''Estou otimista em relação a se encontrar um remédio que seja efetivo contra à Covid-19'', diz David Uip em LIDE Live

SÃO PAULO, 9 de abril de 2020 /PRNewswire/ -- O médico David Uip, Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, foi o expositor do LIDE Live desta quinta-feira (9), promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. No evento on-line, o infectologista falou sobre os "Avanços das pesquisas no combate à Covid-19 e cenários para o enfrentamento" e respondeu a perguntas de empresários de diversos setores da economia.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). O LIDE Live teve a medição do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto, e do médico Claudio Lottenberg, presidente do LIDE Saúde.

"Eu mesmo fiquei muito doente, mas eu estou vivo e trabalhando. Existe esperança. Qualquer decisão nesse momento é prematura, mas estamos trabalhando muito para buscar soluções. A ciência brasileira e mundial está buscando alternativas para mudar esse cenário", afirmou o médico. David Uip contraiu a doença e, após duas semanas de quarentena e tratamento, voltou ao trabalho normalmente.

O infectologista também recomendou prudência no uso dos medicamentos. "Estou otimista em relação a se encontrar um remédio que seja efetivo, mais do que de se desenvolver uma vacina contra à Covid-19 em curto prazo. Por diversos fatores, há uma demora para termos resultados, pois precisamos de certezas científicas. A cloroquina, por ter efeitos reversos fortes, só vale a pena ser usada em pacientes mais graves".

Responsável por coordenar o Centro de Contingência em São Paulo, o médico infectologista lembrou da importância das pessoas em darem continuidade a tratamentos de outras doenças. "Os pacientes crônicos estão deixando de ir aos hospitais por causa de medo, isso é muito complicado, porque você passa ter um risco adicional. É importante que esses tratamentos sejam continuados, claro, com precaução".

David Uip ainda defendeu as medidas de isolamento adotadas no Estado de São Paulo e disse que essas ações são essenciais para reduzir a disseminação da doença. "Nenhum de nós está feliz com esse isolamento. É muito difícil, mas agora é necessário. É um enorme desafio porque incomoda as pessoas não só economicamente, mas emocionalmente. As diferenças de pré e pós Covid-19 serão notáveis até entre as relações humanas".

FONTE LIDE

SÃO PAULO, 9 de abril de 2020 /PRNewswire/ -- O médico David Uip, Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, foi o expositor do LIDE Live desta quinta-feira (9), promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. No evento on-line, o infectologista falou sobre os "Avanços das pesquisas no combate à Covid-19 e cenários para o enfrentamento" e respondeu a perguntas de empresários de diversos setores da economia.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). O LIDE Live teve a medição do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto, e do médico Claudio Lottenberg, presidente do LIDE Saúde.

"Eu mesmo fiquei muito doente, mas eu estou vivo e trabalhando. Existe esperança. Qualquer decisão nesse momento é prematura, mas estamos trabalhando muito para buscar soluções. A ciência brasileira e mundial está buscando alternativas para mudar esse cenário", afirmou o médico. David Uip contraiu a doença e, após duas semanas de quarentena e tratamento, voltou ao trabalho normalmente.

O infectologista também recomendou prudência no uso dos medicamentos. "Estou otimista em relação a se encontrar um remédio que seja efetivo, mais do que de se desenvolver uma vacina contra à Covid-19 em curto prazo. Por diversos fatores, há uma demora para termos resultados, pois precisamos de certezas científicas. A cloroquina, por ter efeitos reversos fortes, só vale a pena ser usada em pacientes mais graves".

Responsável por coordenar o Centro de Contingência em São Paulo, o médico infectologista lembrou da importância das pessoas em darem continuidade a tratamentos de outras doenças. "Os pacientes crônicos estão deixando de ir aos hospitais por causa de medo, isso é muito complicado, porque você passa ter um risco adicional. É importante que esses tratamentos sejam continuados, claro, com precaução".

David Uip ainda defendeu as medidas de isolamento adotadas no Estado de São Paulo e disse que essas ações são essenciais para reduzir a disseminação da doença. "Nenhum de nós está feliz com esse isolamento. É muito difícil, mas agora é necessário. É um enorme desafio porque incomoda as pessoas não só economicamente, mas emocionalmente. As diferenças de pré e pós Covid-19 serão notáveis até entre as relações humanas".

FONTE LIDE