Dois vinhos do Viñedo Adrianna, da família Catena Zapata, são os primeiros vinhos sul-americanos a receber 100 pontos da publicação ''The Wine Advocate'' de Robert Parker

O crítico da "The Wine Advocate" de Robert Parker, Luis Gutiérrez, outorga pela primeira vez pontuações perfeitas para a América do Sul, obtidas pelo Catena Zapata Adrianna Vineyard River Stones Malbec 2016 e pelo Gran Enemigo Single Vineyard Gualtallary 2013, ambos provenientes do Viñedo Adrianna, da família Catena Zapata, de Mendoza, Argentina.

MENDOZA, Argentina, 19 de julho de 2018 /PRNewswire/ -- O extraordinário é que essas primeiras pontuações perfeitas para a América do Sul foram dadas a dois vinhos produzidos em um mesmo vinhedo, o Viñedo Adrianna, da família Catena Zapata. Quando Nicolás Catena Zapata plantou esse vinhedo em 1992, muitos o chamaram de "louco", por cultivar videiras em tal altura. A videira nunca havia sido cultivada no distrito de Gualtallary, em Tupungato Alto, Mendoza, porque o clima era considerado demasiadamente extremo. Esse reconhecimento da melhor localidade para o Grand Cru da Argentina, o Viñedo Adrianna, marca um momento histórico para o vinho sul-americano.

"Desde 1902, cada geração de minha família vem trabalhando para elevar a qualidade do vinho argentino e esses prêmios para o Viñedo Adrianna representam um verdadeiro reconhecimento para nossa região", explica a Dra. Laura Catena, filha de Nicolás Catena e diretora geral da Bodega Catena Zapata.

"O terroir é tudo, seja na França, na Itália ou na Argentina", afirma Catena. "Quando meu pai, Nicolás Catena, plantou o Viñedo Adrianna, buscava um lugar em Mendoza onde pudesse obter vinhos capazes de envelhecer, que estivessem no limite de frio para o cultivo da videira. O Viñedo Adrianna, de cultivo orgânico, plantado a quase 1.500 metros de altura sobre o antigo leito de um rio, possui uma combinação única de solos calcários e pedregosos, com microbioma e clima especiais, que resultam em um labirinto de micro-terroirs diferentes. Ao vinificar separadamente as uvas de cada parcela, encontramos 'ouro' nesse lugar".

O Adrianna Vineyard River Stones Malbec 2016 provém de uma parcela do vinhedo de solo aluvial, particularmente pedregoso. As pequenas pedras ovaladas proporcionam uma excelente drenagem e mitigam as fortes mudanças de temperatura entre os dias ensolarados e as noites frias da montanha. O preço de varejo sugerido para o vinho é de US$ 160 a garrafa e o lançamento está programado para 2019.

Desde sua criação há 40 anos, os 100 pontos da "The Wine Advocate" de Robert Parker (o "Oscar" do vinho) marcaram a ascensão das adegas mais seletas do mundo. Hoje em dia, pertencente a investidores de Cingapura, EUA e Michelin, na França, a "The Wine Advocate" continua sendo a publicação de vinhos mais importante do mundo, no que se refere à escala de 100 pontos.

Para obter mais informações sobre Catena Zapata, visite www.catenawines.com e para El Enemigo, www.enemigowines.com.

Para obter mais informações, fichas técnicas, fotografias ou entrevistas, comunique-se com Lucía Garcia, pelo e-mail lgarcia@catenazapata.com.

-----------

Sobre a Catena Zapata:

O Dr. Nicolás Catena Zapata e a Dra. Laura Catena representam a terceira e quarta gerações da Bodega Catena Zapata, uma adega familiar fundada em 1902 pelo imigrante italiano Nicola Catena, em Mendoza, Argentina.

