CGTN: China e Indonésia prometem promover uma comunidade com um futuro compartilhado

PEQUIM, 27 de julho de 2022 /PRNewswire/ -- No início deste mês, na ferrovia de alta velocidade de Jacarta-Bandung da Indonésia foi iniciada a colocação de trilhos com lastro na linha principal, marcando um passo sólido deste projeto marcante de Cinturão e Rota (Belt and Road Initiative, BRI) e sinalizando a cooperação pragmática entre a China e a Indonésia.

Com uma velocidade de projeto de 350 quilômetros por hora, a ferrovia construída com tecnologia chinesa reduzirá a viagem entre Jacarta e Bandung, a quarta maior cidade do país, de mais de três horas para cerca de 40 minutos.

Ao se reunir com o presidente indonésio Joko Widodo em Pequim, na terça-feira, o presidente chinês Xi Jinping expressou a esperança de que os principais projetos de cooperação bilateral, como o projeto ferroviário de alta velocidade Jacarta-Bandung, avancem sem problemas. Além disso, Widodo definiu o projeto da ferrovia de alta velocidade como outro marco da amizade bilateral.

Sob a orientação estratégica dos dois chefes de Estado, a China e a Indonésia estabeleceram a direção da construção de uma comunidade China-Indonésia com um futuro compartilhado e estabeleceram um novo padrão de relações bilaterais mediante quatro aspectos ("tração nas quatro rodas"): cooperação política, economia, cultural e marítima.

Xi disse que "a China e a Indonésia estão em estágios de desenvolvimento semelhantes, têm interesses entrelaçados, seguem filosofias e caminhos de desenvolvimento semelhantes e compartilham um futuro intimamente conectado". Para ele, construir uma comunidade China-Indonésia com um futuro compartilhado é a aspiração e expectativa comuns dos dois povos.

Segundo o presidente, as boas relações sino-indonésias não apenas atendem aos interesses compartilhados de longo prazo dos dois países, mas também têm efeitos positivos e de longo alcance regional e globalmente.

Widodo é o primeiro chefe de estado estrangeiro a visitar a China após os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, e a China é a primeira parada da primeira viagem de Widodo ao Leste da Ásia desde a pandemia.

Laços resilientes e vibrantes 

Apesar dos surtos da COVID-19 e das crescentes incertezas, a China e a Indonésia veem um impulso imparável em sua cooperação e estão preparadas para aprofundar ainda mais sua parceria estratégica abrangente.

Conforme mencionado por Xi durante o encontro, a relação bilateral mostrou grande resiliência e vitalidade nos últimos anos. A China continuou sendo a maior parceira comercial da Indonésia em 2021. De acordo com estatísticas alfandegárias chinesas, o volume de comércio entre os dois lados foi avaliado em USD 124,3 bilhões, com uma taxa de crescimento anual de 58,4%.

Os principais projetos de cooperação, incluindo o Projeto Ferroviário de Alta Velocidade Jacarta-Bandung, o programa de Parques Gêmeos dos Dois Países e os Corredores Econômicos Regionais Abrangentes, refletem a conectividade altamente sinergizada entre o BRI e a estratégia nacional da Indonésia. Assim, os projetos de cooperação produzirão resultados com benefícios mútuos para a recuperação econômica do país e de toda a região.

A cooperação no campo de vacinas também se tornou um novo destaque das relações bilaterais entre os dois países, já que a China está apoiando ativamente a Indonésia na construção de um centro de fabricação de vacinas contra a COVID-19. O centro, por sua vez, ajudará a implementação de vacinas no Sudeste Asiático.

Observando que os dois países são um exemplo de grandes países em desenvolvimento que buscam força por meio da união e da cooperação com benefícios mútuos, Xi também disse a Widodo que o lado chinês está disposto a promover mais pontos de crescimento com a Indonésia, como na economia digital e no desenvolvimento verde.

Contribuição asiática na governança global

A partir de junho, vários fóruns econômicos globais ou regionais de alto nível foram programados em países asiáticos, incluindo a China e a Indonésia, inaugurando um momento asiático devido ao seu papel na governança global.

Na terça-feira, o presidente chinês convocou os dois países a se unirem em solidariedade, cumprir as responsabilidades dos principais países em desenvolvimento, seguir o verdadeiro multilateralismo, manter o regionalismo aberto e contribuir com a sabedoria oriental e a contribuição da Ásia para o desenvolvimento da governança global.

Em junho, a China organizou a cúpula Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS). Em novembro, a Indonésia está programada para sediar a cúpula do G20, o Camboja sediará a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e as conferências relacionadas, e na Tailândia será realizada a reunião dos Líderes Econômicos da APEC.

Diante de uma situação internacional turbulenta, a comunidade internacional está esperando que a Ásia, a maior economia continental, que representa aproximadamente 40% do produto interno bruto do mundo (PIB), desempenhe um papel de liderança na promoção da paz, estabilidade e desenvolvimento na região e no mundo em geral.

Enfrentando as mudanças no mundo que estão se desenrolando de formas nunca vistas antes, a China apresentou a Iniciativa de Desenvolvimento Global e a Iniciativa de Segurança Global, que contribuíram para a abordagem da China em promover a construção de um sistema de governança global mais justo e razoável e ganharam amplo apoio e resposta da comunidade internacional, especialmente dos países asiáticos.

Os dois presidentes também trocaram opiniões sobre a crise da Ucrânia. Eles compartilharam a visão de que a comunidade internacional deve criar condições para conversas de paz, desempenhar um papel construtivo na desintensificação da situação na Ucrânia e estabilização da ordem econômica global e trabalhar juntos para manter a paz e estabilidade duramente conquistadas na região.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=geU4OKcY7-E  

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 27 de julho de 2022 /PRNewswire/ -- No início deste mês, na ferrovia de alta velocidade de Jacarta-Bandung da Indonésia foi iniciada a colocação de trilhos com lastro na linha principal, marcando um passo sólido deste projeto marcante de Cinturão e Rota (Belt and Road Initiative, BRI) e sinalizando a cooperação pragmática entre a China e a Indonésia.

