CASO ENCERRADO: WHISKEY & WEALTH CLUB GANHA DECISÃO MARCANTE EM REVIRAVOLTA DA LEI DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS

O Texas State Securities Board havia acusado o atacadista de uísque escocês e irlandês de primeira classe de se envolver em fraudes – acusações que agora foram totalmente retiradas 

DUBLIN e LONDRES, 11 de julho de 2022 /PRNewswire/ -- Um Conselho de Valores Mobiliários nos Estados Unidos sofreu uma derrota pré-julgamento para a Whiskey & Wealth Club, de Londres e Dublin, depois que o comissário de valores mobiliários no Texas encerrou uma ordem de cessação contra o atacadista.  

O indeferimento e retirada históricos das alegações feitas pelo Texas State Securities Board (Conselho de Valores Mobiliários do Texas) em uma ordem emergencial e comunicado de imprensa em 2 de novembro de 2021 já foram totalmente retirados.

O Conselho de Valores Mobiliários afirmou que a Whiskey & Wealth Club havia violado os estatutos de valores mobiliários dos Estados Unidos e, especificamente, que investimentos associados aos paletes de uísque são títulos.

A decisão agora confirma que a Whiskey & Wealth não se envolve em investimento ou negociação de títulos sob a legislação dos EUA, o que significa que é como comprar colecionáveis como uma obra de arte, um relógio ou um carro.

A resolução final suspende legitimamente, em sua totalidade, todas as alegações de que a Whiskey & Wealth Club estivesse operando uma oferta de títulos e, consequentemente, violando as leis de valores mobiliários dos EUA. Esses indeferimentos são extremamente raros e só são feitos quando claramente garantidos. O fato de a Whiskey & Wealth Club ter obtido o indeferimento é uma prova do que ela afirmou o tempo todo: as alegações eram claramente infundadas.

 Antes de qualquer prova ter sido apresentada, o Conselho acusou a empresa de "envolver-se em fraudes ligadas à oferta de valores mobiliários", que ameaçavam causar "danos irreparáveis" ao público – afirmações que ele retirou totalmente agora.

 O acordo para indeferimento dessas acusações foi apresentado em 7 de julho de 2022, e nele a agência do Texas constatou que a Whiskey & Wealth Club não se envolveu em atos ilegais ligados à oferta ou venda de títulos e não fez declarações para enganar o público.

O Conselho também indeferiu alegações e ordens judiciais contra os funcionários individuais da Whiskey & Wealth Scott Sciberras, William Fielding, Alex Mook, Richard Falconer e Benjamin Dunlop.

Ao comentar sobre o indeferimento, Jay Bradley, cofundador da Whiskey & Wealth, disse que a decisão agora abre o caminho para um modelo de negócios altamente regulamentado prosperar nos Estados Unidos, onde as vendas de uísque irlandês - o destilado premium de crescimento mais rápido do mundo - devem superar as de uísque escocês até 2030.

"Esta é uma vitória extremamente importante para a Whiskey & Wealth Club em um caso pendente para nossa empresa há oito meses e que custou uma quantia significativa de dinheiro em honorários jurídicos, drenou recursos e difamou nossa empresa, mas que agora abre o caminho para nosso negócio de atacado de barris prosperar nos Estados Unidos e em todo o mundo", disse Bradley.

"O Conselho de Valores Mobiliários já retificou seu erro e reconheceu nossa cooperação substancial com a investigação. A retirada e indeferimento do caso é a coisa mais próxima de um pedido de desculpas que vamos obter", disse ele.

O novo despacho afirma que a Whiskey & Wealth Club cooperou com a divisão de cumprimento da lei e forneceu registros e informações relevantes sobre sua empresa para a divisão de cumprimento da lei.

Ele acrescentou: "A parte demandada (Whiskey & Wealth Club) estabeleceu determinadas defesas, incluindo a de que não ofereceu ou vendeu títulos, não atuou como revendedora e não se envolveu em violações intencionais da Lei de Valores Mobiliários. De acordo com essas defesas, a parte demandada enviou informações suficientes para concluir que um indeferimento da ordem emergencial está garantido."

