CGTN: China se compromete com novas medidas quando os líderes mundiais se reúnem para lutar contra as mudanças climáticas

PEQUIM, 14 de dezembro de 2020 /PRNewswire/ -- No 5º aniversário do acordo do clima de Paris, mais de 70 líderes mundiais fizeram uma cúpula virtual sobre o clima, durante um dia, com o objetivo de impulsionar e pedir mais ação e ambição com relação ao clima. 

Surpreendendo o mundo ao anunciar a meta de se tornar carbono neutro até setembro de 2060 , a China anunciou no sábado mais novas medidas para lutar contra as mudanças climáticas e ressaltou o papel importante da "solidariedade, cooperação e confiança".

Leia o artigo original: aqui.

Nova arquitetura da governança climática 

Ao enfrentar o desafio climático, ninguém pode ser indiferente e o unilateralismo nos levará a lugar nenhum, ressaltou o presidente chinês Xi Jinping durante a cúpula.

O mundo foi atingido por mais de 100 desastres durante os primeiros seis meses da pandemia da COVID-19, e mais de 50 milhões de pessoas foram afetadas, de acordo com o relatório "Come Heat or High Water."

Apenas em 2019, 308 desastres naturais aconteceram no mundo, matando cerca de 24.400 pessoas. Cerca de 77% desses desastres estavam relacionados às condições meteorológicas ou ao clima.

"Todos os países precisam maximizar ações à luz de suas respectivas circunstâncias e capacidades nacionais", disse Xi, apelando aos países desenvolvidos para que ampliem o suporte para os países em desenvolvimento para financiamento, tecnologia e capacidade.

Somente pela defesa do multilateralismo, unidade e cooperação poderemos entregar benefícios compartilhados e vantajosos para todos os países, reforçou Xi.

A China sempre honra seus compromissos 

Na cúpula, Xi anunciou mais compromissos futuros para 2030. "A China diminuirá suas emissões de dióxido de carbono por unidade do PIB acima de 65% do nível de 2005, aumentará a participação de combustíveis não fósseis no consumo de energia primária para cerca de 25%, aumentará o volume de estoque de florestas até 6 bilhões de metros cúbicos do nível de 2005 e levará sua capacidade total instalada de energia eólica e solar para mais de 1,2 bilhão de quiilowatts".

Como o maior país em desenvolvimento e a segunda maior economia do mundo, a China está se empenhando para coordenar o crescimento econômico e a proteção ambiental e se comprometeu com a luta global contra as mudanças climáticas.

O país está no caminho de ultrapassar suas contribuições nacionais previstas até 2030 sob o Acordo de Paris graças a seus esforços de cortar o crescimento do uso de energia e reduzir a dependência de combustíveis fósseis.

A partir do próximo ano, a China se empenhará em fazer novos progressos na construção de uma civilização ecológica, otimizar o desenvolvimento e proteção do espaço territorial e obter resultados notáveis na transformação da produção e do estilo de vida verde, de acordo com as metas de desenvolvimento propostos pela liderança do Partido para o período do 14º Plano Quinquenal (2021-2025).

Leia mais: 

Em direção à China do futuro: China coloca o clima no centro do 14º Plano Quinquenal 

"A China sempre honra seus compromissos," disse Xi no seu discurso em vídeo, prometendo que a China dará passos firmes para implementar os objetivos anunciados e contribuir ainda mais para enfrentar o desafio climático global.

Vídeo - https://mma.prnewswire.com/media/1384447/Xi_calls_for_greater_contribution_to_tackling_climate_change.mp4

 

 

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 14 de dezembro de 2020 /PRNewswire/ -- No 5º aniversário do acordo do clima de Paris, mais de 70 líderes mundiais fizeram uma cúpula virtual sobre o clima, durante um dia, com o objetivo de impulsionar e pedir mais ação e ambição com relação ao clima. 

Surpreendendo o mundo ao anunciar a meta de se tornar carbono neutro até setembro de 2060 , a China anunciou no sábado mais novas medidas para lutar contra as mudanças climáticas e ressaltou o papel importante da "solidariedade, cooperação e confiança".

Leia o artigo original: aqui.

Nova arquitetura da governança climática 

Ao enfrentar o desafio climático, ninguém pode ser indiferente e o unilateralismo nos levará a lugar nenhum, ressaltou o presidente chinês Xi Jinping durante a cúpula.

O mundo foi atingido por mais de 100 desastres durante os primeiros seis meses da pandemia da COVID-19, e mais de 50 milhões de pessoas foram afetadas, de acordo com o relatório "Come Heat or High Water."

Apenas em 2019, 308 desastres naturais aconteceram no mundo, matando cerca de 24.400 pessoas. Cerca de 77% desses desastres estavam relacionados às condições meteorológicas ou ao clima.

"Todos os países precisam maximizar ações à luz de suas respectivas circunstâncias e capacidades nacionais", disse Xi, apelando aos países desenvolvidos para que ampliem o suporte para os países em desenvolvimento para financiamento, tecnologia e capacidade.

Somente pela defesa do multilateralismo, unidade e cooperação poderemos entregar benefícios compartilhados e vantajosos para todos os países, reforçou Xi.

A China sempre honra seus compromissos 

Na cúpula, Xi anunciou mais compromissos futuros para 2030. "A China diminuirá suas emissões de dióxido de carbono por unidade do PIB acima de 65% do nível de 2005, aumentará a participação de combustíveis não fósseis no consumo de energia primária para cerca de 25%, aumentará o volume de estoque de florestas até 6 bilhões de metros cúbicos do nível de 2005 e levará sua capacidade total instalada de energia eólica e solar para mais de 1,2 bilhão de quiilowatts".

Como o maior país em desenvolvimento e a segunda maior economia do mundo, a China está se empenhando para coordenar o crescimento econômico e a proteção ambiental e se comprometeu com a luta global contra as mudanças climáticas.

O país está no caminho de ultrapassar suas contribuições nacionais previstas até 2030 sob o Acordo de Paris graças a seus esforços de cortar o crescimento do uso de energia e reduzir a dependência de combustíveis fósseis.

A partir do próximo ano, a China se empenhará em fazer novos progressos na construção de uma civilização ecológica, otimizar o desenvolvimento e proteção do espaço territorial e obter resultados notáveis na transformação da produção e do estilo de vida verde, de acordo com as metas de desenvolvimento propostos pela liderança do Partido para o período do 14º Plano Quinquenal (2021-2025).

Leia mais: 

Em direção à China do futuro: China coloca o clima no centro do 14º Plano Quinquenal 

"A China sempre honra seus compromissos," disse Xi no seu discurso em vídeo, prometendo que a China dará passos firmes para implementar os objetivos anunciados e contribuir ainda mais para enfrentar o desafio climático global.

Vídeo - https://mma.prnewswire.com/media/1384447/Xi_calls_for_greater_contribution_to_tackling_climate_change.mp4

 

 

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: China se compromete com novas medidas quando os líderes mundiais se reúnem para lutar contra as mudanças climáticas

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-china-se-compromete-com-novas-medidas-quando-os-lideres-mundiais-se-reunem-para-lutar-contra-as-mudancas-climaticas/