Estudo II do Fraunhofer ISE: módulos Vertex 210 + rastreadores Trina resultam em 6,0% de redução no custo nivelado de energia

CHANGZHOU, China, 30 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Após o cálculo dos módulos de 210 mm com inclinações fixas no estudo I do Fraunhofer ISE, o instituto líder mundial de pesquisa em energia solar Fraunhofer ISE avaliou e estudou também o custo nivelado de energia (LCOE) de usinas de produção de energia terrestres, com a combinação da nova geração de módulo de ultra-alta potência e rastreador 1P. A combinação do sistema de rastreamento 1P de eixo único e módulos bifaciais oferece mais geração de energia, reduzindo significativamente o LCOE e melhorando o retorno do investimento.

Os resultados do estudo mostram que a nova geração de módulos bifaciais de 210 mm (G12) e 182 mm (M10) + rastreador 1P funciona melhor do que os módulos convencionais de 166 mm (M6), tanto em relação ao capital investido (CAPEX) quanto ao LCOE.

Constatou-se também que, entre os módulos bifaciais G12 representados pela série Vertex da Trina Solar, os módulos 545W, 600W e 660W são superiores aos módulos bifaciais M10 tanto em relação ao CAPEX quanto ao LCOE. O CAPEX dos módulos bifaciais Vertex G12 660W é 1,9% mais baixo do que o dos módulos bifaciais M10 535W, e o LCOE é 1,9% mais baixo do que este último.

O LCOE dos módulos bifaciais Vertex G12 660W é 2,6% mais baixo do que o dos módulos bifaciais M10 585W e 6,0% mais baixo do que o dos módulos bifaciais M6 450W. Em comparação com o M6, para uma usina de sistema de eixo único de 50MW com um CAPEX de investimento inicial de cerca de 25,5 milhões de euros, o sistema bifacial Vertex G12 660W economiza quase 1,5 milhão de euros. A série avançada de módulos Vertex 210 mm tem uma margem de destaque no custo nivelado de energia (LCOE).

(Clique para visualizar o estudo 1 do Fraunhofer ISE: https://www.pv-tech.org/industry-updates/the-route-to-best-lcoe/)

Local da avaliação: Espanha

Tipos de módulo: módulos bifaciais M6 450W; módulos bifaciais M10 535W e módulos 585W; módulos bifaciais G12 545W, 600W e 660W

Método de instalação: rastreadores 1P TrinaTracker

Inversor: inversor central

As comparações mostram que a série G12 de módulos de ultra-alta potência representados pela Vertex da Trina Solar pode reduzir significativamente o CAPEX e o LCOE. Ela estabelece um novo padrão de economia de custos, garantindo, em última análise, os lucros do projeto e maximizando o valor para o cliente, tornando a energia solar fotovoltaica mais competitiva.

Para mais informações sobre o estudo II do Fraunhofer ISE, clique no link:

https://mgr.trinasolar.com/en-glb/resources/newsroom/mathe-way-best-lcoe-v

Clique para baixar os PPTs do Fraunhofer ISE sobre os testes dos módulos Vertex:

https://pages.trinasolar.com/glb-Frouhofer.html

Para mais informações, entre em contato com os representantes de vendas locais da Trina Solar ou envie um e-mail para: VertexValue@Trinasolar.com

FONTE Trina Solar Co., Ltd

CHANGZHOU, China, 30 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Após o cálculo dos módulos de 210 mm com inclinações fixas no estudo I do Fraunhofer ISE, o instituto líder mundial de pesquisa em energia solar Fraunhofer ISE avaliou e estudou também o custo nivelado de energia (LCOE) de usinas de produção de energia terrestres, com a combinação da nova geração de módulo de ultra-alta potência e rastreador 1P. A combinação do sistema de rastreamento 1P de eixo único e módulos bifaciais oferece mais geração de energia, reduzindo significativamente o LCOE e melhorando o retorno do investimento.

Os resultados do estudo mostram que a nova geração de módulos bifaciais de 210 mm (G12) e 182 mm (M10) + rastreador 1P funciona melhor do que os módulos convencionais de 166 mm (M6), tanto em relação ao capital investido (CAPEX) quanto ao LCOE.

Constatou-se também que, entre os módulos bifaciais G12 representados pela série Vertex da Trina Solar, os módulos 545W, 600W e 660W são superiores aos módulos bifaciais M10 tanto em relação ao CAPEX quanto ao LCOE. O CAPEX dos módulos bifaciais Vertex G12 660W é 1,9% mais baixo do que o dos módulos bifaciais M10 535W, e o LCOE é 1,9% mais baixo do que este último.

O LCOE dos módulos bifaciais Vertex G12 660W é 2,6% mais baixo do que o dos módulos bifaciais M10 585W e 6,0% mais baixo do que o dos módulos bifaciais M6 450W. Em comparação com o M6, para uma usina de sistema de eixo único de 50MW com um CAPEX de investimento inicial de cerca de 25,5 milhões de euros, o sistema bifacial Vertex G12 660W economiza quase 1,5 milhão de euros. A série avançada de módulos Vertex 210 mm tem uma margem de destaque no custo nivelado de energia (LCOE).

(Clique para visualizar o estudo 1 do Fraunhofer ISE: https://www.pv-tech.org/industry-updates/the-route-to-best-lcoe/)

Local da avaliação: Espanha

Tipos de módulo: módulos bifaciais M6 450W; módulos bifaciais M10 535W e módulos 585W; módulos bifaciais G12 545W, 600W e 660W

Método de instalação: rastreadores 1P TrinaTracker

Inversor: inversor central

As comparações mostram que a série G12 de módulos de ultra-alta potência representados pela Vertex da Trina Solar pode reduzir significativamente o CAPEX e o LCOE. Ela estabelece um novo padrão de economia de custos, garantindo, em última análise, os lucros do projeto e maximizando o valor para o cliente, tornando a energia solar fotovoltaica mais competitiva.

Para mais informações sobre o estudo II do Fraunhofer ISE, clique no link:

https://mgr.trinasolar.com/en-glb/resources/newsroom/mathe-way-best-lcoe-v

Clique para baixar os PPTs do Fraunhofer ISE sobre os testes dos módulos Vertex:

https://pages.trinasolar.com/glb-Frouhofer.html

Para mais informações, entre em contato com os representantes de vendas locais da Trina Solar ou envie um e-mail para: VertexValue@Trinasolar.com

FONTE Trina Solar Co., Ltd

Você acabou de ler:

Estudo II do Fraunhofer ISE: módulos Vertex 210 + rastreadores Trina resultam em 6,0% de redução no custo nivelado de energia

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/estudo-ii-do-fraunhofer-ise-modulos-vertex-210-rastreadores-trina-resultam-em-60-de-reducao-no-custo-nivelado-de-energia/