Artmarket.com divulga Relatório do Mercado de Arte Global de 2021 da Artprice mostrando um crescimento de 60% no faturamento e uma mudança de paradigma marcada pela chegada dos NFTs

PARIS, 16 de março de 2022 /PRNewswire/ -- Nosso 24º Relatório do Mercado de Arte oferece uma análise das vendas globais de leilões de obras de arte, incluindo pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, impressão, vídeos, instalações, tapeçarias e NFTs, mas excluindo antiguidades, propriedade cultural anônima e móveis. O relatório engloba o período de 1° de janeiro de 2021 a 31 de dezembro de 2021.

Todos os preços indicados nesse relatório referem-se a resultados de leilões públicos, incluindo as taxas do comprador. Todas as referências a $ referem-se a dólares dos EUA.

O desempenho do mercado global de arte em 2021 foi sem precedentes, deixando a tragédia histórica da pandemia da Covid-19 firmemente para trás.

Os dados de mercado mostram um espetacular aumento de 60% no faturamento de leilões em 2021, em relação a 2020, apesar da continuidade da pandemia. A migração do mercado de arte para a esfera virtual da internet já é uma realidade em todos os cinco continentes, quase relegando a necessidade de salas de leilão físico à história.

As vendas on-line ao vivo realizadas pelas casas de leilão aumentaram 720% em todo o mundo nos dois anos da pandemia da Covid. Esse nível de crescimento havia sido inicialmente previsto para 2025-2027.

A Artprice by Artmarket tem o prazer de anunciar a publicação de seu 24º Relatório do Mercado de Arte Global (2021), disponível on-line gratuitamente na íntegra e em três idiomas, bem como em formato PDF: 

Inglês: https://imgpublic.artprice.com/pdf/the-art-market-in-2021.pdf 

Francês: https://imgpublic.artprice.com/pdf/le-marche-de-lart-en-2021.pdf

Mandarim: https://imgpublic.artprice.com/pdf/zh-the-art-market-in-2021.pdf

Principais dados do mercado de 2021: 

O faturamento global dos leilões de arte atingiu $17,08 bilhões, um aumento de 60% em relação a 2020.

O faturamento proveniente das vendas de obras de arte no Ocidente aumentou 68%, totalizando $10,9 bilhões.

A receita proveniente das vendas de obras de artes na China cresceu 43%, totalizando $5,9 bilhões.

O número de lotes trocados em leilões em todo o mundo bateu um recorde histórico de 663.900, um aumento de 29%.

O preço médio dos lotes vendidos foi de $25.730, e o preço médio foi de $930.

A taxa de obras não vendidas caiu para 31% graças principalmente às vendas on-line.

O índice de arte contemporânea mostrou um crescimento de 3%.

A arte contemporânea representou 20% do mercado de arte, em comparação com 3% em 2000.

Faturamento global de leilões de obras de arte 

Infográfico - https://mma.prnewswire.com/media/1766212/Global_turnover_Infographic.jpg

Poder suave 

Com um faturamento total de $5,95 bilhões (35% do total global), a China acumulou mais lucros de leilões de obras de artes do que os EUA, que alcançaram um total de $5,79 bilhões (34%).

Com um total de $1,99 bilhão, o Reino Unido teve uma queda de 10% em comparação com o nível alcançado em 2019.

Os três principais mercados nacionais no mercado global de arte responderam por 80% do faturamento global de leilões de arte.

Pela primeira vez em sua história, o total anual da França ultrapassou $1 bilhão em leilões, tornando-se, finalmente, um importante participante no mercado global de arte.

O mercado alemão garantiu o quinto lugar na classificação global e atraiu a Sotheby's para Colônia.

A Coreia do Sul multiplicou seu faturamento de leilões de arte por quatro, gerando $237 milhões.

China na primeira posição 

Esse relatório mostra que a China mais uma vez ficou em primeiro lugar na classificação nacional global em termos de dinamismo de leilões de arte, demonstrando muito claramente seu status de "séria competidora" dos Estados Unidos. Embora o mercado da China tenha seus próprios códigos, isso o torna ainda mais interessante, e essa também é a razão pela qual a parceria editorial entre a Artprice e a Artron seja empolgante e extremamente relevante para a realidade global de um mercado que muda rapidamente.

