Aprovada na Índia a vacina de dose única Sputnik Light; Mais de 2,5 bilhões de pessoas vivem em países que aprovaram a Sputnik Light como uma vacina autônoma e como um reforço universal.

A Sputnik Light será uma parte importante no programa de vacinação da Índia e no combate às mutações do COVID, incluindo a Ômicron. A Sputnik Light foi autorizada em mais de 30 países com população total de mais de 2.5 bilhões de pessoas.

MOSCOU, 6 de fevereiro de 2022 /PRNewswire/ --  O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, fundo soberano da Rússia) anuncia que a vacina russa Sputnik Light contra o coronavírus foi autorizada pelo Controlador Geral de Drogas da Índia (DCGI).

Assim, a Sputnik Light está registrada em mais de 30 países com população total de mais de 2.5 bilhões de pessoas. Vários países, incluindo Argentina, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, San Marino e Filipinas, já autorizaram a Sputnik Light como um reforço universal.

Um estudo preliminar do Gamaleya Center demonstrou que o uso da Sputnik Light como dose de reforço aumenta significativamente a atividade de neutralização do vírus contra a Ômicron, o que é comparável aos títulos observados contra o vírus do tipo selvagem, associado a altos níveis de proteção, após a vacinação com a Sputnik V.

Um estudo único comparativo realizado no Instituto Nacional de Doenças Infecciosas[1] Lazzaro Spallanzani na Itália por uma equipe de 12 cientistas italianos e 9 russos liderados por Francesco Vaia, Diretor  do Instituto Spallanzani, e Alexander Gintsburg, Diretor do Centro Gamaleya, mostrou que a vacina Sputnik V demonstra mais de 2 vezes mais títulos de anticorpos neutralizantes do vírus para a variante Ômicron (B.1.1.529) do que 2 doses da vacina Pfizer (2,1 vezes maior no total e 2,6 vezes maior 3 meses após a vacinação).

O estudo foi realizado em condições laboratoriais iguais em amostras de soro comparáveis de indivíduos vacinados com Sputnik V e Pfizer com nível semelhante de anticorpos IgG e atividade de neutralização do vírus contra a variante de Wuhan.  A Sputnik V mostrou redução significativamente menor (2,6 vezes) da atividade neutralizante do vírus contra Omicron em comparação com a referência da variante Wuhan do que a vacina Pfizer (redução de 8,1 vezes para Sputnik V em contraste com a redução de 21,4 vezes para a vacina Pfizer).

Com base nos dados coletados pelo Instituto Spallanzani e nos resultados de estudos anteriores, o reforço heterólogo ("mix & match") com a Sputnik Light é a melhor solução para aumentar a eficáciade outras vacinas e estender o período de proteção do reforço, devido à configuração ideal da plataforma adenoviral, que fornece melhor proteção contra Ômicron e outras mutações.

Sputnik Light é baseada no sorotipo humano recombinante número 26 (o primeiro componente da Sputnik V).  A vacina de dose única Sputnik Light fornece facilidade de administração e ajuda a aumentar a eficácia e a duração de outras vacinas quando usada como dose de reforço.

O Dr. Reddy's Laboratories, um grande parceiro do RDIF na Índia, conduziu testes clínicos locais da Sputnik Light na Índia. Os dados positivos desses ensaios foram apresentados ao regulador da Índia e contribuíram para a decisão positiva da DCGI.

Estudos clínicos e dados do mundo real em muitos países demonstraram que a Sputnik Light é uma vacina segura e eficaz quando usada tanto em uma base autônoma quanto como um reforço.

Um estudo na Argentina sobre regimes heterólogos, que combinam Sputnik Light e vacinas produzidas pela AstraZeneca, Sinopharm, Moderna e Cansino demonstrou que a combinação de"coquetel de vacina" com a Sputnik Light forneceu maior titulação de anticorpos no 14 dia após a administração da segunda dose em relação aos regimes originais homólogos (mesma vacina da primeira e segunda dose) de cada uma das vacinas.

