CGTN: Dia das Mães: histórias de Xi Jinping e sua mãe

PEQUIM, 9 de maio de 2022 /PRNewswire/ -- No Dia Internacional das Mães, que cai no segundo domingo de maio todos os anos, pessoas de todo o mundo compartilham histórias sobre suas mães e expressam seu amor e gratidão à pessoa que as trouxe ao mundo.

Os pais servem como modelos para os filhos, e isso não é exceção para o presidente da China, Xi Jinping.

Ele recordou histórias sobre como sua mãe, Qi Xin, o influenciou ao longo de sua vida.

Qi, que nasceu em 1926, ingressou no Partido Comunista da China (PCCh) em 1943, aos 17 anos, tornando-se uma defensora incondicional dos valores e crenças do partido.

"Os pais e os parentes mais velhos devem transmitir bons costumes a seus filhos durante a juventude, ajudando-os a desenvolver integridade moral e um senso de boa vontade, para que eles possam se tornar pessoas que podem contribuir para o país e o público em geral", disse Qi certa vez.

"Servir o país com a máxima lealdade" 

Quando Xi tinha cerca de cinco ou seis anos, sua mãe comprou livros ilustrados para ele e contou a história sobre Yue Fei, um general lendário que lutou para defender sua nação com a maior lealdade durante a dinastia Song do Sul (1127-1279).

A mãe contou ao menino como a mãe de Yue Fei tatuou quatro caracteres chineses, que significam, literalmente, "servir o país com a maior lealdade", nas costas do filho.

"Eu disse que tatuar essas palavras nas costas deve ter causado muita dor", lembrou Xi. "Mas minha mãe disse que embora tivesse sido doloroso, ele lembrava disso de cor."

Desde então, Xi utilizou essas palavras como um objetivo a ser perseguido na vida.

A maior piedade filial 

Como filho dedicado, Xi conversa com sua mãe Qi Xin, e passeia com ela sempre que tem tempo. Uma foto dele andando de mãos dadas com a mãe está colocada em sua estante de livros.

Durante o Festival da Primavera de 2001, Xi, então governador da província de Fujian, no sudeste da China, não pôde se encontrar com seus pais em função do trabalho.

Qi ligou para o filho, e disse que, enquanto ele fizesse o seu melhor no trabalho, ele estaria mostrando a maior piedade filial para ela e seu pai.

Suas palavras de apoio inspiraram muito Xi a servir o público com o objetivo de proporcionar uma boa vida para as famílias chinesas.

Xi afirmou diversas vezes que "ama o povo da mesma forma que ama seus pais".

Passando adiante a tradição da família 

Qi teve uma vida simples, que se tornou uma tradição para a família. Seu estilo de vida e o ambiente familiar guiaram os valores de Xi.

"Uma pessoa que deixou de ser incorruptível e autodisciplinada se tornará uma pessoa sem coragem. Lembre-se de que a honestidade é uma bênção e a ganância é uma maldição, ao mesmo tempo em que estabelece uma visão correta do poder, do status e dos interesses", escreveu Qi certa vez em uma carta a Xi, lembrando-o da autodisciplina.

Xi incorporou essas crenças em sua ideologia e práticas de governança.

Em 2000, Qi passou 40 dias visitando a antiga região da base revolucionária do PCCh em Shaanxi, Gansu e Ningxia. Em Zhaojin, centro da região, ela viu salas de aula deterioradas de uma escola primária local e mobilizou sua família para doar 150 mil yuans para reconstruir a escola.

Em maio de 2018, os alunos da escola escreveram uma carta a Xi, descrevendo seus estudos e o desenvolvimento da escola. Uma semana depois, o presidente respondeu, incentivando-os a herdar e transmitir o espírito do PCCh com ações concretas.

Dia das Mães: histórias de Xi Jinping e sua mãe - Os pais servem como modelos importantes para os filhos, e isso não é exceção para o presidente da China, Xi Jinping.

