Capacitando mulheres jovens e refugiados em todo o mundo por meio de STEM e sustentabilidade

NOVA YORK, 5 de agosto de 2022 /PRNewswire/ -- Mulheres e meninas que almejam progredir em sua formação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) há muito tempo enfrentam desafios incríveis, em uma área tradicionalmente dominada pelos homens. Além disso, eventos recentes destacaram a população crescente de 89,3 milhões de pessoas refugiadas, desalojadas e apátridas em todo o mundo, das quais quase 27% são mulheres e meninas com menos de 18 anos. A educação internacional, e principalmente o intercâmbio virtual, raramente é utilizada para abordar essas questões, embora ela possa ser uma forma poderosa de aumentar as oportunidades para grupos marginalizados. 

Ajudando mulheres jovens a entrar no mundo da STEM e da sustentabilidade

A AFS Intercultural Programs, uma organização global sem fins lucrativos reconhecida por seus intercâmbios interculturais, realiza programas de STEM financiados pela bp para jovens desde 2011. Em 2021, as duas organizações lançaram uma iniciativa ambiciosa de cinco anos com o objetivo de oferecer cinco mil bolsas de estudos para jovens, com ênfase na diversidade e inclusão e foco especial no apoio a mulheres jovens. O programa AFS Global STEM Accelerator, lançado em junho de 2022,  é um programa de intercâmbio virtual com bolsa integral desenvolvido para oferecer a 180 mulheres jovens de todo o mundo acesso à formação em sustentabilidade, STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática) e impacto social positivo.

Oferecendo aos refugiados acesso igualitário à educação 

A crise de refugiados afeta mais de 89,3 milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo milhões de pessoas desalojadas da Síria, Venezuela, Sudão e Mianmar. Desde fevereiro de 2022, o mundo tem visto milhões de ucranianos serem forçados a fugir de suas casas.

A resposta pública imediata às crises de refugiados muitas vezes se concentra em atender a necessidades humanitárias urgentes. No entanto, a educação é um direito humano básico que muitas vezes é negado aos jovens refugiados. Isso é especialmente verdadeiro para jovens mulheres refugiadas. Também é, de acordo com o ACNUR, uma parte fundamental de qualquer resposta internacional relativa a refugiados. 

Levando isso em conta, a AFS, com o apoio da bp, aumentou o número de bolsas de estudo para garantir que jovens refugiadas fossem incluídas no Programa AFS Global STEM Accelerator. Reconhecendo a necessidade de fornecer assistência de forma ponderada, a AFS firmou uma parceria com a SPARK, uma organização não governamental internacional de desenvolvimento que atua em 14 regiões do Oriente Médio, Norte da África e África Subsaariana. Há mais de 28 anos, a SPARK cria caminhos para jovens reconstruírem seus futuros e oferece oportunidades para que jovens, principalmente mulheres e refugiados, estudem, trabalhem e desenvolvam seus próprios negócios em comunidades vulneráveis. 

"A educação em cidadania global tem que ser acessível para todos. Estamos muito entusiasmados por podermos trabalhar com a bp e a SPARK para tornar esse programa acessível aos jovens que muitas vezes são excluídos dessas oportunidades, mas que, na verdade, são os que mais precisam delas", disse Daniel Obst, presidente e CEO da AFS. 

Mais de mil inscritas de 71 países

O programa AFS Global STEM Accelerators recebeu 1.083inscrições de 71 países, incluindo candidatas do Afeganistão, Ucrânia, Nigéria e refugiadas sírias na Turquia. As inscrições foram abertas para mulheres jovens (com idade entre 15 e 17,5 anos) do mundo todo, com um grande interesse em se tornar agentes de mudança em suas comunidades. A AFS alocou 20% das bolsas de estudos especificamente para refugiadas e meninas de populações desalojadas, seja por causa de guerras, violência ou desastres naturais.

As 180 bolsas concedidas às jovens de 61 países refletem a diversidade e a inclusão que o programa almeja alcançar:

  • 20% das beneficiárias se identificam como refugiadas ou como sendo de comunidades desalojadas
  • 82% das beneficiárias se identificam como pessoas de cor
  • 51% das beneficiárias fazem parte de famílias de baixa renda
  • 10% serão as primeiras em suas famílias a caminho de se formarem no ensino médio

A AFS e a bp reconhecem que o acesso à tecnologia e à conectividade à Internet é desigual no mundo todo e estão preparadas para atender a essas necessidades.

