Congresso Brasileiro de Reumatologia, pela primeira vez online, debate o impacto da pandemia em pacientes reumáticos

  • Durante os quatro dias de Congresso, serão apresentadas pesquisas lideradas pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) sobre os efeitos da pandemia em pacientes e na forma de atendimento médico.
  • Pesquisa revela que mais de 30% dos pacientes com doenças reumáticas não buscaram ajuda médica mesmo com a piora dos sintomas

SÃO PAULO, 19 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- De hoje a 22 de novembro, a Sociedade Brasileira de Reumatologia, com apoio da Sociedade Paulista de Reumatologia, reúne – online, pela primeira vez -  cerca de 2 mil médicos, em torno de 263 palestras,  27 conferências (10 internacionais) e 21 simpósios que compõem a programação do Congresso Brasileiro de Reumatologia (SBR2020).  No total, foram mais de 600 trabalhos científicos inscritos. O Brasileiro é o terceiro maior congresso do mundo da especialidade e este ano "foi um grande desafio convertemos evento desse porte numa edição virtual", avalia o presidente do SBR2020, Dr. Rubens Bonfiglioli.

Pandemia e Pacientes Reumáticos -  Este ano, o impacto da pandemia na saúde, no comportamento do paciente  e dos especialistas será um dos temas principais.

"Os pacientes de doenças reumáticas estiveram no centro das discussões sobre a pandemia – como a controvérsia sobre os antimaláricos, usados há décadas para tratamento de determinadas doenças reumáticas. Tivemos que fazer uma força tarefa para esclarecer nossos pacientes sobre a importância de manter tratamento e nós, médicos, tivemos que aprender rápido como lidar com  especificações de tele-consulta", por exemplo, informa  Dr. José Roberto Provenza, presidente da SBR, na gestão 2018-2020.

Impacto da COVID em pacientes reumáticos - No SBR2020, serão apresentados os resultados da pesquisa COnVIDa, que ouviu, de forma virtual, 1.793 pacientes, em junho de 2020, que revelou que, por medo da pandemia, mais de 30% dos pacientes com doenças reumáticas não buscaram ajuda médica mesmo com a piora dos sintomas e 32% dessas pessoas evitaram procurar um médico, mesmo 29% tendo apresentado piora dos sintomas.  Do total de entrevistados, 17% pararam de tomar pelo menos um medicamento, dos quais 35% por conta própria. O motivo alegado para a suspensão está relacionado ao medo e risco de desfecho desfavorável.

"O estudo COnVIDa mostrou relevante impacto da pandemia Covid-19 na atenção à saúde de pacientes reumáticos no Brasil, principalmente em relação às incertezas", afirma o médico Marcelo Pinheiro, um dos investigadores da pesquisa.

Hidroxicloroquina – No SBR2020, serão apresentados também os detalhes do estudo sobre os efeitos da hidroxicloroquina na possível prevenção de formas moderadas a graves da Covid-19 em pacientes com doenças reumáticas autoimunes que já utilizavam o medicamento, um estudo multicêntrico nacional, chamado Projeto Mario Pinotti II, liderado pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), envolvendo 20 centros universitários brasileiros de nove estados e do Distrito Federal.  O nome do projeto é uma homenagem a Mario Pinotti, médico sanitarista e estudioso da cloroquina para o tratamento da malária, uso original da substância. Os antimaláricos, como a hidroxicloroquina, são administradas, de forma regular, em pacientes com lúpus, artrite reumatoide, dermatomiosite e Síndrome de Sjogren.

Livros – Durante o SBR2020, serão lançados quatro livros, com a chancela da SBR:  – a edição totalmente digitalizada do Livro da Sociedade Brasileira de Reumatologia, que inclui todas as principais formas de doenças reumáticas, procedimentos de diagnósticos e tratamentos, servindo como uma guia para especialistas de todo o país; a História da Reumatologia Pediátrica, de autoria da Professora Sheila Knupp, que narra o início desta especialidade até os dias de hoje (com apoio também da Sociedade Brasileira de Pediatria), Manual do Médico Residente (HCFMUSP), de Dra. Eloisa Bonfá e Dra. Rosa M Rodrigues Pereira, e  O Bem do Paciente na Atenção Médica, de Dr. José Marques (Comissão de Ética da SBR).

Mais sobre a SBR - A Sociedade Brasileira de Reumatologia, que completou 70 anos de atividades em 2019, é uma associação civil científica, sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover o desenvolvimento científico e da especialidade no Brasil. Hoje, conta com cerca  de 2 mil associados, distribuídos em 24 sociedades regionais estaduais e mantém assessorias e comissões científicas por áreas de especialidade, além de representações em associações médico-científicas nacionais e internacionais e junto ao Ministério da Saúde. A SBR é responsável pela certificação de especialistas em reumatologia, área médica que engloba quase 120 doenças inflamatórias crônicas. É filiada à  AMB - Associação Médica Brasileira que,  em 2018, outorgou à  SBR certificado de boas práticas em gestão.  Para mais informações, www.reumatologia.org.br

