CGTN: China comemora 70 anos da Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia, e clama pela paz mundial

PEQUIM, 23 de outubro de 2020 /PRNewswire/ -- A China realizou na sexta-feira um evento para comemorar o 70º aniversário do ingresso do exército de Voluntários do Povo Chinês (Chinese People's Volunteers, CPV) na República Popular Democrática da Coreia (Democratic People's Republic of Korea, RPDC) na Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia (1950-1953).

O presidente chinês Xi Jinping, que também é secretário geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (Communist Party of China, CPC) e presidente da Comissão Militar Central (Central Military Commission, CMC), proferiu um discurso no evento, conclamando a nação a recordar a história, a transmitir o espírito do CPV e a difundir o socialismo com novas características.

Leia o artigo original aqui

Recordando a guerra

Ao discursar no evento, o presidente chinês ressaltou que a grande vitória da Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia ficará para sempre gravada na história da nação chinesa e na história da paz, do desenvolvimento e do progresso da humanidade.

Xi saudou o significado histórico da Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia, destacando que a "grande guerra" desafiou a invasão e expansão do imperialismo e resguardou a segurança da Nova China.

A guerra também resguardou a vida pacífica do povo chinês, estabilizou a condição na Península Coreana e preservou a paz na Ásia e no mundo, afirmou ele.

Oito meses após a fundação da República Popular da China, a Guerra da Coreia foi desencadeada em junho de 1950. As chamas da guerra logo chegaram ao rio Yalu, o rio da fronteira China-RPDC e provocaram danos em Dandong, na província de Liaoning, no nordeste da China, com edifícios bombardeados e civis mortos por ataques aéreos norte-americanos.

Era uma época em que as forças armadas da nova China eram mal equipadas, desprovidas de forças aéreas e da marinha com capacidade de combate. Entretanto, a pedido da RPDC, o exército de voluntários do povo chinês (CPV) ingressou na Península Coreana em outubro de 1950 para ajudar a RPDC até que uma trégua foi alcançada em 1953.

O Presidente Xi afirmou que a vitória é uma constatação de que os chineses se mantiveram firmes no Oriente, e acrescentou que a vitória lançou as bases para o reconhecimento da Nova China nos assuntos asiáticos e internacionais.

Transmitir o espírito do CPV

Ao todo, 2,9 milhões de soldados do CPV ingressaram no campo de batalha durante dois anos e nove meses. E mais de 197.000 deles sacrificaram suas vidas durante a guerra.

Xi enalteceu o grande patriotismo demonstrado pelo CPV em sua luta contra um poderoso inimigo, instigando o povo chinês a levar adiante o espírito na nova era e se empenhando para alcançar o rejuvenescimento nacional.

Xi ressaltou que o exército CPV demonstrou seu patriotismo, heroísmo, otimismo, devoção à sua missão e também um espírito que luta pela paz mundial e justiça na guerra. Tudo isso deve ser transmitido de geração em geração, destacou ele.

O presidente chinês acrescentou que a resistência forjada durante a guerra irá inspirar o povo chinês e toda a nação a desafiar a hegemonia, a se unir e a impulsionar a capacidade de luta com determinação para superar todos os desafios e dificuldades em seu caminho.

Resguardar a paz mundial

Ao comemorar a guerra, a China não pretende perpetuar nenhum ódio. Ao contrário, é o momento de extrair coragem da história para enfrentar com bravura os novos desafios de hoje e promover ainda mais a paz e o desenvolvimento mundial.

Em seu discurso, Xi enfatizou que a vitória da guerra mostrou que a justiça seguramente prevalecerá sobre o poder, e que o desenvolvimento pacífico é uma tendência histórica irreversível.

Ele insistiu nos esforços para resguardar a paz e a justiça mundial, afirmando que a China, como grande país responsável, está preparada para trabalhar com o povo mundial na criação de uma comunidade com um futuro conjunto para a humanidade.

A China reiterou que busca uma política de defesa nacional de caráter defensivo. O Presidente Xi também destacou que os militares da China serão sempre uma sólida força que garante a paz mundial.

Xi também afirmou que o povo chinês preza a paz, mas nunca cederá diante de ameaças ou será subjugado pela repressão.

"A China jamais busca hegemonia ou expansão e se opõe firmemente ao hegemonismo e à política de poder", enfatizou ele, acrescentando que a China jamais permitirá que seus interesses de soberania nacional, segurança e desenvolvimento sejam lesados.

O povo chinês está firme e confiante diante da perspectiva brilhante do rejuvenescimento nacional, ressaltou Xi.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=8inY3lyNXLA

FONTE CGTN

PEQUIM, 23 de outubro de 2020 /PRNewswire/ -- A China realizou na sexta-feira um evento para comemorar o 70º aniversário do ingresso do exército de Voluntários do Povo Chinês (Chinese People's Volunteers, CPV) na República Popular Democrática da Coreia (Democratic People's Republic of Korea, RPDC) na Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia (1950-1953).

