CGTN: China descreve a proposta de quatro pontos sobre a luta global contra a corrupção

PEQUIM, 4 de junho de 2021 /PRNewswire/-- A China fez uma proposta de quatro pontos sobre cooperação internacional contra a corrupção na quarta-feira, exigindo uma atitude de tolerância zero em relação à corrupção e respeito às diferenças entre países.

Zhao Leji, membro do Comitê Permanente do Departamento Político do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e Secretário da Comissão Central de inspeção disciplinar do PCC (CCDI), fez as observações durante uma sessão especial da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre desafios e medidas para prevenir e combater a corrupção e fortalecer a cooperação internacional.

"A China é uma participante ativa na, e contribui para, a governança global anticorrupção", disse Zhao. O país contribuiu para a adoção da declaração de Pequim sobre o combate à corrupção pela APEC e os princípios de alto nível em cooperação às pessoas procuradas por corrupção e recuperação de ativos pelo G20, e propôs a iniciativa de Pequim para a Clean Silk Road aprofundar a cooperação rodoviária e do cinturão, observou ele.

Descrevendo a proposta da China sobre a cooperação global anticorrupção, ele pediu esforços extensos para defender a justiça e a equidade.

"A comunidade internacional precisa forjar um amplo consenso político, adotar uma atitude de tolerância zero em relação à corrupção, construir instituições de lacuna zero, realizar cooperação de barreira zero e prosseguir com a cooperação em pessoas procuradas por corrupção e recuperação de ativos e em suborno de negócios estrangeiros", disse ele.

Enquanto isso, os países devem respeitar as diferenças entre eles e promover a igualdade e o aprendizado mútuo, enfatizou.

"Precisamos respeitar a soberania e os sistemas políticos e legais de cada país, respeitar seu direito de escolher suas próprias formas de combater a corrupção e promover uma parceria internacional para a cooperação anticorrupção baseada na igualdade, respeito às diferenças, intercâmbios e aprendizado mútuo e progresso comum."

O chefe anticorrupção da China convocou a comunidade internacional para "buscar a cooperação mutuamente benéfica por meio de extensa consulta e contribuição conjunta".

Ele também insistiu aos países de todo o mundo para "honrar os compromissos e colocar a ação em primeiro lugar". Signatários da Convenção da ONU contra a corrupção devem "honrar seu compromisso solene de combater a corrupção juntos."

A "vitória devastadora" da China contra a corrupção

Zhao analisou o impulso anticorrupção da China, ressaltando que o PCC e o Governo chinês "se mantêm inegavelmente contra a corrupção".

"Adotamos uma abordagem holística para abordar os sintomas e as causas raízes da corrupção, e combinamos punição baseada na lei, verificações institucionais e orientação para tornar nossa governança anticorrupção mais efetiva", disse ele.

Em 2020, agências de supervisão e comissões de inspeções disciplinares em todo o país investigaram cerca de 618.000 casos de corrupção, levando à punição de 604.000 pessoas, de acordo com um alto funcionário anticorrupção da China. Um total de 1.421 fugitivos foram trazidos de volta para a China no ano passado, segundo o relatório da CCDI.

Com "medidas multifacetadas" para lidar com todos os atos de corrupção, a China garantiu e consolidou uma "vitória arrasadora" na luta, disse Zhao.

De acordo com uma pesquisa recente do departamento nacional de estatísticas da China, 95,8% do povo chinês estão satisfeitos com os esforços anticorrupção do país, observou ele.

"Não podemos permitir que a corrupção continue"

A Assembleia Geral da ONU convocou sua primeira sessão especial para combater a corrupção na quarta-feira. A sessão especial terminará na sexta-feira.

Abordando a sessão especial, Volkan Bozkir, presidente da 75ª sessão da Assembleia Geral da ONU, disse quarta-feira que os efeitos da corrupção são "prejudiciais para toda a sociedade" e que não deve ser permitido continuar sem controle.

"O crime financeiro transnacional e a corrupção são infelizmente comuns em nosso mundo interconectado e interdependente", disse Bozkir, acrescentando que a corrupção afeta os processos de tomada de decisão e "continua sendo um dos desafios mais críticos para Estados, instituições e comunidades."

"Não podemos permitir que a corrupção continue. Não vamos permitir", enfatizou.

https://news.cgtn.com/news/2021-06-03/China-outlines-four-point-proposal-on-global-fight-against-corruption-10MJFoSPSog/index.html

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 4 de junho de 2021 /PRNewswire/-- A China fez uma proposta de quatro pontos sobre cooperação internacional contra a corrupção na quarta-feira, exigindo uma atitude de tolerância zero em relação à corrupção e respeito às diferenças entre países.

