Educar crianças sobre boa higiene é fundamental para ajudar a reduzir futuras ameaças à saúde

LONDRES, 22 de outubro de 2021 /PRNewswire/ -- A pandemia da COVID-19 aumentou a conscientização mundial sobre o papel que medidas de higiene, como lavar as mãos, podem desempenhar na prevenção de infecções.

Lavar as mãos em momentos de alto risco é uma forma comprovada e econômica de reduzir infecções comuns em até 50%. Uma pesquisa da University College London mostra uma queda na observância da lavagem das mãos, com 44% dos adultos sempre lavando as mãos com água e sabão em julho de 2021, em comparação com 55% no final de 2020.

Ambientes comunitários, como escolas, oferecem várias oportunidades de disseminação de infecções, mas muitas escolas não ensinam os benefícios da higiene para ajudar a prevenir doenças. Uma pesquisa realizada pelo Conselho Global de Higiene ressalta a necessidade de melhorar a educação sobre higiene das mãos entre crianças do ensino fundamental, com 40% das crianças do ensino fundamental nem sempre usando sabonete para lavar as mãos e 47% acreditando equivocadamente que as mãos limpas estão livres de germes.

Uma nova pesquisa publicada na BMC Public Health destaca que o momento está "no ponto" para impulsionar intervenções de higiene nas escolas primárias, a fim de intensificar o hábito de lavar as mãos e reduzir a transmissão de infecções.

A autora principal Kelly Schmidtke, da Warwick Medical School, comentou: "Intervenções comportamentais ajudam a mudar o comportamento imediato das pessoas para melhor, ao mesmo tempo que incentivam a formação de hábitos de longo prazo. Ao melhorar a educação e os hábitos de lavar as mãos das crianças, as taxas de absenteísmo nas escolas e o tempo fora do trabalho dos pais e professores podem ser reduzidos."

Os órgãos de saúde estão alertando sobre uma "ameaça tripla" iminente de vírus sazonais, surtos e picos recorrentes da COVID-19 em níveis de gripe sazonal e infecções por vírus sincicial respiratório (VSR) entre crianças.  É vital que os hábitos de lavar as mãos se intensifiquem, a fim de reduzir a disseminação de infecções.

O Banega Swachh India da Reckitt é um exemplo de programa bem-sucedido de educação sobre higiene na escola. Em operação desde 2014, o programa oferece educação sobre higiene essencial a mais de 20 milhões de crianças na Índia.

Pesquisas da Warwick Medical School permitiram à Reckitt criar o The Hygiene Quest, um novo programa global de mudança de hábitos de higiene que oferece às escolas um divertido currículo de higiene para promover a educação e melhorar a saúde das crianças e de suas famílias.

Com os surtos de doenças infecciosas mais prováveis nos anos até 2030, é vital que a educação sobre higiene seja promovida nas escolas para proteger a saúde das próximas gerações.

 

 

FONTE The Global Hygiene Council

LONDRES, 22 de outubro de 2021 /PRNewswire/ -- A pandemia da COVID-19 aumentou a conscientização mundial sobre o papel que medidas de higiene, como lavar as mãos, podem desempenhar na prevenção de infecções.

Lavar as mãos em momentos de alto risco é uma forma comprovada e econômica de reduzir infecções comuns em até 50%. Uma pesquisa da University College London mostra uma queda na observância da lavagem das mãos, com 44% dos adultos sempre lavando as mãos com água e sabão em julho de 2021, em comparação com 55% no final de 2020.

Ambientes comunitários, como escolas, oferecem várias oportunidades de disseminação de infecções, mas muitas escolas não ensinam os benefícios da higiene para ajudar a prevenir doenças. Uma pesquisa realizada pelo Conselho Global de Higiene ressalta a necessidade de melhorar a educação sobre higiene das mãos entre crianças do ensino fundamental, com 40% das crianças do ensino fundamental nem sempre usando sabonete para lavar as mãos e 47% acreditando equivocadamente que as mãos limpas estão livres de germes.

Uma nova pesquisa publicada na BMC Public Health destaca que o momento está "no ponto" para impulsionar intervenções de higiene nas escolas primárias, a fim de intensificar o hábito de lavar as mãos e reduzir a transmissão de infecções.

A autora principal Kelly Schmidtke, da Warwick Medical School, comentou: "Intervenções comportamentais ajudam a mudar o comportamento imediato das pessoas para melhor, ao mesmo tempo que incentivam a formação de hábitos de longo prazo. Ao melhorar a educação e os hábitos de lavar as mãos das crianças, as taxas de absenteísmo nas escolas e o tempo fora do trabalho dos pais e professores podem ser reduzidos."

Os órgãos de saúde estão alertando sobre uma "ameaça tripla" iminente de vírus sazonais, surtos e picos recorrentes da COVID-19 em níveis de gripe sazonal e infecções por vírus sincicial respiratório (VSR) entre crianças.  É vital que os hábitos de lavar as mãos se intensifiquem, a fim de reduzir a disseminação de infecções.

O Banega Swachh India da Reckitt é um exemplo de programa bem-sucedido de educação sobre higiene na escola. Em operação desde 2014, o programa oferece educação sobre higiene essencial a mais de 20 milhões de crianças na Índia.

Pesquisas da Warwick Medical School permitiram à Reckitt criar o The Hygiene Quest, um novo programa global de mudança de hábitos de higiene que oferece às escolas um divertido currículo de higiene para promover a educação e melhorar a saúde das crianças e de suas famílias.

Com os surtos de doenças infecciosas mais prováveis nos anos até 2030, é vital que a educação sobre higiene seja promovida nas escolas para proteger a saúde das próximas gerações.

 

 

FONTE The Global Hygiene Council

Você acabou de ler:

Educar crianças sobre boa higiene é fundamental para ajudar a reduzir futuras ameaças à saúde

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/educar-criancas-sobre-boa-higiene-e-fundamental-para-ajudar-a-reduzir-futuras-ameacas-a-saude/