CGTN: China promete trabalhar com países em desenvolvimento para promover os direitos humanos internacionais

PEQUIM, 10 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- A China, como o maior país em desenvolvimento do mundo, se comprometeu a trabalhar com todos os países em desenvolvimento para promover o desenvolvimento sólido da causa dos direitos humanos internacionais, em um fórum sobre os direitos humanos na quarta-feira.

O Fórum de Direitos Humanos Sul-Sul de 2021, um evento bienal realizado este ano pela terceira vez em Pequim, teve o tema "colocando as pessoas em primeiro lugar e a governança global dos direitos humanos."

Enfatizando que as práticas de direitos humanos são diversas, o presidente chinês Xi Jinping disse em sua carta de felicitações ao fórum que Pequim está pronto para trabalhar com outros países em desenvolvimento para promover os valores comuns da humanidade.

Conquistas na causa dos direitos humanos na China

Os países em todo o mundo podem e devem escolher o caminho de desenvolvimento dos direitos humanos que se adapte às suas próprias condições nacionais, disse Xi.

Observando que os direitos humanos são um símbolo do progresso da civilização humana, ele enfatizou que colocar as pessoas em primeiro lugar e considerar a vontade das pessoas de ter uma vida melhor são responsabilidades de todos os países.

Nos últimos anos, a China fez progressos no desenvolvimento dos direitos humanos, particularmente na redução da pobreza.

"O povo chinês agora tem um maior senso de ganhos, felicidade e segurança em termos de proteção dos direitos humanos", disse Xi.

Desde o lançamento da reforma e da abertura em 1978, 770 milhões de residentes rurais que viviam abaixo da linha de pobreza da China saíram da pobreza, de acordo com um artigo sobre o progresso dos direitos humanos por meio do alcance da prosperidade moderada, divulgado pelo Departamento de Informações do Conselho Estadual, em agosto. 

O país cumpriu, 10 anos antes do previsto, sua meta de redução da pobreza da Agenda de 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável, observou o artigo.

Em setembro, a China lançou o Plano de Ação de Direitos Humanos da China (2021-2025), detalhando quase 200 objetivos e tarefas, que vão desde direitos a padrões básicos de vida, participação pública na tomada de decisões ambientais e direitos de grupos étnicos minoritários.

Cooperação Sul-Sul em direitos humanos internacionais

Com a pandemia da COVID-19 tendo forçado grandes mudanças em todo o mundo, um dos focos do fórum foi o de como os países em desenvolvimento devem abordar as questões de direitos humanos na era pós-COVID.

Xi descreveu a cooperação Sul-Sul – cooperação econômica e técnica entre os países do sul global – como uma grande iniciativa das nações em desenvolvimento buscando força por meio da unidade.

Quando o primeiro fórum foi realizado em 2017, Xi enfatizou que o desenvolvimento dos direitos humanos em todo o mundo não pode ser alcançado sem os esforços conjuntos dos países em desenvolvimento, que representam mais de 80% da população mundial.

A China atribuiu grande importância à cooperação Sul-Sul. Juntamente com o diálogo político e a cooperação financeira, ela promove a troca de conhecimentos e expertise por meio de programas, projetos e iniciativas desenvolvidos para resolver os problemas específicos dos países.

Desde a fundação da República Popular da China em 1949, a China tem oferecido assistência aos países necessitados para apoiar seus esforços de promover o desenvolvimento econômico e social; e tem estabelecido uma base sólida para a amizade e cooperação de longo prazo com esses países.

Nos últimos cinco anos, o Fundo de Assistência e Cooperação Sul-Sul criado pela China trabalhou em estreita colaboração com diversas organizações internacionais para implementar mais de 100 projetos de subsistência em mais de 50 países, beneficiando mais de 20 milhões de pessoas. 

No fórum deste ano, os participantes exploraram o potencial do futuro sistema internacional de direitos humanos em meio aos desafios de questões globais, como a pandemia da COVID-19 e as mudanças climáticas.

Cerca de 400 pessoas, incluindo funcionários seniores, especialistas, acadêmicos e enviados diplomáticos de mais de 100 países e organizações internacionais, participaram do fórum on-line ou off-line.

https://news.cgtn.com/news/2021-12-09/China-vows-to-work-with-developing-countries-to-promote-human-rights--15QqXuGJ9Uk/index.html

 

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 10 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- A China, como o maior país em desenvolvimento do mundo, se comprometeu a trabalhar com todos os países em desenvolvimento para promover o desenvolvimento sólido da causa dos direitos humanos internacionais, em um fórum sobre os direitos humanos na quarta-feira.

