Com nomes de Ricardo Herz a Geo, ''Do Luto'' é o novo EP de Lucas Adon

SÃO PAULO, 23 de novembro de 2018 /PRNewswire/ -- O EP "Do Luto" acaba de chegar a todas as plataformas digitais e é a primeira parte do disco "Do Luto à Luta", de Lucas Adon. Possui seis faixas, sendo uma correspondente ao amor idealizado e as outras cinco referentes às fases do luto: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. O primeiro single foi lançado em 2017 e chama "Se Não Fosse Você" (idealização). Em seguida, veio "Desencadeou" (raiva), com clipe veiculado na MTV e participação de artistas independentes, além do grupo Batucaps de pacientes do CAPS Mauá. "Tem, Mas Tá Em Falta" (depressão) teve clipe dirigido por Nícolas Vargas (MTV, TV Futura e outros). E "Só Carolina Não Viu" (aceitação) foi composta em parceria com a jornalista Carol Tavares.

Agora, o EP completo sai do forno, com "Homem das Cavernas" (barganha) e "Andorinha" (negação). As participações trazem Geo, Marina Decourt, Ricardo Herz, Antônio Ornelas, Rebeca Montanha. A segunda parte do projeto conta ainda com Anna Tréa, Jotapê e Yasmin Olí e a banda tem Paulo Afonso Tchê, Wagner Bernardes, Felipe Dok e Buga Junior.

Saiba mais:

Lucas Adon fazia parte da passeata "Movimento Passe Livre", quando um policial apontou a arma para ele. A cena foi fotografada e se tornou capa de seu primeiro disco, "Liberdade LTDA", um pop/rock com pitadas de música brasileira.

As composições não pararam e outras canções começaram a tomar forma, com referências novas e seguindo um caminho de arranjos cuidadosos - experimentações que diferenciam do primeiro trabalho. "Do Luto à Luta" é o álbum que chega agora, dividido em duas partes. Na primeira, a grande perda faz com que o cantor viva, faixa a faixa, uma fase do luto. Na segunda, ele se reergue e vai à luta por transformações.

Formado em psicologia, Lucas Adon sempre atuou junto aos Direitos Humanos e a pessoas em situação de rua. A profissão acaba servindo como inspiração e a música pulsa no sangue desde muito cedo, já que seu pai é ex-baixista da cantora Angela Maria, além de ter feito parte do time do antigo Bambalalão – programa infantil da TV Cultura – e ter criado, em seguida, a Rádio Balangandan, também com foco nas crianças. Hoje, é ele quem acompanha o filho no baixo. Juntos, já fizeram também teatro infantil, que ficou em cartaz nos teatros e SESCs paulistanos.

Contato:

Carol Tavares

Contato por WhatsApp: 1199293-3751

Contato por telefone: +3467787-9507

FONTE Jazz House / Descasco Abacaxi

SÃO PAULO, 23 de novembro de 2018 /PRNewswire/ -- O EP "Do Luto" acaba de chegar a todas as plataformas digitais e é a primeira parte do disco "Do Luto à Luta", de Lucas Adon. Possui seis faixas, sendo uma correspondente ao amor idealizado e as outras cinco referentes às fases do luto: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. O primeiro single foi lançado em 2017 e chama "Se Não Fosse Você" (idealização). Em seguida, veio "Desencadeou" (raiva), com clipe veiculado na MTV e participação de artistas independentes, além do grupo Batucaps de pacientes do CAPS Mauá. "Tem, Mas Tá Em Falta" (depressão) teve clipe dirigido por Nícolas Vargas (MTV, TV Futura e outros). E "Só Carolina Não Viu" (aceitação) foi composta em parceria com a jornalista Carol Tavares.

Agora, o EP completo sai do forno, com "Homem das Cavernas" (barganha) e "Andorinha" (negação). As participações trazem Geo, Marina Decourt, Ricardo Herz, Antônio Ornelas, Rebeca Montanha. A segunda parte do projeto conta ainda com Anna Tréa, Jotapê e Yasmin Olí e a banda tem Paulo Afonso Tchê, Wagner Bernardes, Felipe Dok e Buga Junior.

Saiba mais:

Lucas Adon fazia parte da passeata "Movimento Passe Livre", quando um policial apontou a arma para ele. A cena foi fotografada e se tornou capa de seu primeiro disco, "Liberdade LTDA", um pop/rock com pitadas de música brasileira.

As composições não pararam e outras canções começaram a tomar forma, com referências novas e seguindo um caminho de arranjos cuidadosos - experimentações que diferenciam do primeiro trabalho. "Do Luto à Luta" é o álbum que chega agora, dividido em duas partes. Na primeira, a grande perda faz com que o cantor viva, faixa a faixa, uma fase do luto. Na segunda, ele se reergue e vai à luta por transformações.

Formado em psicologia, Lucas Adon sempre atuou junto aos Direitos Humanos e a pessoas em situação de rua. A profissão acaba servindo como inspiração e a música pulsa no sangue desde muito cedo, já que seu pai é ex-baixista da cantora Angela Maria, além de ter feito parte do time do antigo Bambalalão – programa infantil da TV Cultura – e ter criado, em seguida, a Rádio Balangandan, também com foco nas crianças. Hoje, é ele quem acompanha o filho no baixo. Juntos, já fizeram também teatro infantil, que ficou em cartaz nos teatros e SESCs paulistanos.

Contato:

Carol Tavares

Contato por WhatsApp: 1199293-3751

Contato por telefone: +3467787-9507

FONTE Jazz House / Descasco Abacaxi