O presidente chinês Xi Jinping, que também é secretário geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (Communist Party of China, CPC) e presidente da Comissão Militar Central (Central Military Commission, CMC), proferiu um discurso no evento, conclamando a nação a recordar a história, a transmitir o espírito do CPV e a difundir o socialismo com novas características.

Leia o artigo original aqui

Recordando a guerra

Ao discursar no evento, o presidente chinês ressaltou que a grande vitória da Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia ficará para sempre gravada na história da nação chinesa e na história da paz, do desenvolvimento e do progresso da humanidade.

Xi saudou o significado histórico da Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia, destacando que a "grande guerra" desafiou a invasão e expansão do imperialismo e resguardou a segurança da Nova China.

A guerra também resguardou a vida pacífica do povo chinês, estabilizou a condição na Península Coreana e preservou a paz na Ásia e no mundo, afirmou ele.

Oito meses após a fundação da República Popular da China, a Guerra da Coreia foi desencadeada em junho de 1950. As chamas da guerra logo chegaram ao rio Yalu, o rio da fronteira China-RPDC e provocaram danos em Dandong, na província de Liaoning, no nordeste da China, com edifícios bombardeados e civis mortos por ataques aéreos norte-americanos.

Era uma época em que as forças armadas da nova China eram mal equipadas, desprovidas de forças aéreas e da marinha com capacidade de combate. Entretanto, a pedido da RPDC, o exército de voluntários do povo chinês (CPV) ingressou na Península Coreana em outubro de 1950 para ajudar a RPDC até que uma trégua foi alcançada em 1953.

O Presidente Xi afirmou que a vitória é uma constatação de que os chineses se mantiveram firmes no Oriente, e acrescentou que a vitória lançou as bases para o reconhecimento da Nova China nos assuntos asiáticos e internacionais.

Transmitir o espírito do CPV

Ao todo, 2,9 milhões de soldados do CPV ingressaram no campo de batalha durante dois anos e nove meses. E mais de 197.000 deles sacrificaram suas vidas durante a guerra.

Xi enalteceu o grande patriotismo demonstrado pelo CPV em sua luta contra um poderoso inimigo, instigando o povo chinês a levar adiante o espírito na nova era e se empenhando para alcançar o rejuvenescimento nacional.

Xi ressaltou que o exército CPV demonstrou seu patriotismo, heroísmo, otimismo, devoção à sua missão e também um espírito que luta pela paz mundial e justiça na guerra. Tudo isso deve ser transmitido de geração em geração, destacou ele.

O presidente chinês acrescentou que a resistência forjada durante a guerra irá inspirar o povo chinês e toda a nação a desafiar a hegemonia, a se unir e a impulsionar a capacidade de luta com determinação para superar todos os desafios e dificuldades em seu caminho.

Resguardar a paz mundial

Ao comemorar a guerra, a China não pretende perpetuar nenhum ódio. Ao contrário, é o momento de extrair coragem da história para enfrentar com bravura os novos desafios de hoje e promover ainda mais a paz e o desenvolvimento mundial.

Em seu discurso, Xi enfatizou que a vitória da guerra mostrou que a justiça seguramente prevalecerá sobre o poder, e que o desenvolvimento pacífico é uma tendência histórica irreversível.

Ele insistiu nos esforços para resguardar a paz e a justiça mundial, afirmando que a China, como grande país responsável, está preparada para trabalhar com o povo mundial na criação de uma comunidade com um futuro conjunto para a humanidade.

A China reiterou que busca uma política de defesa nacional de caráter defensivo. O Presidente Xi também destacou que os militares da China serão sempre uma sólida força que garante a paz mundial.

Xi também afirmou que o povo chinês preza a paz, mas nunca cederá diante de ameaças ou será subjugado pela repressão.

"A China jamais busca hegemonia ou expansão e se opõe firmemente ao hegemonismo e à política de poder", enfatizou ele, acrescentando que a China jamais permitirá que seus interesses de soberania nacional, segurança e desenvolvimento sejam lesados.

O povo chinês está firme e confiante diante da perspectiva brilhante do rejuvenescimento nacional, ressaltou Xi.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=8inY3lyNXLA

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China comemora 70 anos da Guerra de Resistência Contra a Agressão dos EUA e Ajuda à Coreia, e clama pela paz mundial

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-comemora-70-anos-da-guerra-de-resistencia-contra-a-agressao-dos-eua-e-ajuda-a-coreia-e-clama-pela-paz-mundial/