Avançando o futuro: setor de entretenimento e mídia se reconfigura em meio à recuperação

NOVA YORK, 1 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- Os hábitos dos consumidores podem levar uma vida inteira para se sedimentarem, mas basta um lockdown para que eles se quebrem. De acordo com a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024 da PwC, a pandemia da COVID-19 acelerou e amplificou as mudanças que já estavam ocorrendo no comportamento dos consumidores, fazendo avançar a disrupção digital e criando pontos de ruptura que teriam demorado anos para surgir. A digitalização, um dos principais fatores que estão definindo todos os setores, intensificou-se com o distanciamento social e as restrições de mobilidade. Como resultado, o mundo de entretenimento e mídia (E&M) em 2020 tornou-se mais remoto, mais virtual, adotou um maior uso de streaming, tornou-se mais pessoal e – pelo menos, por ora – está mais centrado na casa do que qualquer pessoa poderia ter imaginado no início do ano.

 

O crescimento do setor diminuiu drasticamente…

A pandemia que está assolando o mundo interrompeu bruscamente o crescimento do setor de E&M. Por isso, nós publicamos a Pesquisa três meses depois do previsto, para podermos avaliar devidamente o impacto da pandemia. As projeções revisadas para o crescimento da receita revelam por que essa foi uma decisão acertada. Em meio a uma recessão mundial, teremos em 2020 a maior queda das receitas globais em E&M dos 21 anos em que realizamos essa nossa pesquisa, uma queda de 5,6% em relação a 2019, o que significa mais US$ 120 bilhões em termos absolutos. Em 2009, o último ano em que a economia mundial sofreu retração, os gastos totais em E&M registraram uma queda de apenas 3%.

…mas continua robusto no longo prazo  

No entanto, mesmo com as ondas de choque de 2020 continuando a se propagar por toda a economia mundial, nossa previsão indica que a trajetória fundamental de crescimento do setor se mantém forte. Nos últimos anos, à medida que a mídia foi assumindo um papel cada vez mais importante na nossa vida, o crescimento mundial de E&M frequentemente ultrapassou o PIB. Por isso, passados os desafios de 2020, esperamos que o setor de E&M retome seus resultados extraordinários.

Nossas projeções indicam que em 2021, os gastos com E&M terão um crescimento de 6,4%. Analisando o período de previsão de cinco anos, de 2019 a 2024, a nossa previsão é um crescimento geral da receita a uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 2,8%.

Os pontos de ruptura estão acontecendo mais cedo

Assim como acontece na economia em geral, a atual crise em E&M não se expressa da mesma forma em todas as áreas do setor. Ela é mais séria nos segmentos em que a COVID-19 causou uma estagnação total, como eventos com música ao vivo, cinema e feiras comerciais. Os gastos de anunciantes também terão queda de 13,4%. Ao mesmo tempo, a transição do modelo impresso para digital que acontece nos jornais há muito tempo está se acelerando, o que está antecipando mudanças que aconteceriam muitos anos à frente, e está afetando as receitas da mídia impressa, por exemplo.

Um dos efeitos é que os segmentos de E&M estão se transformando muito antes do que se havia sido previsto. Vejamos o caso das receitas das bilheterias dos cinemas em comparação com as assinaturas de vídeo sob demanda (SVOD). Não faz muito tempo, em 2015, a receita das bilheterias era três vezes superior à de SVOD. Mas a receita de SVOD vai ultrapassar a receita das bilheterias em 2020, e a projeção é que essa diferença aumente cada vez mais nos próximos cinco anos e chegue a mais do dobro da receita das bilheterias em 2024. Ou vejamos a quantidade de dados consumidos nos smartphones em comparação com a banda larga fixa. Depois de obter uma pequena margem de liderança em 2019, o smartphone está agora posicionado para sair à frente como o dispositivo individual líder utilizado pelos consumidores para acesso à internet em todo o mundo.

Surgem vencedores e perdedores...

