As Empresas de Bens de Consumo Anunciam uma Posição sobre as Tecnologias de Reciclagem Química e Publicam a Análise do Ciclo de Vida

- Pela primeira vez, as empresas de bens de consumo estão unindo forças através do The Consumer Goods Forum (CGF) para definir a agenda para o desenvolvimento de novas tecnologias de reciclagem de plástico.

- A Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos do CGF publicou hoje um estudo científico independente que demonstra que a reciclagem química de resíduos plásticos difíceis de reciclar poderia reduzir o impacto ambiental do plástico, quando comparada com a incineração para valorização energética dos resíduos.

- 16 empresas participantes também foram coautores de um estudo que destaca um conjunto de princípios para o desenvolvimento credível, seguro e ecológico da indústria de reciclagem química. 

PARIS, 19 de abril de 2022 /PRNewswire/ -- Como parte de sua missão para enfrentar o desafio da poluição plástica e ajudar a desenvolver um mundo onde nenhum plástico acaba na natureza, a Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos do The Consumer Goods Forum (CGF) tem o prazer de anunciar a publicação de um Estudo de Visão e Princípios, intitulado «Reciclagem Química em uma Economia Circular para o Plástico», o qual promove o desenvolvimento de novas tecnologias de reciclagem do plástico que satisfaçam os seis princípios fundamentais para o desenvolvimento credível, seguro e ecológico. Em defesa desta posição oficial, a Aliança também publicou um novo estudo independente de Análise do Ciclo de Vida (LCA), que demonstra que a reciclagem química de resíduos plásticos difíceis de reciclar poderia reduzir o impacto ambiental do plástico, quando comparada com a incineração para valorização energética dos resíduos.

Guiada pelo compromisso global liderado pela Fundação Ellen MacArthur, e em sintonia com o recentemente anunciado Tratado da ONU contra a Poluição Plástica, a Aliança está empenhada em dirigir o progresso no sentido de alcançar uma economia circular. Com este objetivo, em 2021, a Aliança lançou seu pacote completo de Regras de Ouro do Design para o design de embalagens de plástico. Ao mesmo tempo, os membros desenvolveram um modelo para os programas de Responsabilidade Alargada do Produtor, como parte do seu compromisso nos mercados avançados e transitórios para aumentar as taxas de reciclagem para embalagens que não podem ser reutilizadas. A Aliança está também trabalhando para promover a inovação na reciclagem para fechar o ciclo, incluindo reciclagem de químicos para complementar a crescente capacidade mecânica.

Para ajudar a alcançar este objetivo final, a Aliança alinhou uma visão comum e um conjunto de princípios para a expansão segura de reciclagem química à base de pirólise, que a Aliança acredita fornecer orientação para o desenvolvimento da tecnologia. O estudo afirma que a reciclagem química pode aumentar as taxas de reciclagem de embalagens, o que pode permitir que as metas de reciclagem sejam atingidas, mais especificamente para os plásticos difíceis de reciclar, por exemplo, a película flexível pós-consumo. Para garantir que a reciclagem química é desenvolvida e operada em condições credíveis, seguras e ecológicas e ajudar a promovê-la, o estudo destaca seis princípios fundamentais relacionados com: complementaridade com a reciclagem mecânica, rastreabilidade do material, rendimento do processo e impacto ambiental, saúde e segurança, bem como reclamações.

Os membros da Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos do CGF esperam desempenhar um papel na defesa de um sistema de reciclagem química credível e seguro. Os membros da CGF agradecem o feedback e a participação neste estudo e seu trabalho mais amplo na Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos.

Barry Parkin, Diretor de Sustentabilidade, Mars, Incorporated, afirmou «A Reciclagem Química é um componente essencial para a Reciclagem Mecânica, pois permitirá que grandes quantidades de embalagens flexíveis sejam recicladas em embalagens de classe alimentar. Este estudo demonstra que a reciclagem química tem uma pegada de carbono significativamente mais reduzida do que a vida útil atual das embalagens flexíveis.»

Colin Kerr, Diretor de Embalagens, afirmou, «À medida que continuamos reduzindo o uso de plástico virgem, as novas tecnologias, como a reciclagem química, podem ajudar a melhorar as taxas de reciclagem e a aumentar a disponibilidade de materiais reciclados de classe alimentar. Os princípios e trabalho da Análise do Ciclo de Vida do The Consumer Goods Forum são fundamentais para garantir que isto pode acontecer de forma segura e ecológica.»