Os dez principais países por leilões de obras de arte e NFTs (evolução em relação a 2020) 

1. China (Artron):   

$5.953.355.500 (+43%)

2. Estados Unidos:  

$5.794.793.900 (+102,3%)

3. Reino Unido:     

$1.996.657.600 (+28,6%)

4. França:   

$1.008.464.700 (+71,8%)

5. Alemanha:    

$356.967.400 (+18%)

6. Coreia do Sul:    

$237.290.600 (+369,90%)

7. Itália:    

$212.554.100 (+49,1%)

8. Suíça:  

$193.884.700 (+74,7% )

9. Japão:    

$167.464.400 (+75,6%)

10. Polônia:    

$142.070.800 (+66,5%)

 

Casas de leilões 

Sotheby's e Christie's dominam 49% do mercado global de leilões de arte com $4,4 bilhões e $4 bilhões, respectivamente.

Poly e China Guardian ficam bem atrás, com $824 milhões e $677 milhões.

Poly e Phillips se uniram em Hong Kong e, juntas, somaram $175 milhões.

Ketterer, com $97 milhões em 2021, foi a principal casa de leilões da Europa Continental.

Artcurial, a principal casa de leilões da França, vendeu 3.800 obras de arte por $91 milhões.

Artistas e leilões 

Em 2021, um lote arrecadou mais de $100 milhões: Mulher Sentada de Pablo Picasso (1932) na Christie's Nova York.

Em 1997, a mesma pintura foi vendida por $7,5 milhões.

Em 2021, Picasso, Basquiat, Warhol, Richter e Zhang Daqian foram os artistas que tiveram maior sucesso em leilões no mundo.

Beeple foi o artista vivo mais caro do ano, com um lote que custou $69,4 milhões.

Gerhard Richter e Banksy são os artistas vivos de maior sucesso no mundo em leilões.

Banksy totalizou 1.186 obras vendidas por $206 milhões, incluindo um novo recorde de $25,4 milhões.

Yayoi Kusama é a primeira mulher na história a se unir aos dez maiores artistas globais da Artprice por faturamento.

Jean-Michel Basquiat se tornou o segundo artista de maior sucesso no mundo, após Picasso.

Pela primeira vez, cinco grandes obras de Basquiat foram vendidas em Hong Kong.

Principais tendências 

1. Os NFTs oferecem uma forma totalmente nova de colecionar:

Os resultados das obras de Beeple, Pak, Larva Labs, Yuga Labs tornaram esse novo mercado inevitável.

Assim que chegaram para serem leiloados, os 279 lotes de NFTs totalizaram $232,4 milhões (mais do que o segmento de fotografia).

2. Jovens artistas quebraram recordes de precocidade (o chamado fenômeno "red-chip"):

Beeple (40 anos), Avery Singer (34 anos), Fewocious (18 anos) alcançaram preços emocionantes.

3. A demanda por obras de artistas africanos e artistas da diáspora africana mostrou uma enorme vitalidade.

Mercado de arte 3.0: NFT, metaverso e blockchain

thierry Ehrmann, CEO e fundador da Artmarket.com e seu departamento Artprice:

"A Internet 2.0 tornou possível estar na internet. A Internet 3.0 agora está acontecendo dentro da internet. Durante 2021, com a Covid tirando tantas vidas e dominando completamente nossa vida cotidiana e vocabulário, o famoso dicionário Collins ainda considerou a palavra 'NFT' a mais importante 'palavra do ano'. Altamente controverso, o termo é importante não só por ter estado na boca de todos, mas porque carrega dentro dele as sementes de uma revolução digital que está impactando o mercado de arte de uma forma que não vemos há cinco séculos. É por isso que nosso Relatório do Mercado de Arte de 2021 começa com esse termo."