"É emocionante ver um interesse tão grande dessas jovens brilhantes", disse Kerry Dryburgh, vice-presidente executivo de pessoas e cultura da bp. "Com sua paixão por fazer a diferença e as habilidades que aprenderão, elas são futuras agentes de mudança, líderes e inovadoras – desejamos a elas o melhor em sua jornada."  

As palavras das bolsistas apoiam ainda mais a afirmação de que o intercâmbio virtual é uma ferramenta poderosa para aumentar o acesso a oportunidades educacionais.

"Sou de uma sociedade Pashtun tradicional, em que, em minha província, as meninas não têm nem mesmo o direito de ir à escola. Em cada canto de meu país, a desigualdade de gênero é evidente. Todos esses desafios me dão a força para criar minha própria identidade e ser diferente das pessoas que me rodeiam. Participar desse programa será o primeiro passo para eu atingir meu objetivo de explorar o mundo e me tornar alguém influente para melhorar as sociedades sustentáveis." - Harira, do Afeganistão

Qual é o futuro para essas jovens?

O programa AFS Global STEM Accelerators culmina com o desenvolvimento por parte das bolsistas de projetos e apresentações de impacto social que ofereçam possíveis soluções para desafios do mundo real, com ênfase na sustentabilidade. As participantes receberão o Certificado Avançado em Competência Global para Impacto Social, concedido pela AFS e pela Universidade da Pensilvânia, juntamente com a validação oficial de seus projetos por parte do Centro de Estratégia de Impacto Social da Universidade da Pensilvânia. O aprendizado das alunas e o desenvolvimento dos projetos são orientados por uma equipe diversificada de facilitação representada por doze facilitadoras qualificadas (todas mulheres) de nove países.

Após a conclusão do programa, as bolsistas serão convidadas a participar da comunidade de ex-alunos, que oferecerá diversas oportunidades de mentoria, sessões de desenvolvimento de competências, painéis de discussão e outras oportunidades de desenvolvimento. As bolsistas também serão convidadas a participar da Youth Assembly da AFS, uma reunião global de jovens que defende ativamente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1809272/AFS_Logo.jpg

 

 

FONTE AFS Intercultural Programs

NOVA YORK, 5 de agosto de 2022 /PRNewswire/ -- Mulheres e meninas que almejam progredir em sua formação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) há muito tempo enfrentam desafios incríveis, em uma área tradicionalmente dominada pelos homens. Além disso, eventos recentes destacaram a população crescente de 89,3 milhões de pessoas refugiadas, desalojadas e apátridas em todo o mundo, das quais quase 27% são mulheres e meninas com menos de 18 anos. A educação internacional, e principalmente o intercâmbio virtual, raramente é utilizada para abordar essas questões, embora ela possa ser uma forma poderosa de aumentar as oportunidades para grupos marginalizados. 

Ajudando mulheres jovens a entrar no mundo da STEM e da sustentabilidade

A AFS Intercultural Programs, uma organização global sem fins lucrativos reconhecida por seus intercâmbios interculturais, realiza programas de STEM financiados pela bp para jovens desde 2011. Em 2021, as duas organizações lançaram uma iniciativa ambiciosa de cinco anos com o objetivo de oferecer cinco mil bolsas de estudos para jovens, com ênfase na diversidade e inclusão e foco especial no apoio a mulheres jovens. O programa AFS Global STEM Accelerator, lançado em junho de 2022,  é um programa de intercâmbio virtual com bolsa integral desenvolvido para oferecer a 180 mulheres jovens de todo o mundo acesso à formação em sustentabilidade, STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática) e impacto social positivo.

Oferecendo aos refugiados acesso igualitário à educação 

A crise de refugiados afeta mais de 89,3 milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo milhões de pessoas desalojadas da Síria, Venezuela, Sudão e Mianmar. Desde fevereiro de 2022, o mundo tem visto milhões de ucranianos serem forçados a fugir de suas casas.

A resposta pública imediata às crises de refugiados muitas vezes se concentra em atender a necessidades humanitárias urgentes. No entanto, a educação é um direito humano básico que muitas vezes é negado aos jovens refugiados. Isso é especialmente verdadeiro para jovens mulheres refugiadas. Também é, de acordo com o ACNUR, uma parte fundamental de qualquer resposta internacional relativa a refugiados. 