Então, como as mudanças que se aceleraram com a COVID-19 estão afetando os rumos dos diferentes segmentos do setor? Em 2020, com as pessoas ficando mais em casa, os serviços OTT registraram um aumento de 26% em sua receita em nível mundial. E essa receita manterá uma forte trajetória de crescimento nos próximos anos e vai quase dobrar, passando de US$ 46,4 bilhões em 2019 para US$ 86,8 bilhões em 2024. O lançamento do serviço de streaming Disney+ no final de 2019 não poderia ter vindo em melhor hora: a projeção era de 60 a 90 milhões de assinantes pagos até 2024, mas o Disney+ atingiu a marca de 60,5 milhões no início de agosto de 2020. Com o aumento do streaming, não é surpresa que o consumo de dados em nível mundial esteja também se beneficiando da aceleração digital promovida pela COVID-19. Esse consumo aumentará 33,8% em 2020, e vai mais do que dobrar, passando de 1,9 quadrilhão de megabytes (MB) em 2019 para 4,9 quadrilhões de MB em 2024.

No outro extremo estão os segmentos que foram mais atingidos pela pandemia. Vários cinemas estão fechados e vários grandes lançamentos foram adiados, e a nossa projeção é que as receitas mundiais com cinemas registrarão uma queda de quase 66% este ano. E não é provável que haja recuperação dessas perdas; nossas projeções indicam que em 2024 as receitas com cinema ficarão abaixo do nível que atingiram em 2019. Outro impacto relacionado com a COVID-19 é que a queda constante no consumo mundial de jornais e revistas acelerou-se drasticamente em 2020, e as receitas gerais tiveram uma queda de mais de 14%, sendo as revistas as mais atingidas. No entanto, os produtos digitais oferecem algum alento: um ponto de ruptura para as revistas em 2023 fará com que suas receitas globais de publicidade digital ultrapassem as receitas do segmento de publicidade na mídia impressa. Outros setores importantes terão dificuldade para se recuperar da queda de crescimento em 2019. Um exemplo é o setor mundial de publicidade, que terá uma queda de 13,4% em 2020, passando para US$ 559,5 bilhões, e que só deverá retomar em 2022 o nível de crescimento que teve em 2019.

…à medida que esse vasto setor se reconfigura

No entanto, e talvez de uma forma inesperada, alguns meios de comunicação "tradicionais" se mantiveram, apesar dos efeitos da COVID-19 e da aceleração digital. Registrou-se um aumento nas vendas de livros durante os lockdowns, e a receita mundial com livros deverá manter sua trajetória de crescimento, a uma taxa de crescimento anual composta de 1,4% entre 2019 e 2024 e atingindo US$ 64,7 bilhões. É importante destacar que a tecnologia está desempenhando um papel de destaque nesse processo, com o uso cada vez maior de smartphones e smart speakers promovendo os audiolivros e permitindo que os consumidores escutem o conteúdo onde estiverem.

Os eventos ao vivo, presenciais, compõem outro segmento tradicional que terá que se adaptar à realidade de um mundo em franca aceleração digital. Com as salas de espetáculos, centros de exposição e estádios fechados durante quase o ano todo, alguns eventos ao vivo estão utilizando plataformas digitais para manter a conexão com seu público. No Reino Unido, o Wireless Festival de Londres uniu-se à MelodyVR, empresa de equipamentos tecnológicos, em meados de 2020 para oferecer shows gravados por meio de dispositivos para realidade virtual e de artistas como Cardi B, Travis Scott, e Migos. Mais de 130.000 pessoas de 34 países assistiram aos shows virtualmente.

Um ano como nenhum outro

Embora 2020 esteja sendo um ano de disrupção e de muitos desafios para a maioria dos setores, inclusive vários segmentos de E&M, está claro que a demanda do consumidor das opções variadas e cada vez maiores de mídia continua crescendo. As receitas na Pesquisa deste ano refletem o grande impacto da crise econômica e da aceleração digital provocada pela COVID-19, mas a previsão de longo prazo para o setor de E&M como um todo continua boa. Porém, está claro também que à medida que formos voltando lentamente à normalidade, continuarão surgindo vencedores e perdedores.

Werner Ballhaus, líder global do setor de mídia e entretenimento da PwC, comenta: "Está claro que a COVID-19 acelerou a transição do consumidor para o consumo digital e provocou uma mudança disruptiva, tanto positiva quanto negativa, em vários tipos de mídia. Mas está também evidente que os pontos fortes inerentes ao setor de E&M e seu apelo para os consumidores continuam tão firmes quanto antes. Os desafios para as empresas de E&M se estenderão para além da pandemia, mas a migração digital que ela acelerou vai gerar oportunidades em todos os segmentos também, não só naqueles que já se beneficiaram dos seus impactos até agora".