Para compreender plenamente o impacto histórico dos NFTs no mundo da arte em 2021, devemos voltar ao Renascimento, quando ocorreu uma mudança semelhante de paradigma. Graças à tipografia de Johannes Gutenberg, os artistas puderam, pela primeira vez, imprimir suas primeiras edições. Isso representou uma grande transferência de poder para as mãos dos artistas.

Essa evolução permitiu aos artistas – pela primeira vez na história – gerar renda e controlar sua própria produção em seus ateliês e fábricas. Hoje, com os NFTs, estamos passando por uma mudança semelhante de paradigma com a mesma importância histórica.

O metaverso não tem a ver com 3D ou 2D, mas com a desmaterialização do estado físico para um novo mundo onde experiências uma vez impossíveis agora são acessíveis.

Durante esse século XXI de Iluminismo, o mundo da arte será reconfigurado em torno da criação e da economia virtual (mas muito real), oferecendo finalmente o apoio necessário a uma população muito maior de criadores.

A singularidade continua sendo a característica mais bonita, mesmo no mundo virtual do metaverso.

A desmaterialização do mercado de arte pela internet levou cerca de 30 anos. Com o mundo dos NFTs e do metaverso, a internet não é mais apenas um veículo de transição para o mercado de arte… é onde a própria arte será criada e trocada. Estamos entrando em uma dimensão totalmente nova. 

Distribuição geográfica do faturamento dos leilões de obras de arte em 2021 

Infográfico - https://mma.prnewswire.com/media/1766214/Geographical_distribution.jpg

Em suma, apesar de ter sofrido o forte impacto da pandemia, uma tragédia global sem precedentes na história da economia moderna, o mercado de arte conseguiu se recuperar por meio da adoção da tecnologia digital em tempo recorde. Essa mudança permitiu um crescimento exponencial de 60%, apesar da continuidade da pandemia mais ou menos em todos os lugares nos cinco continentes do mundo. No Ocidente, esse crescimento anual espetacular chegou a 68%, um nível de crescimento não visto em 25 anos.

Imagens :

[https://imgpublic.artprice.com/img/wp/sites/11/2022/03/image1-EN-Global-Auction-TUrnover_EN.jpg]

[https://imgpublic.artprice.com/img/wp/sites/11/2022/03/image2-EN-geographical-breakdown_EN.jpg]

Copyright 1987-2022 thierry Ehrmann www.artprice.com - www.artmarket.com

Sobre a Artmarket:

Artmarket.com está listado na Eurolist by Euronext Paris, SRD long only e Euroclear: 7478 - Bloomberg: PRC - Reuters: ARTF.

Conheça a Artmarket e seu departamento Artprice em vídeo: www.artprice.com/video

A Artmarket e seu departamento Artprice foram fundados em 1997 por seu CEO, thierry Ehrmann. A Artmarket e seu departamento Artprice são controlados pelo Groupe Serveur, criada em 1987.

Consulte a biografia certificada em Who's who ©:

Biographie_thierry_Ehrmann_2022_WhosWhoInFrance.pdf

A Artmarket é uma empresa global no mercado de arte com, entre outras estruturas, seu departamento Artprice, líder mundial em acumulação, gestão e exploração de informações atuais e históricas do mercado de arte em bancos de dados contendo mais de 30 milhões de índices e resultados de leilão, abrangendo mais de 770 mil artistas.

A Artprice by Artmarket, líder mundial em informações sobre o mercado de arte, estabeleceu a ambição por meio de seu Global Standardized Marketplace de ser a plataforma NFT de Belas Artes líder mundial.

A Artprice Images® permite o acesso ilimitado ao maior banco de imagens do mercado de arte do mundo: não menos que 180 milhões de imagens digitais de fotografias ou reproduções gravadas de obras de arte desde o anos 1700 até os dias atuais, comentadas por nossos historiadores de arte.

A Artmarket com seu departamento Artprice acumula dados permanentemente de 6.300 casas de leilão e produz informações-chave do mercado de arte para as principais agências de notícias e mídia (7.200 publicações). Seus 5,4 milhões de usuários ('login de membros'+rede social) têm acesso a anúncios publicados por outros membros, uma rede que hoje representa a Global Standardized Marketplace® para comprar e vender obras de arte a um preço fixo ou de oferta (leilões regulamentados pelos parágrafos 2 e 3 do artigo L 321.3 do Código Comercial da França).