Levando isso em conta, a AFS, com o apoio da bp, aumentou o número de bolsas de estudo para garantir que jovens refugiadas fossem incluídas no Programa AFS Global STEM Accelerator. Reconhecendo a necessidade de fornecer assistência de forma ponderada, a AFS firmou uma parceria com a SPARK, uma organização não governamental internacional de desenvolvimento que atua em 14 regiões do Oriente Médio, Norte da África e África Subsaariana. Há mais de 28 anos, a SPARK cria caminhos para jovens reconstruírem seus futuros e oferece oportunidades para que jovens, principalmente mulheres e refugiados, estudem, trabalhem e desenvolvam seus próprios negócios em comunidades vulneráveis. 

"A educação em cidadania global tem que ser acessível para todos. Estamos muito entusiasmados por podermos trabalhar com a bp e a SPARK para tornar esse programa acessível aos jovens que muitas vezes são excluídos dessas oportunidades, mas que, na verdade, são os que mais precisam delas", disse Daniel Obst, presidente e CEO da AFS. 

Mais de mil inscritas de 71 países

O programa AFS Global STEM Accelerators recebeu 1.083inscrições de 71 países, incluindo candidatas do Afeganistão, Ucrânia, Nigéria e refugiadas sírias na Turquia. As inscrições foram abertas para mulheres jovens (com idade entre 15 e 17,5 anos) do mundo todo, com um grande interesse em se tornar agentes de mudança em suas comunidades. A AFS alocou 20% das bolsas de estudos especificamente para refugiadas e meninas de populações desalojadas, seja por causa de guerras, violência ou desastres naturais.

As 180 bolsas concedidas às jovens de 61 países refletem a diversidade e a inclusão que o programa almeja alcançar:

  • 20% das beneficiárias se identificam como refugiadas ou como sendo de comunidades desalojadas
  • 82% das beneficiárias se identificam como pessoas de cor
  • 51% das beneficiárias fazem parte de famílias de baixa renda
  • 10% serão as primeiras em suas famílias a caminho de se formarem no ensino médio

A AFS e a bp reconhecem que o acesso à tecnologia e à conectividade à Internet é desigual no mundo todo e estão preparadas para atender a essas necessidades.

"É emocionante ver um interesse tão grande dessas jovens brilhantes", disse Kerry Dryburgh, vice-presidente executivo de pessoas e cultura da bp. "Com sua paixão por fazer a diferença e as habilidades que aprenderão, elas são futuras agentes de mudança, líderes e inovadoras – desejamos a elas o melhor em sua jornada."  

As palavras das bolsistas apoiam ainda mais a afirmação de que o intercâmbio virtual é uma ferramenta poderosa para aumentar o acesso a oportunidades educacionais.

"Sou de uma sociedade Pashtun tradicional, em que, em minha província, as meninas não têm nem mesmo o direito de ir à escola. Em cada canto de meu país, a desigualdade de gênero é evidente. Todos esses desafios me dão a força para criar minha própria identidade e ser diferente das pessoas que me rodeiam. Participar desse programa será o primeiro passo para eu atingir meu objetivo de explorar o mundo e me tornar alguém influente para melhorar as sociedades sustentáveis." - Harira, do Afeganistão

Qual é o futuro para essas jovens?

O programa AFS Global STEM Accelerators culmina com o desenvolvimento por parte das bolsistas de projetos e apresentações de impacto social que ofereçam possíveis soluções para desafios do mundo real, com ênfase na sustentabilidade. As participantes receberão o Certificado Avançado em Competência Global para Impacto Social, concedido pela AFS e pela Universidade da Pensilvânia, juntamente com a validação oficial de seus projetos por parte do Centro de Estratégia de Impacto Social da Universidade da Pensilvânia. O aprendizado das alunas e o desenvolvimento dos projetos são orientados por uma equipe diversificada de facilitação representada por doze facilitadoras qualificadas (todas mulheres) de nove países.

Após a conclusão do programa, as bolsistas serão convidadas a participar da comunidade de ex-alunos, que oferecerá diversas oportunidades de mentoria, sessões de desenvolvimento de competências, painéis de discussão e outras oportunidades de desenvolvimento. As bolsistas também serão convidadas a participar da Youth Assembly da AFS, uma reunião global de jovens que defende ativamente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1809272/AFS_Logo.jpg

 

 

FONTE AFS Intercultural Programs

Você acabou de ler:

Capacitando mulheres jovens e refugiados em todo o mundo por meio de STEM e sustentabilidade

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/capacitando-mulheres-jovens-e-refugiados-em-todo-o-mundo-por-meio-de-stem-e-sustentabilidade/