Argentina vai receber em agosto mais de 3 milhões de doses do segundo componente da vacina ''Sputnik V'' fabricadas pelos Laboratorios Richmond - as primeiras 150 mil doses entrarão em circulação nesta semana

MOSCOU, 3 de agosto de 2021 /PRNewswire/ -- O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, o fundo soberano da Federação Russa) e a farmacêutica argentina Laboratorios Richmond SACIF anunciam a introdução em circulação na Argentina esta semana da vacina Sputnik V produzida no país nas instalações da empresa. As amostras da vacina produzida na Argentina passaram com sucesso o controle de qualidade no Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia N.F. Gamaleya em 3 de agosto.

O início bem-sucedido da produção do segundo componente da vacina Sputnik V é um exemplo importante de cooperação tecnológica entre a Rússia e a Argentina para localizar a produção de uma das melhores vacinas do mundo contra o coronavírus. Espera-se que os Laboratórios Richmond sejam capazes de produzir mais de 3 milhões de doses do segundo componente da vacina Sputnik V em agosto. Nesta semana, a empresa vai iniciar as entregas da vacina produzida na Argentina ao governo do país, incluindo 150 mil doses do segundo componente, para proteger a população do coronavírus. 

A Argentina foi o primeiro estado da América Latina a aprovar o uso da Sputnik V, bem como o primeiro país da região a iniciar a produção da vacina russa. O registro foi realizado no âmbito do programa do procedimento acelerado (emergency use authorization). A vacinação com o medicamento russo na Argentina foi iniciada em 29 de dezembro de 2020. A RDIF e parceiros realizaram uma transferência de tecnologia para Laboratorios Richmond e a produção local da vacina Sputnik V começou em abril de 2021.

Hoje a Sputnik V está registrada em 69 países com uma população total de mais de 3,7 bilhões de pessoas. Os dados de órgãos reguladores de vários países incluindo Argentina, Sérvia, Bahrein, Hungria, México, San Marino, Emirados Árabes Unidos e outros, obtidos durante a vacinação da população, demonstram que a Sputnik V é uma das vacinas mais seguras e mais eficazes contra o coronavírus.

A vacina Sputnik é baseada na plataforma comprovada e bem estudada de vetores adenovirais humanos V e usa dois vetores diferentes para duas injeções durante o processo de vacinação o que cria uma imunidade mais forte em comparação com vacinas que usam o mesmo mecanismo de entrega para ambas as injeções.

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), declarou: 

«Graças à parceria entre a RDIF e os Laboratórios Richmond a população argentina terá acesso à vacina Sputnik V produzida no país o que vai acelerar o ritmo de vacinação, reduzir os custos logísticos e os prazos de entrega. Estabelecer a produção local da vacina Sputnik V em um curto prazo é um sucesso conjunto da Rússia e da Argentina graças ao qual o medicamento vai ficar à disposição de outros países da região para a implementação bem-sucedida de programas nacionais de vacinação utilizando uma das mais seguras e mais eficazes vacinas contra o coronavírus do mundo».

Marcelo Figueiras, пpresidente dos Laboratorios Richmond, disse:

«Nós, em Richmond, temos orgulho de nossa parceria com o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e o Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia N.F. Gamaleya para a produção da vacina Sputnik V na Argentina. Também temos orgulho da nossa equipe científica tendo trabalhado junto com os especialistas do Centro Gamaleya para garantir a produção de um medicamento salvando vidas na Argentina. Um marco muito importante é alcançado hoje e está nos levando a trabalhar ainda mais arduamente para produzir mais vacinas para mais pessoas. A parceria vai ajudar nossos cidadãos a obter acesso à vacina Sputnik V que demonstrou uns dos indicadores mais altos de eficácia e segurança assim como uma série de outros benefícios.». 