A Artmarket, com seu departamento Artprice, recebeu o prêmio "Innovative Company" do Public Investment Bank (BPI) (pela segunda vez em novembro de 2018 por um novo período de três anos), o que está apoiando a empresa em seu projeto de consolidar sua posição como participante global no mercado de arte.

Relatório do Mercado de Arte Global de 2020 da Artprice by Artmarket publicado em março de 2022:

https://www.artprice.com/artprice-reports/the-art-market-in-2021

Relatório do Mercado de Arte Contemporânea 2020/2021 da Artprice pela Artmarket.com:

https://www.artprice.com/artprice-reports/the-contemporary-art-market-report-2021

Índice de comunicados de imprensa postados pela Artmarket com seu departamento Artprice

serveur.serveur.com/Press_Release/pressreleaseEN.htm

Siga todas as notícias do mercado de arte em tempo real com a Artmarket e seu departamento Artprice no Facebook e Twitter:

www.facebook.com/artpricedotcom/ (mais de 5,4 milhões de seguidores)

twitter.com/artmarketdotcom 

twitter.com/artpricedotcom 

Descubra a alquimia e o universo da Artmarket e seu departamento Artprice https://www.artprice.com/video com sede no famoso Museu de Arte Contemporânea Organe "The Abode of Chaos" (segundo o The New York Times): https://issuu.com/demeureduchaos/docs/demeureduchaos-abodeofchaos-opus-ix-1999-2013

Entre em contato com Artmarket.com e seu departamento Artprice - Contato:  Thierry Ehrmann, ir@artmarket.com

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1009603/Art_Market_logo.jpg

 

 

FONTE Artmarket.com

PARIS, 16 de março de 2022 /PRNewswire/ -- Nosso 24º Relatório do Mercado de Arte oferece uma análise das vendas globais de leilões de obras de arte, incluindo pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, impressão, vídeos, instalações, tapeçarias e NFTs, mas excluindo antiguidades, propriedade cultural anônima e móveis. O relatório engloba o período de 1° de janeiro de 2021 a 31 de dezembro de 2021.

Todos os preços indicados nesse relatório referem-se a resultados de leilões públicos, incluindo as taxas do comprador. Todas as referências a $ referem-se a dólares dos EUA.

O desempenho do mercado global de arte em 2021 foi sem precedentes, deixando a tragédia histórica da pandemia da Covid-19 firmemente para trás.

Os dados de mercado mostram um espetacular aumento de 60% no faturamento de leilões em 2021, em relação a 2020, apesar da continuidade da pandemia. A migração do mercado de arte para a esfera virtual da internet já é uma realidade em todos os cinco continentes, quase relegando a necessidade de salas de leilão físico à história.

As vendas on-line ao vivo realizadas pelas casas de leilão aumentaram 720% em todo o mundo nos dois anos da pandemia da Covid. Esse nível de crescimento havia sido inicialmente previsto para 2025-2027.

A Artprice by Artmarket tem o prazer de anunciar a publicação de seu 24º Relatório do Mercado de Arte Global (2021), disponível on-line gratuitamente na íntegra e em três idiomas, bem como em formato PDF: 

Inglês: https://imgpublic.artprice.com/pdf/the-art-market-in-2021.pdf 

Francês: https://imgpublic.artprice.com/pdf/le-marche-de-lart-en-2021.pdf

Mandarim: https://imgpublic.artprice.com/pdf/zh-the-art-market-in-2021.pdf

Principais dados do mercado de 2021: 

O faturamento global dos leilões de arte atingiu $17,08 bilhões, um aumento de 60% em relação a 2020.

O faturamento proveniente das vendas de obras de arte no Ocidente aumentou 68%, totalizando $10,9 bilhões.

A receita proveniente das vendas de obras de artes na China cresceu 43%, totalizando $5,9 bilhões.

