China homenageia pessoas que combatem a pandemia e promete continuar enfrentando a Covid-19 globalmente

PEQUIM, 9 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- Uma reportagem da CGTN:

A China realizou uma reunião na terça-feira para homenagear pessoas que servem de exemplo na luta do país contra a epidemia da Covid-19 – a emergência sanitária mais extensa, mais desafiadora e de disseminação mais rápida já enfrentada desde a fundação da República Popular da China em 1949.

O renomado especialista em doenças respiratórias Zhong Nanshan recebeu a Medalha da República, a mais alta honraria do estado. Zhong identificou o vírus da SARS em 2003 e está atualmente liderando os esforços do governo chinês na luta contra a Covid-19.

Três outros especialistas médicos receberam o título honorário nacional de "Herói do Povo". Os agraciados são Zhang Boli, especialista em medicina tradicional chinesa que presidiu as pesquisas sobre um método de tratamento da Covid-19 que combina medicina tradicional chinesa com medicina ocidental; Zhang Dingyu, chefe do Hospital Jinyintan, em Wuhan, designado para tratamento do coronavírus; e Chen Wei, cientista médica militar que obteve grandes avanços em pesquisas básicas sobre a Covid-19 e no desenvolvimento de vacinas e medicamentos protetivos.

"Os trabalhadores médicos são os anjos mais bonitos e as pessoas mais amáveis da nova era", disse o presidente chinês Xi Jinping em discurso após a entrega das medalhas. "Seus nomes e feitos nunca serão esquecidos pela nação, pelo povo e pela história, e serão gravados no monumento da república."

Milhões de trabalhadores médicos lutaram na linha de frente contra a Covid-19 em todo o país, incluindo 540.000 na província de Hubei, no centro da China, e em sua capital, Wuhan, a região mais atingida durante o surto, disse Xi, que também é secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da Comissão Militar Central.

Esforços conjuntos para enfrentar os desafios globais

Xi prometeu que a China dará as mãos à comunidade internacional para enfrentar os desafios globais da pandemia.

Observando que o surto do novo coronavírus é a pior pandemia sofrida pelo mundo em um século, ele ressaltou as contribuições da China na luta global.

Ele enfatizou que a China tem agido com "abertura, transparência e responsabilidade" e cumprido ativamente suas obrigações internacionais desde o início do surto.

"Forneceu voluntariamente informações sobre o surto à Organização Mundial da Saúde (OMS) e a países e organizações regionais relevantes de forma muito oportuna, e divulgou a sequência genômica do novo coronavírus o mais cedo possível", disse.

A China já realizou mais de 70 intercâmbios com vários países e organizações internacionais e regionais sobre controle de epidemias para compartilhar sua experiência, observou Xi.

A China anunciou a decisão de fazer dois pagamentos de apoio financeiro à OMS, totalizando US$ 50 milhões; enviou 34 equipes de especialistas médicos a 32 países e ofereceu assistência a 150 países e quatro organizações internacionais; de 15 de março a 6 de setembro, o país exportou 151,5 bilhões de máscaras, 1,4 bilhão de trajes protetores, 230 milhões óculos de proteção, 209 mil ventiladores, 470 milhões de kits de teste e 80,14 milhões de termômetros infravermelhos, de acordo com Xi.

A pandemia tem demonstrado que a humanidade é uma comunidade que compartilha a dor e o sofrimento, disse ele, apelando à solidariedade e à cooperação em todo o mundo para enfrentar a crise.

A China continuará promovendo a cooperação internacional no controle de epidemias, ajudando a OMS a desempenhar o papel principal na luta e contribuindo para a construção de uma comunidade de saúde comum para a humanidade, disse.

China firme em busca de um futuro melhor

O presidente analisou as medidas tomadas pela China para combater o vírus e pediu unidade e determinação em todo o país para enfrentar os desafios e alcançar as metas de desenvolvimento.

Neste período de mais de sete meses, mais de 80.000 chineses foram infectados pelo vírus e cerca de 4.700 pessoas perderam a vida. Os números poderiam ter sido muito maiores sem as medidas firmes implementadas em vários níveis e sem os sacrifícios feitos por trabalhadores médicos, trabalhadores comunitários e residentes que seguiram rigorosamente as restrições para o controle de epidemia.

