Bloomberg Philanthropies 2021 Mayors Challenge nomeia as 50 maiores inovações urbanas globais decorrentes da pandemia

À medida que a competição de inovação Mayors Challenge continua, as 50 cidades finalistas se preparam para fortalecer ideias com os moradores nos próximos meses Vencedores do Grande Prêmio serão escolhidos no início de 2022

NOVA YORK, 15 de junho de 2021 /PRNewswire/ -- A Bloomberg Philanthropies anunciou hoje as 50 cidades campeãs que representam as inovações urbanas mais ousadas do ano passado e que avançarão para a etapa final do Global Mayors Challenge de 2021, uma competição mundial de inovação que incentiva e dissemina as ideias mais promissoras das cidades. O foco do programa deste ano é elevar as inovações públicas mais importantes geradas em resposta à pandemia global da COVID-19.

As 50 cidades nomeadas hoje representam 29 nações em 6 continentes. Elas surgiram de um grupo altamente competitivo de cidades inscritas: prefeitos de 631 cidades em 99 países enviaram suas ideias mais promissoras para apreciação, o que é quase duas vezes o número de cidades que se inscreveram no último desafio Bloomberg Philanthropies Mayors Challenge, realizado nos Estados Unidos em 2018. Os finalistas foram classificados com base em quatro critérios: visão, potencial de impacto, viabilidade e transferibilidade.

As ideias oferecem um panorama poderoso das prioridades de inovação das cidades do mundo. Em nível global, inovações mais comuns foram aquelas com foco na melhoria da saúde e na redução do desemprego.  A justiça racial surgiu como a área de maior prioridade para as cidades dos EUA, enquanto a inclusão social se sobressaiu nas cidades europeias inscritas. Na África, onde o mundo está passando pelas taxas mais rápidas de urbanização, a infraestrutura foi dominante.  Quase metade das inscrições foi gerada em parte por meio de processos participativos com os cidadãos.

"Estas 50 finalistas estão mostrando ao mundo que, diante dos enormes desafios da pandemia, as cidades estão se erguendo para enfrentá-los com ideias ousadas, inovadoras e ambiciosas", disse Michael R. Bloomberg, fundador da Bloomberg LP e da Bloomberg Philanthropies e 108o prefeito da cidade de Nova York. "Ao ajudar essas cidades a testar suas ideias nos próximos meses, teremos a oportunidade de identificar políticas e programas de ponta que podem permitir que as cidades se reconstruam de maneira a se tornar mais fortes e saudáveis e mais igualitárias e justas."

As 50 cidades campeãs do Global Mayors Challenge de 2021 são:

  • África (16% das finalistas):
    • Cidade do Cabo, África do Sul: Transformar as cozinhas de sopa em uma infraestrutura sustentável de distribuição de alimentos
    • Danané, Costa do Marfim: Transformar a mobilidade para moradores vulneráveis
    • Freetown, Serra Leoa: Estimular a ação comunitária para combater o desmatamento urbano
    • Kigali, Ruanda: Adotar tecnologias comprovadas de coleta de águas pluviais em comunidades informais
    • Kumasi, Gana: Treinar jovens desempregados a criar novas tecnologias de vaso sanitário doméstico
    • Lusaka, Zâmbia: Estimular o reaproveitamento do lixo e transformá-lo em produtos necessários
    • Meru, Quênia: Usar larvas de moscas soldado negras para reparar um sistema inadequado de coleta de resíduos
    • Umuaka, Nigéria: Suporte Digital para sobreviventes da violência baseada em gênero
  • Ásia-Pacífico (16% das finalistas):
    • Auckland, Nova Zelândia: Calcular as emissões de carbono para o desenvolvimento de infraestrutura
    • Butuan, Filipinas: Alavancar dados preditivos para reforçar os agricultores locais
    • Daegu, Coreia do Sul: Autorização Digital para trazer nova vida a espaços urbanos
    • Manila, Filipinas: Construir uma infraestrutura de dados do século XXI para melhorar os serviços da cidade
    • Pune, Índia: Construir o alicerce para um futuro com veículos totalmente elétricos
    • Rourkela, Índia: Apoiar o armazenamento de frio alimentado por energia solar, além do empreendedorismo feminino, para reduzir o desperdício de alimentos
    • Taipei, Taiwan: Usar a realidade virtual para promover estilos de vida seguros e ativos para idosos
    • Wellington, Nova Zelândia: Alavancar um digital twin da cidade para incentivar o comprometimento dos moradores com ações climáticas
  • Europa (16% das finalistas):
    • Bilbao, Espanha: Construção de uma cidade com segurança cibernética e cidadania
    • Glasgow, Reino Unido: Lançar uma abordagem participativa em nível de bairro para o bem-estar da comunidade
    • Istambul, Turquia: Criar uma plataforma para filantropia individual em escala municipal
    • Leuven, Bélgica: Utilizar "contratos cívicos" para orientar ações climáticas individuais e organizacionais
    • Londres, Reino Unido: Implementar intervenções rápidas e a montante para evitar a falta de moradia crônica
    • Paris, França: Oferecer educação gratuita sobre ativismo climático a jovens parisienses
    • Roterdã, Holanda: Utilizar tokens digitais para estimular o impacto social do setor privado
    • Vilnius, Lituânia: Construir um modelo resiliente pós-COVID para o aprendizado híbrido
  • América Latina (20% das finalistas):
    • Bogotá, Colômbia: Criar "blocos de assistência" para mudar a desigualdade de gênero relacionada à assistência
    • Cartagena, Colômbia: Lançar uma abordagem pioneira de conscientização de gêneros para respostas de emergência
    • Guadalajara, México: Criar um "índice de segurança do cidadão" para combater crimes violentos
    • Hermosillo, México: Oferecer novas oportunidades de emprego para mulheres na economia circular
    • La Paz, Bolívia: Projetar nove centros urbanos novos em conjunto com os moradores para garantir acesso igualitário aos serviços
    • Recife, Brasil: Estabelecer uma combinação única de serviços para fomentar o empreendedorismo feminino em escala
    • Renca, Chile: Convocar a sabedoria dos idosos para criar projetos de desenvolvimento comunitário e reduzir o isolamento
    • Rio de Janeiro, Brasil: Melhorar as condições de moradia em favelas por meio de tecnologia de mapeamento de ponta
    • Rosario, Argentina: Formalizar e subsidiar a coleta informal de resíduos
    • Tunja, Colômbia: Transformar o espaço público sob a perspectiva da economia circular
  • Oriente Médio (4% das finalistas):
    • Amã, Jordânia: Utilizar "mapas de acessibilidade" para melhorar a resposta emergencial e orientar os investimentos da cidade
    • Tel Aviv-Yafo, Israel: Engajar os jovens para tornar o centro cultural da cidade mais resiliente
  • América do Norte (28% das finalistas):
    • Akron, Ohio: Oferecer cursos de treinamento a estudantes de medicina para apoiar empreendedores negros
    • Baltimore, Maryland: Implementar um sistema coordenado em toda a cidade para apoiar empresas de propriedade de negros
    • Birmingham, Alabama: Investir na próxima geração de empreendedores do setor de alimentos
    • Columbus, Ohio: Oferecer acesso Wi-Fi de última milha a bairros carentes
    • Durham, Carolina do Norte: Formar uma equipe para ajudar os moradores a ter acesso a recursos e suporte federais inexplorados
    • Lansing, Michigan: Lançar parcerias entre setores para impedir a perda de aprendizado em crianças
    • Long Beach, Califórnia: Utilizar o poder municipal para trazer transparência à "gig economy" (trabalhos temporários e sem vínculo empregatício)
    • Louisville, Kentucky: Criar a força de trabalho de tecnologia diversificada do futuro
    • Nova Orleans, Louisiana: Trazer uma perspectiva de criação de confiança à prestação de serviços públicos
    • Newark, Nova Jersey: Reduzir o crime concentrando-se nos criminosos mais persistentes da cidade
    • Paterson, Nova Jersey: Oferecer um tratamento comprovado sob demanda àqueles que lutam contra o vício em opioides
    • Phoenix, Arizona: Implementar "unidades de mobilidade de carreira" para apoiar pessoas em busca de empregos
    • Rochester, Minnesota: Criar um caminho para as mulheres negras no crescente campo da construção local de alta remuneração
    • San Jose, Califórnia: Reforçar o canal de apoio à faculdade para famílias marginalizadas

