Curso gratuito que capacita médicos em como dar más notícias na pandemia prorroga inscrições até 30 de novembro

Iniciativa voluntária reúne especialistas e apoia profissionais de saúde na implementação de boas práticas de comunicação no trabalho

SÃO PAULO, 14 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- A mortalidade elevada em UTIs, o grande número de notícias de óbito e de piora dos pacientes levam profissionais de saúde de todo o Brasil a buscarem ajuda para uma habilidade aparentemente simples, mas quase não ensinada nas faculdades de Medicina: a comunicação.

O fato é que em saúde a comunicação não é tão simples e muitas vezes é negligenciada. Já não é novidade um familiar ou paciente reclamar da forma como os médicos se dirigem a eles. "Ainda existem muitos profissionais que preferem falar mais do que ouvir e não se conectam de verdade com aqueles que estão sendo cuidados", alerta o geriatra Douglas Crispim, um dos autores e responsável pela iniciativa #comunicandomelhornacrise.

"Ao disponibilizarmos os protocolos, imediatamente instituições e profissionais de todo o Brasil começaram a se manifestar em busca de mais orientações. Muitas instituições implementaram os protocolos de visitas virtuais e boletins on-line, e compartilharam suas experiências", relata o especialista.

Assim, por não ser possível atender a todos pontualmente, o grupo decidiu criar, por meio do IBCS (Instituto Brasileiro de Comunicação em Saúde), um curso gratuito, que acabou superando as expectativas em termos de adesão, congestionando a plataforma online de matrículas. "Inicialmente imaginávamos muitas pessoas, mas não tanto quanto aconteceu", relata a médica Sarah Ananda, uma das palestrantes.

Desenvolvido no formato online, o curso "Comunicando Melhor na Crise" inclui seis aulas com especialistas de diferentes áreas da saúde, somando 6 horas de conteúdo, que estarão disponíveis para visualização até o dia 30 de novembro de 2020, além de um webinar com transmissão ao vivo.

O foco do curso é orientar os profissionais de saúde sobre como melhorar a comunicação em cenários adversos - a exemplo da pandemia do novo Coronavírus -, com pacientes, familiares e entre os próprios colegas de trabalho.

Para Crispim, a grande procura pode ser um sinal de que as instituições e profissionais estão buscando adequar-se a novas demandas. "Há sinais de um futuro em que o valor em saúde será pautado na satisfação dos clientes e pacientes, porém resta saber se este legado permanecerá após a pandemia."

Conheça os temas das aulas e um breve currículo dos palestrantes:

  • "Comunicar é importante, mesmo a distância", com Maria Júlia Paes da Silva. Professora titular aposentada da EEUSP (Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo).
  • "Cenários hospitalares e tomadas de decisão", com Sarah Ananda Gomes. Médica clínica, com residência em Cuidados Paliativos pelo HCFMUSP, atual presidente da SOTAMIG, vice-presidente do comitê de Bioética do Grupo Oncoclínicas e coordenadora do serviço de Cuidados Paliativos do Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte (MG).
  • "Lidando com a morte e as perdas na pandemia", com Millena Câmara. Psicóloga, mestre em Psicologia, especialista em Psicologia do Luto, Psicologia Hospitalar e Terapia Familiar. Membro do IWG (International Working Group on Death, Dying and Bereavement), fundadora do Núcleo Apego e Perdas e consultora no IBCS.
  • "Cuidando da equipe e identificando sinais de sofrimento", com Walmir Cedotti. Psicanalista Clínico, atua no desenvolvimento de líderes e equipes no HCFMUSP e no ICESP, consultor de desenvolvimento humano para instituições. Ministra treinamentos em comunicação, liderança e desenvolvimento humano no IBCS.
  • "Visitas virtuais: Organizando protocolos institucionais", com Douglas Crispim. Médico geriatra e paliativista. Doutorado em cuidados paliativos. Ministra a disciplina de comunicação difícil para a residência multiprofissional de Cuidados Paliativos do HCFMUSP. Fundador e líder do IBCS (Instituto Brasileiro de Comunicação em Saúde).
  • "Compaixão em tempos de pandemia", com Alexandre Silva. Enfermeiro, professor da Universidade Federal de São João del-Rei, mestre e doutor em Cuidados Paliativos.
  • Faça o seu cadastro no site e inscreva-se já. As aulas estarão disponíveis até o dia 30 de novembro de 2020 e as vagas são limitadas. Curso com certificado.