Apesar de haver nascido em uma pequena comunidade vitivinícola de umas poucas centenas de habitantes, Nicolás Catena Zapata procurou entender as complexidades do vinho mais além de sua Argentina natal. Enquanto estudava economia na Universidade de Colúmbia, na década de 70, e mais tarde, durante um ano sabático académico na Califórnia, Nicolás se inspirou na revolução de Napa Valley de Robert Mondavi. Mondavi tinha como objetivo fazer vinhos norte-americanos que pudessem competir com os melhores do mundo e Catena ser perguntou: "Por que não fazer isso na Argentina?" O que sucedeu nos anos 80 e 90 foi o começo da Grande Revolução da Malbec, realizada por Catena. Nicolás decidiu plantar vinhedos cada vez mais altos, ao pé dos Andes, buscando maior concentração e elegância em seus vinhos. Muitos em Mendoza pensaram que suas uvas jamais iriam amadurecer ali.

Inspirada pela incansável busca por conhecimento de seu pai, Laura Catena também atravessou fronteiras para ampliar seus horizontes, estudou biologia em Harvard e se formou em medicina em Stanford. No princípio, Laura pensou que passaria sua vida bebendo os vinhos de sua família, não os produzindo, até que se deu conta de que seu pai e seu país necessitavam de ajuda na Argentina. Em 1995, a Dra. Laura Catena fundou o Catena Institute of Wine, com o objetivo de compreender quais eram as melhores alturas para a plantação de videiras na Argentina e de fazer com que o a Malbec ressuscitasse de seu quase desaparecimento. A Malbec havia sido, junto com a Cabernet Sauvignon, a variedade mais importante da França desde a Idade Média, até a epidemia da filoxera ao final do século XIX. Pai e filha decidiram devolver á Malbec sua antiga proeminência. Duas décadas de estudo do solo, realizados por Laura e o Catena Institute, tiveram como resultado o descobrimento de "parcelas" singulares do Viñedo Adrianna.

A Bodega Catena Zapata foi galardoada com as maiores distinções da indústria vitivinícola por inúmeros críticos internacionais de gastronomia e vinhos, devido a seu protagonismo na Revolução da Malbec de Altura na Argentina. A visão da família continua sendo a mesma que a de seu fundador: elevar a qualidade do vinho argentino.

Foto - http://www2.prnewswire.com.br/imgs/pub/2018-07-17/original/4376.jpg

FONTE Catena Zapata

O crítico da "The Wine Advocate" de Robert Parker, Luis Gutiérrez, outorga pela primeira vez pontuações perfeitas para a América do Sul, obtidas pelo Catena Zapata Adrianna Vineyard River Stones Malbec 2016 e pelo Gran Enemigo Single Vineyard Gualtallary 2013, ambos provenientes do Viñedo Adrianna, da família Catena Zapata, de Mendoza, Argentina.

MENDOZA, Argentina, 19 de julho de 2018 /PRNewswire/ -- O extraordinário é que essas primeiras pontuações perfeitas para a América do Sul foram dadas a dois vinhos produzidos em um mesmo vinhedo, o Viñedo Adrianna, da família Catena Zapata. Quando Nicolás Catena Zapata plantou esse vinhedo em 1992, muitos o chamaram de "louco", por cultivar videiras em tal altura. A videira nunca havia sido cultivada no distrito de Gualtallary, em Tupungato Alto, Mendoza, porque o clima era considerado demasiadamente extremo. Esse reconhecimento da melhor localidade para o Grand Cru da Argentina, o Viñedo Adrianna, marca um momento histórico para o vinho sul-americano.

"Desde 1902, cada geração de minha família vem trabalhando para elevar a qualidade do vinho argentino e esses prêmios para o Viñedo Adrianna representam um verdadeiro reconhecimento para nossa região", explica a Dra. Laura Catena, filha de Nicolás Catena e diretora geral da Bodega Catena Zapata.

"O terroir é tudo, seja na França, na Itália ou na Argentina", afirma Catena. "Quando meu pai, Nicolás Catena, plantou o Viñedo Adrianna, buscava um lugar em Mendoza onde pudesse obter vinhos capazes de envelhecer, que estivessem no limite de frio para o cultivo da videira. O Viñedo Adrianna, de cultivo orgânico, plantado a quase 1.500 metros de altura sobre o antigo leito de um rio, possui uma combinação única de solos calcários e pedregosos, com microbioma e clima especiais, que resultam em um labirinto de micro-terroirs diferentes. Ao vinificar separadamente as uvas de cada parcela, encontramos 'ouro' nesse lugar".