O comitê de seleção do Mayors Challenge ajudou a Bloomberg Philanthropies a escolher as 50 finalistas.  O comitê é co-presidido pelo membro da diretoria da Bloomberg Philanthropies Mellody Hobson, co-CEO e presidente da Ariel Investments, e por David Miliband, presidente e CEO do International Rescue Committee, e conta com uma ampla gama de especialistas mundiais como Sir David Adjaye, fundador da OBE e da Adjaye Associates; o Dr. Yogan Pillay, diretor nacional da África do Sul e diretor sênior global da Universal Health Coverage da Clinton Health Access Initiative; Jagan Shah, conselheiro sênior de infraestrutura do gabinete de assuntos estrangeiros, desenvolvimento e comunidade da British High Commission, em Nova Delhi; Linda Gibbs, diretora da Bloomberg Associates; Julia Gillard, 27ª primeira-ministra da Austrália; Olafur Eliasson, artista; Gael Garcia Bernal, ator e produtor; Dr. Jan-Emmanuel De Neve, professor de Economia e diretor do Wellbeing Research Centre da Universidade de Oxford; Sra. Phumzile Mlambo-Ngcuka, sub-secretária-geral das Nações Unidas e diretora executiva da ONU Feminina; Federica Mogherini, reitora da College of Europe e ex-alta-representante da Union for Foreign Affairs and Security Policy; Dr. Joshua Sharfstein, diretor da Bloomberg American Health Initiative da Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health; Jennifer Pahlka, fundadora e ex-diretora executiva da Code for America; e Mariana Costa Checa, cofundadora e CEO da Laboratoria.

"O nível de criatividade e inovação entre as 50 cidades campeãs deste ano é um sinal claro de que as cidades continuam a intensificar-se até mesmo em meio aos maiores desafios", disse Mellody Hobson. "Estou ansiosa para ver estas ideias começarem a ganhar vida na próxima fase da competição."

"Com cinquenta cidades campeãs vêm cinquenta oportunidades interessantes de promover ideias inovadoras", disse David Miliband. "A próxima Champion Phase equiparará líderes de cidades com ferramentas críticas para testar, aprender e desenvolver essas soluções."

As 50 cidades finalistas agora entrarão em uma fase de testes de quatro meses para refinar suas ideias com a assistência técnica da Bloomberg Philanthropies e sua rede de especialistas líderes em inovação. Quinze das 50 cidades, no fim, ganharão o grande prêmio, e cada uma receberá US$ 1 milhão e uma robusta assistência técnica plurianual para implementar e ampliar suas ideias.

"Esta é sempre uma fase particularmente empolgante do Mayors Challenge, que ajuda os prefeitos a impulsionar suas inovações a alturas ainda maiores", disse James Anderson, diretor de inovação governamental da Bloomberg Philanthropies. "Embora 15 cidades possam, no final, levar para casa grandes prêmios, todas as 50 cidades recebem treinamento de classe mundial e suporte para melhorar suas ideias e seu potencial de melhorar vidas." 

Clique aqui para obter mais detalhes sobre as propostas das cidades campeãs.

O Global Mayors Challenge de 2021 baseia-se no sucesso de quatro desafios anteriores da Bloomberg Philanthropies nos EUA (2013 e 2018), Europa (2014) e América Latina e Caribe (2016). Entre as vencedoras dos Mayors Challenge anteriores estão Los Angeles, com o enfrentamento da crise de falta de moradia da cidade na Califórnia, tornando mais fácil e barato construir unidades de moradia acessórias (ADUs); Estocolmo, com o projeto da Suécia de transformar resíduos de plantas em biochar para incentivar o crescimento das plantas; e Barcelona, na Espanha, ajudando os cidadãos idosos a construir a comunidade por meio da tecnologia. Para mais informações, acesse https://bloombergcities.jhu.edu/mayors-challenge e @BloombergCities no Twitter e Instagram.

Sobre a Bloomberg Philanthropies

A Bloomberg Philanthropies investe em 810 cidades e 170 países em todo o mundo para garantir uma vida melhor e mais longa para o maior número de pessoas. A organização se concentra em cinco áreas principais para criar mudanças duradouras nos campos das artes, educação, meio ambiente, inovação governamental e saúde pública. A Bloomberg Philanthropies abrange todas as doações de Michael R. Bloomberg, incluindo suas filantropia de base, corporativa e pessoal, bem como da Bloomberg Associates, uma consultoria pro bono que trabalha em cidades do mundo todo. Em 2020, a Bloomberg Philanthropies distribuiu US$ 1,6 bilhão. Para mais informações, acesse bloomberg.org ou siga-nos no FacebookInstagramYouTubeTwitterTikTok.