O número de lotes trocados em leilões em todo o mundo bateu um recorde histórico de 663.900, um aumento de 29%.

O preço médio dos lotes vendidos foi de $25.730, e o preço médio foi de $930.

A taxa de obras não vendidas caiu para 31% graças principalmente às vendas on-line.

O índice de arte contemporânea mostrou um crescimento de 3%.

A arte contemporânea representou 20% do mercado de arte, em comparação com 3% em 2000.

Faturamento global de leilões de obras de arte 

Infográfico - https://mma.prnewswire.com/media/1766212/Global_turnover_Infographic.jpg

Poder suave 

Com um faturamento total de $5,95 bilhões (35% do total global), a China acumulou mais lucros de leilões de obras de artes do que os EUA, que alcançaram um total de $5,79 bilhões (34%).

Com um total de $1,99 bilhão, o Reino Unido teve uma queda de 10% em comparação com o nível alcançado em 2019.

Os três principais mercados nacionais no mercado global de arte responderam por 80% do faturamento global de leilões de arte.

Pela primeira vez em sua história, o total anual da França ultrapassou $1 bilhão em leilões, tornando-se, finalmente, um importante participante no mercado global de arte.

O mercado alemão garantiu o quinto lugar na classificação global e atraiu a Sotheby's para Colônia.

A Coreia do Sul multiplicou seu faturamento de leilões de arte por quatro, gerando $237 milhões.

China na primeira posição 

Esse relatório mostra que a China mais uma vez ficou em primeiro lugar na classificação nacional global em termos de dinamismo de leilões de arte, demonstrando muito claramente seu status de "séria competidora" dos Estados Unidos. Embora o mercado da China tenha seus próprios códigos, isso o torna ainda mais interessante, e essa também é a razão pela qual a parceria editorial entre a Artprice e a Artron seja empolgante e extremamente relevante para a realidade global de um mercado que muda rapidamente.

Os dez principais países por leilões de obras de arte e NFTs (evolução em relação a 2020) 

1. China (Artron):   

$5.953.355.500 (+43%)

2. Estados Unidos:  

$5.794.793.900 (+102,3%)

3. Reino Unido:     

$1.996.657.600 (+28,6%)

4. França:   

$1.008.464.700 (+71,8%)

5. Alemanha:    

$356.967.400 (+18%)

6. Coreia do Sul:    

$237.290.600 (+369,90%)

7. Itália:    

$212.554.100 (+49,1%)

8. Suíça:  

$193.884.700 (+74,7% )

9. Japão:    

$167.464.400 (+75,6%)

10. Polônia:    

$142.070.800 (+66,5%)

 

Casas de leilões 

Sotheby's e Christie's dominam 49% do mercado global de leilões de arte com $4,4 bilhões e $4 bilhões, respectivamente.

Poly e China Guardian ficam bem atrás, com $824 milhões e $677 milhões.

Poly e Phillips se uniram em Hong Kong e, juntas, somaram $175 milhões.

Ketterer, com $97 milhões em 2021, foi a principal casa de leilões da Europa Continental.

Artcurial, a principal casa de leilões da França, vendeu 3.800 obras de arte por $91 milhões.

Artistas e leilões 

Em 2021, um lote arrecadou mais de $100 milhões: Mulher Sentada de Pablo Picasso (1932) na Christie's Nova York.

Em 1997, a mesma pintura foi vendida por $7,5 milhões.

Em 2021, Picasso, Basquiat, Warhol, Richter e Zhang Daqian foram os artistas que tiveram maior sucesso em leilões no mundo.

Beeple foi o artista vivo mais caro do ano, com um lote que custou $69,4 milhões.

Gerhard Richter e Banksy são os artistas vivos de maior sucesso no mundo em leilões.

Banksy totalizou 1.186 obras vendidas por $206 milhões, incluindo um novo recorde de $25,4 milhões.

Yayoi Kusama é a primeira mulher na história a se unir aos dez maiores artistas globais da Artprice por faturamento.

Jean-Michel Basquiat se tornou o segundo artista de maior sucesso no mundo, após Picasso.