Com uma velocidade de projeto de 350 quilômetros por hora, a ferrovia construída com tecnologia chinesa reduzirá a viagem entre Jacarta e Bandung, a quarta maior cidade do país, de mais de três horas para cerca de 40 minutos.

Ao se reunir com o presidente indonésio Joko Widodo em Pequim, na terça-feira, o presidente chinês Xi Jinping expressou a esperança de que os principais projetos de cooperação bilateral, como o projeto ferroviário de alta velocidade Jacarta-Bandung, avancem sem problemas. Além disso, Widodo definiu o projeto da ferrovia de alta velocidade como outro marco da amizade bilateral.

Sob a orientação estratégica dos dois chefes de Estado, a China e a Indonésia estabeleceram a direção da construção de uma comunidade China-Indonésia com um futuro compartilhado e estabeleceram um novo padrão de relações bilaterais mediante quatro aspectos ("tração nas quatro rodas"): cooperação política, economia, cultural e marítima.

Xi disse que "a China e a Indonésia estão em estágios de desenvolvimento semelhantes, têm interesses entrelaçados, seguem filosofias e caminhos de desenvolvimento semelhantes e compartilham um futuro intimamente conectado". Para ele, construir uma comunidade China-Indonésia com um futuro compartilhado é a aspiração e expectativa comuns dos dois povos.

Segundo o presidente, as boas relações sino-indonésias não apenas atendem aos interesses compartilhados de longo prazo dos dois países, mas também têm efeitos positivos e de longo alcance regional e globalmente.

Widodo é o primeiro chefe de estado estrangeiro a visitar a China após os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, e a China é a primeira parada da primeira viagem de Widodo ao Leste da Ásia desde a pandemia.

Laços resilientes e vibrantes 

Apesar dos surtos da COVID-19 e das crescentes incertezas, a China e a Indonésia veem um impulso imparável em sua cooperação e estão preparadas para aprofundar ainda mais sua parceria estratégica abrangente.

Conforme mencionado por Xi durante o encontro, a relação bilateral mostrou grande resiliência e vitalidade nos últimos anos. A China continuou sendo a maior parceira comercial da Indonésia em 2021. De acordo com estatísticas alfandegárias chinesas, o volume de comércio entre os dois lados foi avaliado em USD 124,3 bilhões, com uma taxa de crescimento anual de 58,4%.

Os principais projetos de cooperação, incluindo o Projeto Ferroviário de Alta Velocidade Jacarta-Bandung, o programa de Parques Gêmeos dos Dois Países e os Corredores Econômicos Regionais Abrangentes, refletem a conectividade altamente sinergizada entre o BRI e a estratégia nacional da Indonésia. Assim, os projetos de cooperação produzirão resultados com benefícios mútuos para a recuperação econômica do país e de toda a região.

A cooperação no campo de vacinas também se tornou um novo destaque das relações bilaterais entre os dois países, já que a China está apoiando ativamente a Indonésia na construção de um centro de fabricação de vacinas contra a COVID-19. O centro, por sua vez, ajudará a implementação de vacinas no Sudeste Asiático.

Observando que os dois países são um exemplo de grandes países em desenvolvimento que buscam força por meio da união e da cooperação com benefícios mútuos, Xi também disse a Widodo que o lado chinês está disposto a promover mais pontos de crescimento com a Indonésia, como na economia digital e no desenvolvimento verde.

Contribuição asiática na governança global

A partir de junho, vários fóruns econômicos globais ou regionais de alto nível foram programados em países asiáticos, incluindo a China e a Indonésia, inaugurando um momento asiático devido ao seu papel na governança global.

Na terça-feira, o presidente chinês convocou os dois países a se unirem em solidariedade, cumprir as responsabilidades dos principais países em desenvolvimento, seguir o verdadeiro multilateralismo, manter o regionalismo aberto e contribuir com a sabedoria oriental e a contribuição da Ásia para o desenvolvimento da governança global.

Em junho, a China organizou a cúpula Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS). Em novembro, a Indonésia está programada para sediar a cúpula do G20, o Camboja sediará a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e as conferências relacionadas, e na Tailândia será realizada a reunião dos Líderes Econômicos da APEC.

Diante de uma situação internacional turbulenta, a comunidade internacional está esperando que a Ásia, a maior economia continental, que representa aproximadamente 40% do produto interno bruto do mundo (PIB), desempenhe um papel de liderança na promoção da paz, estabilidade e desenvolvimento na região e no mundo em geral.

Enfrentando as mudanças no mundo que estão se desenrolando de formas nunca vistas antes, a China apresentou a Iniciativa de Desenvolvimento Global e a Iniciativa de Segurança Global, que contribuíram para a abordagem da China em promover a construção de um sistema de governança global mais justo e razoável e ganharam amplo apoio e resposta da comunidade internacional, especialmente dos países asiáticos.

Os dois presidentes também trocaram opiniões sobre a crise da Ucrânia. Eles compartilharam a visão de que a comunidade internacional deve criar condições para conversas de paz, desempenhar um papel construtivo na desintensificação da situação na Ucrânia e estabilização da ordem econômica global e trabalhar juntos para manter a paz e estabilidade duramente conquistadas na região.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=geU4OKcY7-E  

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China e Indonésia prometem promover uma comunidade com um futuro compartilhado

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-e-indonesia-prometem-promover-uma-comunidade-com-um-futuro-compartilhado/