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/785251/Bloomberg_Philanthropies_Logo.jpg

FONTE Bloomberg Philanthropies

À medida que a competição de inovação Mayors Challenge continua, as 50 cidades finalistas se preparam para fortalecer ideias com os moradores nos próximos meses Vencedores do Grande Prêmio serão escolhidos no início de 2022

NOVA YORK, 15 de junho de 2021 /PRNewswire/ -- A Bloomberg Philanthropies anunciou hoje as 50 cidades campeãs que representam as inovações urbanas mais ousadas do ano passado e que avançarão para a etapa final do Global Mayors Challenge de 2021, uma competição mundial de inovação que incentiva e dissemina as ideias mais promissoras das cidades. O foco do programa deste ano é elevar as inovações públicas mais importantes geradas em resposta à pandemia global da COVID-19.

As 50 cidades nomeadas hoje representam 29 nações em 6 continentes. Elas surgiram de um grupo altamente competitivo de cidades inscritas: prefeitos de 631 cidades em 99 países enviaram suas ideias mais promissoras para apreciação, o que é quase duas vezes o número de cidades que se inscreveram no último desafio Bloomberg Philanthropies Mayors Challenge, realizado nos Estados Unidos em 2018. Os finalistas foram classificados com base em quatro critérios: visão, potencial de impacto, viabilidade e transferibilidade.

As ideias oferecem um panorama poderoso das prioridades de inovação das cidades do mundo. Em nível global, inovações mais comuns foram aquelas com foco na melhoria da saúde e na redução do desemprego.  A justiça racial surgiu como a área de maior prioridade para as cidades dos EUA, enquanto a inclusão social se sobressaiu nas cidades europeias inscritas. Na África, onde o mundo está passando pelas taxas mais rápidas de urbanização, a infraestrutura foi dominante.  Quase metade das inscrições foi gerada em parte por meio de processos participativos com os cidadãos.

"Estas 50 finalistas estão mostrando ao mundo que, diante dos enormes desafios da pandemia, as cidades estão se erguendo para enfrentá-los com ideias ousadas, inovadoras e ambiciosas", disse Michael R. Bloomberg, fundador da Bloomberg LP e da Bloomberg Philanthropies e 108o prefeito da cidade de Nova York. "Ao ajudar essas cidades a testar suas ideias nos próximos meses, teremos a oportunidade de identificar políticas e programas de ponta que podem permitir que as cidades se reconstruam de maneira a se tornar mais fortes e saudáveis e mais igualitárias e justas."

As 50 cidades campeãs do Global Mayors Challenge de 2021 são:

  • África (16% das finalistas):
    • Cidade do Cabo, África do Sul: Transformar as cozinhas de sopa em uma infraestrutura sustentável de distribuição de alimentos
    • Danané, Costa do Marfim: Transformar a mobilidade para moradores vulneráveis
    • Freetown, Serra Leoa: Estimular a ação comunitária para combater o desmatamento urbano
    • Kigali, Ruanda: Adotar tecnologias comprovadas de coleta de águas pluviais em comunidades informais
    • Kumasi, Gana: Treinar jovens desempregados a criar novas tecnologias de vaso sanitário doméstico
    • Lusaka, Zâmbia: Estimular o reaproveitamento do lixo e transformá-lo em produtos necessários
    • Meru, Quênia: Usar larvas de moscas soldado negras para reparar um sistema inadequado de coleta de resíduos
    • Umuaka, Nigéria: Suporte Digital para sobreviventes da violência baseada em gênero
  • Ásia-Pacífico (16% das finalistas):
    • Auckland, Nova Zelândia: Calcular as emissões de carbono para o desenvolvimento de infraestrutura
    • Butuan, Filipinas: Alavancar dados preditivos para reforçar os agricultores locais
    • Daegu, Coreia do Sul: Autorização Digital para trazer nova vida a espaços urbanos
    • Manila, Filipinas: Construir uma infraestrutura de dados do século XXI para melhorar os serviços da cidade
    • Pune, Índia: Construir o alicerce para um futuro com veículos totalmente elétricos
    • Rourkela, Índia: Apoiar o armazenamento de frio alimentado por energia solar, além do empreendedorismo feminino, para reduzir o desperdício de alimentos
    • Taipei, Taiwan: Usar a realidade virtual para promover estilos de vida seguros e ativos para idosos
    • Wellington, Nova Zelândia: Alavancar um digital twin da cidade para incentivar o comprometimento dos moradores com ações climáticas
  • Europa (16% das finalistas):
    • Bilbao, Espanha: Construção de uma cidade com segurança cibernética e cidadania
    • Glasgow, Reino Unido: Lançar uma abordagem participativa em nível de bairro para o bem-estar da comunidade
    • Istambul, Turquia: Criar uma plataforma para filantropia individual em escala municipal
    • Leuven, Bélgica: Utilizar "contratos cívicos" para orientar ações climáticas individuais e organizacionais
    • Londres, Reino Unido: Implementar intervenções rápidas e a montante para evitar a falta de moradia crônica
    • Paris, França: Oferecer educação gratuita sobre ativismo climático a jovens parisienses
    • Roterdã, Holanda: Utilizar tokens digitais para estimular o impacto social do setor privado
    • Vilnius, Lituânia: Construir um modelo resiliente pós-COVID para o aprendizado híbrido
  • América Latina (20% das finalistas):
    • Bogotá, Colômbia: Criar "blocos de assistência" para mudar a desigualdade de gênero relacionada à assistência
    • Cartagena, Colômbia: Lançar uma abordagem pioneira de conscientização de gêneros para respostas de emergência
    • Guadalajara, México: Criar um "índice de segurança do cidadão" para combater crimes violentos
    • Hermosillo, México: Oferecer novas oportunidades de emprego para mulheres na economia circular
    • La Paz, Bolívia: Projetar nove centros urbanos novos em conjunto com os moradores para garantir acesso igualitário aos serviços
    • Recife, Brasil: Estabelecer uma combinação única de serviços para fomentar o empreendedorismo feminino em escala
    • Renca, Chile: Convocar a sabedoria dos idosos para criar projetos de desenvolvimento comunitário e reduzir o isolamento
    • Rio de Janeiro, Brasil: Melhorar as condições de moradia em favelas por meio de tecnologia de mapeamento de ponta
    • Rosario, Argentina: Formalizar e subsidiar a coleta informal de resíduos
    • Tunja, Colômbia: Transformar o espaço público sob a perspectiva da economia circular
  • Oriente Médio (4% das finalistas):
    • Amã, Jordânia: Utilizar "mapas de acessibilidade" para melhorar a resposta emergencial e orientar os investimentos da cidade
    • Tel Aviv-Yafo, Israel: Engajar os jovens para tornar o centro cultural da cidade mais resiliente
  • América do Norte (28% das finalistas):
    • Akron, Ohio: Oferecer cursos de treinamento a estudantes de medicina para apoiar empreendedores negros
    • Baltimore, Maryland: Implementar um sistema coordenado em toda a cidade para apoiar empresas de propriedade de negros
    • Birmingham, Alabama: Investir na próxima geração de empreendedores do setor de alimentos
    • Columbus, Ohio: Oferecer acesso Wi-Fi de última milha a bairros carentes
    • Durham, Carolina do Norte: Formar uma equipe para ajudar os moradores a ter acesso a recursos e suporte federais inexplorados
    • Lansing, Michigan: Lançar parcerias entre setores para impedir a perda de aprendizado em crianças
    • Long Beach, Califórnia: Utilizar o poder municipal para trazer transparência à "gig economy" (trabalhos temporários e sem vínculo empregatício)
    • Louisville, Kentucky: Criar a força de trabalho de tecnologia diversificada do futuro
    • Nova Orleans, Louisiana: Trazer uma perspectiva de criação de confiança à prestação de serviços públicos
    • Newark, Nova Jersey: Reduzir o crime concentrando-se nos criminosos mais persistentes da cidade
    • Paterson, Nova Jersey: Oferecer um tratamento comprovado sob demanda àqueles que lutam contra o vício em opioides
    • Phoenix, Arizona: Implementar "unidades de mobilidade de carreira" para apoiar pessoas em busca de empregos
    • Rochester, Minnesota: Criar um caminho para as mulheres negras no crescente campo da construção local de alta remuneração
    • San Jose, Califórnia: Reforçar o canal de apoio à faculdade para famílias marginalizadas