Pela primeira vez, cinco grandes obras de Basquiat foram vendidas em Hong Kong.

Principais tendências 

1. Os NFTs oferecem uma forma totalmente nova de colecionar:

Os resultados das obras de Beeple, Pak, Larva Labs, Yuga Labs tornaram esse novo mercado inevitável.

Assim que chegaram para serem leiloados, os 279 lotes de NFTs totalizaram $232,4 milhões (mais do que o segmento de fotografia).

2. Jovens artistas quebraram recordes de precocidade (o chamado fenômeno "red-chip"):

Beeple (40 anos), Avery Singer (34 anos), Fewocious (18 anos) alcançaram preços emocionantes.

3. A demanda por obras de artistas africanos e artistas da diáspora africana mostrou uma enorme vitalidade.

Mercado de arte 3.0: NFT, metaverso e blockchain

thierry Ehrmann, CEO e fundador da Artmarket.com e seu departamento Artprice:

"A Internet 2.0 tornou possível estar na internet. A Internet 3.0 agora está acontecendo dentro da internet. Durante 2021, com a Covid tirando tantas vidas e dominando completamente nossa vida cotidiana e vocabulário, o famoso dicionário Collins ainda considerou a palavra 'NFT' a mais importante 'palavra do ano'. Altamente controverso, o termo é importante não só por ter estado na boca de todos, mas porque carrega dentro dele as sementes de uma revolução digital que está impactando o mercado de arte de uma forma que não vemos há cinco séculos. É por isso que nosso Relatório do Mercado de Arte de 2021 começa com esse termo."

Para compreender plenamente o impacto histórico dos NFTs no mundo da arte em 2021, devemos voltar ao Renascimento, quando ocorreu uma mudança semelhante de paradigma. Graças à tipografia de Johannes Gutenberg, os artistas puderam, pela primeira vez, imprimir suas primeiras edições. Isso representou uma grande transferência de poder para as mãos dos artistas.

Essa evolução permitiu aos artistas – pela primeira vez na história – gerar renda e controlar sua própria produção em seus ateliês e fábricas. Hoje, com os NFTs, estamos passando por uma mudança semelhante de paradigma com a mesma importância histórica.

O metaverso não tem a ver com 3D ou 2D, mas com a desmaterialização do estado físico para um novo mundo onde experiências uma vez impossíveis agora são acessíveis.

Durante esse século XXI de Iluminismo, o mundo da arte será reconfigurado em torno da criação e da economia virtual (mas muito real), oferecendo finalmente o apoio necessário a uma população muito maior de criadores.

A singularidade continua sendo a característica mais bonita, mesmo no mundo virtual do metaverso.

A desmaterialização do mercado de arte pela internet levou cerca de 30 anos. Com o mundo dos NFTs e do metaverso, a internet não é mais apenas um veículo de transição para o mercado de arte… é onde a própria arte será criada e trocada. Estamos entrando em uma dimensão totalmente nova. 

Distribuição geográfica do faturamento dos leilões de obras de arte em 2021 

Infográfico - https://mma.prnewswire.com/media/1766214/Geographical_distribution.jpg

Em suma, apesar de ter sofrido o forte impacto da pandemia, uma tragédia global sem precedentes na história da economia moderna, o mercado de arte conseguiu se recuperar por meio da adoção da tecnologia digital em tempo recorde. Essa mudança permitiu um crescimento exponencial de 60%, apesar da continuidade da pandemia mais ou menos em todos os lugares nos cinco continentes do mundo. No Ocidente, esse crescimento anual espetacular chegou a 68%, um nível de crescimento não visto em 25 anos.

Imagens :

[https://imgpublic.artprice.com/img/wp/sites/11/2022/03/image1-EN-Global-Auction-TUrnover_EN.jpg]

[https://imgpublic.artprice.com/img/wp/sites/11/2022/03/image2-EN-geographical-breakdown_EN.jpg]

Copyright 1987-2022 thierry Ehrmann www.artprice.com - www.artmarket.com

Sobre a Artmarket:

Artmarket.com está listado na Eurolist by Euronext Paris, SRD long only e Euroclear: 7478 - Bloomberg: PRC - Reuters: ARTF.

