CGTN: a guerra nas sombras: os desafios do combate ao terrorismo em Xinjiang

PEQUIM, 5 de abril de 2021 /PRNewswire/ -- Xinjiang, no extremo oeste da China, abrigou uma das primeiras e mais importantes rotas comerciais do mundo, conhecida como a Rota da Seda, que ligou a antiga civilização chinesa ao Ocidente pelo continente eurasiático.

Entretanto, a terra da fortuna, nem sempre teve tranquilidade. Milhares de ataques terroristas de 1990 a 2016 mataram muitos inocentes e centenas de policiais. Esfaqueamentos e bombardeios terríveis arruinaram a região, deixando seu povo em choque, sofrimento e pânico. Os danos foram incalculáveis à medida que a estabilidade na região se deteriorava rapidamente. As autoridades têm se esforçado para restaurar a paz nessa área.

Nos três primeiros documentários da CGTN sobre o combate ao terrorismo em Xinjiang, apresentamos imagens inéditas que documentam as tragédias assustadoras na região e a resiliência de seu povo.

O quarto programa, "A guerra nas sombras: os desafios do combate ao terrorismo em Xinjiang", e último da tetralogia, mostra o pensamento extremista e os desafios enfrentados pela China para resolver o terrorismo dentro e fora de Xinjiang.

O programa dá respostas a essas perguntas: por que o terrorismo violento continua a assolar Xinjiang? Em relação àqueles que já foram conhecidos como "duas-caras" entre as elites jurídicas e políticas em Xinjiang, quantos danos eles causaram aos esforços antiterrorismo na região? Como é possível que materiais didáticos venenosos alegando vitimização étnica e "heróis de língua turca" venham sendo usados há 13 anos nas escolas de ensino fundamental e médio? Por que devemos deter a mão invisível da defesa estrangeira que incentiva o terrorismo violento que se infiltrou na China?

O documentário revela os métodos utilizados pelas forças extremistas e separatistas que incluem os "duas-caras" entre os oficiais de alto escalão da região, bem como a maneira como a música e os vídeos que incentivam o terrorismo violento e incitam o ódio étnico penetraram na região. Além disso, também narra as dificuldades em que os policiais estão imersos há décadas.

Nos últimos quatro anos, a violência foi amplamente contida, dando lugar à rápida urbanização e crescimento econômico. Segurança e tranquilidade nunca chegam facilmente. Mas é apenas uma vitória inicial no combate ao terrorismo na China.

O documentário tem 55 minutos de duração e é composto por quatro partes: "A rede", "Inimigos de dentro", "Os livros didáticos" e "As mãos negras".

Abaixo, apresentamos os três primeiros documentários, cada um com menos de uma hora de duração.

Assista:  Combatendo o terrorismo em Xinjiang 

Assista:  A mão negra — ETIM e o terrorismo em Xinjiang 

Assista:  Tianshan: Ainda de pé – Lembranças do combate ao terrorismo em Xinjiang 

https://news.cgtn.com/news/2021-04-02/The-war-in-the-shadows-Challenges-of-fighting-terrorism-in-Xinjiang-Z7AhMWRPy0/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=pqlzunwilGM

FONTE CGTN

PEQUIM, 5 de abril de 2021 /PRNewswire/ -- Xinjiang, no extremo oeste da China, abrigou uma das primeiras e mais importantes rotas comerciais do mundo, conhecida como a Rota da Seda, que ligou a antiga civilização chinesa ao Ocidente pelo continente eurasiático.

Entretanto, a terra da fortuna, nem sempre teve tranquilidade. Milhares de ataques terroristas de 1990 a 2016 mataram muitos inocentes e centenas de policiais. Esfaqueamentos e bombardeios terríveis arruinaram a região, deixando seu povo em choque, sofrimento e pânico. Os danos foram incalculáveis à medida que a estabilidade na região se deteriorava rapidamente. As autoridades têm se esforçado para restaurar a paz nessa área.

Nos três primeiros documentários da CGTN sobre o combate ao terrorismo em Xinjiang, apresentamos imagens inéditas que documentam as tragédias assustadoras na região e a resiliência de seu povo.

O quarto programa, "A guerra nas sombras: os desafios do combate ao terrorismo em Xinjiang", e último da tetralogia, mostra o pensamento extremista e os desafios enfrentados pela China para resolver o terrorismo dentro e fora de Xinjiang.

O programa dá respostas a essas perguntas: por que o terrorismo violento continua a assolar Xinjiang? Em relação àqueles que já foram conhecidos como "duas-caras" entre as elites jurídicas e políticas em Xinjiang, quantos danos eles causaram aos esforços antiterrorismo na região? Como é possível que materiais didáticos venenosos alegando vitimização étnica e "heróis de língua turca" venham sendo usados há 13 anos nas escolas de ensino fundamental e médio? Por que devemos deter a mão invisível da defesa estrangeira que incentiva o terrorismo violento que se infiltrou na China?

O documentário revela os métodos utilizados pelas forças extremistas e separatistas que incluem os "duas-caras" entre os oficiais de alto escalão da região, bem como a maneira como a música e os vídeos que incentivam o terrorismo violento e incitam o ódio étnico penetraram na região. Além disso, também narra as dificuldades em que os policiais estão imersos há décadas.

Nos últimos quatro anos, a violência foi amplamente contida, dando lugar à rápida urbanização e crescimento econômico. Segurança e tranquilidade nunca chegam facilmente. Mas é apenas uma vitória inicial no combate ao terrorismo na China.

O documentário tem 55 minutos de duração e é composto por quatro partes: "A rede", "Inimigos de dentro", "Os livros didáticos" e "As mãos negras".

Abaixo, apresentamos os três primeiros documentários, cada um com menos de uma hora de duração.

Assista:  Combatendo o terrorismo em Xinjiang 

Assista:  A mão negra — ETIM e o terrorismo em Xinjiang 

Assista:  Tianshan: Ainda de pé – Lembranças do combate ao terrorismo em Xinjiang 

https://news.cgtn.com/news/2021-04-02/The-war-in-the-shadows-Challenges-of-fighting-terrorism-in-Xinjiang-Z7AhMWRPy0/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=pqlzunwilGM

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: a guerra nas sombras: os desafios do combate ao terrorismo em Xinjiang

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-a-guerra-nas-sombras-os-desafios-do-combate-ao-terrorismo-em-xinjiang/