Acesso on-line da mídia à Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

Para solicitar acesso on-line da mídia à Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024, contate Ashley Worley em ashley.worley@pwc.com. Esse acesso permitirá que você ilustre este e outros artigos extraindo detalhes da análise e do dataset da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia em nível de território e segmento, e criando gráficos na tela que podem ser exportados para serem utilizados com suas matérias.

Sobre a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

A 21a edição anual da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia da PwC é uma fonte completa de informações disponível on-line que fornece uma análise global dos gastos dos consumidores e dos anunciantes. Apresentando dados históricos, de previsão e de crescimento comparativo de cinco anos e comentários sobre 14 segmentos do setor em 53 territórios, a Pesquisa facilita a comparação e o contraste entre gastos de consumidores e anunciantes nos variados segmentos e territórios. Saiba mais visitando www.pwc.com/outlook.

Segmentos incluídos na Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

Livros; B2B; cinema; consumo de dados; acesso à internet; publicidade digital; música, rádio e podcasts; jornais e revistas; vídeo OTT; mídia exterior; TV tradicional e home vídeo; publicidade na TV; videogames e eSport; realidade virtual.

Sobre a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

A maior parte do conteúdo deste press release foi retirado de dados da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024. A PwC procura atualizar constantemente os dados on-line da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia.  Por isso, lembre-se de que os dados neste press release podem não ser idênticos aos dados encontrados on-line. A Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024 on-line é a fonte de dados mais atualizada para informações sobre gastos de consumidores e anunciantes.

Sobre a PwC

Na PwC, nosso propósito é construir confiança na sociedade e resolver problemas importantes. Somos uma rede de empresas presentes em 157 países com mais de 276.000 pessoas que estão empenhadas em prestar serviços de qualidade em auditoria, consultoria e serviços tributários. Saiba mais sobre a PwC e nos diga o que é importante para você visitando nosso site: www.pwc.com.

PwC refere-se à rede PwC e/ou uma ou mais de suas empresas associadas, cada uma delas uma pessoa jurídica separada. Para mais detalhes, acesse www.pwc.com/structure.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1121790/PWC_Logo.jpg

Ashley Worley,

Comunicação e Assuntos Corporativos Globais da PwC,

E-mail: ashley.worley@pwc.com

 

 

FONTE PwC

NOVA YORK, 1 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- Os hábitos dos consumidores podem levar uma vida inteira para se sedimentarem, mas basta um lockdown para que eles se quebrem. De acordo com a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024 da PwC, a pandemia da COVID-19 acelerou e amplificou as mudanças que já estavam ocorrendo no comportamento dos consumidores, fazendo avançar a disrupção digital e criando pontos de ruptura que teriam demorado anos para surgir. A digitalização, um dos principais fatores que estão definindo todos os setores, intensificou-se com o distanciamento social e as restrições de mobilidade. Como resultado, o mundo de entretenimento e mídia (E&M) em 2020 tornou-se mais remoto, mais virtual, adotou um maior uso de streaming, tornou-se mais pessoal e – pelo menos, por ora – está mais centrado na casa do que qualquer pessoa poderia ter imaginado no início do ano.

 

O crescimento do setor diminuiu drasticamente…

A pandemia que está assolando o mundo interrompeu bruscamente o crescimento do setor de E&M. Por isso, nós publicamos a Pesquisa três meses depois do previsto, para podermos avaliar devidamente o impacto da pandemia. As projeções revisadas para o crescimento da receita revelam por que essa foi uma decisão acertada. Em meio a uma recessão mundial, teremos em 2020 a maior queda das receitas globais em E&M dos 21 anos em que realizamos essa nossa pesquisa, uma queda de 5,6% em relação a 2019, o que significa mais US$ 120 bilhões em termos absolutos. Em 2009, o último ano em que a economia mundial sofreu retração, os gastos totais em E&M registraram uma queda de apenas 3%.

…mas continua robusto no longo prazo  

No entanto, mesmo com as ondas de choque de 2020 continuando a se propagar por toda a economia mundial, nossa previsão indica que a trajetória fundamental de crescimento do setor se mantém forte. Nos últimos anos, à medida que a mídia foi assumindo um papel cada vez mais importante na nossa vida, o crescimento mundial de E&M frequentemente ultrapassou o PIB. Por isso, passados os desafios de 2020, esperamos que o setor de E&M retome seus resultados extraordinários.

Nossas projeções indicam que em 2021, os gastos com E&M terão um crescimento de 6,4%. Analisando o período de previsão de cinco anos, de 2019 a 2024, a nossa previsão é um crescimento geral da receita a uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 2,8%.

