Entidade do comércio pleiteia medidas urgentes para minimizar os efeitos do coronavírus entre os lojistas

Atento às dificuldades financeiras do setor, Sindilojas-SP sugeriu ações ao Ministério da Economia e ao governo estadual em prol da atividade empresarial

SÃO PAULO, 20 de março de 2020 /PRNewswire/ -- Atento à necessidade urgente de adotar medidas para minimizar o efeito da pandemia do novo Coronavírus no estado de São Paulo, e diante das sérias dificuldades financeiras já enfrentadas pelos lojistas, o Sindilojas-SP pleiteou quatro iniciativas a diferentes órgãos governamentais, em prol da atividade empresarial na cidade.

Conheça os pleitos do Sindilojas-SP e a que órgãos foram dirigidos:

Administradoras de shoppings

- Suspensão, por 90 dias, da cobrança do fundo de promoção;

- Cobrança somente do aluguel percentual, suspendendo, portanto, a cobrança do aluguel mínimo, durante o período de crise, inicialmente por 90 dias;

- Flexibilização no pagamento da taxa de condomínio, com novos prazos e sem multa;

- Suspensão de multas rescisórias, face ao fechamento da empresa;

- Não cobrança do 13º aluguel este ano;

- Não cobrança de taxas de transferências no corrente ano.

Governo do Estado de São Paulo, Desenvolve SP, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES

- Criação de uma linha de crédito especial para as empresas do comércio, com taxas de juros reduzidas e número de parcelas consideráveis, destinada a honrar pagamentos de fornecedores, funcionários, aluguéis e condomínios, impostos, etc.

Governo do Estado de São Paulo

- Postergação dos prazos para recolhimento dos impostos estaduais e entrega de declarações acessórias, tendo em vista o decreto de emergência publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Ministério da Economia

- Postergação dos recolhimentos de PIS, Cofins, IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica), CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) e contribuição do INSS do segundo trimestre do ano;

- Redução das taxas de juros;

- Ampliação imediata das linhas de crédito;

- Abertura das linhas de capital de giro para grandes, médias e pequenas empresas no Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES;

- Determinação da redução de compulsório vinculada ao aumento de linhas de capital de giro dos bancos comerciais, com parcela específica para pequenas e médicas empresas;

- Flexibilização da legislação trabalhista, possibilitando o home office (trabalho remoto), antecipação de férias, dentre outras simplificações;

- Facilitação do desembaraço de insumos e matérias-primas importadas, mesmo antes do desembarque, com o objetivo de acelerar o acesso a produtos que ficaram retidos em seus países de origem, em razão da pandemia do Coronavírus.

Sobre o Sindilojas-SP

O Sindilojas-SP (Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo) é uma entidade sindical que representa 30 mil empresas do comércio lojista e 100 mil empresários da cidade de São Paulo, estabelecidos em Shopping Centers e lojas de rua.

FONTE Sindilojas-SP

Atento às dificuldades financeiras do setor, Sindilojas-SP sugeriu ações ao Ministério da Economia e ao governo estadual em prol da atividade empresarial

SÃO PAULO, 20 de março de 2020 /PRNewswire/ -- Atento à necessidade urgente de adotar medidas para minimizar o efeito da pandemia do novo Coronavírus no estado de São Paulo, e diante das sérias dificuldades financeiras já enfrentadas pelos lojistas, o Sindilojas-SP pleiteou quatro iniciativas a diferentes órgãos governamentais, em prol da atividade empresarial na cidade.

Conheça os pleitos do Sindilojas-SP e a que órgãos foram dirigidos:

Administradoras de shoppings

- Suspensão, por 90 dias, da cobrança do fundo de promoção;

- Cobrança somente do aluguel percentual, suspendendo, portanto, a cobrança do aluguel mínimo, durante o período de crise, inicialmente por 90 dias;

- Flexibilização no pagamento da taxa de condomínio, com novos prazos e sem multa;

- Suspensão de multas rescisórias, face ao fechamento da empresa;

- Não cobrança do 13º aluguel este ano;

- Não cobrança de taxas de transferências no corrente ano.

Governo do Estado de São Paulo, Desenvolve SP, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES

- Criação de uma linha de crédito especial para as empresas do comércio, com taxas de juros reduzidas e número de parcelas consideráveis, destinada a honrar pagamentos de fornecedores, funcionários, aluguéis e condomínios, impostos, etc.

Governo do Estado de São Paulo

- Postergação dos prazos para recolhimento dos impostos estaduais e entrega de declarações acessórias, tendo em vista o decreto de emergência publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Ministério da Economia

- Postergação dos recolhimentos de PIS, Cofins, IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica), CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) e contribuição do INSS do segundo trimestre do ano;

- Redução das taxas de juros;

- Ampliação imediata das linhas de crédito;

- Abertura das linhas de capital de giro para grandes, médias e pequenas empresas no Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES;

- Determinação da redução de compulsório vinculada ao aumento de linhas de capital de giro dos bancos comerciais, com parcela específica para pequenas e médicas empresas;

- Flexibilização da legislação trabalhista, possibilitando o home office (trabalho remoto), antecipação de férias, dentre outras simplificações;

- Facilitação do desembaraço de insumos e matérias-primas importadas, mesmo antes do desembarque, com o objetivo de acelerar o acesso a produtos que ficaram retidos em seus países de origem, em razão da pandemia do Coronavírus.

Sobre o Sindilojas-SP

O Sindilojas-SP (Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo) é uma entidade sindical que representa 30 mil empresas do comércio lojista e 100 mil empresários da cidade de São Paulo, estabelecidos em Shopping Centers e lojas de rua.

FONTE Sindilojas-SP