 

FONTE CGTN

PEQUIM, 9 de maio de 2022 /PRNewswire/ -- No Dia Internacional das Mães, que cai no segundo domingo de maio todos os anos, pessoas de todo o mundo compartilham histórias sobre suas mães e expressam seu amor e gratidão à pessoa que as trouxe ao mundo.

Os pais servem como modelos para os filhos, e isso não é exceção para o presidente da China, Xi Jinping.

Ele recordou histórias sobre como sua mãe, Qi Xin, o influenciou ao longo de sua vida.

Qi, que nasceu em 1926, ingressou no Partido Comunista da China (PCCh) em 1943, aos 17 anos, tornando-se uma defensora incondicional dos valores e crenças do partido.

"Os pais e os parentes mais velhos devem transmitir bons costumes a seus filhos durante a juventude, ajudando-os a desenvolver integridade moral e um senso de boa vontade, para que eles possam se tornar pessoas que podem contribuir para o país e o público em geral", disse Qi certa vez.

"Servir o país com a máxima lealdade" 

Quando Xi tinha cerca de cinco ou seis anos, sua mãe comprou livros ilustrados para ele e contou a história sobre Yue Fei, um general lendário que lutou para defender sua nação com a maior lealdade durante a dinastia Song do Sul (1127-1279).

A mãe contou ao menino como a mãe de Yue Fei tatuou quatro caracteres chineses, que significam, literalmente, "servir o país com a maior lealdade", nas costas do filho.

"Eu disse que tatuar essas palavras nas costas deve ter causado muita dor", lembrou Xi. "Mas minha mãe disse que embora tivesse sido doloroso, ele lembrava disso de cor."

Desde então, Xi utilizou essas palavras como um objetivo a ser perseguido na vida.

A maior piedade filial 

Como filho dedicado, Xi conversa com sua mãe Qi Xin, e passeia com ela sempre que tem tempo. Uma foto dele andando de mãos dadas com a mãe está colocada em sua estante de livros.

Durante o Festival da Primavera de 2001, Xi, então governador da província de Fujian, no sudeste da China, não pôde se encontrar com seus pais em função do trabalho.

Qi ligou para o filho, e disse que, enquanto ele fizesse o seu melhor no trabalho, ele estaria mostrando a maior piedade filial para ela e seu pai.

Suas palavras de apoio inspiraram muito Xi a servir o público com o objetivo de proporcionar uma boa vida para as famílias chinesas.

Xi afirmou diversas vezes que "ama o povo da mesma forma que ama seus pais".

Passando adiante a tradição da família 

Qi teve uma vida simples, que se tornou uma tradição para a família. Seu estilo de vida e o ambiente familiar guiaram os valores de Xi.

"Uma pessoa que deixou de ser incorruptível e autodisciplinada se tornará uma pessoa sem coragem. Lembre-se de que a honestidade é uma bênção e a ganância é uma maldição, ao mesmo tempo em que estabelece uma visão correta do poder, do status e dos interesses", escreveu Qi certa vez em uma carta a Xi, lembrando-o da autodisciplina.

Xi incorporou essas crenças em sua ideologia e práticas de governança.

Em 2000, Qi passou 40 dias visitando a antiga região da base revolucionária do PCCh em Shaanxi, Gansu e Ningxia. Em Zhaojin, centro da região, ela viu salas de aula deterioradas de uma escola primária local e mobilizou sua família para doar 150 mil yuans para reconstruir a escola.

Em maio de 2018, os alunos da escola escreveram uma carta a Xi, descrevendo seus estudos e o desenvolvimento da escola. Uma semana depois, o presidente respondeu, incentivando-os a herdar e transmitir o espírito do PCCh com ações concretas.

Dia das Mães: histórias de Xi Jinping e sua mãe - Os pais servem como modelos importantes para os filhos, e isso não é exceção para o presidente da China, Xi Jinping.

 

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

CGTN: Dia das Mães: histórias de Xi Jinping e sua mãe

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/cgtn-dia-das-maes-historias-de-xi-jinping-e-sua-mae/