Llorenç Milà i Canals, PhD, Chefe do Secretariado da Iniciativa de Ciclo de Vida, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, afirmou, «Ao avaliar tecnologias como a reciclagem química de plástico, é essencial considerar todos os potenciais impactos ambientais no ciclo de vida dos sistemas de produção e consumo. Um desafio específico com tecnologias relativamente novas é incluir a composição química das descargas, emissões e resíduos das instalações, juntamente com a necessidade de equipamento adicional de controle da poluição e gerenciamento; estes devem estar incluídos na análise.A Análise do Ciclo de Vida é a ferramenta padronizada para fazer exatamente isso, garantindo o controle necessário por especialistas e partes interessadas; o The Consumer Goods Forum iniciou um processo bastante útil para esclarecer muitos destes aspectos no relatório»

Sander Defruyt, Responsável, Nova Economia do Plástico, Ellen MacArthur Foundation, disse «Reconhecendo que a redução e reutilização de embalagens devem ser uma prioridade, e reconhecendo as limitações da tecnologia, o estudo apresenta a posição das indústrias em relação ao papel que a RC com Pirólise pode desempenhar na transição para uma economia circular para o plástico e que princípios fundamentais e condições-limite deve respeitar.»

Como parte do trabalho da Aliança, foi encomendado um estudo independente para analisar especificamente o tema do impacto das alterações climáticas. Este estudo foi realizado pela Sphera, especialista em consultoria ambiental, e o processo foi alvo de um processo de revisão por pares, um painel de especialistas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Northwestern University (EUA) e Eunomia. O estudo fornece uma avaliação do impacto no ciclo de vida, e compara os plásticos convencionais, produzidos a partir de combustíveis fósseis e incinerados no fim de sua vida útil, com plástico reciclado quimicamente em um sistema circular.

Suas conclusões demonstram que a reciclagem química de resíduos plásticos difíceis de reciclar poderia reduzir o impacto ambiental do plástico, quando comparada com a incineração para valorização energética dos resíduos. Especificamente, o ciclo de vida das emissões de GEE de embalagens para consumo flexíveis feitas a partir de resíduos plásticos através de reciclagem química à base de pirólise e recicladas no fim de sua vida útil é 43% menor do que o das películas de plástico produzidas a partir de combustíveis fósseis e eliminadas por incineração no fim de sua vida útil.

Mais detalhes sobre as conclusões da Análise do Ciclo de Vida disponíveis no Relatório Técnico e no Resumo Não Técnico.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1279200/The_Consumer_Goods_Forum_Logo.jpg

Contatos

Ignacio Gavilan

Diretor de Sustentabilidade Ambiental

environmental@theconsumergoodsforum.com

Louise Chester

Diretora de Comunicações

l.chester@theconsumergoodsforum.com

FONTE The Consumer Goods Forum

- Pela primeira vez, as empresas de bens de consumo estão unindo forças através do The Consumer Goods Forum (CGF) para definir a agenda para o desenvolvimento de novas tecnologias de reciclagem de plástico.

- A Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos do CGF publicou hoje um estudo científico independente que demonstra que a reciclagem química de resíduos plásticos difíceis de reciclar poderia reduzir o impacto ambiental do plástico, quando comparada com a incineração para valorização energética dos resíduos.

- 16 empresas participantes também foram coautores de um estudo que destaca um conjunto de princípios para o desenvolvimento credível, seguro e ecológico da indústria de reciclagem química. 

PARIS, 19 de abril de 2022 /PRNewswire/ -- Como parte de sua missão para enfrentar o desafio da poluição plástica e ajudar a desenvolver um mundo onde nenhum plástico acaba na natureza, a Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos do The Consumer Goods Forum (CGF) tem o prazer de anunciar a publicação de um Estudo de Visão e Princípios, intitulado «Reciclagem Química em uma Economia Circular para o Plástico», o qual promove o desenvolvimento de novas tecnologias de reciclagem do plástico que satisfaçam os seis princípios fundamentais para o desenvolvimento credível, seguro e ecológico. Em defesa desta posição oficial, a Aliança também publicou um novo estudo independente de Análise do Ciclo de Vida (LCA), que demonstra que a reciclagem química de resíduos plásticos difíceis de reciclar poderia reduzir o impacto ambiental do plástico, quando comparada com a incineração para valorização energética dos resíduos.

Guiada pelo compromisso global liderado pela Fundação Ellen MacArthur, e em sintonia com o recentemente anunciado Tratado da ONU contra a Poluição Plástica, a Aliança está empenhada em dirigir o progresso no sentido de alcançar uma economia circular. Com este objetivo, em 2021, a Aliança lançou seu pacote completo de Regras de Ouro do Design para o design de embalagens de plástico. Ao mesmo tempo, os membros desenvolveram um modelo para os programas de Responsabilidade Alargada do Produtor, como parte do seu compromisso nos mercados avançados e transitórios para aumentar as taxas de reciclagem para embalagens que não podem ser reutilizadas. A Aliança está também trabalhando para promover a inovação na reciclagem para fechar o ciclo, incluindo reciclagem de químicos para complementar a crescente capacidade mecânica.