A vacina Sputnik V tem vantagens importantes:

  • A eficácia da vacina é de 97,6% com base na análise de dados de incidência de coronavírus entre russos vacinados com os dois componentes do medicamento no período de 5 de dezembro de 2020 a 31 de março de 2021.
  • A vacina "Sputnik V" é baseada em uma plataforma comprovada e bem estudada de vetores adenovirais humanos que causam o resfriado comum e que a humanidade tem enfrentado por milênios.
  • A vacina Sputnik V, pela primeira vez entre as vacinas contra o coronavírus, usa uma abordagem de reforço heterogênea, que se baseia no uso de dois vetores diferentes para duas injeções durante o processo de vacinação. Essa abordagem cria uma imunidade mais forte em comparação com as vacinas que usam o mesmo mecanismo de aplicação para ambas as injeções.
  • A segurança, eficácia e ausência de efeitos negativos de longo prazo das vacinas de adenovírus foram comprovadas em mais de 250 estudos clínicos ao longo de duas décadas.
  • A "Sputnik V" não causa alergias graves.

O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF) foi fundado em 2011 para investir no capital social de empresas principalmente na Rússia junto com os principais investidores financeiros e estratégicos estrangeiros. O fundo atua como um catalisador para o investimento direto na economia russa. No momento, o RDIF tem um histórico de sucesso na implementação conjunta de mais de 80 projetos com parceiros estrangeiros com um volume total de mais de 2,1 trilhões de rublos, cobrindo 95% das regiões russas. As empresas do portfólio do RDIF empregam mais de 1 milhão de funcionários e sua receita anual é de 6% do PIB da Rússia. O RDIF estabeleceu parcerias estratégicas conjuntas com os principais co-investidores internacionais de 18 países, totalizando mais de US$ 40 bilhões. Pode encontrar mais informações no site: rdif.ru

 

FONTE Russian Direct Investment Fund (RDIF)

MOSCOU, 3 de agosto de 2021 /PRNewswire/ -- O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, o fundo soberano da Federação Russa) e a farmacêutica argentina Laboratorios Richmond SACIF anunciam a introdução em circulação na Argentina esta semana da vacina Sputnik V produzida no país nas instalações da empresa. As amostras da vacina produzida na Argentina passaram com sucesso o controle de qualidade no Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia N.F. Gamaleya em 3 de agosto.

O início bem-sucedido da produção do segundo componente da vacina Sputnik V é um exemplo importante de cooperação tecnológica entre a Rússia e a Argentina para localizar a produção de uma das melhores vacinas do mundo contra o coronavírus. Espera-se que os Laboratórios Richmond sejam capazes de produzir mais de 3 milhões de doses do segundo componente da vacina Sputnik V em agosto. Nesta semana, a empresa vai iniciar as entregas da vacina produzida na Argentina ao governo do país, incluindo 150 mil doses do segundo componente, para proteger a população do coronavírus. 

A Argentina foi o primeiro estado da América Latina a aprovar o uso da Sputnik V, bem como o primeiro país da região a iniciar a produção da vacina russa. O registro foi realizado no âmbito do programa do procedimento acelerado (emergency use authorization). A vacinação com o medicamento russo na Argentina foi iniciada em 29 de dezembro de 2020. A RDIF e parceiros realizaram uma transferência de tecnologia para Laboratorios Richmond e a produção local da vacina Sputnik V começou em abril de 2021.

Hoje a Sputnik V está registrada em 69 países com uma população total de mais de 3,7 bilhões de pessoas. Os dados de órgãos reguladores de vários países incluindo Argentina, Sérvia, Bahrein, Hungria, México, San Marino, Emirados Árabes Unidos e outros, obtidos durante a vacinação da população, demonstram que a Sputnik V é uma das vacinas mais seguras e mais eficazes contra o coronavírus.

A vacina Sputnik é baseada na plataforma comprovada e bem estudada de vetores adenovirais humanos V e usa dois vetores diferentes para duas injeções durante o processo de vacinação o que cria uma imunidade mais forte em comparação com vacinas que usam o mesmo mecanismo de entrega para ambas as injeções.

