CGTN: China promete se abrir mais e compartilhar oportunidades de desenvolvimento com o mundo

BEIJING, 4 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Na quinta-feira, a China reafirmou seu compromisso de se abrir mais e compartilhar oportunidades de desenvolvimento com o mundo. Ela se comprometeu a aumentar ainda mais as importações e a "buscar o desenvolvimento equilibrado do comércio".

O país também conclamou a comunidade internacional a promover e melhorar a globalização econômica e também a rejeitar o unilateralismo e o protecionismo.

"Não mudaremos nossa determinação de nos abrirmos mais e em um alto padrão; não mudaremos nossa determinação de compartilhar oportunidades de desenvolvimento com o resto do mundo; e não mudaremos nosso compromisso com uma globalização econômica mais aberta, inclusiva, equilibrada e benéfica para todos", disse o presidente chinês, Xi Jinping, ao fazer um discurso de abertura por vídeo na 4ª China International Import Expo (CIIE).

Lançada em 2018, a CIIE anual é a primeira exposição do mundo dedicada às importações. A exposição deste ano está programada para se realizar de sexta-feira à próxima quarta-feira em Xangai, no leste da China.

20º aniversário da adesão da China à OMC

Este ano marca o 20º aniversário da adesão da China à Organização Mundial do Comércio (OMC). Xi analisou o progresso do país no aprofundamento da reforma e na expansão da abertura durante as últimas duas décadas.

"A China cumpriu plenamente seus compromissos para a adesão", disse ele. "Suas taxas aduaneiras em geral foram reduzidas de 15,3% para 7,4%, inferiores ao compromisso de aceitação de 9,8%."

Xi acrescentou ainda que o governo central da China analisou e revisou mais de 2.300 leis e regulamentos, e os governos locais analisaram e revisaram 190 mil.

Para facilitar o combate global à COVID-19, a China forneceu cerca de 350 bilhões de máscaras e mais de 1,6 bilhão de doses de vacinas à comunidade internacional, de acordo com Xi.

Ele afirmou também que a China deixou de ser a sexta maior economia do mundo para se tornar a segunda maior nas últimas duas décadas; além disso, seu comércio de mercadorias saiu da sexta posição e se tornou o maior do mundo, e o comércio de serviços subiu da 11ª posição para a segunda. 

"Nos últimos 20 anos, a China aprofundou a reforma e buscou a abertura geral, aproveitou oportunidades e enfrentou desafios, assumiu suas responsabilidades e beneficiou o mundo todo", disse Xi, descrevendo a abertura como a "marca da China contemporânea".

A China vai "dar mais ênfase à expansão das importações"

A CIIE é uma plataforma importante para promover o livre comércio global e a cooperação internacional. De 2018 a 2020, o faturamento pretendido das três edições anteriores atingiu cerca de 201,6 bilhões de dólares. Espera-se que a 4ª CIIE atraia quase três mil empresas de 127 países e regiões.

A China é a segunda maior importadora do mundo há 11 anos consecutivos, de acordo com o Ministério do Comércio. E Xi disse que o país fará mais esforços para impulsionar as importações.

"A China abrirá mais zonas de demonstração para a promoção criativa do comércio de importações, otimizará o catálogo de importações de varejo por meio do comércio eletrônico internacional, incentivará o processamento local de mercadorias importadas a partir do comércio entre residentes de fronteiras e aumentará as importações dos países vizinhos", anunciou o presidente chinês.

O total das importações e exportações da China aumentou 22,7% em relação ao ano anterior, chegando a 28,33 trilhões de yuans (cerca de 4,38 trilhões de dólares) nos primeiros três trimestres de 2021, segundo dados da Administração Geral Alfandegária. Tanto as exportações quanto as importações continuaram a crescer em dois dígitos nos primeiros nove meses do ano, aumentando 22,7% e 22,6% em um ano, respectivamente.

"Daqui em diante, a China dará mais ênfase à expansão das importações e buscará o desenvolvimento equilibrado do comércio", disse Xi.

Ele ressaltou que o país protegerá firmemente o verdadeiro multilateralismo, compartilhará oportunidades de mercado com o resto do mundo, promoverá a abertura de alto padrão e manterá os interesses comuns do mundo.

A China reduzirá a lista negativa de investimentos estrangeiros e revisará e ampliará o catálogo incentivado dos setores para direcionar mais investimentos estrangeiros para setores como manufatura avançada, serviços modernos, altas e novas tecnologias, conservação de energia e proteção ambiental, de acordo com Xi.

Ele disse ainda que a China "trabalhará ativamente para participar do Acordo Abrangente e Progressivo para a Parceria Transpacífica (CPTPP)". O país se inscreveu oficialmente para participar do CPTPP, um acordo de livre comércio entre 11 países, incluindo Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Singapura e Vietnã.

Xi acrescentou que a China promoverá a cooperação Cinturão e Rota de alta qualidade e para oferecer mais benefícios aos países que participam da iniciativa.

"A China está pronta para trabalhar com todos os países na construção de uma economia mundial aberta de modo que a brisa da primavera da abertura traga calor a todas as partes do mundo", disse ele.

https://news.cgtn.com/news/2021-11-04/Xi-Jinping-addresses-opening-ceremony-of-CIIE-14V5bYl3lny/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=LItP2fA_Ps8  

 

FONTE CGTN

BEIJING, 4 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Na quinta-feira, a China reafirmou seu compromisso de se abrir mais e compartilhar oportunidades de desenvolvimento com o mundo. Ela se comprometeu a aumentar ainda mais as importações e a "buscar o desenvolvimento equilibrado do comércio".

