Anestech, premiada como healthtech mais inovadora do País, amplia investimentos em inteligência artificial e big data

O forte crescimento em 2021 reflete o sucesso do AxReg, solução que aposentou o papel e caneta dos centros cirúrgicos; para 2022, a meta é de expansão

FLORIANÓPOLIS, Brasil, 25 de janeiro de 2022 /PRNewswire/ -- Em meio ao aumento cada vez mais acelerado da tecnologia no dia a dia de pessoas, empresas e instituições dos mais variados setores, a tradicional área da saúde também tem investido em soluções que enriquecem a atividade médica e melhoram a performance das instituições, possibilitando que o profissional da saúde concentre seus esforços na entrega de valor ao paciente, em vez de se dedicar em excesso a tarefas rotineiras.

Em um País em que pacientes cirúrgicos respondem por praticamente 60% das internações, a sala de operação tornou-se a esteira produtiva do setor. É justamente neste espaço que um novo player tem se destacado entre os principais centros hospitalares: trata-se da scale-up de Florianópolis, Anestech. Através de sua plataforma de gestão de dados, o AxReg, a healthtech digitaliza toda a jornada anestésica - até hoje majoritariamente feita no papel e caneta - ao mesmo tempo em que estrutura e analisa os dados que são incluídos em sua plataforma. O AxReg se propõe a impactar toda sua cadeia de valor: os médicos anestesiologistas, agregando eficiência e assertividade através de sua ferramenta digital; as instituições,  fornecendo uma inteligência de mercado e análise de performance fundamental para sua evolução; e por fim - e consequentemente -, os pacientes, promovendo cirurgias mais seguras e uma melhor experiência na jornada médica. 

"O diferencial do AxReg está na sua aplicabilidade em todo o momento perioperatório, ou seja, antes, durante e depois do procedimento cirúrgico, trazendo histórico e registrando as inúmeras informações essenciais para que o anestesiologista tenha um apoio imprescindível à tomada de decisões. Isso otimiza os resultados e, ao mesmo tempo que humaniza a relação com o paciente, estrutura a informação de maneira que seja possível o seu resgate e a construção de uma inteligência operacional", explica Diogenes Silva, CEO da Anestech.

A Anestech, uma das primeiras incubadas e investidas pela Eretz.bio, braço de Corporate Venture Capital do hospital Albert Einstein, também recebeu um investimento Seed de R$ 3 milhões no mês de fevereiro passado. Liderada por investidores anjos de peso no setor de saúde, como Romeu Domingues, o Chairman da Dasa, a rodada foi transformacional para a empresa. O sucesso da plataforma, que já faz parte do cotidiano de mais de 3.500 anestesiologistas no Brasil e foi essencial em cerca de 520 mil procedimentos cirúrgicos realizados em 2021, se reflete em termos de crescimento da startup. No ano passado, a Anestech consolidou um avanço superior a 150% em sua receita recorrente mensal frente a 2020. Além disso, sua carteira de clientes teve um aumento de 50% neste período, com a adição de instituições de referência como Dasa, Mater Dei e Rede Santa. A equipe também precisou acompanhar esse movimento, alcançando 30 pessoas ao final do ano - mais do que o dobro do saldo de janeiro.

"O valor total dos contratos que a Anestech fechou, desde que a rodada começou a ser discutida, praticamente triplicou. Isso mostra que estamos no caminho certo e que esses investimentos abrem novas possibilidades. A Anestech já está presente em todo o Brasil, e essa trajetória exponencial nos permite cogitar a internacionalização das operações já no próximo ano", assegura o executivo.

A próxima fronteira de inovação para a florianopolitana está no desenvolvimento de uma inteligência artificial para procedimentos cirúrgicos, batizada de Axel, que funcionará como um "Waze da anestesia" - uma capacidade preditiva que indica os melhores caminhos e decisões a serem tomadas pelos médicos da operação. Com previsão de lançamento para este ano, a Anestech busca incorporar mais uma camada de tecnologia e apoio cognitivo às suas já provadas soluções ofertadas ao mercado da saúde. Colecionando diversos prêmios de inovação, talvez sua maior conquista nesta frente tenha vindo no apagar das luzes do último ano, quando sua plataforma de gestão de dados em saúde superou mais de 300 concorrentes e se sagrou vencedora do prêmio Empreenda Saúde 2021, organizado pela gigante japonesa, NTT Data. A companhia chegou, inclusive, a representar o Brasil entre as dez finalistas no mundial disputado em Madrid. "Nessa experiência internacional ficou evidente como a síndrome de vira-lata está enraizada em nós, brasileiros. Vimos de perto que temos todas as condições de criar e escalar soluções em saúde de ótima qualidade e que impactem todo o mundo. E nós vamos provar isso", concluiu o CEO.