Ao discursar após o indeferimento histórico, Scott Sciberras, cofundador e CEO da Whiskey & Wealth Club, disse que foi atingido pela severidade do conflito dos Estados Unidos entre justiça e julgamento pela imprensa, dizendo que as políticas e procedimentos empregados pelo State Board podem ter consequências financeiras e de reputação significativas para qualquer empresa.

"Acreditamos que a prática dos EUA de emitir um comunicado de imprensa prejudicial no mesmo dia de uma ordem judicial, sem ver ou ouvir nenhuma prova, chegando até a acusar uma empresa de fraude - e retirar todas estas alegações oito meses depois, pode ter um impacto desastroso na maioria das empresas. Este tipo de estratégia de relações jurídicas e públicas é inédita na Irlanda, no Reino Unido ou em países da Commonwealth.

"Felizmente para nós, conseguimos enfrentar esta tempestade graças a nossa base de clientes incrivelmente fiel e a nossos novos clientes, que puderam ver além das declarações e alegações feitas pelo Texas State Securities Board."

Sciberras acrescentou: "Trabalhamos em estreita colaboração com o Conselho de Valores Mobiliários para informá-los sobre o processo de compra e venda de uísque em barril por atacado e sobre a forma como nosso modelo de negócios funciona, e continuaremos a trabalhar com eles no futuro."

A popularidade do investimento em uísques aumentou nos últimos anos, parcialmente impulsionada pela popularidade do uísque irlandês mestre original, que teve um aumento de 140% nas vendas durante a última década. Os barris de uísque são considerados como "ativos residuais" e não estão sujeitos a impostos sobre ganho de capital (CGT).

Para mais informações, acesse:

https://whiskeywealthclub.com/whiskey-wealth-club-fraud-case-dismissed-landmark-decision-in-united-states/

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1855393/Whiskey_Wealth_Club_Logo.jpg

 

FONTE Whiskey & Wealth Club

O Texas State Securities Board havia acusado o atacadista de uísque escocês e irlandês de primeira classe de se envolver em fraudes – acusações que agora foram totalmente retiradas 

DUBLIN e LONDRES, 11 de julho de 2022 /PRNewswire/ -- Um Conselho de Valores Mobiliários nos Estados Unidos sofreu uma derrota pré-julgamento para a Whiskey & Wealth Club, de Londres e Dublin, depois que o comissário de valores mobiliários no Texas encerrou uma ordem de cessação contra o atacadista.  

O indeferimento e retirada históricos das alegações feitas pelo Texas State Securities Board (Conselho de Valores Mobiliários do Texas) em uma ordem emergencial e comunicado de imprensa em 2 de novembro de 2021 já foram totalmente retirados.

O Conselho de Valores Mobiliários afirmou que a Whiskey & Wealth Club havia violado os estatutos de valores mobiliários dos Estados Unidos e, especificamente, que investimentos associados aos paletes de uísque são títulos.

A decisão agora confirma que a Whiskey & Wealth não se envolve em investimento ou negociação de títulos sob a legislação dos EUA, o que significa que é como comprar colecionáveis como uma obra de arte, um relógio ou um carro.

A resolução final suspende legitimamente, em sua totalidade, todas as alegações de que a Whiskey & Wealth Club estivesse operando uma oferta de títulos e, consequentemente, violando as leis de valores mobiliários dos EUA. Esses indeferimentos são extremamente raros e só são feitos quando claramente garantidos. O fato de a Whiskey & Wealth Club ter obtido o indeferimento é uma prova do que ela afirmou o tempo todo: as alegações eram claramente infundadas.

 Antes de qualquer prova ter sido apresentada, o Conselho acusou a empresa de "envolver-se em fraudes ligadas à oferta de valores mobiliários", que ameaçavam causar "danos irreparáveis" ao público – afirmações que ele retirou totalmente agora.

 O acordo para indeferimento dessas acusações foi apresentado em 7 de julho de 2022, e nele a agência do Texas constatou que a Whiskey & Wealth Club não se envolveu em atos ilegais ligados à oferta ou venda de títulos e não fez declarações para enganar o público.