O Fórum de Direitos Humanos Sul-Sul de 2021, um evento bienal realizado este ano pela terceira vez em Pequim, teve o tema "colocando as pessoas em primeiro lugar e a governança global dos direitos humanos."

Enfatizando que as práticas de direitos humanos são diversas, o presidente chinês Xi Jinping disse em sua carta de felicitações ao fórum que Pequim está pronto para trabalhar com outros países em desenvolvimento para promover os valores comuns da humanidade.

Conquistas na causa dos direitos humanos na China

Os países em todo o mundo podem e devem escolher o caminho de desenvolvimento dos direitos humanos que se adapte às suas próprias condições nacionais, disse Xi.

Observando que os direitos humanos são um símbolo do progresso da civilização humana, ele enfatizou que colocar as pessoas em primeiro lugar e considerar a vontade das pessoas de ter uma vida melhor são responsabilidades de todos os países.

Nos últimos anos, a China fez progressos no desenvolvimento dos direitos humanos, particularmente na redução da pobreza.

"O povo chinês agora tem um maior senso de ganhos, felicidade e segurança em termos de proteção dos direitos humanos", disse Xi.

Desde o lançamento da reforma e da abertura em 1978, 770 milhões de residentes rurais que viviam abaixo da linha de pobreza da China saíram da pobreza, de acordo com um artigo sobre o progresso dos direitos humanos por meio do alcance da prosperidade moderada, divulgado pelo Departamento de Informações do Conselho Estadual, em agosto. 

O país cumpriu, 10 anos antes do previsto, sua meta de redução da pobreza da Agenda de 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável, observou o artigo.

Em setembro, a China lançou o Plano de Ação de Direitos Humanos da China (2021-2025), detalhando quase 200 objetivos e tarefas, que vão desde direitos a padrões básicos de vida, participação pública na tomada de decisões ambientais e direitos de grupos étnicos minoritários.

Cooperação Sul-Sul em direitos humanos internacionais

Com a pandemia da COVID-19 tendo forçado grandes mudanças em todo o mundo, um dos focos do fórum foi o de como os países em desenvolvimento devem abordar as questões de direitos humanos na era pós-COVID.

Xi descreveu a cooperação Sul-Sul – cooperação econômica e técnica entre os países do sul global – como uma grande iniciativa das nações em desenvolvimento buscando força por meio da unidade.

Quando o primeiro fórum foi realizado em 2017, Xi enfatizou que o desenvolvimento dos direitos humanos em todo o mundo não pode ser alcançado sem os esforços conjuntos dos países em desenvolvimento, que representam mais de 80% da população mundial.

A China atribuiu grande importância à cooperação Sul-Sul. Juntamente com o diálogo político e a cooperação financeira, ela promove a troca de conhecimentos e expertise por meio de programas, projetos e iniciativas desenvolvidos para resolver os problemas específicos dos países.

Desde a fundação da República Popular da China em 1949, a China tem oferecido assistência aos países necessitados para apoiar seus esforços de promover o desenvolvimento econômico e social; e tem estabelecido uma base sólida para a amizade e cooperação de longo prazo com esses países.

Nos últimos cinco anos, o Fundo de Assistência e Cooperação Sul-Sul criado pela China trabalhou em estreita colaboração com diversas organizações internacionais para implementar mais de 100 projetos de subsistência em mais de 50 países, beneficiando mais de 20 milhões de pessoas. 

No fórum deste ano, os participantes exploraram o potencial do futuro sistema internacional de direitos humanos em meio aos desafios de questões globais, como a pandemia da COVID-19 e as mudanças climáticas.

Cerca de 400 pessoas, incluindo funcionários seniores, especialistas, acadêmicos e enviados diplomáticos de mais de 100 países e organizações internacionais, participaram do fórum on-line ou off-line.

https://news.cgtn.com/news/2021-12-09/China-vows-to-work-with-developing-countries-to-promote-human-rights--15QqXuGJ9Uk/index.html

 

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China promete trabalhar com países em desenvolvimento para promover os direitos humanos internacionais

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-promete-trabalhar-com-paises-em-desenvolvimento-para-promover-os-direitos-humanos-internacionais/