O comitê de seleção do Mayors Challenge ajudou a Bloomberg Philanthropies a escolher as 50 finalistas.  O comitê é co-presidido pelo membro da diretoria da Bloomberg Philanthropies Mellody Hobson, co-CEO e presidente da Ariel Investments, e por David Miliband, presidente e CEO do International Rescue Committee, e conta com uma ampla gama de especialistas mundiais como Sir David Adjaye, fundador da OBE e da Adjaye Associates; o Dr. Yogan Pillay, diretor nacional da África do Sul e diretor sênior global da Universal Health Coverage da Clinton Health Access Initiative; Jagan Shah, conselheiro sênior de infraestrutura do gabinete de assuntos estrangeiros, desenvolvimento e comunidade da British High Commission, em Nova Delhi; Linda Gibbs, diretora da Bloomberg Associates; Julia Gillard, 27ª primeira-ministra da Austrália; Olafur Eliasson, artista; Gael Garcia Bernal, ator e produtor; Dr. Jan-Emmanuel De Neve, professor de Economia e diretor do Wellbeing Research Centre da Universidade de Oxford; Sra. Phumzile Mlambo-Ngcuka, sub-secretária-geral das Nações Unidas e diretora executiva da ONU Feminina; Federica Mogherini, reitora da College of Europe e ex-alta-representante da Union for Foreign Affairs and Security Policy; Dr. Joshua Sharfstein, diretor da Bloomberg American Health Initiative da Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health; Jennifer Pahlka, fundadora e ex-diretora executiva da Code for America; e Mariana Costa Checa, cofundadora e CEO da Laboratoria.

"O nível de criatividade e inovação entre as 50 cidades campeãs deste ano é um sinal claro de que as cidades continuam a intensificar-se até mesmo em meio aos maiores desafios", disse Mellody Hobson. "Estou ansiosa para ver estas ideias começarem a ganhar vida na próxima fase da competição."

"Com cinquenta cidades campeãs vêm cinquenta oportunidades interessantes de promover ideias inovadoras", disse David Miliband. "A próxima Champion Phase equiparará líderes de cidades com ferramentas críticas para testar, aprender e desenvolver essas soluções."

As 50 cidades finalistas agora entrarão em uma fase de testes de quatro meses para refinar suas ideias com a assistência técnica da Bloomberg Philanthropies e sua rede de especialistas líderes em inovação. Quinze das 50 cidades, no fim, ganharão o grande prêmio, e cada uma receberá US$ 1 milhão e uma robusta assistência técnica plurianual para implementar e ampliar suas ideias.

"Esta é sempre uma fase particularmente empolgante do Mayors Challenge, que ajuda os prefeitos a impulsionar suas inovações a alturas ainda maiores", disse James Anderson, diretor de inovação governamental da Bloomberg Philanthropies. "Embora 15 cidades possam, no final, levar para casa grandes prêmios, todas as 50 cidades recebem treinamento de classe mundial e suporte para melhorar suas ideias e seu potencial de melhorar vidas." 

Clique aqui para obter mais detalhes sobre as propostas das cidades campeãs.

O Global Mayors Challenge de 2021 baseia-se no sucesso de quatro desafios anteriores da Bloomberg Philanthropies nos EUA (2013 e 2018), Europa (2014) e América Latina e Caribe (2016). Entre as vencedoras dos Mayors Challenge anteriores estão Los Angeles, com o enfrentamento da crise de falta de moradia da cidade na Califórnia, tornando mais fácil e barato construir unidades de moradia acessórias (ADUs); Estocolmo, com o projeto da Suécia de transformar resíduos de plantas em biochar para incentivar o crescimento das plantas; e Barcelona, na Espanha, ajudando os cidadãos idosos a construir a comunidade por meio da tecnologia. Para mais informações, acesse https://bloombergcities.jhu.edu/mayors-challenge e @BloombergCities no Twitter e Instagram.

Sobre a Bloomberg Philanthropies

A Bloomberg Philanthropies investe em 810 cidades e 170 países em todo o mundo para garantir uma vida melhor e mais longa para o maior número de pessoas. A organização se concentra em cinco áreas principais para criar mudanças duradouras nos campos das artes, educação, meio ambiente, inovação governamental e saúde pública. A Bloomberg Philanthropies abrange todas as doações de Michael R. Bloomberg, incluindo suas filantropia de base, corporativa e pessoal, bem como da Bloomberg Associates, uma consultoria pro bono que trabalha em cidades do mundo todo. Em 2020, a Bloomberg Philanthropies distribuiu US$ 1,6 bilhão. Para mais informações, acesse bloomberg.org ou siga-nos no FacebookInstagramYouTubeTwitterTikTok.

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/785251/Bloomberg_Philanthropies_Logo.jpg

FONTE Bloomberg Philanthropies

Você acabou de ler:

Bloomberg Philanthropies 2021 Mayors Challenge nomeia as 50 maiores inovações urbanas globais decorrentes da pandemia

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/bloomberg-philanthropies-2021-mayors-challenge-nomeia-as-50-maiores-inovacoes-urbanas-globais-decorrentes-da-pandemia/