´Chapéus´ e dribles da vaca no hóquei no gelo: Menino Paulista é uma das maiores revelações do Brasil no esporte nos EUA

João Pedro Cunha Cassiano Alves, o JP, é chamado de "Neymar" pelos colegas do Palm Beach Hawks, time pelo qual joga no sub-12, pela habilidade que exibe nos treinos diários e em partidas nos rinks de gelo JP comanda o "JP Hockey Talk Show", programa veiculado pelo You Tube, e já entrevistou profissionais da NHL e liga europeia, medalhistas olímpicos e jogadores de hóquei e outros esportes dos EUA, Brasil e outros países O time de JP é treinado por Sergei Berezin, que tem no currículo a participação em quatro Olimpíadas, pela seleção russa, e a passagem por vários clubes da NHL, a liga profissional da América do Norte de hóquei no gelo

SÃO PAULO, 10 de dezembro de 2020 /PRNewswire/ -- Um brasileiro de 11 anos, que mudou-se com a família da capital paulista para os Estados Unidos quatro anos atrás, tem chamado a atenção dos times norte-americanos de hóquei no gelo. Além de dribles da vaca e chapéus, jogadas características do nosso futebol, aplicados nos adversários em partidas disputadas nos rinks de gelo, o pré-adolescente também é conhecido pelos fãs do esporte, inclusive no Brasil, por comandar o "JP Hockey Talk Show", veiculado pelo You Tube.

João Pedro Cunha Cassiano Alves, o JP, desde que descobriu o hóquei, aos 7 anos de idade, quando começou um estágio com duração de cinco semestres, no Florida Panthers, tem tido uma ascensão meteórica no esporte praticado nos rinks de gelo. Já no fim do primeiro semestre foi alçado diretamente para o terceiro período do estágio, pela desenvoltura técnica apresentada. Depois de apenas duas semanas nessa fase, pulou direto para o programa de desenvolvimento de jogadores chamado Panthers Development League (PDL). Ou seja, em razão do seu talento, o aprendizado básico que as outras crianças levam 30 meses para completar, JP terminou em pouco menos de sete meses.

Na PDL, começou na categoria para crianças de até 8 anos de idade e, no fim da temporada com a garotada, pulou direto para a sub-10, onde treinou por dois anos. Com 11 anos, foi escolhido para atuar no chamado Travel Team, cujos jogadores do nível A (advanced) viajam pelos EUA para participar de campeonatos. Hoje, JP faz parte da equipe do sub-12, do Palm Beach Hawks, que é treinado por Sergei Berezin, que tem no currículo a participação em quatro Olimpíadas, pela seleção russa, e a passagem por vários clubes da NHL, a liga profissional da América do Norte de hóquei no gelo, entre eles, o Toronto Maple Leafs, Phoenix Coyotes, Montreal Canadiens, Chicago Blackhawks e Washington Capitals.

Revelação pré-adolescente dos sticks (tacos) e pucks (discos de borracha) nos rinks de gelo nos EUA, JP tem se mostrado também um craque nos microfones. Há pouco mais de 6 meses comanda o "JP Hockey Talk Show", veiculado pelo You Tube (youtube.com/BraziliceHockey) e que já levou ao ar entrevistas com profissionais da NHL e liga europeia, além de um medalhista olímpico e jogadores e personalidades do hóquei, no Brasil, e outros esportes. Dentre elas, o presidente da Federação Paulista de Futebol Americano (Fepafa) e do Corinthians Steamrollers, bem como diretor geral da São Paulo Football League (SPFL), Ricardo Trigo. "Fiquei muito feliz e orgulhoso do JP, por ter estudado a minha história, para me entrevistar. Foi uma das entrevistas que mais gostei, em toda minha carreira", afirma Trigo.

A incursão do menino JP no digital começou a convite do presidente da Brazil Ice Hockey, Alexandre Capelle, ao saber que o brasileiro estava jogando na PDL. "A intenção é fazer a ponte entre uma das maiores revelações brasileiras no hóquei no gelo e as várias crianças no Brasil que têm curiosidade e até o sonho de jogar nos EUA", explica Capelle. "Eu enxerguei no JP a viabilidade de alavancar o hóquei no Brasil. Como esse é um projeto de longo prazo, nada mais justo do que investir em uma criança para se comunicar com seus pares."

