Como fica a construção civil em tempos de pandemia do Covid-19?

SÃO PAULO, 19 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- Falar sobre a pandemia do Covid-19 não é mais novidade para ninguém, e com a disseminação da doença sabemos que muitos são os setores do país que vem sendo impactados.

Hoje falaremos sobre o ramo da construção civil e para isso convidamos Josué Eraldo da Silva, empreendedor do ramo e gerente da Jacitara Holding, listada como uma das maiores construtoras do país. 

De início, o empresário comenta que o primeiro grande impacto foi o cancelamento e a paralisação de diversas obras: "Construções que já estavam em andamento foram interrompidas e outras que estavam para ser iniciadas tiveram seus inícios prorrogados diante do atual cenário".

Os impactos negativos são sentidos na pele de profissionais que tiveram suas rendas suspensas em decorrência da situação, que gerou um alto número de demissões no setor.

As poucas obras que não foram interrompidas sofreram com mudanças significativas, e segundo Josué Eraldo da Silva, as principais são:

  • Utilização de álcool em gel: colocação de diversos recipientes espalhados por diversos setores das obras com o produto.



  • Colocação de lavatório para as mãos: logo na entrada de muitas construções foram disponibilizados pias para que os funcionários possam higienizar as mãos antes de iniciar seus trabalhos.



  • Incentivo à higiene e cuidados: colocação de painéis que comunicam a importância de cuidar da saúde, com a higienização correta das mãos, uso de máscara e evitar contato com outras pessoas.



  • Pessoas acima de 60 anos em casa: os trabalhadores com idade superior a 60 anos foram afastados, tendo em vista que são do grupo de risco da doença.

Para o representante da construtora Jacitara, Josué Eraldo da Silva, é de suma importância estar lado a lado dos profissionais do ramo da construção, oferecendo suporte e apoio para que possam enfrentar este momento com qualidade de vida.

FONTE Construtora Jacitara

SÃO PAULO, 19 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- Falar sobre a pandemia do Covid-19 não é mais novidade para ninguém, e com a disseminação da doença sabemos que muitos são os setores do país que vem sendo impactados.

Hoje falaremos sobre o ramo da construção civil e para isso convidamos Josué Eraldo da Silva, empreendedor do ramo e gerente da Jacitara Holding, listada como uma das maiores construtoras do país. 

De início, o empresário comenta que o primeiro grande impacto foi o cancelamento e a paralisação de diversas obras: "Construções que já estavam em andamento foram interrompidas e outras que estavam para ser iniciadas tiveram seus inícios prorrogados diante do atual cenário".

Os impactos negativos são sentidos na pele de profissionais que tiveram suas rendas suspensas em decorrência da situação, que gerou um alto número de demissões no setor.

As poucas obras que não foram interrompidas sofreram com mudanças significativas, e segundo Josué Eraldo da Silva, as principais são:

  • Utilização de álcool em gel: colocação de diversos recipientes espalhados por diversos setores das obras com o produto.



  • Colocação de lavatório para as mãos: logo na entrada de muitas construções foram disponibilizados pias para que os funcionários possam higienizar as mãos antes de iniciar seus trabalhos.



  • Incentivo à higiene e cuidados: colocação de painéis que comunicam a importância de cuidar da saúde, com a higienização correta das mãos, uso de máscara e evitar contato com outras pessoas.



  • Pessoas acima de 60 anos em casa: os trabalhadores com idade superior a 60 anos foram afastados, tendo em vista que são do grupo de risco da doença.

Para o representante da construtora Jacitara, Josué Eraldo da Silva, é de suma importância estar lado a lado dos profissionais do ramo da construção, oferecendo suporte e apoio para que possam enfrentar este momento com qualidade de vida.

FONTE Construtora Jacitara

Você acabou de ler:

Como fica a construção civil em tempos de pandemia do Covid-19?

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/como-fica-a-construcao-civil-em-tempos-de-pandemia-do-covid-19/