CGTN: 98,99 milhões de pessoas estão livres da miséria: como a China zerou a pobreza extrema dez anos antes do previsto?

PEQUIM, 25 de fevereiro de 2021 /PRNewswire/ -- Na quinta-feira, a China declarou "vitória completa" em sua batalha contra a pobreza extrema, com 98,99 milhões de cidadãos empobrecidos rurais acima de uma linha de pobreza definida pelo governo com base na renda anual per capita. Essa é uma indicação fundamental de que o país conseguiu conduzir uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos dentro do previsto.

Isso está acontecendo 10 anos antes do plano previsto pelo país mais populoso do mundo como seu objetivo para a Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, de acordo com o presidente chinês Xi Jinping. A conquista foi realizada no mesmo ano em que o Partido Comunista da China (PCC) comemora o centenário desde a sua fundação.

"Esta é a grande glória para o povo chinês, o PCC e a nossa nação!" Em uma reunião para marcar as conquistas do país na erradicação da pobreza extrema e elogiar os modelos nessa causa, o presidente Xi saudou a conquista como "um milagre na terra que deveria ser registrado na história".

O evento foi realizado no Grande Salão do Povo na capital Pequim na manhã de quinta-feira.

A modernização leva tempo, é um trabalho árduo

O começo não foi fácil.

Quando tinha 30 anos, Xi foi enviado para trabalhar nos programas de combate à pobreza em grande escala no início dos anos 80 como funcionário de nível de base no condado de Zhengding, província de Hebei no norte do país. Lá ele iniciou seus experimentos reformistas: contratos rurais. Posteriormente, ele se tornou secretário do Comitê do Partido da prefeitura de Ningde, província de Fujian à sudeste. 

"Sempre senti uma sensação de inquietação", lembrou Xi em seu livro, "Up and Out of Poverty". "A redução da pobreza é um imenso empreendimento que requer os esforços de várias gerações."

Nas próximas duas décadas, ele trouxe o seu sonho de redução da pobreza para o centro da vida política da China.

"A reforma de Xi deriva de sua experiência", disse Shi Zhihong, antigo diretor adjunto do Departamento de Pesquisa de Políticas do Comitê Central do PCC. "Ele sabia que os caminhos antigos e rígidos não levariam a lugar nenhum, e a reforma era uma obrigação."

Desde 2012, o presidente chinês tem viajado profusamente para as comunidades empobrecidas, mais de 50 vezes, e aprendeu como é a vida das pessoas.

Medidas personalizadas com base em situações práticas

A precisão era chave para o sucesso da China. A estratégia de redução direcionada da pobreza foi apresentada por Xi no final de 2013, que comparou a adoção de abordagens indiscriminadas com "matar pulgas com uma granada manual."

Xi o chamou de "o caminho da erradicação da pobreza com características chinesas" em seu discurso de quinta-feira. De casa em casa, as perguntas eram quem precisa exatamente de ajuda, quem deve ajudar, como a ajuda deve ser realizada e quais normas e procedimentos devem ser adotados para sair da pobreza.

Para dar mais um passo adiante, o governo central também enviou milhões de funcionários da cidade para a linha de frente — indo para as bases mais pobres e trabalhando com indivíduos em circunstâncias físicas difíceis.

"Então, novamente, como a China pode erradicar a pobreza absoluta? É por causa da filosofia do partido governante, o objetivo de prosperidade comum", disse Zheng Yongnian, reitor do Instituto Avançado de Estudos Globais e Contemporâneos da China da Universidade Chinesa de Hong Kong, Shenzhen, para a CGTN.

A infraestrutura rural, a educação e a saúde melhoraram. Dados oficiais mostram que mais de 9,6 milhões de pessoas deixaram as suas pequenas casas de tijolo que levantavam preocupações de segurança. Alguns hospitais rurais fizeram parceria com seus parceiros metropolitanos para oferecer serviços médicos de alta qualidade aos residentes rurais.

"A pobreza induzida por doença é um dos problemas mais difíceis nas áreas rurais", disse Hu Yi, chefe do hospital público no condado de Zhenxiong na província de Yunnan. "Agora eles não precisam viajar para longe para serem tratados, nem mesmo no caso de doenças graves."

