Abilumi orienta escolher a lâmpada LED pelo critério do fluxo luminoso, não apenas pela potência

Ao comparar produtos, consumidor deve optar pelos certificados e que sejam mais eficientes, não apenas os que tenham maior potência em Watts

SÃO PAULO, 20 de abril de 2020 /PRNewswire/ -- Como as lâmpadas incandescentes reinaram absolutas por quase 150 anos no mercado mundial, o consumidor acostumou-se a escolher uma lâmpada pela potência (Watt). Entretanto, com o avanço tecnológico nos últimos anos e o surgimento das lâmpadas LED, o fluxo luminoso tornou-se o melhor critério.

A potência da lâmpada é sem dúvida um dado importante, pois é daí que o consumidor fica sabendo a quantidade de energia que será consumida e, consequentemente, o custo que representará aquela lâmpada em sua conta de energia elétrica. Mas tão importante quanto a energia consumida é a "quantidade de luz que a lâmpada produzirá" ou, numa linguagem mais técnica, o "fluxo luminoso" emitido e que é medido em Lúmens (lm).

Dessa forma, a Abilumi (Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação) orienta os consumidores a adquirirem a lâmpada que oferecer o fluxo luminoso (lm) desejado ou que apresente uma eficiência de lúmens por Watt (lm/W) maior e comparando com a potência da lâmpada que será substituída. Clique aqui e consulte a Tabela de Equivalência da Abilumi.

Confira as dicas da Abilumi para comprar o modelo que melhor atenderá às suas necessidades:

1)  Identifique as informações técnicas na embalagem, como fluxo luminoso, eficiência luminosa, potência, voltagem, dentre outras, além do selo do Inmetro, que atesta que o produto é certificado e atende aos padrões de qualidade e segurança.

2)  Esteja atento aos lúmens, que medem a quantidade de luz emitida por uma lâmpada em todas as direções, também chamada de fluxo luminoso, ou seja, o quanto uma lâmpada ilumina um ambiente. Quanto maior o número de lúmens, mais luz a lâmpada emite por Watt consumido.

O Watt, mais conhecido pelo público em geral e também chamado de potência, simplesmente diz respeito ao consumo de energia e não tem nada a ver com a emissão de luz. Por isso, uma lâmpada LED é eficiente se tem uma alta taxa de lúmens e um baixo valor de Watts. Clique aqui e consulte a Tabela de Equivalência da Abilumi.

3)  A Eficiência Luminosa (lm/W) é outra informação disponível na embalagem e útil para o consumidor na hora de comprar a lâmpada LED. É a relação do fluxo luminoso com a potência, ou seja, quantos lúmens o produto emite por Watt consumido.

4)  Ao substituir uma lâmpada, observe tanto o valor de lúmens quanto o de Watts e opte sempre por aquela que consuma menos energia (menos valor de Watts), mas que tenha uma quantidade de lúmens adequada ao tipo de aplicação pretendido.

Veja abaixo um exemplo de equivalências entre modelos de lâmpadas fluorescentes em comparação com as lâmpadas LED e o quanto você pode economizar com essa tecnologia.

Incandescente

Potência da Lâmpada Fluorescente

(em Watts = W)

Fluxo Luminoso equivalente

(em Lúmens = Lm)

Potência da Lâmpada LED

(em Watts = W)

40W

Compacta 10W

600

7W

60W

Compacta 15W

850

9W

75W

Compacta 20W

1.200

12W

100W

Compacta 25W

1.500

15W

-

Tubular 20W

1.000

Tubular 9W

150W

Tubular 50W

2.000

Tubular 18W

2) Ao optar pelas tubulares, compre sempre lâmpadas com ligação elétrica só em um dos lados.

Todos esses dados estão nas embalagens das lâmpadas certificadas pelo Inmetro, ou seja, ninguém precisa usar uma calculadora quando for comprar uma lâmpada, basta comparar os dados.

5)  Lâmpadas que geram mais lúmens consumirão uma quantidade maior de energia, mas busque sempre orientar sua escolha pelo fluxo luminoso e não apenas pelo consumo, que no caso do LED será sempre menor que o de outras tecnologias.

6)  As lâmpadas LED podem durar até quatro vezes mais do que as fluorescentes compactas. Entretanto, o tempo (em horas de funcionamento) estimado na embalagem não significa o tempo que ela vai levar para queimar e sim o período que a lâmpada passará a funcionar com mais ou menos 70% da capacidade luminosa original.

7)  As lâmpadas LED costumam ter tonalidades de cores que podem ser identificadas nas embalagens como "temperaturas de cor", expressas em Kelvin (K). As "temperaturas" – quente, neutra ou fria − não estão associadas à quantidade de calor gerado pela lâmpada, mas orientam suas aplicações.

8)  No que se refere à tensão ou voltagem, é possível encontrar no mercado quatro opções: 12 volts (para luminárias), 127 volts, 220 volts ou bivolt. Por isso, antes de adquirir um modelo, é importante verificar qual é a compatível com a sua rede elétrica, o que também vai determinar o melhor desempenho.

Sobre a ABILUMI

A ABILUMI (Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação), criada em janeiro de 2005, tem por objetivo congregar e defender os interesses das empresas atuantes no segmento de importação e distribuição de produtos de iluminação. Seus principais esforços são dirigidos para o apoio ao desenvolvimento de normas universais e o aprimoramento dos produtos oferecidos no mercado brasileiro.

A entidade apoia os programas de Eficiência Energética nos diversos organismos governamentais e entidades de classe e coopera com os poderes públicos nos estudos e soluções dos problemas que se relacionem com os interesses e questões de caráter comercial das associadas, como o Ministério das Minas e Energia, Procel e Inmetro, entre outros.