FONTE Sociedade Brasileira de Reumatologia

  • Durante os quatro dias de Congresso, serão apresentadas pesquisas lideradas pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) sobre os efeitos da pandemia em pacientes e na forma de atendimento médico.
  • Pesquisa revela que mais de 30% dos pacientes com doenças reumáticas não buscaram ajuda médica mesmo com a piora dos sintomas

SÃO PAULO, 19 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- De hoje a 22 de novembro, a Sociedade Brasileira de Reumatologia, com apoio da Sociedade Paulista de Reumatologia, reúne – online, pela primeira vez -  cerca de 2 mil médicos, em torno de 263 palestras,  27 conferências (10 internacionais) e 21 simpósios que compõem a programação do Congresso Brasileiro de Reumatologia (SBR2020).  No total, foram mais de 600 trabalhos científicos inscritos. O Brasileiro é o terceiro maior congresso do mundo da especialidade e este ano "foi um grande desafio convertemos evento desse porte numa edição virtual", avalia o presidente do SBR2020, Dr. Rubens Bonfiglioli.

Pandemia e Pacientes Reumáticos -  Este ano, o impacto da pandemia na saúde, no comportamento do paciente  e dos especialistas será um dos temas principais.

"Os pacientes de doenças reumáticas estiveram no centro das discussões sobre a pandemia – como a controvérsia sobre os antimaláricos, usados há décadas para tratamento de determinadas doenças reumáticas. Tivemos que fazer uma força tarefa para esclarecer nossos pacientes sobre a importância de manter tratamento e nós, médicos, tivemos que aprender rápido como lidar com  especificações de tele-consulta", por exemplo, informa  Dr. José Roberto Provenza, presidente da SBR, na gestão 2018-2020.

Impacto da COVID em pacientes reumáticos - No SBR2020, serão apresentados os resultados da pesquisa COnVIDa, que ouviu, de forma virtual, 1.793 pacientes, em junho de 2020, que revelou que, por medo da pandemia, mais de 30% dos pacientes com doenças reumáticas não buscaram ajuda médica mesmo com a piora dos sintomas e 32% dessas pessoas evitaram procurar um médico, mesmo 29% tendo apresentado piora dos sintomas.  Do total de entrevistados, 17% pararam de tomar pelo menos um medicamento, dos quais 35% por conta própria. O motivo alegado para a suspensão está relacionado ao medo e risco de desfecho desfavorável.

"O estudo COnVIDa mostrou relevante impacto da pandemia Covid-19 na atenção à saúde de pacientes reumáticos no Brasil, principalmente em relação às incertezas", afirma o médico Marcelo Pinheiro, um dos investigadores da pesquisa.

Hidroxicloroquina – No SBR2020, serão apresentados também os detalhes do estudo sobre os efeitos da hidroxicloroquina na possível prevenção de formas moderadas a graves da Covid-19 em pacientes com doenças reumáticas autoimunes que já utilizavam o medicamento, um estudo multicêntrico nacional, chamado Projeto Mario Pinotti II, liderado pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), envolvendo 20 centros universitários brasileiros de nove estados e do Distrito Federal.  O nome do projeto é uma homenagem a Mario Pinotti, médico sanitarista e estudioso da cloroquina para o tratamento da malária, uso original da substância. Os antimaláricos, como a hidroxicloroquina, são administradas, de forma regular, em pacientes com lúpus, artrite reumatoide, dermatomiosite e Síndrome de Sjogren.

Livros – Durante o SBR2020, serão lançados quatro livros, com a chancela da SBR:  – a edição totalmente digitalizada do Livro da Sociedade Brasileira de Reumatologia, que inclui todas as principais formas de doenças reumáticas, procedimentos de diagnósticos e tratamentos, servindo como uma guia para especialistas de todo o país; a História da Reumatologia Pediátrica, de autoria da Professora Sheila Knupp, que narra o início desta especialidade até os dias de hoje (com apoio também da Sociedade Brasileira de Pediatria), Manual do Médico Residente (HCFMUSP), de Dra. Eloisa Bonfá e Dra. Rosa M Rodrigues Pereira, e  O Bem do Paciente na Atenção Médica, de Dr. José Marques (Comissão de Ética da SBR).

Mais sobre a SBR - A Sociedade Brasileira de Reumatologia, que completou 70 anos de atividades em 2019, é uma associação civil científica, sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover o desenvolvimento científico e da especialidade no Brasil. Hoje, conta com cerca  de 2 mil associados, distribuídos em 24 sociedades regionais estaduais e mantém assessorias e comissões científicas por áreas de especialidade, além de representações em associações médico-científicas nacionais e internacionais e junto ao Ministério da Saúde. A SBR é responsável pela certificação de especialistas em reumatologia, área médica que engloba quase 120 doenças inflamatórias crônicas. É filiada à  AMB - Associação Médica Brasileira que,  em 2018, outorgou à  SBR certificado de boas práticas em gestão.  Para mais informações, www.reumatologia.org.br

FONTE Sociedade Brasileira de Reumatologia

Você acabou de ler:

Congresso Brasileiro de Reumatologia, pela primeira vez online, debate o impacto da pandemia em pacientes reumáticos

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/congresso-brasileiro-de-reumatologia-pela-primeira-vez-online-debate-o-impacto-da-pandemia-em-pacientes-reumaticos/