Especializada em soluções para trabalho híbrido, Netglobe cresce 50% e aumenta faturamento em R$ 3,5 milhões no último trimestre

Perspectiva de retorno aos escritórios fez com que muitas empresas se adequassem à nova realidade e impulsionou resultados da Netglobe, que angariou 50 novos clientes no terceiro trimestre de 2021.

SÃO PAULO, 10 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Depois de um 2020 atípico e de um avanço significativo na taxa vacinal da população brasileira, muitas empresas começaram a pensar na volta aos escritórios. Contudo, nem todas pretendem retomar o modelo de trabalho que existia antes da pandemia. Segundo pesquisa divulgada em 2021 pelo Google Cloud, 43% das companhias brasileiras já decidiram adotar com seus colaboradores um formato que alterne entre o presencial e o home office. Essa percepção foi corroborada pela Netglobe, especialista em soluções para o trabalho híbrido, que fechou 50 novos contratos no terceiro trimestre deste ano e aumentou seu faturamento em R$ 3,5 milhões.

A adição desse volume expressivo de clientes fez com que a Netglobe encerrasse setembro de 2021 com 50% de ascensão em relação ao mesmo período do ano anterior. A meta da companhia para este ano é amealhar R$ 32,5 milhões em faturamento.

"O crescimento mostra que na prática as empresas estão voltando, mas querem acomodar pessoas que gostariam de estar no escritório e não podem. Nem tudo lá, como vivemos nos últimos meses, nem tudo cá, como vivíamos antes no trabalho de escritório", diz Renato Batista, CEO da Netglobe. "As empresas que começaram a se preparar na segunda quinzena de agosto, quando esse movimento começou, são as que vêm retornando agora, entre outubro e novembro", completa.

Pesquisa divulgada em setembro de 2021 pela Adecco, consultoria global de RH, corrobora os resultados registrados pela Netglobe. De acordo com o estudo conduzido em 25 países, incluindo o Brasil, 71% das pessoas pretendem aumentar pós-pandemia o número de horas de trabalho em casa. Em média, os 14.800 respondentes disseram que esperam passar ao menos 40% do tempo em home office – no Brasil, a expectativa chega a 53% do tempo longe do escritório.

Outro estudo, realizado pela startup Open Mind em 2020, identificou que 85% dos entrevistados pretendem adotar um modelo híbrido de trabalho. Além disso, 50% dos líderes de empresas que participaram da pesquisa disseram que a produtividade de seus times não foi afetada pelo distanciamento.

"Acreditamos muito em um momento mágico, que é aquele processo de reencontrar pessoas em um ambiente importante, de troca e colaboração, mas o indicador de adoção do trabalho híbrido nos diz que o home office não será totalmente abandonado", explica Batista.

A lista de empresas que buscaram os serviços da Netglobe até o fim de setembro tem marcas como Bauducco, Duratex, Via Varejo e Volkswagen. Isso criou outro desafio para a companhia especializada em trabalho híbrido, que precisou lidar com as restrições de equipamentos e suprimentos no mercado. A expectativa de que a demanda siga crescendo, portanto, depende fundamentalmente da capacidade de a indústria absorver isso.

Sobre a Netglobe 

A Netglobe foi fundada em 2002 e é especialista em soluções de comunicação digital. Com quase 60 funcionários no Brasil, a empresa é referência de mercado nos pilares de colaboração, lives & streaming e workplace. Possui entre seus principais parceiros de tecnologia empresas como Barco, Cisco, Logitech, Microsoft, Poly e Zoom. Sediada em Campinas (SP), atua nacionalmente e apoia as unidades internacionais das multinacionais brasileiras em outros países.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1684381/Renato_Batista_CEO_da_Netglobe.jpg

 

FONTE Netglobe

Perspectiva de retorno aos escritórios fez com que muitas empresas se adequassem à nova realidade e impulsionou resultados da Netglobe, que angariou 50 novos clientes no terceiro trimestre de 2021.

SÃO PAULO, 10 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Depois de um 2020 atípico e de um avanço significativo na taxa vacinal da população brasileira, muitas empresas começaram a pensar na volta aos escritórios. Contudo, nem todas pretendem retomar o modelo de trabalho que existia antes da pandemia. Segundo pesquisa divulgada em 2021 pelo Google Cloud, 43% das companhias brasileiras já decidiram adotar com seus colaboradores um formato que alterne entre o presencial e o home office. Essa percepção foi corroborada pela Netglobe, especialista em soluções para o trabalho híbrido, que fechou 50 novos contratos no terceiro trimestre deste ano e aumentou seu faturamento em R$ 3,5 milhões.

A adição desse volume expressivo de clientes fez com que a Netglobe encerrasse setembro de 2021 com 50% de ascensão em relação ao mesmo período do ano anterior. A meta da companhia para este ano é amealhar R$ 32,5 milhões em faturamento.

"O crescimento mostra que na prática as empresas estão voltando, mas querem acomodar pessoas que gostariam de estar no escritório e não podem. Nem tudo lá, como vivemos nos últimos meses, nem tudo cá, como vivíamos antes no trabalho de escritório", diz Renato Batista, CEO da Netglobe. "As empresas que começaram a se preparar na segunda quinzena de agosto, quando esse movimento começou, são as que vêm retornando agora, entre outubro e novembro", completa.

Pesquisa divulgada em setembro de 2021 pela Adecco, consultoria global de RH, corrobora os resultados registrados pela Netglobe. De acordo com o estudo conduzido em 25 países, incluindo o Brasil, 71% das pessoas pretendem aumentar pós-pandemia o número de horas de trabalho em casa. Em média, os 14.800 respondentes disseram que esperam passar ao menos 40% do tempo em home office – no Brasil, a expectativa chega a 53% do tempo longe do escritório.

Outro estudo, realizado pela startup Open Mind em 2020, identificou que 85% dos entrevistados pretendem adotar um modelo híbrido de trabalho. Além disso, 50% dos líderes de empresas que participaram da pesquisa disseram que a produtividade de seus times não foi afetada pelo distanciamento.

"Acreditamos muito em um momento mágico, que é aquele processo de reencontrar pessoas em um ambiente importante, de troca e colaboração, mas o indicador de adoção do trabalho híbrido nos diz que o home office não será totalmente abandonado", explica Batista.

A lista de empresas que buscaram os serviços da Netglobe até o fim de setembro tem marcas como Bauducco, Duratex, Via Varejo e Volkswagen. Isso criou outro desafio para a companhia especializada em trabalho híbrido, que precisou lidar com as restrições de equipamentos e suprimentos no mercado. A expectativa de que a demanda siga crescendo, portanto, depende fundamentalmente da capacidade de a indústria absorver isso.

Sobre a Netglobe 

A Netglobe foi fundada em 2002 e é especialista em soluções de comunicação digital. Com quase 60 funcionários no Brasil, a empresa é referência de mercado nos pilares de colaboração, lives & streaming e workplace. Possui entre seus principais parceiros de tecnologia empresas como Barco, Cisco, Logitech, Microsoft, Poly e Zoom. Sediada em Campinas (SP), atua nacionalmente e apoia as unidades internacionais das multinacionais brasileiras em outros países.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1684381/Renato_Batista_CEO_da_Netglobe.jpg

 

FONTE Netglobe

Você acabou de ler:

Especializada em soluções para trabalho híbrido, Netglobe cresce 50% e aumenta faturamento em R$ 3,5 milhões no último trimestre

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/especializada-em-solucoes-para-trabalho-hibrido-netglobe-cresce-50-e-aumenta-faturamento-em-r-35-milhoes-no-ultimo-trimestre/