FONTE Abilumi

Ao comparar produtos, consumidor deve optar pelos certificados e que sejam mais eficientes, não apenas os que tenham maior potência em Watts

SÃO PAULO, 20 de abril de 2020 /PRNewswire/ -- Como as lâmpadas incandescentes reinaram absolutas por quase 150 anos no mercado mundial, o consumidor acostumou-se a escolher uma lâmpada pela potência (Watt). Entretanto, com o avanço tecnológico nos últimos anos e o surgimento das lâmpadas LED, o fluxo luminoso tornou-se o melhor critério.

A potência da lâmpada é sem dúvida um dado importante, pois é daí que o consumidor fica sabendo a quantidade de energia que será consumida e, consequentemente, o custo que representará aquela lâmpada em sua conta de energia elétrica. Mas tão importante quanto a energia consumida é a "quantidade de luz que a lâmpada produzirá" ou, numa linguagem mais técnica, o "fluxo luminoso" emitido e que é medido em Lúmens (lm).

Dessa forma, a Abilumi (Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação) orienta os consumidores a adquirirem a lâmpada que oferecer o fluxo luminoso (lm) desejado ou que apresente uma eficiência de lúmens por Watt (lm/W) maior e comparando com a potência da lâmpada que será substituída. Clique aqui e consulte a Tabela de Equivalência da Abilumi.

Confira as dicas da Abilumi para comprar o modelo que melhor atenderá às suas necessidades:

1)  Identifique as informações técnicas na embalagem, como fluxo luminoso, eficiência luminosa, potência, voltagem, dentre outras, além do selo do Inmetro, que atesta que o produto é certificado e atende aos padrões de qualidade e segurança.

2)  Esteja atento aos lúmens, que medem a quantidade de luz emitida por uma lâmpada em todas as direções, também chamada de fluxo luminoso, ou seja, o quanto uma lâmpada ilumina um ambiente. Quanto maior o número de lúmens, mais luz a lâmpada emite por Watt consumido.

O Watt, mais conhecido pelo público em geral e também chamado de potência, simplesmente diz respeito ao consumo de energia e não tem nada a ver com a emissão de luz. Por isso, uma lâmpada LED é eficiente se tem uma alta taxa de lúmens e um baixo valor de Watts. Clique aqui e consulte a Tabela de Equivalência da Abilumi.

3)  A Eficiência Luminosa (lm/W) é outra informação disponível na embalagem e útil para o consumidor na hora de comprar a lâmpada LED. É a relação do fluxo luminoso com a potência, ou seja, quantos lúmens o produto emite por Watt consumido.

4)  Ao substituir uma lâmpada, observe tanto o valor de lúmens quanto o de Watts e opte sempre por aquela que consuma menos energia (menos valor de Watts), mas que tenha uma quantidade de lúmens adequada ao tipo de aplicação pretendido.

Veja abaixo um exemplo de equivalências entre modelos de lâmpadas fluorescentes em comparação com as lâmpadas LED e o quanto você pode economizar com essa tecnologia.

Incandescente

Potência da Lâmpada Fluorescente

(em Watts = W)

Fluxo Luminoso equivalente

(em Lúmens = Lm)

Potência da Lâmpada LED

(em Watts = W)

40W

Compacta 10W

600

7W

60W

Compacta 15W

850

9W

75W

Compacta 20W

1.200

12W

100W

Compacta 25W

1.500

15W

-

Tubular 20W

1.000

Tubular 9W

150W

Tubular 50W

2.000

Tubular 18W

2) Ao optar pelas tubulares, compre sempre lâmpadas com ligação elétrica só em um dos lados.

Todos esses dados estão nas embalagens das lâmpadas certificadas pelo Inmetro, ou seja, ninguém precisa usar uma calculadora quando for comprar uma lâmpada, basta comparar os dados.

5)  Lâmpadas que geram mais lúmens consumirão uma quantidade maior de energia, mas busque sempre orientar sua escolha pelo fluxo luminoso e não apenas pelo consumo, que no caso do LED será sempre menor que o de outras tecnologias.

6)  As lâmpadas LED podem durar até quatro vezes mais do que as fluorescentes compactas. Entretanto, o tempo (em horas de funcionamento) estimado na embalagem não significa o tempo que ela vai levar para queimar e sim o período que a lâmpada passará a funcionar com mais ou menos 70% da capacidade luminosa original.

7)  As lâmpadas LED costumam ter tonalidades de cores que podem ser identificadas nas embalagens como "temperaturas de cor", expressas em Kelvin (K). As "temperaturas" – quente, neutra ou fria − não estão associadas à quantidade de calor gerado pela lâmpada, mas orientam suas aplicações.

8)  No que se refere à tensão ou voltagem, é possível encontrar no mercado quatro opções: 12 volts (para luminárias), 127 volts, 220 volts ou bivolt. Por isso, antes de adquirir um modelo, é importante verificar qual é a compatível com a sua rede elétrica, o que também vai determinar o melhor desempenho.

Sobre a ABILUMI

A ABILUMI (Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação), criada em janeiro de 2005, tem por objetivo congregar e defender os interesses das empresas atuantes no segmento de importação e distribuição de produtos de iluminação. Seus principais esforços são dirigidos para o apoio ao desenvolvimento de normas universais e o aprimoramento dos produtos oferecidos no mercado brasileiro.

A entidade apoia os programas de Eficiência Energética nos diversos organismos governamentais e entidades de classe e coopera com os poderes públicos nos estudos e soluções dos problemas que se relacionem com os interesses e questões de caráter comercial das associadas, como o Ministério das Minas e Energia, Procel e Inmetro, entre outros.

FONTE Abilumi