CGTN: China pede unidade entre as nações do BRICS para aumentar a segurança de todos

PEQUIM, 20 de maio de 2022 /PRNewswire/ -- Na quinta-feira, a China pediu união e esforços conjuntos entre os cinco países do BRICS para rejeitar o confronto do bloco e construir uma comunidade global de segurança para todos.

BRICS é uma sigla para os cinco principais países emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Ao fazer um discurso em vídeo na sessão de abertura da reunião dos ministros do exterior do BRICS, o presidente da China, Xi Jinping, disse que os países do BRICS devem injetar estabilidade e energia positiva nas relações internacionais em um período de turbulência e transformação.

A reunião ocorreu em meio à prolongada pandemia de COVID-19 e ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia, que dura quase três meses.

Xi adverte contra a busca da própria segurança às custas da de outros.

Observando que "fatores de instabilidade, incerteza e insegurança" estão aumentando no cenário internacional, o presidente Xi disse que os países do BRICS devem fortalecer a confiança política mútua e a cooperação de segurança, manter próximas a comunicação e coordenação sobre as principais questões internacionais e regionais, acomodar os principais interesses e grandes preocupações uns dos outros e respeitar a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento uns dos outros.

"Tanto a história quanto a realidade nos dizem que buscar a própria segurança às custas da dos outros só criará novas tensões e riscos", enfatizou Xi.

Os países do BRICS, que Xi descreveu como uma "força positiva, inspiradora e construtiva" na comunidade internacional, precisam se opor ao hegemonismo e à política de poder, rejeitar a mentalidade da Guerra Fria e o confronto ao bloco e trabalharem juntos para construir uma comunidade global de segurança para todos, disse ele.

Xi reiterou a Iniciativa de Segurança Global (GSI) proposta por ele no mês passado, que defende um compromisso com a visão de segurança comum, abrangente, cooperativa e sustentável e esforços conjuntos para manter a paz e a segurança mundial.

A GSI pede a rejeição da mentalidade da Guerra Fria, do unilateralismo, da política de grupo e do confronto do bloco.

Ela exige levar a sério as preocupações legítimas de segurança de todos os países, mantendo o princípio da segurança indivisível e se opondo à busca de sua própria segurança ao custo da segurança de outros.

A China ocupa a presidência rotativa do BRICS este ano. O conselheiro e ministro do Exterior da China, Wang Yi, presidiu a reunião dos ministros das Relações Exteriores do BRICS por meio de videoconferência na quinta-feira, que foi assistida pelo ministro das Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul, Naledi Pandor, pelo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergey Lavrov e pelo ministro dos Assuntos Externos da Índia, Subrahmanyam Jaishankar.

Os diplomatas trocaram opiniões sobre questões relacionadas à Ucrânia e ao Afeganistão.

Aumentar a cooperação

Apesar do aumento da instabilidade, incerteza e insegurança, "a paz e o desenvolvimento continuam sendo o tema imutável ao longo do tempo, a aspiração das pessoas em todos os países por uma vida melhor permanece inalterada, e a missão histórica da comunidade internacional de buscar solidariedade e a cooperação ganha-ganha continua inalterada", disse Xi em seu discurso.

O desenvolvimento é uma tarefa comum para mercados emergentes e países em desenvolvimento, disse Xi, acrescentando que mais do que nunca é importante para os mercados emergentes e países em desenvolvimento fortalecerem a solidariedade e a cooperação.

Xi conclamou os países do BRICS a se envolverem em diálogos e intercâmbios com mais mercados emergentes e países em desenvolvimento para aumentar a compreensão e a confiança mútuas, fortalecer o vínculo da cooperação e aprofundar a convergência de interesses, de modo a aumentar a cooperação e fortalecer o progresso.

Wang disse que todas as partes devem aprofundar a cooperação mutuamente benéfica em várias áreas, buscar força por meio da unidade e demonstrar ainda mais abertura e inclusão.

Todos os lados concordaram em implementar plenamente a Agenda das Nações Unidas 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, beneficiar mais o povo dos países em desenvolvimento e promover a construção de uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade.

Os cinco países do BRICS representam mais de 26% do território mundial, 42% da população global e cerca de um quarto do produto interno bruto global (PIB).

Os diplomatas expressaram apoio ao avanço do processo de expansão do BRICS e indicaram que mais discussões seriam realizadas sobre esta questão.

https://news.cgtn.com/news/2022-05-20/China-calls-for-unity-among-BRICS-nations-to-boost-security-for-all-1abP5KQuBgY/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=fRDINzX7AGk 

FONTE CGTN

PEQUIM, 20 de maio de 2022 /PRNewswire/ -- Na quinta-feira, a China pediu união e esforços conjuntos entre os cinco países do BRICS para rejeitar o confronto do bloco e construir uma comunidade global de segurança para todos.