Chapéus e dribles da vaca no hóquei no gelo – JP é torcedor fanático do Corinthians. Com 5 anos de idade foi treinar na escolinha do clube, a Chute Inicial. Frequentemente, é chamado de Neymar pelos colegas do Palm Beach Hawks, pela habilidade que exibe nos treinos diários fora dos rinks de gelo. Neles, o treinador sempre realiza uma descontraída partida de futebol, antes do treino em campo, que dura 1 hora, além de outra  dedicada ao treinamento no rink e 20 minutos de corrida fora do gelo.

A descontração que exibe no talk show é repetida nos rinks de gelo, por meio de dribles, com a ginga característica dos jogadores brasileiros de futebol. "Eu comecei com o drible da vaca, que deu super certo e foi bastante comentado nas mídias sociais. Depois, comecei a treinar chapéu com o disco, e consegui aplicar o drible em um adversário em campeonato recente. Está tudo nas redes sociais", comenta o talentoso e sonhador menino JP. "O meu sonho é um dia jogar profissionalmente e ser considerado o "Neymar do gelo", ao mostrar que a ginga brasileira do Pelé, que assisti no filme sobre a vida dele, ultrapassa as fronteiras do futebol no Brasil."

Links de vídeos do talk show e de dribles sensacionais em partidas disputadas nos EUA pelo jogador de hóquei no gelo do sub-12, do Palm Beach Hawks, João Pedro Cunha Cassiano Alves, o JP:

- "JP Hockey Talk Show": https://youtube.com/BraziliceHockey

- Perfil do JP, no Instagram: https://www.instagram.com/jpalveshockey/ 

- Vídeos com chapéus e dribles da vaca, no hóquei no gelo:

https://www.instagram.com/p/CILl-wwnnq3/?utm_source=ig_web_copy_link

https://www.instagram.com/p/CF5A37QnAE_/?utm_source=ig_web_copy_link  

https://www.instagram.com/p/CF4xn-nnte6/?utm_source=ig_web_copy_link

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1373429/Joao_Pedro_Cunha_Cassiano_Alves_JP_Hoqueinogelo.jpg

FONTE João Pedro Cunha Cassiano Alves

João Pedro Cunha Cassiano Alves, o JP, é chamado de "Neymar" pelos colegas do Palm Beach Hawks, time pelo qual joga no sub-12, pela habilidade que exibe nos treinos diários e em partidas nos rinks de gelo JP comanda o "JP Hockey Talk Show", programa veiculado pelo You Tube, e já entrevistou profissionais da NHL e liga europeia, medalhistas olímpicos e jogadores de hóquei e outros esportes dos EUA, Brasil e outros países O time de JP é treinado por Sergei Berezin, que tem no currículo a participação em quatro Olimpíadas, pela seleção russa, e a passagem por vários clubes da NHL, a liga profissional da América do Norte de hóquei no gelo

SÃO PAULO, 10 de dezembro de 2020 /PRNewswire/ -- Um brasileiro de 11 anos, que mudou-se com a família da capital paulista para os Estados Unidos quatro anos atrás, tem chamado a atenção dos times norte-americanos de hóquei no gelo. Além de dribles da vaca e chapéus, jogadas características do nosso futebol, aplicados nos adversários em partidas disputadas nos rinks de gelo, o pré-adolescente também é conhecido pelos fãs do esporte, inclusive no Brasil, por comandar o "JP Hockey Talk Show", veiculado pelo You Tube.

João Pedro Cunha Cassiano Alves, o JP, desde que descobriu o hóquei, aos 7 anos de idade, quando começou um estágio com duração de cinco semestres, no Florida Panthers, tem tido uma ascensão meteórica no esporte praticado nos rinks de gelo. Já no fim do primeiro semestre foi alçado diretamente para o terceiro período do estágio, pela desenvoltura técnica apresentada. Depois de apenas duas semanas nessa fase, pulou direto para o programa de desenvolvimento de jogadores chamado Panthers Development League (PDL). Ou seja, em razão do seu talento, o aprendizado básico que as outras crianças levam 30 meses para completar, JP terminou em pouco menos de sete meses.