Para ajudar a alcançar este objetivo final, a Aliança alinhou uma visão comum e um conjunto de princípios para a expansão segura de reciclagem química à base de pirólise, que a Aliança acredita fornecer orientação para o desenvolvimento da tecnologia. O estudo afirma que a reciclagem química pode aumentar as taxas de reciclagem de embalagens, o que pode permitir que as metas de reciclagem sejam atingidas, mais especificamente para os plásticos difíceis de reciclar, por exemplo, a película flexível pós-consumo. Para garantir que a reciclagem química é desenvolvida e operada em condições credíveis, seguras e ecológicas e ajudar a promovê-la, o estudo destaca seis princípios fundamentais relacionados com: complementaridade com a reciclagem mecânica, rastreabilidade do material, rendimento do processo e impacto ambiental, saúde e segurança, bem como reclamações.

Os membros da Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos do CGF esperam desempenhar um papel na defesa de um sistema de reciclagem química credível e seguro. Os membros da CGF agradecem o feedback e a participação neste estudo e seu trabalho mais amplo na Aliança de Ação Contra Resíduos Plásticos.

Barry Parkin, Diretor de Sustentabilidade, Mars, Incorporated, afirmou «A Reciclagem Química é um componente essencial para a Reciclagem Mecânica, pois permitirá que grandes quantidades de embalagens flexíveis sejam recicladas em embalagens de classe alimentar. Este estudo demonstra que a reciclagem química tem uma pegada de carbono significativamente mais reduzida do que a vida útil atual das embalagens flexíveis.»

Colin Kerr, Diretor de Embalagens, afirmou, «À medida que continuamos reduzindo o uso de plástico virgem, as novas tecnologias, como a reciclagem química, podem ajudar a melhorar as taxas de reciclagem e a aumentar a disponibilidade de materiais reciclados de classe alimentar. Os princípios e trabalho da Análise do Ciclo de Vida do The Consumer Goods Forum são fundamentais para garantir que isto pode acontecer de forma segura e ecológica.»

Llorenç Milà i Canals, PhD, Chefe do Secretariado da Iniciativa de Ciclo de Vida, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, afirmou, «Ao avaliar tecnologias como a reciclagem química de plástico, é essencial considerar todos os potenciais impactos ambientais no ciclo de vida dos sistemas de produção e consumo. Um desafio específico com tecnologias relativamente novas é incluir a composição química das descargas, emissões e resíduos das instalações, juntamente com a necessidade de equipamento adicional de controle da poluição e gerenciamento; estes devem estar incluídos na análise.A Análise do Ciclo de Vida é a ferramenta padronizada para fazer exatamente isso, garantindo o controle necessário por especialistas e partes interessadas; o The Consumer Goods Forum iniciou um processo bastante útil para esclarecer muitos destes aspectos no relatório»

Sander Defruyt, Responsável, Nova Economia do Plástico, Ellen MacArthur Foundation, disse «Reconhecendo que a redução e reutilização de embalagens devem ser uma prioridade, e reconhecendo as limitações da tecnologia, o estudo apresenta a posição das indústrias em relação ao papel que a RC com Pirólise pode desempenhar na transição para uma economia circular para o plástico e que princípios fundamentais e condições-limite deve respeitar.»

Como parte do trabalho da Aliança, foi encomendado um estudo independente para analisar especificamente o tema do impacto das alterações climáticas. Este estudo foi realizado pela Sphera, especialista em consultoria ambiental, e o processo foi alvo de um processo de revisão por pares, um painel de especialistas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Northwestern University (EUA) e Eunomia. O estudo fornece uma avaliação do impacto no ciclo de vida, e compara os plásticos convencionais, produzidos a partir de combustíveis fósseis e incinerados no fim de sua vida útil, com plástico reciclado quimicamente em um sistema circular.

Suas conclusões demonstram que a reciclagem química de resíduos plásticos difíceis de reciclar poderia reduzir o impacto ambiental do plástico, quando comparada com a incineração para valorização energética dos resíduos. Especificamente, o ciclo de vida das emissões de GEE de embalagens para consumo flexíveis feitas a partir de resíduos plásticos através de reciclagem química à base de pirólise e recicladas no fim de sua vida útil é 43% menor do que o das películas de plástico produzidas a partir de combustíveis fósseis e eliminadas por incineração no fim de sua vida útil.

Mais detalhes sobre as conclusões da Análise do Ciclo de Vida disponíveis no Relatório Técnico e no Resumo Não Técnico.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1279200/The_Consumer_Goods_Forum_Logo.jpg

Contatos

Ignacio Gavilan

Diretor de Sustentabilidade Ambiental

environmental@theconsumergoodsforum.com

Louise Chester

Diretora de Comunicações

l.chester@theconsumergoodsforum.com

FONTE The Consumer Goods Forum

Você acabou de ler:

As Empresas de Bens de Consumo Anunciam uma Posição sobre as Tecnologias de Reciclagem Química e Publicam a Análise do Ciclo de Vida

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/as-empresas-de-bens-de-consumo-anunciam-uma-posicao-sobre-as-tecnologias-de-reciclagem-quimica-e-publicam-a-analise-do-ciclo-de-vida/