Compartilhando um mundo mais inteligente: Guangzhou imagina um futuro digital no Pacífico Sul

GUANGZHOU, China, 16 de novembro de 2018 /PRNewswire/ -- A cerca de 6.000 km da China se encontra o Estado Independente de Papua Nova Guiné (PNG), ilha do Pacífico Sul onde a Cúpula APEC 2018 é realizada. Apesar da distância, o intercâmbio entre os povos dos dois países data da época do comércio marítimo, antes do século 19. As histórias sobre os fortes vínculos e os benefícios mútuos se mantêm até hoje, principalmente para a cidade de Guangzhou, no sul da China.

Convocadas por iniciativa do Departamento de Informação do Conselho de Estado da China e organizadas pelo Departamento de Informação do Governo Popular do Município de Guangzhou, duas sessões de relatos de histórias sobre os intercâmbios amistosos entre a China e Papua Nova Guiné e entre a China e Brunei, respectivamente, foram realizadas em eventos paralelos à reunião da APEC. Mais de 100 convidados do setor empresarial, acadêmico, político, e da mídia local narraram suas experiências e suas trocas comerciais e pessoais e fortaleceram os já sólidos vínculos, tendo em vista um futuro digital.

"Esperamos que os esforços dos pioneiros da tecnologia, como a iFlytek, por exemplo, permitam que as crianças que moram em áreas rurais de Papua Nova Guiné falem inglês fluentemente e recebam uma educação inteligente. Os cidadãos comuns podem desfrutar da maior conveniência que uma cidade inteligente oferece através dos serviços remotos. Com um sistema de registros médicos eletrônicos baseado em voz, os médicos podem aumentar a sua eficiência", disse Du Lan, vice-presidente sênior da iFlytek, empresa chinesa de tecnologia, durante a entre a China e Papua Nova Guiné realizada em 12 de novembro.

No evento, Guangzhou estreitou os laços com a população local oferecendo um ambiente de abertura, inclusão e colaboração para benefício de todos, como a China sempre promoveu. Além disso, a apresentação de suas empresas de tecnologia de ponta e de seus produtos deixou clara a intenção da cidade de aprofundar a colaboração internacional para compartilhar os dividendos do desenvolvimento digital com o povo da China e muitos outros países.

Durante muito tempo, graças a uma franca colaboração baseada nos benefícios mútuos com Papua Nova Guiné e outros países insulares do Pacífico Sul dentro do marco da Cooperação Sul-Sul, a China ajudou a promover o desenvolvimento social e econômico em nível local e a aumentar sua capacidade de desenvolvimento independente. Tendo os contatos não governamentais como eixo, aumentou-se o impulso para a cooperação por meio das trocas entre os povos, construção de projetos, e inovação tecnológica e científica, que abrange desde infraestrutura pública, como instalações de conservação de água, escolas, centros de recreação comunitária, até investimento comercial e econômico e turismo.

Na verdade, com o aprofundamento dos esforços de cooperação, a região do Pacífico Sul está apresentando melhoras evidentes em termos de infraestrutura e ambiente tecnológico, e um bom exemplo disso é Papua Nova Guiné.

"A previsão é que o transporte por veículos aéreos não tripulados, com o impulso da rede de comunicação em alta velocidade, será um avanço para Papua Nova Guiné em áreas como transporte aéreo e resgate de emergência", disse Tang Zhejun, vice-presidente da Ehang, fabricante de drones baseada em Guangzhou, durante a sessão. Reconhecida como a Melhor Empresa Inovadora do Mundo em 2016 pela Fast Company, a empresa desenvolveu internamente o Ehang 184, o primeiro drone tripulado de baixa altitude do mundo para pequenas e médias distâncias.

A economia digital da China, liderada pelos big data, computação em nuvem e inteligência artificial, está florescendo graças ao imenso progresso das tecnologias avançadas nos últimos anos.