FONTE Anestech

O forte crescimento em 2021 reflete o sucesso do AxReg, solução que aposentou o papel e caneta dos centros cirúrgicos; para 2022, a meta é de expansão

FLORIANÓPOLIS, Brasil, 25 de janeiro de 2022 /PRNewswire/ -- Em meio ao aumento cada vez mais acelerado da tecnologia no dia a dia de pessoas, empresas e instituições dos mais variados setores, a tradicional área da saúde também tem investido em soluções que enriquecem a atividade médica e melhoram a performance das instituições, possibilitando que o profissional da saúde concentre seus esforços na entrega de valor ao paciente, em vez de se dedicar em excesso a tarefas rotineiras.

Em um País em que pacientes cirúrgicos respondem por praticamente 60% das internações, a sala de operação tornou-se a esteira produtiva do setor. É justamente neste espaço que um novo player tem se destacado entre os principais centros hospitalares: trata-se da scale-up de Florianópolis, Anestech. Através de sua plataforma de gestão de dados, o AxReg, a healthtech digitaliza toda a jornada anestésica - até hoje majoritariamente feita no papel e caneta - ao mesmo tempo em que estrutura e analisa os dados que são incluídos em sua plataforma. O AxReg se propõe a impactar toda sua cadeia de valor: os médicos anestesiologistas, agregando eficiência e assertividade através de sua ferramenta digital; as instituições,  fornecendo uma inteligência de mercado e análise de performance fundamental para sua evolução; e por fim - e consequentemente -, os pacientes, promovendo cirurgias mais seguras e uma melhor experiência na jornada médica. 

"O diferencial do AxReg está na sua aplicabilidade em todo o momento perioperatório, ou seja, antes, durante e depois do procedimento cirúrgico, trazendo histórico e registrando as inúmeras informações essenciais para que o anestesiologista tenha um apoio imprescindível à tomada de decisões. Isso otimiza os resultados e, ao mesmo tempo que humaniza a relação com o paciente, estrutura a informação de maneira que seja possível o seu resgate e a construção de uma inteligência operacional", explica Diogenes Silva, CEO da Anestech.

A Anestech, uma das primeiras incubadas e investidas pela Eretz.bio, braço de Corporate Venture Capital do hospital Albert Einstein, também recebeu um investimento Seed de R$ 3 milhões no mês de fevereiro passado. Liderada por investidores anjos de peso no setor de saúde, como Romeu Domingues, o Chairman da Dasa, a rodada foi transformacional para a empresa. O sucesso da plataforma, que já faz parte do cotidiano de mais de 3.500 anestesiologistas no Brasil e foi essencial em cerca de 520 mil procedimentos cirúrgicos realizados em 2021, se reflete em termos de crescimento da startup. No ano passado, a Anestech consolidou um avanço superior a 150% em sua receita recorrente mensal frente a 2020. Além disso, sua carteira de clientes teve um aumento de 50% neste período, com a adição de instituições de referência como Dasa, Mater Dei e Rede Santa. A equipe também precisou acompanhar esse movimento, alcançando 30 pessoas ao final do ano - mais do que o dobro do saldo de janeiro.

"O valor total dos contratos que a Anestech fechou, desde que a rodada começou a ser discutida, praticamente triplicou. Isso mostra que estamos no caminho certo e que esses investimentos abrem novas possibilidades. A Anestech já está presente em todo o Brasil, e essa trajetória exponencial nos permite cogitar a internacionalização das operações já no próximo ano", assegura o executivo.

A próxima fronteira de inovação para a florianopolitana está no desenvolvimento de uma inteligência artificial para procedimentos cirúrgicos, batizada de Axel, que funcionará como um "Waze da anestesia" - uma capacidade preditiva que indica os melhores caminhos e decisões a serem tomadas pelos médicos da operação. Com previsão de lançamento para este ano, a Anestech busca incorporar mais uma camada de tecnologia e apoio cognitivo às suas já provadas soluções ofertadas ao mercado da saúde. Colecionando diversos prêmios de inovação, talvez sua maior conquista nesta frente tenha vindo no apagar das luzes do último ano, quando sua plataforma de gestão de dados em saúde superou mais de 300 concorrentes e se sagrou vencedora do prêmio Empreenda Saúde 2021, organizado pela gigante japonesa, NTT Data. A companhia chegou, inclusive, a representar o Brasil entre as dez finalistas no mundial disputado em Madrid. "Nessa experiência internacional ficou evidente como a síndrome de vira-lata está enraizada em nós, brasileiros. Vimos de perto que temos todas as condições de criar e escalar soluções em saúde de ótima qualidade e que impactem todo o mundo. E nós vamos provar isso", concluiu o CEO.

FONTE Anestech