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), declarou: 

«Graças à parceria entre a RDIF e os Laboratórios Richmond a população argentina terá acesso à vacina Sputnik V produzida no país o que vai acelerar o ritmo de vacinação, reduzir os custos logísticos e os prazos de entrega. Estabelecer a produção local da vacina Sputnik V em um curto prazo é um sucesso conjunto da Rússia e da Argentina graças ao qual o medicamento vai ficar à disposição de outros países da região para a implementação bem-sucedida de programas nacionais de vacinação utilizando uma das mais seguras e mais eficazes vacinas contra o coronavírus do mundo».

Marcelo Figueiras, пpresidente dos Laboratorios Richmond, disse:

«Nós, em Richmond, temos orgulho de nossa parceria com o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e o Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia N.F. Gamaleya para a produção da vacina Sputnik V na Argentina. Também temos orgulho da nossa equipe científica tendo trabalhado junto com os especialistas do Centro Gamaleya para garantir a produção de um medicamento salvando vidas na Argentina. Um marco muito importante é alcançado hoje e está nos levando a trabalhar ainda mais arduamente para produzir mais vacinas para mais pessoas. A parceria vai ajudar nossos cidadãos a obter acesso à vacina Sputnik V que demonstrou uns dos indicadores mais altos de eficácia e segurança assim como uma série de outros benefícios.». 

A vacina Sputnik V tem vantagens importantes:

  • A eficácia da vacina é de 97,6% com base na análise de dados de incidência de coronavírus entre russos vacinados com os dois componentes do medicamento no período de 5 de dezembro de 2020 a 31 de março de 2021.
  • A vacina "Sputnik V" é baseada em uma plataforma comprovada e bem estudada de vetores adenovirais humanos que causam o resfriado comum e que a humanidade tem enfrentado por milênios.
  • A vacina Sputnik V, pela primeira vez entre as vacinas contra o coronavírus, usa uma abordagem de reforço heterogênea, que se baseia no uso de dois vetores diferentes para duas injeções durante o processo de vacinação. Essa abordagem cria uma imunidade mais forte em comparação com as vacinas que usam o mesmo mecanismo de aplicação para ambas as injeções.
  • A segurança, eficácia e ausência de efeitos negativos de longo prazo das vacinas de adenovírus foram comprovadas em mais de 250 estudos clínicos ao longo de duas décadas.
  • A "Sputnik V" não causa alergias graves.

O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF) foi fundado em 2011 para investir no capital social de empresas principalmente na Rússia junto com os principais investidores financeiros e estratégicos estrangeiros. O fundo atua como um catalisador para o investimento direto na economia russa. No momento, o RDIF tem um histórico de sucesso na implementação conjunta de mais de 80 projetos com parceiros estrangeiros com um volume total de mais de 2,1 trilhões de rublos, cobrindo 95% das regiões russas. As empresas do portfólio do RDIF empregam mais de 1 milhão de funcionários e sua receita anual é de 6% do PIB da Rússia. O RDIF estabeleceu parcerias estratégicas conjuntas com os principais co-investidores internacionais de 18 países, totalizando mais de US$ 40 bilhões. Pode encontrar mais informações no site: rdif.ru

 

FONTE Russian Direct Investment Fund (RDIF)

Você acabou de ler:

Argentina vai receber em agosto mais de 3 milhões de doses do segundo componente da vacina ''Sputnik V'' fabricadas pelos Laboratorios Richmond - as primeiras 150 mil doses entrarão em circulação nesta semana

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/argentina-vai-receber-em-agosto-mais-de-3-milhoes-de-doses-do-segundo-componente-da-vacina-sputnik-v-fabricadas-pelos-laboratorios-richmond-as-primeiras-150-mil-doses-entrarao-em-circulacao-nest/