O país também conclamou a comunidade internacional a promover e melhorar a globalização econômica e também a rejeitar o unilateralismo e o protecionismo.

"Não mudaremos nossa determinação de nos abrirmos mais e em um alto padrão; não mudaremos nossa determinação de compartilhar oportunidades de desenvolvimento com o resto do mundo; e não mudaremos nosso compromisso com uma globalização econômica mais aberta, inclusiva, equilibrada e benéfica para todos", disse o presidente chinês, Xi Jinping, ao fazer um discurso de abertura por vídeo na 4ª China International Import Expo (CIIE).

Lançada em 2018, a CIIE anual é a primeira exposição do mundo dedicada às importações. A exposição deste ano está programada para se realizar de sexta-feira à próxima quarta-feira em Xangai, no leste da China.

20º aniversário da adesão da China à OMC

Este ano marca o 20º aniversário da adesão da China à Organização Mundial do Comércio (OMC). Xi analisou o progresso do país no aprofundamento da reforma e na expansão da abertura durante as últimas duas décadas.

"A China cumpriu plenamente seus compromissos para a adesão", disse ele. "Suas taxas aduaneiras em geral foram reduzidas de 15,3% para 7,4%, inferiores ao compromisso de aceitação de 9,8%."

Xi acrescentou ainda que o governo central da China analisou e revisou mais de 2.300 leis e regulamentos, e os governos locais analisaram e revisaram 190 mil.

Para facilitar o combate global à COVID-19, a China forneceu cerca de 350 bilhões de máscaras e mais de 1,6 bilhão de doses de vacinas à comunidade internacional, de acordo com Xi.

Ele afirmou também que a China deixou de ser a sexta maior economia do mundo para se tornar a segunda maior nas últimas duas décadas; além disso, seu comércio de mercadorias saiu da sexta posição e se tornou o maior do mundo, e o comércio de serviços subiu da 11ª posição para a segunda. 

"Nos últimos 20 anos, a China aprofundou a reforma e buscou a abertura geral, aproveitou oportunidades e enfrentou desafios, assumiu suas responsabilidades e beneficiou o mundo todo", disse Xi, descrevendo a abertura como a "marca da China contemporânea".

A China vai "dar mais ênfase à expansão das importações"

A CIIE é uma plataforma importante para promover o livre comércio global e a cooperação internacional. De 2018 a 2020, o faturamento pretendido das três edições anteriores atingiu cerca de 201,6 bilhões de dólares. Espera-se que a 4ª CIIE atraia quase três mil empresas de 127 países e regiões.

A China é a segunda maior importadora do mundo há 11 anos consecutivos, de acordo com o Ministério do Comércio. E Xi disse que o país fará mais esforços para impulsionar as importações.

"A China abrirá mais zonas de demonstração para a promoção criativa do comércio de importações, otimizará o catálogo de importações de varejo por meio do comércio eletrônico internacional, incentivará o processamento local de mercadorias importadas a partir do comércio entre residentes de fronteiras e aumentará as importações dos países vizinhos", anunciou o presidente chinês.

O total das importações e exportações da China aumentou 22,7% em relação ao ano anterior, chegando a 28,33 trilhões de yuans (cerca de 4,38 trilhões de dólares) nos primeiros três trimestres de 2021, segundo dados da Administração Geral Alfandegária. Tanto as exportações quanto as importações continuaram a crescer em dois dígitos nos primeiros nove meses do ano, aumentando 22,7% e 22,6% em um ano, respectivamente.

"Daqui em diante, a China dará mais ênfase à expansão das importações e buscará o desenvolvimento equilibrado do comércio", disse Xi.

Ele ressaltou que o país protegerá firmemente o verdadeiro multilateralismo, compartilhará oportunidades de mercado com o resto do mundo, promoverá a abertura de alto padrão e manterá os interesses comuns do mundo.

A China reduzirá a lista negativa de investimentos estrangeiros e revisará e ampliará o catálogo incentivado dos setores para direcionar mais investimentos estrangeiros para setores como manufatura avançada, serviços modernos, altas e novas tecnologias, conservação de energia e proteção ambiental, de acordo com Xi.

Ele disse ainda que a China "trabalhará ativamente para participar do Acordo Abrangente e Progressivo para a Parceria Transpacífica (CPTPP)". O país se inscreveu oficialmente para participar do CPTPP, um acordo de livre comércio entre 11 países, incluindo Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Singapura e Vietnã.

Xi acrescentou que a China promoverá a cooperação Cinturão e Rota de alta qualidade e para oferecer mais benefícios aos países que participam da iniciativa.

"A China está pronta para trabalhar com todos os países na construção de uma economia mundial aberta de modo que a brisa da primavera da abertura traga calor a todas as partes do mundo", disse ele.

https://news.cgtn.com/news/2021-11-04/Xi-Jinping-addresses-opening-ceremony-of-CIIE-14V5bYl3lny/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=LItP2fA_Ps8  

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China promete se abrir mais e compartilhar oportunidades de desenvolvimento com o mundo

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-promete-se-abrir-mais-e-compartilhar-oportunidades-de-desenvolvimento-com-o-mundo/