Revitalização rural: consolidando as conquistas

Pequim agora visa mais do que consolidar seus resultados já alcançados. Metas foram estabelecidas para alcançar a modernização básica das áreas agrícolas e rurais até 2035 e para o grande objetivo de possuir uma indústria agrícola forte, belas fazendas rurais e agricultores bem sucedidos até 2050.

Um tema foi focado: a vitalização rural. 

"Para acelerar a formação de um novo padrão de desenvolvimento de "dupla circulação" em que os mercados interno e externo se reforçam mutuamente, com o mercado interno como esteio, é imperativo para a agricultura que as áreas rurais e os agricultores desempenhem um papel estabilizador e de apoio na manutenção do desenvolvimento econômico e social da China," disse Li Guoxiang, pesquisador membro do Instituto de Desenvolvimento Rural da Academia Chinesa de Ciências Sociais, em uma matéria de opinião da CGTN.

Para as aldeias nas quais os produtos agrícolas são vendidos exclusivamente dentro de suas proximidades, agora seus mercados estão amplos graças ao rápido desenvolvimento de serviços de comércio eletrônico. 

Luo Huimin, natural do condado de Wannian da província de Jiangxi, analisou as demandas de produtos agrícolas nas cidades e otimizou o fornecimento de produtos agrícolas. Ele agora abre lojas em cadeia que entregam produtos agrícolas e óleo para residentes em todo o país – de Nanchang, capital provincial de Jiangxi, por todo o caminho até a província de Guangdong no sul. 

Com mais de 90 funcionários – todos da cidade natal de Luo – cada um deles recebe até 15.000 Yuans (US$ 2.172) todos os meses.

De acordo com uma pesquisa realizada entre 3.378 trabalhadores migrantes realizados no início de 2019, mais de 60% dos entrevistados disseram que acreditam que a melhora dos recursos públicos como saúde, educação e infraestrutura pode convencê-los a permanecer no campo ou retornar das áreas costeiras.

As dificuldades na revitalização rural são equivalentes à erradicação da pobreza extrema, disse Xi no discurso de quinta-feira. "Mas manteremos o ritmo de trabalho árduo e continuaremos a avançar!"

Artigo original: aqui.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=RYyX_i13bl8

FONTE CGTN

PEQUIM, 25 de fevereiro de 2021 /PRNewswire/ -- Na quinta-feira, a China declarou "vitória completa" em sua batalha contra a pobreza extrema, com 98,99 milhões de cidadãos empobrecidos rurais acima de uma linha de pobreza definida pelo governo com base na renda anual per capita. Essa é uma indicação fundamental de que o país conseguiu conduzir uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos dentro do previsto.

Isso está acontecendo 10 anos antes do plano previsto pelo país mais populoso do mundo como seu objetivo para a Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, de acordo com o presidente chinês Xi Jinping. A conquista foi realizada no mesmo ano em que o Partido Comunista da China (PCC) comemora o centenário desde a sua fundação.

"Esta é a grande glória para o povo chinês, o PCC e a nossa nação!" Em uma reunião para marcar as conquistas do país na erradicação da pobreza extrema e elogiar os modelos nessa causa, o presidente Xi saudou a conquista como "um milagre na terra que deveria ser registrado na história".

O evento foi realizado no Grande Salão do Povo na capital Pequim na manhã de quinta-feira.

A modernização leva tempo, é um trabalho árduo

O começo não foi fácil.

Quando tinha 30 anos, Xi foi enviado para trabalhar nos programas de combate à pobreza em grande escala no início dos anos 80 como funcionário de nível de base no condado de Zhengding, província de Hebei no norte do país. Lá ele iniciou seus experimentos reformistas: contratos rurais. Posteriormente, ele se tornou secretário do Comitê do Partido da prefeitura de Ningde, província de Fujian à sudeste. 

"Sempre senti uma sensação de inquietação", lembrou Xi em seu livro, "Up and Out of Poverty". "A redução da pobreza é um imenso empreendimento que requer os esforços de várias gerações."

Nas próximas duas décadas, ele trouxe o seu sonho de redução da pobreza para o centro da vida política da China.

"A reforma de Xi deriva de sua experiência", disse Shi Zhihong, antigo diretor adjunto do Departamento de Pesquisa de Políticas do Comitê Central do PCC. "Ele sabia que os caminhos antigos e rígidos não levariam a lugar nenhum, e a reforma era uma obrigação."