"Em pouco mais de um mês, a propagação crescente do vírus foi contida; em cerca de dois meses, o aumento diário dos casos domésticos de coronavírus caiu para um único dígito; e em aproximadamente três meses, uma vitória decisiva foi alcançada na batalha para defender a província de Hubei e sua capital, Wuhan", observou Xi.

Com a amenização do surto, a China anunciou uma série de políticas para ajudar as empresas, criar empregos, impulsionar o investimento e o consumo e avançar na redução da pobreza, disse ele.

A segunda maior economia do mundo cresceu 3,2% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, revertendo um declínio de 6,8% no primeiro trimestre.

"A China tornou-se a primeira grande economia a retornar ao crescimento desde o início da pandemia", disse Xi.

Olhando para o futuro, Xi disse que a China precisa continuar implementando medidas regulares de controle de epidemia e esforçando-se por uma vitória completa na luta contra a Covid-19.

Ele destacou o reforço das garantias institucionais para salvaguardar a vida e a saúde da população, apelando ao desenvolvimento de um sistema de saúde pública forte e à modernização do sistema de prevenção, controle e tratamento de grandes epidemias.

Também apelou à intensificação de esforços para garantir o crescimento econômico e melhorar a vida das pessoas, enfatizando que as metas e tarefas de desenvolvimento nacional precisam ser cumpridas.

A China pretende erradicar a pobreza absoluta e completar a construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos até 2020.

Xi também destacou a importância de elevar a conscientização sobre os riscos e de se ater um raciocínio de resultados. Ele apelou a esforços para melhorar as capacidades de prevenção e neutralização de diferentes tipos de riscos ao longo do caminho de desenvolvimento da China.

Ele expressou confiança no futuro da China na nova era. "Ninguém e nenhuma força pode impedir o povo chinês de alcançar uma vida melhor", afirmou.

Artigo original: https://news.cgtn.com/news/2020-09-08/China-honors-pandemic-fighters-vows-to-carry-on-fighting-COVID-19-TCeSeTaCze/index.html 

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=u8O1-cWAA_M

FONTE CGTN

PEQUIM, 9 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- Uma reportagem da CGTN:

A China realizou uma reunião na terça-feira para homenagear pessoas que servem de exemplo na luta do país contra a epidemia da Covid-19 – a emergência sanitária mais extensa, mais desafiadora e de disseminação mais rápida já enfrentada desde a fundação da República Popular da China em 1949.

O renomado especialista em doenças respiratórias Zhong Nanshan recebeu a Medalha da República, a mais alta honraria do estado. Zhong identificou o vírus da SARS em 2003 e está atualmente liderando os esforços do governo chinês na luta contra a Covid-19.

Três outros especialistas médicos receberam o título honorário nacional de "Herói do Povo". Os agraciados são Zhang Boli, especialista em medicina tradicional chinesa que presidiu as pesquisas sobre um método de tratamento da Covid-19 que combina medicina tradicional chinesa com medicina ocidental; Zhang Dingyu, chefe do Hospital Jinyintan, em Wuhan, designado para tratamento do coronavírus; e Chen Wei, cientista médica militar que obteve grandes avanços em pesquisas básicas sobre a Covid-19 e no desenvolvimento de vacinas e medicamentos protetivos.

"Os trabalhadores médicos são os anjos mais bonitos e as pessoas mais amáveis da nova era", disse o presidente chinês Xi Jinping em discurso após a entrega das medalhas. "Seus nomes e feitos nunca serão esquecidos pela nação, pelo povo e pela história, e serão gravados no monumento da república."

Milhões de trabalhadores médicos lutaram na linha de frente contra a Covid-19 em todo o país, incluindo 540.000 na província de Hubei, no centro da China, e em sua capital, Wuhan, a região mais atingida durante o surto, disse Xi, que também é secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da Comissão Militar Central.

Esforços conjuntos para enfrentar os desafios globais

Xi prometeu que a China dará as mãos à comunidade internacional para enfrentar os desafios globais da pandemia.

Observando que o surto do novo coronavírus é a pior pandemia sofrida pelo mundo em um século, ele ressaltou as contribuições da China na luta global.

Ele enfatizou que a China tem agido com "abertura, transparência e responsabilidade" e cumprido ativamente suas obrigações internacionais desde o início do surto.

