Abdon Murad Junior afirma que obesos têm mais propensão à asma

SÃO LUÍS, Brasil, 24 de setembro de 2019 /PRNewswire/ -- A asma certamente é uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns, juntamente com a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica, possuindo como principais características a dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida.

Todos esses sintomas tendem a piorar à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas.

Um estudo recente apontou que as pessoas obesas têm maior propensão a ter asma, e isso tem preocupado profissionais da área médica, como é o caso de Abdon Murad Junior, que atua no tratamento de pessoas com sobrepeso há muitos anos.

A pesquisa foi divulgada na revista "Cell Metabolism" e apontou que a leptina - hormônio produzido pelas células de gordura, que desempenham papel fundamental no metabolismo energético - também regula o diâmetro das vias aéreas.

A descoberta dessa nova função da leptina pode explicar o motivo de os obesos serem mais propensos à asma, os estudos revelaram que há amplas evidências de que o excesso de peso pode ocasionar o estreitamento das vias respiratórias (broncoconstrição).

Abdon Murad Junior explica que quando a obesidade se desenvolve em pessoas com asma, ela agrava a doença respiratória e dificulta o tratamento do problema por razões pouco compreendidos pelos cientistas. Tudo isso gerou a suspeita de que as células de gordura prejudicam grandemente todo o processo respiratório das pessoas, o que vem a ser um prato cheio para a manifestação da asma.

Quais são os principais sintomas da asma?

A asma tem sintomas bem característicos, mas alguns deles podem ser confundidos com os de outras doenças. Para um diagnóstico adequado ou seguro, o ideal é procurar um profissional de saúde assim que sentir qualquer desconforto.

Os principais sintomas dessa doença são:

  • Tosse seca
  • Chiado no peito
  • Dificuldade para respirar
  • Respiração rápida e curta
  • Desconforto torácico
  • Ansiedade

Tratamento da asma em pessoas obesas

Os resultados obtidos através dos estudos indicam que a obesidade, associada à doença respiratória, pode ser tratada com medicamentos que aumentam os sinais emitidos pela leptina ao cérebro.

O médico Abdon Murad Junior explica que dois experimentos foram realizados para determinar a influência da descoberta sobre o tratamento da asma. Em um deles, os cientistas pegaram ratos obesos e asmáticos e administraram uma substância que aumenta a inflamação pulmonar.

Ao infundirem leptina no cérebro dos ratos por quatro dias, não ocorreu efeito sobre a inflamação, mas o diâmetro das vias aéreas e as funções pulmonares eram normais, e isso sugere que, pelo menos no rato, é possível curar a asma associada à obesidade, sem afetar a inflamação. Já no segundo experimento, os pesquisadores trataram os ratos com drogas que diminuem o tônus parassimpático ou taxa de disparo neuronal. Mais uma vez, a asma diminuiu depois de vários dias.

Com isso, Abdon Murad Junior e outros especialistas podem concluir que é totalmente possível realizar um tratamento eficaz nas pessoas obesas que apresentam problemas respiratórios como é o caso da asma.

Certamente este é um estudo importante, que renova as esperanças de muitas pessoas com esses tipos de problemas.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1000286/abdon_murad_junior1.jpg

CONTATO: Assessoria de Comunicacao (11) 4112-6701, contato@saftec.com.br, www.saftec.com.br

FONTE Abdon Murad Junior

SÃO LUÍS, Brasil, 24 de setembro de 2019 /PRNewswire/ -- A asma certamente é uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns, juntamente com a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica, possuindo como principais características a dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida.

Todos esses sintomas tendem a piorar à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas.

Um estudo recente apontou que as pessoas obesas têm maior propensão a ter asma, e isso tem preocupado profissionais da área médica, como é o caso de Abdon Murad Junior, que atua no tratamento de pessoas com sobrepeso há muitos anos.

A pesquisa foi divulgada na revista "Cell Metabolism" e apontou que a leptina - hormônio produzido pelas células de gordura, que desempenham papel fundamental no metabolismo energético - também regula o diâmetro das vias aéreas.

A descoberta dessa nova função da leptina pode explicar o motivo de os obesos serem mais propensos à asma, os estudos revelaram que há amplas evidências de que o excesso de peso pode ocasionar o estreitamento das vias respiratórias (broncoconstrição).

Abdon Murad Junior explica que quando a obesidade se desenvolve em pessoas com asma, ela agrava a doença respiratória e dificulta o tratamento do problema por razões pouco compreendidos pelos cientistas. Tudo isso gerou a suspeita de que as células de gordura prejudicam grandemente todo o processo respiratório das pessoas, o que vem a ser um prato cheio para a manifestação da asma.

Quais são os principais sintomas da asma?

A asma tem sintomas bem característicos, mas alguns deles podem ser confundidos com os de outras doenças. Para um diagnóstico adequado ou seguro, o ideal é procurar um profissional de saúde assim que sentir qualquer desconforto.

Os principais sintomas dessa doença são:

  • Tosse seca
  • Chiado no peito
  • Dificuldade para respirar
  • Respiração rápida e curta
  • Desconforto torácico
  • Ansiedade

Tratamento da asma em pessoas obesas

Os resultados obtidos através dos estudos indicam que a obesidade, associada à doença respiratória, pode ser tratada com medicamentos que aumentam os sinais emitidos pela leptina ao cérebro.

O médico Abdon Murad Junior explica que dois experimentos foram realizados para determinar a influência da descoberta sobre o tratamento da asma. Em um deles, os cientistas pegaram ratos obesos e asmáticos e administraram uma substância que aumenta a inflamação pulmonar.

Ao infundirem leptina no cérebro dos ratos por quatro dias, não ocorreu efeito sobre a inflamação, mas o diâmetro das vias aéreas e as funções pulmonares eram normais, e isso sugere que, pelo menos no rato, é possível curar a asma associada à obesidade, sem afetar a inflamação. Já no segundo experimento, os pesquisadores trataram os ratos com drogas que diminuem o tônus parassimpático ou taxa de disparo neuronal. Mais uma vez, a asma diminuiu depois de vários dias.

Com isso, Abdon Murad Junior e outros especialistas podem concluir que é totalmente possível realizar um tratamento eficaz nas pessoas obesas que apresentam problemas respiratórios como é o caso da asma.

Certamente este é um estudo importante, que renova as esperanças de muitas pessoas com esses tipos de problemas.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1000286/abdon_murad_junior1.jpg

CONTATO: Assessoria de Comunicacao (11) 4112-6701, contato@saftec.com.br, www.saftec.com.br

FONTE Abdon Murad Junior

Você acabou de ler:

Abdon Murad Junior afirma que obesos têm mais propensão à asma

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/abdon-murad-junior-afirma-que-obesos-tem-mais-propensao-a-asma-2/