CGTN: Desenvolvimento, e não ideologia, é a dura realidade

PEQUIM, 30 de junho de 2021 /PRNewswire/ -- "Não importa se um gato é preto ou branco, desde que cace ratos."

As palavras do falecido líder chinês Deng Xiaoping atingem diretamente a realidade do rápido crescimento da China: o país escolheu um caminho de desenvolvimento que se adapta às suas condições reais.

Antes de Deng conduzir a China pelo caminho da reforma e da abertura em 1978, o país estava preso na caixa ideológica, dividindo as pessoas entre o socialismo e o capitalismo. Ele insistia que toda e qualquer coisa relacionada ao socialismo deveria ser, por natureza, melhor que o capitalismo. 

Na época, a China pode ter alcançado um igualitarismo em uma escala sem precedentes, porém, era de pobreza: todos eram igualmente pobres.

Deng declarou que, se o socialismo significa pobreza, não é para a China. A opção era o socialismo com características chinesas em benefício do povo.

Entretanto, isso não significou uma adesão rígida a uma economia controlada centralmente. À medida que o país entrava em uma nova etapa de desenvolvimento, o foco se concentrou na abertura e na revisão da economia para acelerar a industrialização.

O socialismo com características chinesas se tornou, desde então, na força libertadora mais poderosa da China, impulsionando a inovação, a criatividade, o empreendedorismo e a produtividade.

Tornou o país mais dinâmico, com base em testes e com visão de futuro, e transformou o povo chinês no árbitro final da reforma e da experimentação social. 

É nesse amplo contexto que a China se transformou na segunda maior economia do mundo.

O fato de ser um país socialista também não entra em conflito com seus esforços para promover uma economia de mercado e comércio internacional.

Desde sua adesão à Organização Mundial do Comércio em 2001, as exportações da China aumentaram quase dez vezes para US$ 2,59 trilhões em 2020, e as importações quase oito vezes e meia, para US$ 2,05 trilhões.

A flexibilidade institucional nacional explica esses avanços. Ela salvou o povo chinês da pobreza e da divisão política e ideológica e incutiu nele um forte espírito de pragmatismo, realismo e trabalho árduo. 

No século XXI, o presidente Xi Jinping declarou que a China se encontra em uma nova era de socialismo com características chinesas.

É uma era baseada no multiculturalismo e no multilateralismo. O país se tornou um dos principais defensores do livre comércio, do desenvolvimento sustentável, da redução da pobreza e da proteção ambiental.

Como disse Deng: "Não importa se um gato é preto ou branco, desde que cace ratos." Não importa se o sistema é visto como socialista ou capitalista, desde que satisfaça as necessidades das pessoas.

https://news.cgtn.com/news/2021-06-28/Development-not-ideology-is-the-hard-truth-11sgoCycZu8/index.html

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1555658/Development_ideology_hard_truth.jpg

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 30 de junho de 2021 /PRNewswire/ -- "Não importa se um gato é preto ou branco, desde que cace ratos."

As palavras do falecido líder chinês Deng Xiaoping atingem diretamente a realidade do rápido crescimento da China: o país escolheu um caminho de desenvolvimento que se adapta às suas condições reais.

Antes de Deng conduzir a China pelo caminho da reforma e da abertura em 1978, o país estava preso na caixa ideológica, dividindo as pessoas entre o socialismo e o capitalismo. Ele insistia que toda e qualquer coisa relacionada ao socialismo deveria ser, por natureza, melhor que o capitalismo. 

Na época, a China pode ter alcançado um igualitarismo em uma escala sem precedentes, porém, era de pobreza: todos eram igualmente pobres.

Deng declarou que, se o socialismo significa pobreza, não é para a China. A opção era o socialismo com características chinesas em benefício do povo.

Entretanto, isso não significou uma adesão rígida a uma economia controlada centralmente. À medida que o país entrava em uma nova etapa de desenvolvimento, o foco se concentrou na abertura e na revisão da economia para acelerar a industrialização.

O socialismo com características chinesas se tornou, desde então, na força libertadora mais poderosa da China, impulsionando a inovação, a criatividade, o empreendedorismo e a produtividade.

Tornou o país mais dinâmico, com base em testes e com visão de futuro, e transformou o povo chinês no árbitro final da reforma e da experimentação social. 

É nesse amplo contexto que a China se transformou na segunda maior economia do mundo.

O fato de ser um país socialista também não entra em conflito com seus esforços para promover uma economia de mercado e comércio internacional.

Desde sua adesão à Organização Mundial do Comércio em 2001, as exportações da China aumentaram quase dez vezes para US$ 2,59 trilhões em 2020, e as importações quase oito vezes e meia, para US$ 2,05 trilhões.

A flexibilidade institucional nacional explica esses avanços. Ela salvou o povo chinês da pobreza e da divisão política e ideológica e incutiu nele um forte espírito de pragmatismo, realismo e trabalho árduo. 

No século XXI, o presidente Xi Jinping declarou que a China se encontra em uma nova era de socialismo com características chinesas.

É uma era baseada no multiculturalismo e no multilateralismo. O país se tornou um dos principais defensores do livre comércio, do desenvolvimento sustentável, da redução da pobreza e da proteção ambiental.

Como disse Deng: "Não importa se um gato é preto ou branco, desde que cace ratos." Não importa se o sistema é visto como socialista ou capitalista, desde que satisfaça as necessidades das pessoas.

https://news.cgtn.com/news/2021-06-28/Development-not-ideology-is-the-hard-truth-11sgoCycZu8/index.html

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1555658/Development_ideology_hard_truth.jpg

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: Desenvolvimento, e não ideologia, é a dura realidade

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-desenvolvimento-e-nao-ideologia-e-a-dura-realidade/