Conheça a Artmarket e seu departamento Artprice em vídeo: www.artprice.com/video

A Artmarket e seu departamento Artprice foram fundados em 1997 por seu CEO, thierry Ehrmann. A Artmarket e seu departamento Artprice são controlados pelo Groupe Serveur, criada em 1987.

Consulte a biografia certificada em Who's who ©:

Biographie_thierry_Ehrmann_2022_WhosWhoInFrance.pdf

A Artmarket é uma empresa global no mercado de arte com, entre outras estruturas, seu departamento Artprice, líder mundial em acumulação, gestão e exploração de informações atuais e históricas do mercado de arte em bancos de dados contendo mais de 30 milhões de índices e resultados de leilão, abrangendo mais de 770 mil artistas.

A Artprice by Artmarket, líder mundial em informações sobre o mercado de arte, estabeleceu a ambição por meio de seu Global Standardized Marketplace de ser a plataforma NFT de Belas Artes líder mundial.

A Artprice Images® permite o acesso ilimitado ao maior banco de imagens do mercado de arte do mundo: não menos que 180 milhões de imagens digitais de fotografias ou reproduções gravadas de obras de arte desde o anos 1700 até os dias atuais, comentadas por nossos historiadores de arte.

A Artmarket com seu departamento Artprice acumula dados permanentemente de 6.300 casas de leilão e produz informações-chave do mercado de arte para as principais agências de notícias e mídia (7.200 publicações). Seus 5,4 milhões de usuários ('login de membros'+rede social) têm acesso a anúncios publicados por outros membros, uma rede que hoje representa a Global Standardized Marketplace® para comprar e vender obras de arte a um preço fixo ou de oferta (leilões regulamentados pelos parágrafos 2 e 3 do artigo L 321.3 do Código Comercial da França).

A Artmarket, com seu departamento Artprice, recebeu o prêmio "Innovative Company" do Public Investment Bank (BPI) (pela segunda vez em novembro de 2018 por um novo período de três anos), o que está apoiando a empresa em seu projeto de consolidar sua posição como participante global no mercado de arte.

Relatório do Mercado de Arte Global de 2020 da Artprice by Artmarket publicado em março de 2022:

https://www.artprice.com/artprice-reports/the-art-market-in-2021

Relatório do Mercado de Arte Contemporânea 2020/2021 da Artprice pela Artmarket.com:

https://www.artprice.com/artprice-reports/the-contemporary-art-market-report-2021

Índice de comunicados de imprensa postados pela Artmarket com seu departamento Artprice

serveur.serveur.com/Press_Release/pressreleaseEN.htm

Siga todas as notícias do mercado de arte em tempo real com a Artmarket e seu departamento Artprice no Facebook e Twitter:

www.facebook.com/artpricedotcom/ (mais de 5,4 milhões de seguidores)

twitter.com/artmarketdotcom 

twitter.com/artpricedotcom 

Descubra a alquimia e o universo da Artmarket e seu departamento Artprice https://www.artprice.com/video com sede no famoso Museu de Arte Contemporânea Organe "The Abode of Chaos" (segundo o The New York Times): https://issuu.com/demeureduchaos/docs/demeureduchaos-abodeofchaos-opus-ix-1999-2013

Entre em contato com Artmarket.com e seu departamento Artprice - Contato:  Thierry Ehrmann, ir@artmarket.com

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1009603/Art_Market_logo.jpg

 

 

FONTE Artmarket.com

Você acabou de ler:

Artmarket.com divulga Relatório do Mercado de Arte Global de 2021 da Artprice mostrando um crescimento de 60% no faturamento e uma mudança de paradigma marcada pela chegada dos NFTs

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/artmarket-com-divulga-relatorio-do-mercado-de-arte-global-de-2021-da-artprice-mostrando-um-crescimento-de-60-no-faturamento-e-uma-mudanca-de-paradigma-marcada-pela-chegada-dos-nfts/