A Sputnik Light será adicionada ao portfólio nacional de vacinas da Índia e se juntará à Sputnik V, que foi aprovada no país em abril de 2021. A Índia é o principal centro de produção da Sputnik V.

Sputnik V e Sputnik Light são baseadas em uma plataforma de vetores humanos seguros e eficazes e não foram associadas a raros eventos adversos graves após a vacinação, como miocardite ou pericardite. A maior segurança e eficácia da Sputnik V e da Sputnik Light foi demonstrada em mais de 30 estudos e dados do mundo real de mais de 60 países.

A Sputnik V foi aprovada em 71 países, com população total de mais de 4 bilhões de pessoas.  Para facilitar as capacidades de produção necessárias, o RDIF chegou a acordos com as principais empresas farmacêuticas indianas, incluindo o Serum Institute of India - o maior produtor mundial de vacinas, bem como a Gland Pharma, Hetero Biopharma, Panacea Biotec, Stelis Biopharma, Virchow Biotech e Morepen.

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo de Investimento Direto Russo, disse:

"A autorização da Sputnik Light na Índia é outro grande passo na cooperação bem-sucedida entre a Rússia e a Índia na luta contra o COVID. A Sputnik Light provou ser segura e eficaz tanto como uma vacina autônoma quanto como um reforço universal para vacinas de outros produtores, ajudando a induzir uma resposta imune mais forte em comparação com duas doses da mesma vacina. A abordagem heteróloga da Sputnik Light é a solução para aumentar a eficácia e a duração de outras vacinas, inclusive contra a variante Omicron."



[1] https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2022.01.15.22269335v1

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1698158/Russian_Direct_Invest_Fund_Logo.jpg

FONTE The Russian Direct Invest Fund (RDIF)

A Sputnik Light será uma parte importante no programa de vacinação da Índia e no combate às mutações do COVID, incluindo a Ômicron. A Sputnik Light foi autorizada em mais de 30 países com população total de mais de 2.5 bilhões de pessoas.

MOSCOU, 6 de fevereiro de 2022 /PRNewswire/ --  O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, fundo soberano da Rússia) anuncia que a vacina russa Sputnik Light contra o coronavírus foi autorizada pelo Controlador Geral de Drogas da Índia (DCGI).

Assim, a Sputnik Light está registrada em mais de 30 países com população total de mais de 2.5 bilhões de pessoas. Vários países, incluindo Argentina, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, San Marino e Filipinas, já autorizaram a Sputnik Light como um reforço universal.

Um estudo preliminar do Gamaleya Center demonstrou que o uso da Sputnik Light como dose de reforço aumenta significativamente a atividade de neutralização do vírus contra a Ômicron, o que é comparável aos títulos observados contra o vírus do tipo selvagem, associado a altos níveis de proteção, após a vacinação com a Sputnik V.

Um estudo único comparativo realizado no Instituto Nacional de Doenças Infecciosas[1] Lazzaro Spallanzani na Itália por uma equipe de 12 cientistas italianos e 9 russos liderados por Francesco Vaia, Diretor  do Instituto Spallanzani, e Alexander Gintsburg, Diretor do Centro Gamaleya, mostrou que a vacina Sputnik V demonstra mais de 2 vezes mais títulos de anticorpos neutralizantes do vírus para a variante Ômicron (B.1.1.529) do que 2 doses da vacina Pfizer (2,1 vezes maior no total e 2,6 vezes maior 3 meses após a vacinação).

O estudo foi realizado em condições laboratoriais iguais em amostras de soro comparáveis de indivíduos vacinados com Sputnik V e Pfizer com nível semelhante de anticorpos IgG e atividade de neutralização do vírus contra a variante de Wuhan.  A Sputnik V mostrou redução significativamente menor (2,6 vezes) da atividade neutralizante do vírus contra Omicron em comparação com a referência da variante Wuhan do que a vacina Pfizer (redução de 8,1 vezes para Sputnik V em contraste com a redução de 21,4 vezes para a vacina Pfizer).