Zhao Leji, membro do Comitê Permanente do Departamento Político do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e Secretário da Comissão Central de inspeção disciplinar do PCC (CCDI), fez as observações durante uma sessão especial da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre desafios e medidas para prevenir e combater a corrupção e fortalecer a cooperação internacional.

"A China é uma participante ativa na, e contribui para, a governança global anticorrupção", disse Zhao. O país contribuiu para a adoção da declaração de Pequim sobre o combate à corrupção pela APEC e os princípios de alto nível em cooperação às pessoas procuradas por corrupção e recuperação de ativos pelo G20, e propôs a iniciativa de Pequim para a Clean Silk Road aprofundar a cooperação rodoviária e do cinturão, observou ele.

Descrevendo a proposta da China sobre a cooperação global anticorrupção, ele pediu esforços extensos para defender a justiça e a equidade.

"A comunidade internacional precisa forjar um amplo consenso político, adotar uma atitude de tolerância zero em relação à corrupção, construir instituições de lacuna zero, realizar cooperação de barreira zero e prosseguir com a cooperação em pessoas procuradas por corrupção e recuperação de ativos e em suborno de negócios estrangeiros", disse ele.

Enquanto isso, os países devem respeitar as diferenças entre eles e promover a igualdade e o aprendizado mútuo, enfatizou.

"Precisamos respeitar a soberania e os sistemas políticos e legais de cada país, respeitar seu direito de escolher suas próprias formas de combater a corrupção e promover uma parceria internacional para a cooperação anticorrupção baseada na igualdade, respeito às diferenças, intercâmbios e aprendizado mútuo e progresso comum."

O chefe anticorrupção da China convocou a comunidade internacional para "buscar a cooperação mutuamente benéfica por meio de extensa consulta e contribuição conjunta".

Ele também insistiu aos países de todo o mundo para "honrar os compromissos e colocar a ação em primeiro lugar". Signatários da Convenção da ONU contra a corrupção devem "honrar seu compromisso solene de combater a corrupção juntos."

A "vitória devastadora" da China contra a corrupção

Zhao analisou o impulso anticorrupção da China, ressaltando que o PCC e o Governo chinês "se mantêm inegavelmente contra a corrupção".

"Adotamos uma abordagem holística para abordar os sintomas e as causas raízes da corrupção, e combinamos punição baseada na lei, verificações institucionais e orientação para tornar nossa governança anticorrupção mais efetiva", disse ele.

Em 2020, agências de supervisão e comissões de inspeções disciplinares em todo o país investigaram cerca de 618.000 casos de corrupção, levando à punição de 604.000 pessoas, de acordo com um alto funcionário anticorrupção da China. Um total de 1.421 fugitivos foram trazidos de volta para a China no ano passado, segundo o relatório da CCDI.

Com "medidas multifacetadas" para lidar com todos os atos de corrupção, a China garantiu e consolidou uma "vitória arrasadora" na luta, disse Zhao.

De acordo com uma pesquisa recente do departamento nacional de estatísticas da China, 95,8% do povo chinês estão satisfeitos com os esforços anticorrupção do país, observou ele.

"Não podemos permitir que a corrupção continue"

A Assembleia Geral da ONU convocou sua primeira sessão especial para combater a corrupção na quarta-feira. A sessão especial terminará na sexta-feira.

Abordando a sessão especial, Volkan Bozkir, presidente da 75ª sessão da Assembleia Geral da ONU, disse quarta-feira que os efeitos da corrupção são "prejudiciais para toda a sociedade" e que não deve ser permitido continuar sem controle.

"O crime financeiro transnacional e a corrupção são infelizmente comuns em nosso mundo interconectado e interdependente", disse Bozkir, acrescentando que a corrupção afeta os processos de tomada de decisão e "continua sendo um dos desafios mais críticos para Estados, instituições e comunidades."

"Não podemos permitir que a corrupção continue. Não vamos permitir", enfatizou.

https://news.cgtn.com/news/2021-06-03/China-outlines-four-point-proposal-on-global-fight-against-corruption-10MJFoSPSog/index.html

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China descreve a proposta de quatro pontos sobre a luta global contra a corrupção

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-descreve-a-proposta-de-quatro-pontos-sobre-a-luta-global-contra-a-corrupcao/