Em Nova York, LIDE Brazilian Investment Forum debate oportunidades de capital estrangeiro e retomada do crescimento

SÃO PAULO, 15 de maio de 2019 /PRNewswire/ -- "Oportunidades de investimentos no Brasil e retomada do crescimento". Com este tema principal e presença de cerca de 200 investidores, banqueiros e empresários estrangeiros e brasileiros, o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais promoveu em Nova York, nesta quarta-feira, 15 de maio, o LIDE Brazilian Investment Forum. Em sua quinta edição, o evento reuniu alguns dos principais protagonistas da República, como os presidentes do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM/AC), da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e do Supremo Tribunal Federal (STF), José Dias Toffoli, além dos governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e o secretário de Estado da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles.

"Vamos, sim, fazer a reforma da Previdência, mas também temos de resolver a questão tributária, com um sistema simples e mais transparente de impostos. Houve muitos avanços nos últimos anos, mas temos de superar nosso passado, pois ele não pode amarrar nosso futuro. A solução não é mais Estado, é mais setor privado. Sem capital estrangeiro, teremos uma recessão", alertou Maia. Para Alcolumbre, a reforma previdenciária é a mais urgente a fazer. "Ela permitirá a execução do programa social mais efetivo que há, que é a geração de empregos", afirmou.

De acordo com Toffoli, a segurança jurídica é essencial para aportes estrangeiros no Brasil, além da aprovação das reformas previdenciária e tributária, a desburocratização e a desjudicialização de processos. Para ele, o papel da Justiça não é o de ser ativista e interferir nos pactos políticos e relações de mercado e, fazendo coro a Maia e Alcolumbre, afirmou: "É preciso que o Brasil tenha mais sociedade civil, mais mercado e mais liberalismo, e foi isso que o povo demonstrou nas urnas". 

"Temos de ter uma visão contributiva, sem guerra fiscal entre as unidades da Federação", defendeu Doria. O governador paulista citou os esforços para manter a fábrica da GM no estado, e – após essa decisão – o compromisso da empresa em investir nos próximos anos US$ 10 bilhões, que gerarão 2 mil empregos. Segundo Meirelles, São Paulo oferece oportunidades de investimentos por meio de privatizações, concessões ou parcerias público-privadas (PPPs). Para Zema, seu governo "privatizará tudo o for possível". "Queremos tornar Minas Gerais menos hostil a quem investe, simplificando a vida de quem empreende e trabalha", disse.

CAOA, COSAN, GOCIL, FS, JHSF, NELSON WILIANS ADVOGADOS, TOUCH ID e VITACON foram patrocinadoras do LIDE Brazilian Investment Forum, que contou com apoio da CT GROUP, GM, KIA MOTORS, UHG, WALD e WHIRLPOOL. CDN COMUNICAÇÃO, FORMAG'S, RCE DIGITAL e TRACK foram fornecedores oficiais. PR NEWSWIRE, RÁDIOS BAND, RÁDIO JOVEM PAN, REVISTA LIDE e TV LIDE foram mídia partners.

Contato: Milton Rizzato – 55 (11) 3643-2752/ milton.rizzato@cdn.com.br

 

FONTE LIDE

SÃO PAULO, 15 de maio de 2019 /PRNewswire/ -- "Oportunidades de investimentos no Brasil e retomada do crescimento". Com este tema principal e presença de cerca de 200 investidores, banqueiros e empresários estrangeiros e brasileiros, o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais promoveu em Nova York, nesta quarta-feira, 15 de maio, o LIDE Brazilian Investment Forum. Em sua quinta edição, o evento reuniu alguns dos principais protagonistas da República, como os presidentes do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM/AC), da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e do Supremo Tribunal Federal (STF), José Dias Toffoli, além dos governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e o secretário de Estado da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles.

"Vamos, sim, fazer a reforma da Previdência, mas também temos de resolver a questão tributária, com um sistema simples e mais transparente de impostos. Houve muitos avanços nos últimos anos, mas temos de superar nosso passado, pois ele não pode amarrar nosso futuro. A solução não é mais Estado, é mais setor privado. Sem capital estrangeiro, teremos uma recessão", alertou Maia. Para Alcolumbre, a reforma previdenciária é a mais urgente a fazer. "Ela permitirá a execução do programa social mais efetivo que há, que é a geração de empregos", afirmou.

De acordo com Toffoli, a segurança jurídica é essencial para aportes estrangeiros no Brasil, além da aprovação das reformas previdenciária e tributária, a desburocratização e a desjudicialização de processos. Para ele, o papel da Justiça não é o de ser ativista e interferir nos pactos políticos e relações de mercado e, fazendo coro a Maia e Alcolumbre, afirmou: "É preciso que o Brasil tenha mais sociedade civil, mais mercado e mais liberalismo, e foi isso que o povo demonstrou nas urnas". 

"Temos de ter uma visão contributiva, sem guerra fiscal entre as unidades da Federação", defendeu Doria. O governador paulista citou os esforços para manter a fábrica da GM no estado, e – após essa decisão – o compromisso da empresa em investir nos próximos anos US$ 10 bilhões, que gerarão 2 mil empregos. Segundo Meirelles, São Paulo oferece oportunidades de investimentos por meio de privatizações, concessões ou parcerias público-privadas (PPPs). Para Zema, seu governo "privatizará tudo o for possível". "Queremos tornar Minas Gerais menos hostil a quem investe, simplificando a vida de quem empreende e trabalha", disse.

CAOA, COSAN, GOCIL, FS, JHSF, NELSON WILIANS ADVOGADOS, TOUCH ID e VITACON foram patrocinadoras do LIDE Brazilian Investment Forum, que contou com apoio da CT GROUP, GM, KIA MOTORS, UHG, WALD e WHIRLPOOL. CDN COMUNICAÇÃO, FORMAG'S, RCE DIGITAL e TRACK foram fornecedores oficiais. PR NEWSWIRE, RÁDIOS BAND, RÁDIO JOVEM PAN, REVISTA LIDE e TV LIDE foram mídia partners.

Contato: Milton Rizzato – 55 (11) 3643-2752/ milton.rizzato@cdn.com.br

 

FONTE LIDE