"Forneceu voluntariamente informações sobre o surto à Organização Mundial da Saúde (OMS) e a países e organizações regionais relevantes de forma muito oportuna, e divulgou a sequência genômica do novo coronavírus o mais cedo possível", disse.

A China já realizou mais de 70 intercâmbios com vários países e organizações internacionais e regionais sobre controle de epidemias para compartilhar sua experiência, observou Xi.

A China anunciou a decisão de fazer dois pagamentos de apoio financeiro à OMS, totalizando US$ 50 milhões; enviou 34 equipes de especialistas médicos a 32 países e ofereceu assistência a 150 países e quatro organizações internacionais; de 15 de março a 6 de setembro, o país exportou 151,5 bilhões de máscaras, 1,4 bilhão de trajes protetores, 230 milhões óculos de proteção, 209 mil ventiladores, 470 milhões de kits de teste e 80,14 milhões de termômetros infravermelhos, de acordo com Xi.

A pandemia tem demonstrado que a humanidade é uma comunidade que compartilha a dor e o sofrimento, disse ele, apelando à solidariedade e à cooperação em todo o mundo para enfrentar a crise.

A China continuará promovendo a cooperação internacional no controle de epidemias, ajudando a OMS a desempenhar o papel principal na luta e contribuindo para a construção de uma comunidade de saúde comum para a humanidade, disse.

China firme em busca de um futuro melhor

O presidente analisou as medidas tomadas pela China para combater o vírus e pediu unidade e determinação em todo o país para enfrentar os desafios e alcançar as metas de desenvolvimento.

Neste período de mais de sete meses, mais de 80.000 chineses foram infectados pelo vírus e cerca de 4.700 pessoas perderam a vida. Os números poderiam ter sido muito maiores sem as medidas firmes implementadas em vários níveis e sem os sacrifícios feitos por trabalhadores médicos, trabalhadores comunitários e residentes que seguiram rigorosamente as restrições para o controle de epidemia.

"Em pouco mais de um mês, a propagação crescente do vírus foi contida; em cerca de dois meses, o aumento diário dos casos domésticos de coronavírus caiu para um único dígito; e em aproximadamente três meses, uma vitória decisiva foi alcançada na batalha para defender a província de Hubei e sua capital, Wuhan", observou Xi.

Com a amenização do surto, a China anunciou uma série de políticas para ajudar as empresas, criar empregos, impulsionar o investimento e o consumo e avançar na redução da pobreza, disse ele.

A segunda maior economia do mundo cresceu 3,2% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, revertendo um declínio de 6,8% no primeiro trimestre.

"A China tornou-se a primeira grande economia a retornar ao crescimento desde o início da pandemia", disse Xi.

Olhando para o futuro, Xi disse que a China precisa continuar implementando medidas regulares de controle de epidemia e esforçando-se por uma vitória completa na luta contra a Covid-19.

Ele destacou o reforço das garantias institucionais para salvaguardar a vida e a saúde da população, apelando ao desenvolvimento de um sistema de saúde pública forte e à modernização do sistema de prevenção, controle e tratamento de grandes epidemias.

Também apelou à intensificação de esforços para garantir o crescimento econômico e melhorar a vida das pessoas, enfatizando que as metas e tarefas de desenvolvimento nacional precisam ser cumpridas.

A China pretende erradicar a pobreza absoluta e completar a construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos até 2020.

Xi também destacou a importância de elevar a conscientização sobre os riscos e de se ater um raciocínio de resultados. Ele apelou a esforços para melhorar as capacidades de prevenção e neutralização de diferentes tipos de riscos ao longo do caminho de desenvolvimento da China.

Ele expressou confiança no futuro da China na nova era. "Ninguém e nenhuma força pode impedir o povo chinês de alcançar uma vida melhor", afirmou.

Artigo original: https://news.cgtn.com/news/2020-09-08/China-honors-pandemic-fighters-vows-to-carry-on-fighting-COVID-19-TCeSeTaCze/index.html 

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=u8O1-cWAA_M

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

China homenageia pessoas que combatem a pandemia e promete continuar enfrentando a Covid-19 globalmente

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/china-homenageia-pessoas-que-combatem-a-pandemia-e-promete-continuar-enfrentando-a-covid-19-globalmente/