A China ocupa o segundo lugar no mundo no índice de desenvolvimento da economia digital, superada apenas pelos EUA, de acordo com o Índice Internacional de Desenvolvimento da Economia Digital, edição de 2018, divulgado por instituições como a AliResearch, o thinktank do Alibaba, gigante chinês do comércio eletrônico, e KPMG, firma de contabilidade profissional de fama mundial. O relatório mostra também que a China está em primeiro lugar no subíndice de consumidores da economia digital. Como pioneira da abertura e reforma da China, Guangzhou atua como ímã da inovação e é um pilar importante do cenário econômico digital da China.

O Complexo Pazhou para Inovação na Internet, de 12 km2 e situado em Guangzhou, está atraindo empresas estabelecidas como a Tencent, Alibaba e iFlytek e recebendo mais de 72,5 bilhões de yuans (US$ 10,4 bilhões) em investimentos, tornando-se um centro importante da economia digital mundial.

"Com um pensamento inovador, Guangzhou, cidade lendária e em rápido crescimento, superou várias cidades emergentes. É sem dúvida motivo de inspiração para nós porque estamos decididos a nos internacionalizar para aumentar o desenvolvimento", disse Raka Taviri, diretor geral da EDA RANU e Water PNG Ltd., durante a sessão de trocas de experiências.

"Espero que mais países, inclusive a China e Papua Nova Guiné, aprofundem ainda mais a inovação tecnológica e a cooperação mundial e criem um sistema industrial de IA que beneficie a todos para criar um futuro digital de que todo o mundo possa desfrutar", disse Du Lan.

A China e Papua Nova Guiné pretendem ampliar as áreas de colaboração a longo prazo, considerando-se que os relacionamentos bilaterais estão entrando em uma nova era. À medida que a China coloca sua economia em um novo patamar, Papua Nova Guiné implementaria um mecanismo de câmbio de divisas local em relação ao RMB para facilitar a colaboração, os negócios e outros intercâmbios entre os dois povos, comentou Carl Kerepa Yalo, consultor econômico para o primeiro-ministro de Papuá Nova Guiné.

FONTE The Information Office of the People's Government of Guangzhou Municipality

GUANGZHOU, China, 16 de novembro de 2018 /PRNewswire/ -- A cerca de 6.000 km da China se encontra o Estado Independente de Papua Nova Guiné (PNG), ilha do Pacífico Sul onde a Cúpula APEC 2018 é realizada. Apesar da distância, o intercâmbio entre os povos dos dois países data da época do comércio marítimo, antes do século 19. As histórias sobre os fortes vínculos e os benefícios mútuos se mantêm até hoje, principalmente para a cidade de Guangzhou, no sul da China.

Convocadas por iniciativa do Departamento de Informação do Conselho de Estado da China e organizadas pelo Departamento de Informação do Governo Popular do Município de Guangzhou, duas sessões de relatos de histórias sobre os intercâmbios amistosos entre a China e Papua Nova Guiné e entre a China e Brunei, respectivamente, foram realizadas em eventos paralelos à reunião da APEC. Mais de 100 convidados do setor empresarial, acadêmico, político, e da mídia local narraram suas experiências e suas trocas comerciais e pessoais e fortaleceram os já sólidos vínculos, tendo em vista um futuro digital.

"Esperamos que os esforços dos pioneiros da tecnologia, como a iFlytek, por exemplo, permitam que as crianças que moram em áreas rurais de Papua Nova Guiné falem inglês fluentemente e recebam uma educação inteligente. Os cidadãos comuns podem desfrutar da maior conveniência que uma cidade inteligente oferece através dos serviços remotos. Com um sistema de registros médicos eletrônicos baseado em voz, os médicos podem aumentar a sua eficiência", disse Du Lan, vice-presidente sênior da iFlytek, empresa chinesa de tecnologia, durante a entre a China e Papua Nova Guiné realizada em 12 de novembro.