O Conselho também indeferiu alegações e ordens judiciais contra os funcionários individuais da Whiskey & Wealth Scott Sciberras, William Fielding, Alex Mook, Richard Falconer e Benjamin Dunlop.

Ao comentar sobre o indeferimento, Jay Bradley, cofundador da Whiskey & Wealth, disse que a decisão agora abre o caminho para um modelo de negócios altamente regulamentado prosperar nos Estados Unidos, onde as vendas de uísque irlandês - o destilado premium de crescimento mais rápido do mundo - devem superar as de uísque escocês até 2030.

"Esta é uma vitória extremamente importante para a Whiskey & Wealth Club em um caso pendente para nossa empresa há oito meses e que custou uma quantia significativa de dinheiro em honorários jurídicos, drenou recursos e difamou nossa empresa, mas que agora abre o caminho para nosso negócio de atacado de barris prosperar nos Estados Unidos e em todo o mundo", disse Bradley.

"O Conselho de Valores Mobiliários já retificou seu erro e reconheceu nossa cooperação substancial com a investigação. A retirada e indeferimento do caso é a coisa mais próxima de um pedido de desculpas que vamos obter", disse ele.

O novo despacho afirma que a Whiskey & Wealth Club cooperou com a divisão de cumprimento da lei e forneceu registros e informações relevantes sobre sua empresa para a divisão de cumprimento da lei.

Ele acrescentou: "A parte demandada (Whiskey & Wealth Club) estabeleceu determinadas defesas, incluindo a de que não ofereceu ou vendeu títulos, não atuou como revendedora e não se envolveu em violações intencionais da Lei de Valores Mobiliários. De acordo com essas defesas, a parte demandada enviou informações suficientes para concluir que um indeferimento da ordem emergencial está garantido."

Ao discursar após o indeferimento histórico, Scott Sciberras, cofundador e CEO da Whiskey & Wealth Club, disse que foi atingido pela severidade do conflito dos Estados Unidos entre justiça e julgamento pela imprensa, dizendo que as políticas e procedimentos empregados pelo State Board podem ter consequências financeiras e de reputação significativas para qualquer empresa.

"Acreditamos que a prática dos EUA de emitir um comunicado de imprensa prejudicial no mesmo dia de uma ordem judicial, sem ver ou ouvir nenhuma prova, chegando até a acusar uma empresa de fraude - e retirar todas estas alegações oito meses depois, pode ter um impacto desastroso na maioria das empresas. Este tipo de estratégia de relações jurídicas e públicas é inédita na Irlanda, no Reino Unido ou em países da Commonwealth.

"Felizmente para nós, conseguimos enfrentar esta tempestade graças a nossa base de clientes incrivelmente fiel e a nossos novos clientes, que puderam ver além das declarações e alegações feitas pelo Texas State Securities Board."

Sciberras acrescentou: "Trabalhamos em estreita colaboração com o Conselho de Valores Mobiliários para informá-los sobre o processo de compra e venda de uísque em barril por atacado e sobre a forma como nosso modelo de negócios funciona, e continuaremos a trabalhar com eles no futuro."

A popularidade do investimento em uísques aumentou nos últimos anos, parcialmente impulsionada pela popularidade do uísque irlandês mestre original, que teve um aumento de 140% nas vendas durante a última década. Os barris de uísque são considerados como "ativos residuais" e não estão sujeitos a impostos sobre ganho de capital (CGT).

Para mais informações, acesse:

https://whiskeywealthclub.com/whiskey-wealth-club-fraud-case-dismissed-landmark-decision-in-united-states/

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1855393/Whiskey_Wealth_Club_Logo.jpg

 

FONTE Whiskey & Wealth Club

Você acabou de ler:

CASO ENCERRADO: WHISKEY & WEALTH CLUB GANHA DECISÃO MARCANTE EM REVIRAVOLTA DA LEI DE VALORES MOBILIÁRIOS DOS ESTADOS UNIDOS

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/caso-encerrado-whiskey-wealth-club-ganha-decisao-marcante-em-reviravolta-da-lei-de-valores-mobiliarios-dos-estados-unidos/