CGTN: China faz novas promessas para ajudar países em desenvolvimento a derrotar a COVID-19

PEQUIM, 21 de maio de 2021 /PRNewswire/ -- A China anunciou na sexta-feira várias novas medidas para ajudar os países em desenvolvimento a enfrentar a pandemia da COVID-19 e seus impactos devastadores, prometendo contribuir com US$ 3 bilhões nos próximos três anos e fornecer mais vacinas.

Discursando na Cúpula Global de Saúde por meio de um link de vídeo, o presidente chinês Xi Jinping conclamou as principais economias do mundo a remediar as deficiências, preencher lacunas e fortalecer os elos fracos na luta contra "a pandemia mais séria em um século".

A cúpula foi co-organizada pela Comissão Europeia e pela Itália, presidente do Grupo dos 20 (G20) este ano.

O número de casos confirmados de COVID-19 em todo o mundo ultrapassou 165 milhões, com mais de 3,4 milhões de mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

"Fechar a lacuna da imunização"

"Há um ano, propus que as vacinas se tornassem um bem público global", disse Xi. "Hoje, o problema da vacinação desigual tornou-se mais grave."

Mais de 1,1 bilhão de doses de vacina contra a COVID-19 foram administradas globalmente, porém mais de 80% delas foram administradas em países de renda alta e média-alta, e apenas 0,3% das inoculações foram realizadas em países de baixa renda, disse o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), no início deste mês.

A China forneceu 300 milhões de doses de vacinas para o mundo; forneceu vacinas gratuitas para mais de 80 países em desenvolvimento com necessidades urgentes e exportou vacinas para 43 países, observou Xi, acrescentando que a China oferecerá mais vacinas de acordo com o melhor de sua capacidade.

A China oferece suporte às empresas de vacinas no que diz respeito à transferência de tecnologias para outros países em desenvolvimento e à realização de produção conjunta com eles, afirmou o presidente.

Reafirmando o apoio da China à renúncia dos direitos de propriedade intelectual sobre as vacinas contra a COVID-19, ele disse que o país "apoia a Organização Mundial do Comércio e outras instituições internacionais na tomada de uma decisão imediata sobre esse assunto."

Ele levantou uma proposta para a criação de fórum internacional sobre cooperação em vacinas para promover a distribuição justa e equitativa de vacinas em todo o mundo.

"Devemos promover a justiça e a equidade à medida que nos esforçamos para preencher a lacuna da imunização", enfatizou Xi. "É essencial que rejeitemos o nacionalismo da vacina e encontremos soluções para questões relacionadas à capacidade de produção e distribuição de vacinas, a fim de torná-las mais acessíveis e a baixo custo nos países em desenvolvimento."

Mais suporte financeiro

A China já disponibilizou US$ 2 bilhões para ajudar nas respostas dos países em desenvolvimento à COVID-19; enviou suprimentos médicos para mais de 150 países e 13 organizações internacionais, oferecendo mais de 280 bilhões de máscaras, 3,4 bilhões de roupas de proteção e 4 bilhões de kits de teste para o resto do mundo, de acordo com Xi.

"A China disponibilizará mais US$ 3 bilhões em ajuda internacional nos próximos três anos como suporte à resposta da COVID-19 e à recuperação econômica e social em outros países em desenvolvimento", anunciou Xi.

Líder do maior país em desenvolvimento do mundo, Xi fez menção ao termo "países em desenvolvimento" onze vezes em um discurso que durou menos de sete minutos, conclamando os membros do G20 a fazer mais para ajudá-los e enfrentar seus problemas.

"A China está implementando plenamente a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida do G20 para os países mais pobres e até agora adiou o pagamento da dívida em mais de US$ 1,3 bilhão, a maior quantia de prorrogação entre os membros do G20", disse ele.

É essencial que os membros do G20 continuem oferecendo suporte aos países em desenvolvimento por meio de suspensão da dívida e auxílio ao desenvolvimento, disse o presidente chinês.

Xi foi além, ao pedir melhorias no sistema de governança global. Os países do G20 devem fortalecer e alavancar o papel das Nações Unidas e da OMS e melhorar o sistema global de prevenção e controle de doenças, disse o presidente chinês.

"É importante que preservemos o espírito de ampla consultoria, contribuição conjunta e benefícios compartilhados, observemos plenamente às opiniões dos países em desenvolvimento e reflitamos melhor suas preocupações legítimas", complementou Xi.

Xi repetiu seu apelo por solidariedade e cooperação na luta contra a COVID-19 e na construção de uma comunidade global de saúde para todos.

"A pandemia é mais um aviso de que nós, humanidade, levantamos e caímos juntos com um futuro compartilhado", disse ele. "Devemos defender a visão de construir uma comunidade global de saúde para todos, superar este período desafiador por meio da solidariedade e cooperação, e rejeitar firmemente qualquer tentativa de politizar, rotular ou estigmatizar o vírus."

https://news.cgtn.com/news/2021-05-21/China-makes-new-pledges-to-help-developing-countries-defeat-COVID-19-10rWrYN7HGg/index.html 

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=GNU57IdvS_w

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 21 de maio de 2021 /PRNewswire/ -- A China anunciou na sexta-feira várias novas medidas para ajudar os países em desenvolvimento a enfrentar a pandemia da COVID-19 e seus impactos devastadores, prometendo contribuir com US$ 3 bilhões nos próximos três anos e fornecer mais vacinas.