Os pontos de ruptura estão acontecendo mais cedo

Assim como acontece na economia em geral, a atual crise em E&M não se expressa da mesma forma em todas as áreas do setor. Ela é mais séria nos segmentos em que a COVID-19 causou uma estagnação total, como eventos com música ao vivo, cinema e feiras comerciais. Os gastos de anunciantes também terão queda de 13,4%. Ao mesmo tempo, a transição do modelo impresso para digital que acontece nos jornais há muito tempo está se acelerando, o que está antecipando mudanças que aconteceriam muitos anos à frente, e está afetando as receitas da mídia impressa, por exemplo.

Um dos efeitos é que os segmentos de E&M estão se transformando muito antes do que se havia sido previsto. Vejamos o caso das receitas das bilheterias dos cinemas em comparação com as assinaturas de vídeo sob demanda (SVOD). Não faz muito tempo, em 2015, a receita das bilheterias era três vezes superior à de SVOD. Mas a receita de SVOD vai ultrapassar a receita das bilheterias em 2020, e a projeção é que essa diferença aumente cada vez mais nos próximos cinco anos e chegue a mais do dobro da receita das bilheterias em 2024. Ou vejamos a quantidade de dados consumidos nos smartphones em comparação com a banda larga fixa. Depois de obter uma pequena margem de liderança em 2019, o smartphone está agora posicionado para sair à frente como o dispositivo individual líder utilizado pelos consumidores para acesso à internet em todo o mundo.

Surgem vencedores e perdedores...

Então, como as mudanças que se aceleraram com a COVID-19 estão afetando os rumos dos diferentes segmentos do setor? Em 2020, com as pessoas ficando mais em casa, os serviços OTT registraram um aumento de 26% em sua receita em nível mundial. E essa receita manterá uma forte trajetória de crescimento nos próximos anos e vai quase dobrar, passando de US$ 46,4 bilhões em 2019 para US$ 86,8 bilhões em 2024. O lançamento do serviço de streaming Disney+ no final de 2019 não poderia ter vindo em melhor hora: a projeção era de 60 a 90 milhões de assinantes pagos até 2024, mas o Disney+ atingiu a marca de 60,5 milhões no início de agosto de 2020. Com o aumento do streaming, não é surpresa que o consumo de dados em nível mundial esteja também se beneficiando da aceleração digital promovida pela COVID-19. Esse consumo aumentará 33,8% em 2020, e vai mais do que dobrar, passando de 1,9 quadrilhão de megabytes (MB) em 2019 para 4,9 quadrilhões de MB em 2024.

No outro extremo estão os segmentos que foram mais atingidos pela pandemia. Vários cinemas estão fechados e vários grandes lançamentos foram adiados, e a nossa projeção é que as receitas mundiais com cinemas registrarão uma queda de quase 66% este ano. E não é provável que haja recuperação dessas perdas; nossas projeções indicam que em 2024 as receitas com cinema ficarão abaixo do nível que atingiram em 2019. Outro impacto relacionado com a COVID-19 é que a queda constante no consumo mundial de jornais e revistas acelerou-se drasticamente em 2020, e as receitas gerais tiveram uma queda de mais de 14%, sendo as revistas as mais atingidas. No entanto, os produtos digitais oferecem algum alento: um ponto de ruptura para as revistas em 2023 fará com que suas receitas globais de publicidade digital ultrapassem as receitas do segmento de publicidade na mídia impressa. Outros setores importantes terão dificuldade para se recuperar da queda de crescimento em 2019. Um exemplo é o setor mundial de publicidade, que terá uma queda de 13,4% em 2020, passando para US$ 559,5 bilhões, e que só deverá retomar em 2022 o nível de crescimento que teve em 2019.

…à medida que esse vasto setor se reconfigura

No entanto, e talvez de uma forma inesperada, alguns meios de comunicação "tradicionais" se mantiveram, apesar dos efeitos da COVID-19 e da aceleração digital. Registrou-se um aumento nas vendas de livros durante os lockdowns, e a receita mundial com livros deverá manter sua trajetória de crescimento, a uma taxa de crescimento anual composta de 1,4% entre 2019 e 2024 e atingindo US$ 64,7 bilhões. É importante destacar que a tecnologia está desempenhando um papel de destaque nesse processo, com o uso cada vez maior de smartphones e smart speakers promovendo os audiolivros e permitindo que os consumidores escutem o conteúdo onde estiverem.

