Caltrate orienta que consumo de cálcio é investimento para saúde óssea

20 de outubro - Dia Mundial de Combate à Osteoporose

SÃO PAULO, 19 de outubro de 2018 /PRNewswire/ -- O cálcio é fundamental para o organismo, por isso, é necessário ingerir uma quantidade adequada desse nutriente diariamente. Caso contrário, o corpo retira cálcio dos ossos, deixando-os suscetíveis a doenças ósseas.

Apesar das possíveis complicações, os brasileiros ingerem, em média, apenas 505mg de cálcio diariamente – metade do volume recomendado de 1000mg, segundo a Fundação Internacional da Osteoporose (IOF, na sigla em inglês). Essa deficiência é especialmente prejudicial às mulheres, que começam a perder massa óssea a partir dos 30 anos.

A falta de uma reserva de cálcio adequada faz com que a incidência de osteoporose seja alta. Estima-se que 1 em cada 3 mulheres acima de 45 anos tenha a doença.

O leite e derivados são fontes ricas em cálcio, mas existem vegetais e cereais que oferecem o nutriente e funcionam como alternativa àqueles que sofrem com intolerância à lactose ou não gostam de leite.

Segundo o gerente médico da Pfizer Consumer Healthcare, Andres Zapata, porém, a absorção do cálcio proveniente de vegetais é mais lenta. "É necessário consumir um grande volume para alcançar a quantidade recomendada", explica. Em 200 gramas de tomate, por exemplo, não é possível obter mais do que 18,3 mg de cálcio.

"Dentro do estilo de vida atual, é comum que não se consiga consumir a quantidade ideal de cálcio", comenta o especialista. Para evitar a deficiência, a suplementação é uma alternativa.

Caltrate Mini 600 + D + Minerais é desenvolvido para ajudar os ossos e os músculos a se manterem saudáveis. Com exclusiva fórmula tripla ação: manutenção da saúde óssea, funcionamento muscular e flexibilidade, o produto oferece uma solução completa. Possui cálcio, vitamina D e minerais importantes para o organismo, além de ter sido desenvolvido em mini comprimidos – mais fácil de engolir. Uma dose de Caltrate Mini equivale à quantidade de cálcio presente em dois copos e meio de leite de 200 ml.

A deficiência de cálcio deve ser evitada com medidas de prevenção. Quando se mantém a quantidade de cálcio ideal nos ossos, as consequências naturais do envelhecimento são amenizadas. "O consumo de cálcio é um investimento para o futuro", destaca Zapata.

Informações para a imprensa – Ketchum:

Aline Silva – (11) 5090-8918 – saude9@ketchum.com.br

Deborah Moratori – (11) 5090-8953 - deborah.moratori@ketchum.com.br

FONTE Pfizer

20 de outubro - Dia Mundial de Combate à Osteoporose

SÃO PAULO, 19 de outubro de 2018 /PRNewswire/ -- O cálcio é fundamental para o organismo, por isso, é necessário ingerir uma quantidade adequada desse nutriente diariamente. Caso contrário, o corpo retira cálcio dos ossos, deixando-os suscetíveis a doenças ósseas.

Apesar das possíveis complicações, os brasileiros ingerem, em média, apenas 505mg de cálcio diariamente – metade do volume recomendado de 1000mg, segundo a Fundação Internacional da Osteoporose (IOF, na sigla em inglês). Essa deficiência é especialmente prejudicial às mulheres, que começam a perder massa óssea a partir dos 30 anos.

A falta de uma reserva de cálcio adequada faz com que a incidência de osteoporose seja alta. Estima-se que 1 em cada 3 mulheres acima de 45 anos tenha a doença.

O leite e derivados são fontes ricas em cálcio, mas existem vegetais e cereais que oferecem o nutriente e funcionam como alternativa àqueles que sofrem com intolerância à lactose ou não gostam de leite.

Segundo o gerente médico da Pfizer Consumer Healthcare, Andres Zapata, porém, a absorção do cálcio proveniente de vegetais é mais lenta. "É necessário consumir um grande volume para alcançar a quantidade recomendada", explica. Em 200 gramas de tomate, por exemplo, não é possível obter mais do que 18,3 mg de cálcio.

"Dentro do estilo de vida atual, é comum que não se consiga consumir a quantidade ideal de cálcio", comenta o especialista. Para evitar a deficiência, a suplementação é uma alternativa.

Caltrate Mini 600 + D + Minerais é desenvolvido para ajudar os ossos e os músculos a se manterem saudáveis. Com exclusiva fórmula tripla ação: manutenção da saúde óssea, funcionamento muscular e flexibilidade, o produto oferece uma solução completa. Possui cálcio, vitamina D e minerais importantes para o organismo, além de ter sido desenvolvido em mini comprimidos – mais fácil de engolir. Uma dose de Caltrate Mini equivale à quantidade de cálcio presente em dois copos e meio de leite de 200 ml.

A deficiência de cálcio deve ser evitada com medidas de prevenção. Quando se mantém a quantidade de cálcio ideal nos ossos, as consequências naturais do envelhecimento são amenizadas. "O consumo de cálcio é um investimento para o futuro", destaca Zapata.

Informações para a imprensa – Ketchum:

Aline Silva – (11) 5090-8918 – saude9@ketchum.com.br

Deborah Moratori – (11) 5090-8953 - deborah.moratori@ketchum.com.br

FONTE Pfizer

Você acabou de ler:

Caltrate orienta que consumo de cálcio é investimento para saúde óssea

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/caltrate-orienta-que-consumo-de-calcio-e-investimento-para-saude-ossea/