Com base nos dados coletados pelo Instituto Spallanzani e nos resultados de estudos anteriores, o reforço heterólogo ("mix & match") com a Sputnik Light é a melhor solução para aumentar a eficáciade outras vacinas e estender o período de proteção do reforço, devido à configuração ideal da plataforma adenoviral, que fornece melhor proteção contra Ômicron e outras mutações.

Sputnik Light é baseada no sorotipo humano recombinante número 26 (o primeiro componente da Sputnik V).  A vacina de dose única Sputnik Light fornece facilidade de administração e ajuda a aumentar a eficácia e a duração de outras vacinas quando usada como dose de reforço.

O Dr. Reddy's Laboratories, um grande parceiro do RDIF na Índia, conduziu testes clínicos locais da Sputnik Light na Índia. Os dados positivos desses ensaios foram apresentados ao regulador da Índia e contribuíram para a decisão positiva da DCGI.

Estudos clínicos e dados do mundo real em muitos países demonstraram que a Sputnik Light é uma vacina segura e eficaz quando usada tanto em uma base autônoma quanto como um reforço.

Um estudo na Argentina sobre regimes heterólogos, que combinam Sputnik Light e vacinas produzidas pela AstraZeneca, Sinopharm, Moderna e Cansino demonstrou que a combinação de"coquetel de vacina" com a Sputnik Light forneceu maior titulação de anticorpos no 14 dia após a administração da segunda dose em relação aos regimes originais homólogos (mesma vacina da primeira e segunda dose) de cada uma das vacinas.

A Sputnik Light será adicionada ao portfólio nacional de vacinas da Índia e se juntará à Sputnik V, que foi aprovada no país em abril de 2021. A Índia é o principal centro de produção da Sputnik V.

Sputnik V e Sputnik Light são baseadas em uma plataforma de vetores humanos seguros e eficazes e não foram associadas a raros eventos adversos graves após a vacinação, como miocardite ou pericardite. A maior segurança e eficácia da Sputnik V e da Sputnik Light foi demonstrada em mais de 30 estudos e dados do mundo real de mais de 60 países.

A Sputnik V foi aprovada em 71 países, com população total de mais de 4 bilhões de pessoas.  Para facilitar as capacidades de produção necessárias, o RDIF chegou a acordos com as principais empresas farmacêuticas indianas, incluindo o Serum Institute of India - o maior produtor mundial de vacinas, bem como a Gland Pharma, Hetero Biopharma, Panacea Biotec, Stelis Biopharma, Virchow Biotech e Morepen.

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo de Investimento Direto Russo, disse:

"A autorização da Sputnik Light na Índia é outro grande passo na cooperação bem-sucedida entre a Rússia e a Índia na luta contra o COVID. A Sputnik Light provou ser segura e eficaz tanto como uma vacina autônoma quanto como um reforço universal para vacinas de outros produtores, ajudando a induzir uma resposta imune mais forte em comparação com duas doses da mesma vacina. A abordagem heteróloga da Sputnik Light é a solução para aumentar a eficácia e a duração de outras vacinas, inclusive contra a variante Omicron."



[1] https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2022.01.15.22269335v1

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1698158/Russian_Direct_Invest_Fund_Logo.jpg

FONTE The Russian Direct Invest Fund (RDIF)

Você acabou de ler:

Aprovada na Índia a vacina de dose única Sputnik Light; Mais de 2,5 bilhões de pessoas vivem em países que aprovaram a Sputnik Light como uma vacina autônoma e como um reforço universal.

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/aprovada-na-india-a-vacina-de-dose-unica-sputnik-light-mais-de-25-bilhoes-de-pessoas-vivem-em-paises-que-aprovaram-a-sputnik-light-como-uma-vacina-autonoma-e-como-um-reforco-universal/