Daniel Souza: Da cela para a sala e para os centros culturais

Negro que teve passagem pela prisão transformou sua vida através de trabalhos sociais e culturais, ele não se fez vítima das circunstâncias

SÃO PAULO, 13 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- Ele chegou a ser preso, recomeçou e, como dizem por aí, tomou um rumo na vida. A NG Produtora de Guilherme Gonçalves conversou com Daniel Souza, funcionário público, idealizador de projetos, não veio ao mundo simplesmente para reclamar das circunstâncias da vida ou culpar alguém por alguma pedra no caminho, mas, sim, para apoiar quem precisa de oportunidades, assim como ele precisou um dia.

Um dos primeiros projetos a estar envolvido foi na idealização da Biblioteca Comunitária Império de Candaces, localizada em São Paulo (SP). Outro lugar que gosta de estar, compartilhar conhecimentos e dividir tarefas é no Centro Municipal de Culturas Negras Mãe Sylvia de Oxalá, onde hoje é gestor. Um lugar que ama pelo trabalho de valorização da cultura negra. Também é representante comunitário na Favela da JB no Jabaquara, em São Paulo.

Com 32 anos, casado, dois filhos e morador de São Bernardo de Campo, ele circula em áreas que carecem de atenção. Faz isso através do trabalho social e cultural e também por meio da empresa Ori Mentoria de Projetos.  Aconselha para contribuir para o crescimento de uma pessoa ou para o desenvolvimento de uma ideia ou projeto.

Falando de projetos próprios, ele está escrevendo o primeiro livro intitulado "Evolução: da sala pra cela, da cela pra sala" para contar essa passagem que transformou sua vida. Além do livro, pretende, como gestor, ampliar os trabalhos do Centro de Culturas Negras.  "Lutar contra o preconceito é algo enraizado em mim. Ter mais negros em altos cargos de trabalho, ocupando cadeiras universitárias e passeando pelas ruas sem estarem sob frequente estado de alerta para não serem apontados como criminosos em potencial torna a vida mais leve. A luta contra o racismo precisa ser de todos", destaca Daniel Souza, que também é ativista político-social.

Conheça mais sobre Daniel Souza e sua luta no perfil no Instagram @dnielsou

Contato para imprensa: Guilherme Gonçalves, empreendedorguilhermegoncalves@gmail.com  

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1334342/Daniel_Souza.jpg

FONTE NG Produtora e Guilherme Gonçalves

Negro que teve passagem pela prisão transformou sua vida através de trabalhos sociais e culturais, ele não se fez vítima das circunstâncias

SÃO PAULO, 13 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- Ele chegou a ser preso, recomeçou e, como dizem por aí, tomou um rumo na vida. A NG Produtora de Guilherme Gonçalves conversou com Daniel Souza, funcionário público, idealizador de projetos, não veio ao mundo simplesmente para reclamar das circunstâncias da vida ou culpar alguém por alguma pedra no caminho, mas, sim, para apoiar quem precisa de oportunidades, assim como ele precisou um dia.

Um dos primeiros projetos a estar envolvido foi na idealização da Biblioteca Comunitária Império de Candaces, localizada em São Paulo (SP). Outro lugar que gosta de estar, compartilhar conhecimentos e dividir tarefas é no Centro Municipal de Culturas Negras Mãe Sylvia de Oxalá, onde hoje é gestor. Um lugar que ama pelo trabalho de valorização da cultura negra. Também é representante comunitário na Favela da JB no Jabaquara, em São Paulo.

Com 32 anos, casado, dois filhos e morador de São Bernardo de Campo, ele circula em áreas que carecem de atenção. Faz isso através do trabalho social e cultural e também por meio da empresa Ori Mentoria de Projetos.  Aconselha para contribuir para o crescimento de uma pessoa ou para o desenvolvimento de uma ideia ou projeto.

Falando de projetos próprios, ele está escrevendo o primeiro livro intitulado "Evolução: da sala pra cela, da cela pra sala" para contar essa passagem que transformou sua vida. Além do livro, pretende, como gestor, ampliar os trabalhos do Centro de Culturas Negras.  "Lutar contra o preconceito é algo enraizado em mim. Ter mais negros em altos cargos de trabalho, ocupando cadeiras universitárias e passeando pelas ruas sem estarem sob frequente estado de alerta para não serem apontados como criminosos em potencial torna a vida mais leve. A luta contra o racismo precisa ser de todos", destaca Daniel Souza, que também é ativista político-social.

Conheça mais sobre Daniel Souza e sua luta no perfil no Instagram @dnielsou

Contato para imprensa: Guilherme Gonçalves, empreendedorguilhermegoncalves@gmail.com  

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1334342/Daniel_Souza.jpg

FONTE NG Produtora e Guilherme Gonçalves