Códigos de barras 2D são a (r)evolução do código de barras

SÃO PAULO, 13 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- A capacidade de capturar, armazenar e processar a infinidade de dados que são gerados diariamente se tornou fator fundamental para a sobrevivência das empresas e para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Sendo assim, não seria nenhuma surpresa se houvesse uma transformação nos processos de automação.

Há 50 anos nasceu a tecnologia que revolucionou o mercado e que é utilizada até hoje nos caixas do varejo. É a automação pela leitura dos códigos de barras que vemos nos produtos que consumimos. Mas o mundo está mudando rapidamente, assim como as necessidades da indústria, do varejo, dos produtores e dos próprios consumidores. O código 2D chega para atender um mercado cada vez mais exigente, trazendo muito mais informação, segurança e modernidade.

O código 2D, como o nome já diz, é um código bidimensional, que possui a capacidade de armazenar muito mais informações que o código de barras linear como data de validade, lote, número de série, dados nutricionais entre outros. Enquanto o código de barras tradicional carrega 13 dígitos, o bidimensional pode conter milhares de dígitos, além de permitir a impressão em uma área muito menor na embalagem.

Falamos de uma verdadeira revolução tecnológica, possibilitando à indústria e ao varejo, seja físico ou digital, simplificar processos, melhorar gestão e controle de estoques, monitorar a data de validade, além de prevenir perdas. Para os consumidores, garante a autenticidade dos produtos e uma experiência melhor de compra. Essa simples mudança nas embalagens vai permitir que todos os elos da cadeia de suprimentos se conectem de forma rápida, segura, transparente e sustentável.

A GS1 apoia empresas em todo mundo na transição do código linear para o bidimensional. No mercado interno, a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil incentiva o uso dos códigos bidimensionais GS1 DataMatrix, que ganhou projeção no setor da saúde, e o GS1 QRCode. Além disso, mantém parcerias com entidades que entenderam a oportunidade de desenvolvimento dos seus setores nesse processo de transição. São elas a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados-ABAD, Associação Brasileira de Supermercados-ABRAS, Associação Brasileira de Tecnologia para o Comércio e Serviços-AFRAC, Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção-ANAMACO, Produce Marketing Association-PMA, Associação Brasileira de Embalagem-ABRE, Associação Brasileira das Indústrias e Setor de Sorvetes-ABIS, Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização-ABMAPRO.

Contato:

Marcelo Danil

Telefone: + 55 13 997418833

E-mail: marcelodanil@dfreire.com.br

FONTE GS1 Brasil

SÃO PAULO, 13 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- A capacidade de capturar, armazenar e processar a infinidade de dados que são gerados diariamente se tornou fator fundamental para a sobrevivência das empresas e para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Sendo assim, não seria nenhuma surpresa se houvesse uma transformação nos processos de automação.

Há 50 anos nasceu a tecnologia que revolucionou o mercado e que é utilizada até hoje nos caixas do varejo. É a automação pela leitura dos códigos de barras que vemos nos produtos que consumimos. Mas o mundo está mudando rapidamente, assim como as necessidades da indústria, do varejo, dos produtores e dos próprios consumidores. O código 2D chega para atender um mercado cada vez mais exigente, trazendo muito mais informação, segurança e modernidade.

O código 2D, como o nome já diz, é um código bidimensional, que possui a capacidade de armazenar muito mais informações que o código de barras linear como data de validade, lote, número de série, dados nutricionais entre outros. Enquanto o código de barras tradicional carrega 13 dígitos, o bidimensional pode conter milhares de dígitos, além de permitir a impressão em uma área muito menor na embalagem.

Falamos de uma verdadeira revolução tecnológica, possibilitando à indústria e ao varejo, seja físico ou digital, simplificar processos, melhorar gestão e controle de estoques, monitorar a data de validade, além de prevenir perdas. Para os consumidores, garante a autenticidade dos produtos e uma experiência melhor de compra. Essa simples mudança nas embalagens vai permitir que todos os elos da cadeia de suprimentos se conectem de forma rápida, segura, transparente e sustentável.

A GS1 apoia empresas em todo mundo na transição do código linear para o bidimensional. No mercado interno, a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil incentiva o uso dos códigos bidimensionais GS1 DataMatrix, que ganhou projeção no setor da saúde, e o GS1 QRCode. Além disso, mantém parcerias com entidades que entenderam a oportunidade de desenvolvimento dos seus setores nesse processo de transição. São elas a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados-ABAD, Associação Brasileira de Supermercados-ABRAS, Associação Brasileira de Tecnologia para o Comércio e Serviços-AFRAC, Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção-ANAMACO, Produce Marketing Association-PMA, Associação Brasileira de Embalagem-ABRE, Associação Brasileira das Indústrias e Setor de Sorvetes-ABIS, Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização-ABMAPRO.

Contato:

Marcelo Danil

Telefone: + 55 13 997418833

E-mail: marcelodanil@dfreire.com.br

FONTE GS1 Brasil

Você acabou de ler:

Códigos de barras 2D são a (r)evolução do código de barras

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/codigos-de-barras-2d-sao-a-revolucao-do-codigo-de-barras/