BRICS é uma sigla para os cinco principais países emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Ao fazer um discurso em vídeo na sessão de abertura da reunião dos ministros do exterior do BRICS, o presidente da China, Xi Jinping, disse que os países do BRICS devem injetar estabilidade e energia positiva nas relações internacionais em um período de turbulência e transformação.

A reunião ocorreu em meio à prolongada pandemia de COVID-19 e ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia, que dura quase três meses.

Xi adverte contra a busca da própria segurança às custas da de outros.

Observando que "fatores de instabilidade, incerteza e insegurança" estão aumentando no cenário internacional, o presidente Xi disse que os países do BRICS devem fortalecer a confiança política mútua e a cooperação de segurança, manter próximas a comunicação e coordenação sobre as principais questões internacionais e regionais, acomodar os principais interesses e grandes preocupações uns dos outros e respeitar a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento uns dos outros.

"Tanto a história quanto a realidade nos dizem que buscar a própria segurança às custas da dos outros só criará novas tensões e riscos", enfatizou Xi.

Os países do BRICS, que Xi descreveu como uma "força positiva, inspiradora e construtiva" na comunidade internacional, precisam se opor ao hegemonismo e à política de poder, rejeitar a mentalidade da Guerra Fria e o confronto ao bloco e trabalharem juntos para construir uma comunidade global de segurança para todos, disse ele.

Xi reiterou a Iniciativa de Segurança Global (GSI) proposta por ele no mês passado, que defende um compromisso com a visão de segurança comum, abrangente, cooperativa e sustentável e esforços conjuntos para manter a paz e a segurança mundial.

A GSI pede a rejeição da mentalidade da Guerra Fria, do unilateralismo, da política de grupo e do confronto do bloco.

Ela exige levar a sério as preocupações legítimas de segurança de todos os países, mantendo o princípio da segurança indivisível e se opondo à busca de sua própria segurança ao custo da segurança de outros.

A China ocupa a presidência rotativa do BRICS este ano. O conselheiro e ministro do Exterior da China, Wang Yi, presidiu a reunião dos ministros das Relações Exteriores do BRICS por meio de videoconferência na quinta-feira, que foi assistida pelo ministro das Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul, Naledi Pandor, pelo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergey Lavrov e pelo ministro dos Assuntos Externos da Índia, Subrahmanyam Jaishankar.

Os diplomatas trocaram opiniões sobre questões relacionadas à Ucrânia e ao Afeganistão.

Aumentar a cooperação

Apesar do aumento da instabilidade, incerteza e insegurança, "a paz e o desenvolvimento continuam sendo o tema imutável ao longo do tempo, a aspiração das pessoas em todos os países por uma vida melhor permanece inalterada, e a missão histórica da comunidade internacional de buscar solidariedade e a cooperação ganha-ganha continua inalterada", disse Xi em seu discurso.

O desenvolvimento é uma tarefa comum para mercados emergentes e países em desenvolvimento, disse Xi, acrescentando que mais do que nunca é importante para os mercados emergentes e países em desenvolvimento fortalecerem a solidariedade e a cooperação.

Xi conclamou os países do BRICS a se envolverem em diálogos e intercâmbios com mais mercados emergentes e países em desenvolvimento para aumentar a compreensão e a confiança mútuas, fortalecer o vínculo da cooperação e aprofundar a convergência de interesses, de modo a aumentar a cooperação e fortalecer o progresso.

Wang disse que todas as partes devem aprofundar a cooperação mutuamente benéfica em várias áreas, buscar força por meio da unidade e demonstrar ainda mais abertura e inclusão.

Todos os lados concordaram em implementar plenamente a Agenda das Nações Unidas 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, beneficiar mais o povo dos países em desenvolvimento e promover a construção de uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade.

Os cinco países do BRICS representam mais de 26% do território mundial, 42% da população global e cerca de um quarto do produto interno bruto global (PIB).

Os diplomatas expressaram apoio ao avanço do processo de expansão do BRICS e indicaram que mais discussões seriam realizadas sobre esta questão.

https://news.cgtn.com/news/2022-05-20/China-calls-for-unity-among-BRICS-nations-to-boost-security-for-all-1abP5KQuBgY/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=fRDINzX7AGk 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China pede unidade entre as nações do BRICS para aumentar a segurança de todos

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-pede-unidade-entre-as-nacoes-do-brics-para-aumentar-a-seguranca-de-todos/