    Saiba mais sobre o curso: https://www.youtube.com/watch?v=SBFflH_mGb4 

    Inscrições: https://ibcsinc.eadbox.com 

    Mais informações: https://www.ibcsinc.org/comunicando-melhor-na-crise

    FONTE IBCS

    Iniciativa voluntária reúne especialistas e apoia profissionais de saúde na implementação de boas práticas de comunicação no trabalho

    SÃO PAULO, 14 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- A mortalidade elevada em UTIs, o grande número de notícias de óbito e de piora dos pacientes levam profissionais de saúde de todo o Brasil a buscarem ajuda para uma habilidade aparentemente simples, mas quase não ensinada nas faculdades de Medicina: a comunicação.

    O fato é que em saúde a comunicação não é tão simples e muitas vezes é negligenciada. Já não é novidade um familiar ou paciente reclamar da forma como os médicos se dirigem a eles. "Ainda existem muitos profissionais que preferem falar mais do que ouvir e não se conectam de verdade com aqueles que estão sendo cuidados", alerta o geriatra Douglas Crispim, um dos autores e responsável pela iniciativa #comunicandomelhornacrise.

    "Ao disponibilizarmos os protocolos, imediatamente instituições e profissionais de todo o Brasil começaram a se manifestar em busca de mais orientações. Muitas instituições implementaram os protocolos de visitas virtuais e boletins on-line, e compartilharam suas experiências", relata o especialista.

    Assim, por não ser possível atender a todos pontualmente, o grupo decidiu criar, por meio do IBCS (Instituto Brasileiro de Comunicação em Saúde), um curso gratuito, que acabou superando as expectativas em termos de adesão, congestionando a plataforma online de matrículas. "Inicialmente imaginávamos muitas pessoas, mas não tanto quanto aconteceu", relata a médica Sarah Ananda, uma das palestrantes.

    Desenvolvido no formato online, o curso "Comunicando Melhor na Crise" inclui seis aulas com especialistas de diferentes áreas da saúde, somando 6 horas de conteúdo, que estarão disponíveis para visualização até o dia 30 de novembro de 2020, além de um webinar com transmissão ao vivo.

    O foco do curso é orientar os profissionais de saúde sobre como melhorar a comunicação em cenários adversos - a exemplo da pandemia do novo Coronavírus -, com pacientes, familiares e entre os próprios colegas de trabalho.

    Para Crispim, a grande procura pode ser um sinal de que as instituições e profissionais estão buscando adequar-se a novas demandas. "Há sinais de um futuro em que o valor em saúde será pautado na satisfação dos clientes e pacientes, porém resta saber se este legado permanecerá após a pandemia."

    Conheça os temas das aulas e um breve currículo dos palestrantes:

  • "Comunicar é importante, mesmo a distância", com Maria Júlia Paes da Silva. Professora titular aposentada da EEUSP (Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo).
  • "Cenários hospitalares e tomadas de decisão", com Sarah Ananda Gomes. Médica clínica, com residência em Cuidados Paliativos pelo HCFMUSP, atual presidente da SOTAMIG, vice-presidente do comitê de Bioética do Grupo Oncoclínicas e coordenadora do serviço de Cuidados Paliativos do Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte (MG).
  • "Lidando com a morte e as perdas na pandemia", com Millena Câmara. Psicóloga, mestre em Psicologia, especialista em Psicologia do Luto, Psicologia Hospitalar e Terapia Familiar. Membro do IWG (International Working Group on Death, Dying and Bereavement), fundadora do Núcleo Apego e Perdas e consultora no IBCS.
  • "Cuidando da equipe e identificando sinais de sofrimento", com Walmir Cedotti. Psicanalista Clínico, atua no desenvolvimento de líderes e equipes no HCFMUSP e no ICESP, consultor de desenvolvimento humano para instituições. Ministra treinamentos em comunicação, liderança e desenvolvimento humano no IBCS.
  • "Visitas virtuais: Organizando protocolos institucionais", com Douglas Crispim. Médico geriatra e paliativista. Doutorado em cuidados paliativos. Ministra a disciplina de comunicação difícil para a residência multiprofissional de Cuidados Paliativos do HCFMUSP. Fundador e líder do IBCS (Instituto Brasileiro de Comunicação em Saúde).
  • "Compaixão em tempos de pandemia", com Alexandre Silva. Enfermeiro, professor da Universidade Federal de São João del-Rei, mestre e doutor em Cuidados Paliativos.
  • Faça o seu cadastro no site e inscreva-se já. As aulas estarão disponíveis até o dia 30 de novembro de 2020 e as vagas são limitadas. Curso com certificado.

    Saiba mais sobre o curso: https://www.youtube.com/watch?v=SBFflH_mGb4 

    Inscrições: https://ibcsinc.eadbox.com 

    Mais informações: https://www.ibcsinc.org/comunicando-melhor-na-crise

    FONTE IBCS