coronavírus excedem significativamente os de uma série de outros fármacos. Dados do Centro Gamaleia, assim como estudos em todo o mundo, confirmam que hoje a vacina 'Sputnik Light' é um dos melhores medicamentos contra o coronavírus.

A Sputnik Light é segura e altamente eficaz quando usada isoladamente e quando combinada com outras vacinas. A vacina proporciona flexibilidade na imunização da população, contribuindo para a formação da imunidade primária e revacinação efetiva para pessoas que receberam originalmente uma vacina diferente. Levando em consideração sua alta segurança e eficácia, a 'Sputnik Light' pode se tornar o melhor reforço universal.

O RDIF apoia ativamente a pesquisa de combinações da Sputnik Light com outras vacinas e também convidou pesquisadores internacionais independentes e instituições científicas para cooperar em estudos do mundo real de segurança e eficácia das vacinas contra o coronavírus."

***

O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF) foi fundado em 2011 para investir no capital de empresas principalmente na Rússia, juntamente com os principais investidores financeiros e estratégicos estrangeiros. O fundo atua como um catalisador para o investimento direto na economia russa. No momento, o RDIF tem um histórico de sucesso na implementação conjunta de mais de 80 projetos com parceiros estrangeiros com um volume total de mais de 1,9 trilhão de rublos, cobrindo 95% das regiões russas. As empresas do portfólio do RDIF empregam mais de 800.000 funcionários e sua receita anual é de 6% do PIB da Rússia. O RDIF estabeleceu parcerias estratégicas conjuntas com os principais co-investidores internacionais de 18 países, totalizando mais de US$ 40 bilhões. Mais informações podem ser encontradas no site: rdif.ru

FONTE The Russian Direct Invest Fund (RDIF)

Você acabou de ler:

A vacina de dose única 'Sputnik Light' (primeiro componente da vacina 'Sputnik V') demonstra 70% de eficácia contra a infecção contra a variante Delta durante os primeiros três meses após a vacinação, mostra análise do Centro Gamaleia

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/a-vacina-de-dose-unica-sputnik-light-primeiro-componente-da-vacina-sputnik-v-demonstra-70-de-eficacia-contra-a-infeccao-contra-a-variante-delta-durante-os-primeiros-tres-meses-apos-a-vacinacao/