Desde 2012, o presidente chinês tem viajado profusamente para as comunidades empobrecidas, mais de 50 vezes, e aprendeu como é a vida das pessoas.

Medidas personalizadas com base em situações práticas

A precisão era chave para o sucesso da China. A estratégia de redução direcionada da pobreza foi apresentada por Xi no final de 2013, que comparou a adoção de abordagens indiscriminadas com "matar pulgas com uma granada manual."

Xi o chamou de "o caminho da erradicação da pobreza com características chinesas" em seu discurso de quinta-feira. De casa em casa, as perguntas eram quem precisa exatamente de ajuda, quem deve ajudar, como a ajuda deve ser realizada e quais normas e procedimentos devem ser adotados para sair da pobreza.

Para dar mais um passo adiante, o governo central também enviou milhões de funcionários da cidade para a linha de frente — indo para as bases mais pobres e trabalhando com indivíduos em circunstâncias físicas difíceis.

"Então, novamente, como a China pode erradicar a pobreza absoluta? É por causa da filosofia do partido governante, o objetivo de prosperidade comum", disse Zheng Yongnian, reitor do Instituto Avançado de Estudos Globais e Contemporâneos da China da Universidade Chinesa de Hong Kong, Shenzhen, para a CGTN.

A infraestrutura rural, a educação e a saúde melhoraram. Dados oficiais mostram que mais de 9,6 milhões de pessoas deixaram as suas pequenas casas de tijolo que levantavam preocupações de segurança. Alguns hospitais rurais fizeram parceria com seus parceiros metropolitanos para oferecer serviços médicos de alta qualidade aos residentes rurais.

"A pobreza induzida por doença é um dos problemas mais difíceis nas áreas rurais", disse Hu Yi, chefe do hospital público no condado de Zhenxiong na província de Yunnan. "Agora eles não precisam viajar para longe para serem tratados, nem mesmo no caso de doenças graves."

Revitalização rural: consolidando as conquistas

Pequim agora visa mais do que consolidar seus resultados já alcançados. Metas foram estabelecidas para alcançar a modernização básica das áreas agrícolas e rurais até 2035 e para o grande objetivo de possuir uma indústria agrícola forte, belas fazendas rurais e agricultores bem sucedidos até 2050.

Um tema foi focado: a vitalização rural. 

"Para acelerar a formação de um novo padrão de desenvolvimento de "dupla circulação" em que os mercados interno e externo se reforçam mutuamente, com o mercado interno como esteio, é imperativo para a agricultura que as áreas rurais e os agricultores desempenhem um papel estabilizador e de apoio na manutenção do desenvolvimento econômico e social da China," disse Li Guoxiang, pesquisador membro do Instituto de Desenvolvimento Rural da Academia Chinesa de Ciências Sociais, em uma matéria de opinião da CGTN.

Para as aldeias nas quais os produtos agrícolas são vendidos exclusivamente dentro de suas proximidades, agora seus mercados estão amplos graças ao rápido desenvolvimento de serviços de comércio eletrônico. 

Luo Huimin, natural do condado de Wannian da província de Jiangxi, analisou as demandas de produtos agrícolas nas cidades e otimizou o fornecimento de produtos agrícolas. Ele agora abre lojas em cadeia que entregam produtos agrícolas e óleo para residentes em todo o país – de Nanchang, capital provincial de Jiangxi, por todo o caminho até a província de Guangdong no sul. 

Com mais de 90 funcionários – todos da cidade natal de Luo – cada um deles recebe até 15.000 Yuans (US$ 2.172) todos os meses.

De acordo com uma pesquisa realizada entre 3.378 trabalhadores migrantes realizados no início de 2019, mais de 60% dos entrevistados disseram que acreditam que a melhora dos recursos públicos como saúde, educação e infraestrutura pode convencê-los a permanecer no campo ou retornar das áreas costeiras.

As dificuldades na revitalização rural são equivalentes à erradicação da pobreza extrema, disse Xi no discurso de quinta-feira. "Mas manteremos o ritmo de trabalho árduo e continuaremos a avançar!"

Artigo original: aqui.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=RYyX_i13bl8

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: 98,99 milhões de pessoas estão livres da miséria: como a China zerou a pobreza extrema dez anos antes do previsto?

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-9899-milhoes-de-pessoas-estao-livres-da-miseria-como-a-china-zerou-a-pobreza-extrema-dez-anos-antes-do-previsto/