No evento, Guangzhou estreitou os laços com a população local oferecendo um ambiente de abertura, inclusão e colaboração para benefício de todos, como a China sempre promoveu. Além disso, a apresentação de suas empresas de tecnologia de ponta e de seus produtos deixou clara a intenção da cidade de aprofundar a colaboração internacional para compartilhar os dividendos do desenvolvimento digital com o povo da China e muitos outros países.

Durante muito tempo, graças a uma franca colaboração baseada nos benefícios mútuos com Papua Nova Guiné e outros países insulares do Pacífico Sul dentro do marco da Cooperação Sul-Sul, a China ajudou a promover o desenvolvimento social e econômico em nível local e a aumentar sua capacidade de desenvolvimento independente. Tendo os contatos não governamentais como eixo, aumentou-se o impulso para a cooperação por meio das trocas entre os povos, construção de projetos, e inovação tecnológica e científica, que abrange desde infraestrutura pública, como instalações de conservação de água, escolas, centros de recreação comunitária, até investimento comercial e econômico e turismo.

Na verdade, com o aprofundamento dos esforços de cooperação, a região do Pacífico Sul está apresentando melhoras evidentes em termos de infraestrutura e ambiente tecnológico, e um bom exemplo disso é Papua Nova Guiné.

"A previsão é que o transporte por veículos aéreos não tripulados, com o impulso da rede de comunicação em alta velocidade, será um avanço para Papua Nova Guiné em áreas como transporte aéreo e resgate de emergência", disse Tang Zhejun, vice-presidente da Ehang, fabricante de drones baseada em Guangzhou, durante a sessão. Reconhecida como a Melhor Empresa Inovadora do Mundo em 2016 pela Fast Company, a empresa desenvolveu internamente o Ehang 184, o primeiro drone tripulado de baixa altitude do mundo para pequenas e médias distâncias.

A economia digital da China, liderada pelos big data, computação em nuvem e inteligência artificial, está florescendo graças ao imenso progresso das tecnologias avançadas nos últimos anos.

A China ocupa o segundo lugar no mundo no índice de desenvolvimento da economia digital, superada apenas pelos EUA, de acordo com o Índice Internacional de Desenvolvimento da Economia Digital, edição de 2018, divulgado por instituições como a AliResearch, o thinktank do Alibaba, gigante chinês do comércio eletrônico, e KPMG, firma de contabilidade profissional de fama mundial. O relatório mostra também que a China está em primeiro lugar no subíndice de consumidores da economia digital. Como pioneira da abertura e reforma da China, Guangzhou atua como ímã da inovação e é um pilar importante do cenário econômico digital da China.

O Complexo Pazhou para Inovação na Internet, de 12 km2 e situado em Guangzhou, está atraindo empresas estabelecidas como a Tencent, Alibaba e iFlytek e recebendo mais de 72,5 bilhões de yuans (US$ 10,4 bilhões) em investimentos, tornando-se um centro importante da economia digital mundial.

"Com um pensamento inovador, Guangzhou, cidade lendária e em rápido crescimento, superou várias cidades emergentes. É sem dúvida motivo de inspiração para nós porque estamos decididos a nos internacionalizar para aumentar o desenvolvimento", disse Raka Taviri, diretor geral da EDA RANU e Water PNG Ltd., durante a sessão de trocas de experiências.

"Espero que mais países, inclusive a China e Papua Nova Guiné, aprofundem ainda mais a inovação tecnológica e a cooperação mundial e criem um sistema industrial de IA que beneficie a todos para criar um futuro digital de que todo o mundo possa desfrutar", disse Du Lan.

A China e Papua Nova Guiné pretendem ampliar as áreas de colaboração a longo prazo, considerando-se que os relacionamentos bilaterais estão entrando em uma nova era. À medida que a China coloca sua economia em um novo patamar, Papua Nova Guiné implementaria um mecanismo de câmbio de divisas local em relação ao RMB para facilitar a colaboração, os negócios e outros intercâmbios entre os dois povos, comentou Carl Kerepa Yalo, consultor econômico para o primeiro-ministro de Papuá Nova Guiné.

FONTE The Information Office of the People's Government of Guangzhou Municipality