O Adrianna Vineyard River Stones Malbec 2016 provém de uma parcela do vinhedo de solo aluvial, particularmente pedregoso. As pequenas pedras ovaladas proporcionam uma excelente drenagem e mitigam as fortes mudanças de temperatura entre os dias ensolarados e as noites frias da montanha. O preço de varejo sugerido para o vinho é de US$ 160 a garrafa e o lançamento está programado para 2019.

Desde sua criação há 40 anos, os 100 pontos da "The Wine Advocate" de Robert Parker (o "Oscar" do vinho) marcaram a ascensão das adegas mais seletas do mundo. Hoje em dia, pertencente a investidores de Cingapura, EUA e Michelin, na França, a "The Wine Advocate" continua sendo a publicação de vinhos mais importante do mundo, no que se refere à escala de 100 pontos.

Para obter mais informações sobre Catena Zapata, visite www.catenawines.com e para El Enemigo, www.enemigowines.com.

Para obter mais informações, fichas técnicas, fotografias ou entrevistas, comunique-se com Lucía Garcia, pelo e-mail lgarcia@catenazapata.com.

-----------

Sobre a Catena Zapata:

O Dr. Nicolás Catena Zapata e a Dra. Laura Catena representam a terceira e quarta gerações da Bodega Catena Zapata, uma adega familiar fundada em 1902 pelo imigrante italiano Nicola Catena, em Mendoza, Argentina.

Apesar de haver nascido em uma pequena comunidade vitivinícola de umas poucas centenas de habitantes, Nicolás Catena Zapata procurou entender as complexidades do vinho mais além de sua Argentina natal. Enquanto estudava economia na Universidade de Colúmbia, na década de 70, e mais tarde, durante um ano sabático académico na Califórnia, Nicolás se inspirou na revolução de Napa Valley de Robert Mondavi. Mondavi tinha como objetivo fazer vinhos norte-americanos que pudessem competir com os melhores do mundo e Catena ser perguntou: "Por que não fazer isso na Argentina?" O que sucedeu nos anos 80 e 90 foi o começo da Grande Revolução da Malbec, realizada por Catena. Nicolás decidiu plantar vinhedos cada vez mais altos, ao pé dos Andes, buscando maior concentração e elegância em seus vinhos. Muitos em Mendoza pensaram que suas uvas jamais iriam amadurecer ali.

Inspirada pela incansável busca por conhecimento de seu pai, Laura Catena também atravessou fronteiras para ampliar seus horizontes, estudou biologia em Harvard e se formou em medicina em Stanford. No princípio, Laura pensou que passaria sua vida bebendo os vinhos de sua família, não os produzindo, até que se deu conta de que seu pai e seu país necessitavam de ajuda na Argentina. Em 1995, a Dra. Laura Catena fundou o Catena Institute of Wine, com o objetivo de compreender quais eram as melhores alturas para a plantação de videiras na Argentina e de fazer com que o a Malbec ressuscitasse de seu quase desaparecimento. A Malbec havia sido, junto com a Cabernet Sauvignon, a variedade mais importante da França desde a Idade Média, até a epidemia da filoxera ao final do século XIX. Pai e filha decidiram devolver á Malbec sua antiga proeminência. Duas décadas de estudo do solo, realizados por Laura e o Catena Institute, tiveram como resultado o descobrimento de "parcelas" singulares do Viñedo Adrianna.

A Bodega Catena Zapata foi galardoada com as maiores distinções da indústria vitivinícola por inúmeros críticos internacionais de gastronomia e vinhos, devido a seu protagonismo na Revolução da Malbec de Altura na Argentina. A visão da família continua sendo a mesma que a de seu fundador: elevar a qualidade do vinho argentino.

Foto - http://www2.prnewswire.com.br/imgs/pub/2018-07-17/original/4376.jpg

FONTE Catena Zapata