Na PDL, começou na categoria para crianças de até 8 anos de idade e, no fim da temporada com a garotada, pulou direto para a sub-10, onde treinou por dois anos. Com 11 anos, foi escolhido para atuar no chamado Travel Team, cujos jogadores do nível A (advanced) viajam pelos EUA para participar de campeonatos. Hoje, JP faz parte da equipe do sub-12, do Palm Beach Hawks, que é treinado por Sergei Berezin, que tem no currículo a participação em quatro Olimpíadas, pela seleção russa, e a passagem por vários clubes da NHL, a liga profissional da América do Norte de hóquei no gelo, entre eles, o Toronto Maple Leafs, Phoenix Coyotes, Montreal Canadiens, Chicago Blackhawks e Washington Capitals.

Revelação pré-adolescente dos sticks (tacos) e pucks (discos de borracha) nos rinks de gelo nos EUA, JP tem se mostrado também um craque nos microfones. Há pouco mais de 6 meses comanda o "JP Hockey Talk Show", veiculado pelo You Tube (youtube.com/BraziliceHockey) e que já levou ao ar entrevistas com profissionais da NHL e liga europeia, além de um medalhista olímpico e jogadores e personalidades do hóquei, no Brasil, e outros esportes. Dentre elas, o presidente da Federação Paulista de Futebol Americano (Fepafa) e do Corinthians Steamrollers, bem como diretor geral da São Paulo Football League (SPFL), Ricardo Trigo. "Fiquei muito feliz e orgulhoso do JP, por ter estudado a minha história, para me entrevistar. Foi uma das entrevistas que mais gostei, em toda minha carreira", afirma Trigo.

A incursão do menino JP no digital começou a convite do presidente da Brazil Ice Hockey, Alexandre Capelle, ao saber que o brasileiro estava jogando na PDL. "A intenção é fazer a ponte entre uma das maiores revelações brasileiras no hóquei no gelo e as várias crianças no Brasil que têm curiosidade e até o sonho de jogar nos EUA", explica Capelle. "Eu enxerguei no JP a viabilidade de alavancar o hóquei no Brasil. Como esse é um projeto de longo prazo, nada mais justo do que investir em uma criança para se comunicar com seus pares."

Chapéus e dribles da vaca no hóquei no gelo – JP é torcedor fanático do Corinthians. Com 5 anos de idade foi treinar na escolinha do clube, a Chute Inicial. Frequentemente, é chamado de Neymar pelos colegas do Palm Beach Hawks, pela habilidade que exibe nos treinos diários fora dos rinks de gelo. Neles, o treinador sempre realiza uma descontraída partida de futebol, antes do treino em campo, que dura 1 hora, além de outra  dedicada ao treinamento no rink e 20 minutos de corrida fora do gelo.

A descontração que exibe no talk show é repetida nos rinks de gelo, por meio de dribles, com a ginga característica dos jogadores brasileiros de futebol. "Eu comecei com o drible da vaca, que deu super certo e foi bastante comentado nas mídias sociais. Depois, comecei a treinar chapéu com o disco, e consegui aplicar o drible em um adversário em campeonato recente. Está tudo nas redes sociais", comenta o talentoso e sonhador menino JP. "O meu sonho é um dia jogar profissionalmente e ser considerado o "Neymar do gelo", ao mostrar que a ginga brasileira do Pelé, que assisti no filme sobre a vida dele, ultrapassa as fronteiras do futebol no Brasil."

Links de vídeos do talk show e de dribles sensacionais em partidas disputadas nos EUA pelo jogador de hóquei no gelo do sub-12, do Palm Beach Hawks, João Pedro Cunha Cassiano Alves, o JP:

- "JP Hockey Talk Show": https://youtube.com/BraziliceHockey

- Perfil do JP, no Instagram: https://www.instagram.com/jpalveshockey/ 

- Vídeos com chapéus e dribles da vaca, no hóquei no gelo:

https://www.instagram.com/p/CILl-wwnnq3/?utm_source=ig_web_copy_link

https://www.instagram.com/p/CF5A37QnAE_/?utm_source=ig_web_copy_link  

https://www.instagram.com/p/CF4xn-nnte6/?utm_source=ig_web_copy_link

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1373429/Joao_Pedro_Cunha_Cassiano_Alves_JP_Hoqueinogelo.jpg

FONTE João Pedro Cunha Cassiano Alves

Você acabou de ler:

´Chapéus´ e dribles da vaca no hóquei no gelo: Menino Paulista é uma das maiores revelações do Brasil no esporte nos EUA

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/chapeus-e-dribles-da-vaca-no-hoquei-no-gelo-menino-paulista-e-uma-das-maiores-revelacoes-do-brasil-no-esporte-nos-eua/