Os eventos ao vivo, presenciais, compõem outro segmento tradicional que terá que se adaptar à realidade de um mundo em franca aceleração digital. Com as salas de espetáculos, centros de exposição e estádios fechados durante quase o ano todo, alguns eventos ao vivo estão utilizando plataformas digitais para manter a conexão com seu público. No Reino Unido, o Wireless Festival de Londres uniu-se à MelodyVR, empresa de equipamentos tecnológicos, em meados de 2020 para oferecer shows gravados por meio de dispositivos para realidade virtual e de artistas como Cardi B, Travis Scott, e Migos. Mais de 130.000 pessoas de 34 países assistiram aos shows virtualmente.

Um ano como nenhum outro

Embora 2020 esteja sendo um ano de disrupção e de muitos desafios para a maioria dos setores, inclusive vários segmentos de E&M, está claro que a demanda do consumidor das opções variadas e cada vez maiores de mídia continua crescendo. As receitas na Pesquisa deste ano refletem o grande impacto da crise econômica e da aceleração digital provocada pela COVID-19, mas a previsão de longo prazo para o setor de E&M como um todo continua boa. Porém, está claro também que à medida que formos voltando lentamente à normalidade, continuarão surgindo vencedores e perdedores.

Werner Ballhaus, líder global do setor de mídia e entretenimento da PwC, comenta: "Está claro que a COVID-19 acelerou a transição do consumidor para o consumo digital e provocou uma mudança disruptiva, tanto positiva quanto negativa, em vários tipos de mídia. Mas está também evidente que os pontos fortes inerentes ao setor de E&M e seu apelo para os consumidores continuam tão firmes quanto antes. Os desafios para as empresas de E&M se estenderão para além da pandemia, mas a migração digital que ela acelerou vai gerar oportunidades em todos os segmentos também, não só naqueles que já se beneficiaram dos seus impactos até agora".

Acesso on-line da mídia à Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

Para solicitar acesso on-line da mídia à Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024, contate Ashley Worley em ashley.worley@pwc.com. Esse acesso permitirá que você ilustre este e outros artigos extraindo detalhes da análise e do dataset da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia em nível de território e segmento, e criando gráficos na tela que podem ser exportados para serem utilizados com suas matérias.

Sobre a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

A 21a edição anual da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia da PwC é uma fonte completa de informações disponível on-line que fornece uma análise global dos gastos dos consumidores e dos anunciantes. Apresentando dados históricos, de previsão e de crescimento comparativo de cinco anos e comentários sobre 14 segmentos do setor em 53 territórios, a Pesquisa facilita a comparação e o contraste entre gastos de consumidores e anunciantes nos variados segmentos e territórios. Saiba mais visitando www.pwc.com/outlook.

Segmentos incluídos na Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

Livros; B2B; cinema; consumo de dados; acesso à internet; publicidade digital; música, rádio e podcasts; jornais e revistas; vídeo OTT; mídia exterior; TV tradicional e home vídeo; publicidade na TV; videogames e eSport; realidade virtual.

Sobre a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia

A maior parte do conteúdo deste press release foi retirado de dados da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024. A PwC procura atualizar constantemente os dados on-line da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia.  Por isso, lembre-se de que os dados neste press release podem não ser idênticos aos dados encontrados on-line. A Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2020–2024 on-line é a fonte de dados mais atualizada para informações sobre gastos de consumidores e anunciantes.

Sobre a PwC

Na PwC, nosso propósito é construir confiança na sociedade e resolver problemas importantes. Somos uma rede de empresas presentes em 157 países com mais de 276.000 pessoas que estão empenhadas em prestar serviços de qualidade em auditoria, consultoria e serviços tributários. Saiba mais sobre a PwC e nos diga o que é importante para você visitando nosso site: www.pwc.com.

PwC refere-se à rede PwC e/ou uma ou mais de suas empresas associadas, cada uma delas uma pessoa jurídica separada. Para mais detalhes, acesse www.pwc.com/structure.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1121790/PWC_Logo.jpg

Ashley Worley,

Comunicação e Assuntos Corporativos Globais da PwC,

E-mail: ashley.worley@pwc.com

 

 

FONTE PwC

Você acabou de ler:

Avançando o futuro: setor de entretenimento e mídia se reconfigura em meio à recuperação

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/avancando-o-futuro-setor-de-entretenimento-e-midia-se-reconfigura-em-meio-a-recuperacao/