Discursando na Cúpula Global de Saúde por meio de um link de vídeo, o presidente chinês Xi Jinping conclamou as principais economias do mundo a remediar as deficiências, preencher lacunas e fortalecer os elos fracos na luta contra "a pandemia mais séria em um século".

A cúpula foi co-organizada pela Comissão Europeia e pela Itália, presidente do Grupo dos 20 (G20) este ano.

O número de casos confirmados de COVID-19 em todo o mundo ultrapassou 165 milhões, com mais de 3,4 milhões de mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

"Fechar a lacuna da imunização"

"Há um ano, propus que as vacinas se tornassem um bem público global", disse Xi. "Hoje, o problema da vacinação desigual tornou-se mais grave."

Mais de 1,1 bilhão de doses de vacina contra a COVID-19 foram administradas globalmente, porém mais de 80% delas foram administradas em países de renda alta e média-alta, e apenas 0,3% das inoculações foram realizadas em países de baixa renda, disse o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), no início deste mês.

A China forneceu 300 milhões de doses de vacinas para o mundo; forneceu vacinas gratuitas para mais de 80 países em desenvolvimento com necessidades urgentes e exportou vacinas para 43 países, observou Xi, acrescentando que a China oferecerá mais vacinas de acordo com o melhor de sua capacidade.

A China oferece suporte às empresas de vacinas no que diz respeito à transferência de tecnologias para outros países em desenvolvimento e à realização de produção conjunta com eles, afirmou o presidente.

Reafirmando o apoio da China à renúncia dos direitos de propriedade intelectual sobre as vacinas contra a COVID-19, ele disse que o país "apoia a Organização Mundial do Comércio e outras instituições internacionais na tomada de uma decisão imediata sobre esse assunto."

Ele levantou uma proposta para a criação de fórum internacional sobre cooperação em vacinas para promover a distribuição justa e equitativa de vacinas em todo o mundo.

"Devemos promover a justiça e a equidade à medida que nos esforçamos para preencher a lacuna da imunização", enfatizou Xi. "É essencial que rejeitemos o nacionalismo da vacina e encontremos soluções para questões relacionadas à capacidade de produção e distribuição de vacinas, a fim de torná-las mais acessíveis e a baixo custo nos países em desenvolvimento."

Mais suporte financeiro

A China já disponibilizou US$ 2 bilhões para ajudar nas respostas dos países em desenvolvimento à COVID-19; enviou suprimentos médicos para mais de 150 países e 13 organizações internacionais, oferecendo mais de 280 bilhões de máscaras, 3,4 bilhões de roupas de proteção e 4 bilhões de kits de teste para o resto do mundo, de acordo com Xi.

"A China disponibilizará mais US$ 3 bilhões em ajuda internacional nos próximos três anos como suporte à resposta da COVID-19 e à recuperação econômica e social em outros países em desenvolvimento", anunciou Xi.

Líder do maior país em desenvolvimento do mundo, Xi fez menção ao termo "países em desenvolvimento" onze vezes em um discurso que durou menos de sete minutos, conclamando os membros do G20 a fazer mais para ajudá-los e enfrentar seus problemas.

"A China está implementando plenamente a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida do G20 para os países mais pobres e até agora adiou o pagamento da dívida em mais de US$ 1,3 bilhão, a maior quantia de prorrogação entre os membros do G20", disse ele.

É essencial que os membros do G20 continuem oferecendo suporte aos países em desenvolvimento por meio de suspensão da dívida e auxílio ao desenvolvimento, disse o presidente chinês.

Xi foi além, ao pedir melhorias no sistema de governança global. Os países do G20 devem fortalecer e alavancar o papel das Nações Unidas e da OMS e melhorar o sistema global de prevenção e controle de doenças, disse o presidente chinês.

"É importante que preservemos o espírito de ampla consultoria, contribuição conjunta e benefícios compartilhados, observemos plenamente às opiniões dos países em desenvolvimento e reflitamos melhor suas preocupações legítimas", complementou Xi.

Xi repetiu seu apelo por solidariedade e cooperação na luta contra a COVID-19 e na construção de uma comunidade global de saúde para todos.

"A pandemia é mais um aviso de que nós, humanidade, levantamos e caímos juntos com um futuro compartilhado", disse ele. "Devemos defender a visão de construir uma comunidade global de saúde para todos, superar este período desafiador por meio da solidariedade e cooperação, e rejeitar firmemente qualquer tentativa de politizar, rotular ou estigmatizar o vírus."

https://news.cgtn.com/news/2021-05-21/China-makes-new-pledges-to-help-developing-countries-defeat-COVID-19-10rWrYN7HGg/index.html 

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=GNU57IdvS_w

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China faz novas promessas para ajudar países em desenvolvimento a derrotar a COVID-19

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-faz-novas-promessas-para-ajudar-paises-em-desenvolvimento-a-derrotar-a-covid-19/