Federação Dentária Internacional FDI: estudo mostra aumento dramático na prescrição de antibióticos a pacientes odontológicos na Inglaterra durante o isolamento em razão da COVID-19 no início deste ano

A Federação Dentária Internacional (FDI) lança novo relatório sobre resistência a antibióticos para registrar a Semana Mundial de Conscientização Antimicrobiana

GENEBRA e LONDRES, 13 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- Uma das consequências não intencionais dos isolamentos devido à COVID-19, na Inglaterra, no início deste ano foi um aumento de 25% na prescrição de antibióticos feita por dentistas, de acordo com um novo estudo publicado hoje no British Dental Journal (BDJ).

A resistência a antibióticos (Antibiotic resistance, ABR) é um problema global que representa uma ameaça significativa à saúde e ao patrimônio, devido a doenças prolongadas, internações hospitalares mais longas e aumento da mortalidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) enfatizou a urgência de abordar a resistência a antibióticos, incluindo-a nas cinco plataformas para a saúde e o bem-estar global. A resistência a antibióticos é um problema que atinge a todos e precisa ser enfrentado com urgência. Se a resistência a antibióticos continuar a aumentar, estima-se que as infecções resistentes a medicamentos serão a principal causa de morte em todo o mundo nos próximos 30 anos.

A Semana Mundial da Conscientização Antimicrobiana da OMS anual é realizada de 18 a 24 de novembro.

Os antibióticos não curam dor de dente. A maioria das infecções dentárias pode ser tratada por um procedimento odontológico para eliminar a fonte da infecção sem a necessidade de antibióticos. Em condições normais, os planos de tratamento usando apenas antibióticos raramente são recomendados. O uso desnecessário de antibióticos favorece o desenvolvimento e a propagação de infecções resistentes.

"Os antibióticos são medicamentos que salvam vidas; quando as pessoas realmente precisam deles, eles realmente precisam funcionar", disse a Dra. Wendy Thompson,autora do estudo do BDJ (British Dental Journal), clínica acadêmica em atendimento odontológico primário na Universidade de Manchester e membro do FDI ABR Working Group.

"As infecções resistentes a antibióticos representam um sério risco para a segurança dos pacientes, motivo pelo qual o grande aumento na prescrição de antibióticos odontológicos (mais de 25% nos três meses de abril a junho) é uma grande preocupação. Após anos de tendência de queda, o acesso restrito ao atendimento odontológico devido à COVID-19 impulsionou esse aumento repentino. Devemos evitar que isso aconteça novamente quando o Reino Unido estiver em outra situação de isolamento.

"Vivemos tempos particularmente desafiadores. Os pacientes que aguardam atendimento geralmente recebem mais antibióticos do que os pacientes que recebem o tratamento correto imediatamente. À medida que os atendimentos odontológicos voltam ao "novo normal" na era COVID-19, é importante garantir o acesso a atendimento odontológico urgente e de alta qualidade e otimizar o uso de antibióticos."

"Pandemia em câmera lenta" 

Reconhecendo a urgência da situação, a FDI lançou hoje seu relatório, O papel fundamental da equipe odontológica na redução da resistência aos antibióticos, que é respaldado por uma biblioteca on-line de recursos e acompanhado por um curso on-line aberto massivo (massive open online course, MOOC). O documento é um passo importante para entender que os dentistas em todo o mundo precisam ser reconhecidos por seu papel na prevenção e tratamento de infecções odontológicas e capacitados para otimizar a prescrição de antibióticos.

"Estamos diante de uma pandemia em câmera lenta e uma ação coletiva urgente é necessária para desacelerá-la", disse o Dr. Gerhard K. Seeberger, presidente da FDI.

"No futuro, a profissão odontológica tem a evidente responsabilidade de empenhar-se, comprometer-se e contribuir para os esforços globais, nacionais e locais visando combater a resistência aos antibióticos".

- A foto está disponível em AP Images (http://www.apimages.com) -

Mais informações:

Michael Kessler

Relações com a imprensa da FDI

Móvel: + 34 655 792 699

E-mail: michael.kessler@intoon-media.com

Sobre a Federação Dentária Internacional FDI: a FDI é o principal órgão representativo de mais de um milhão de dentistas em todo o mundo, com a visão de levar a saúde bucal ideal ao mundo. Seus membros incluem cerca de 200 associações nacionais e grupos especializados em mais de 130 países. www.fdiworlddental.org

Sobre a GSK: a GSK é uma empresa global de saúde, voltada à ciência, com um propósito particular: ajudar as pessoas a fazer mais, sentir-se melhor e viver mais. A GSK ofereceu assistência financeira para o desenvolvimento da biblioteca on-line de recursos que respaldam o relatório da FDI e o MOOC.

 

 

FONTE FDI World Dental Federation

A Federação Dentária Internacional (FDI) lança novo relatório sobre resistência a antibióticos para registrar a Semana Mundial de Conscientização Antimicrobiana

GENEBRA e LONDRES, 13 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- Uma das consequências não intencionais dos isolamentos devido à COVID-19, na Inglaterra, no início deste ano foi um aumento de 25% na prescrição de antibióticos feita por dentistas, de acordo com um novo estudo publicado hoje no British Dental Journal (BDJ).

A resistência a antibióticos (Antibiotic resistance, ABR) é um problema global que representa uma ameaça significativa à saúde e ao patrimônio, devido a doenças prolongadas, internações hospitalares mais longas e aumento da mortalidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) enfatizou a urgência de abordar a resistência a antibióticos, incluindo-a nas cinco plataformas para a saúde e o bem-estar global. A resistência a antibióticos é um problema que atinge a todos e precisa ser enfrentado com urgência. Se a resistência a antibióticos continuar a aumentar, estima-se que as infecções resistentes a medicamentos serão a principal causa de morte em todo o mundo nos próximos 30 anos.

A Semana Mundial da Conscientização Antimicrobiana da OMS anual é realizada de 18 a 24 de novembro.

Os antibióticos não curam dor de dente. A maioria das infecções dentárias pode ser tratada por um procedimento odontológico para eliminar a fonte da infecção sem a necessidade de antibióticos. Em condições normais, os planos de tratamento usando apenas antibióticos raramente são recomendados. O uso desnecessário de antibióticos favorece o desenvolvimento e a propagação de infecções resistentes.

"Os antibióticos são medicamentos que salvam vidas; quando as pessoas realmente precisam deles, eles realmente precisam funcionar", disse a Dra. Wendy Thompson,autora do estudo do BDJ (British Dental Journal), clínica acadêmica em atendimento odontológico primário na Universidade de Manchester e membro do FDI ABR Working Group.

"As infecções resistentes a antibióticos representam um sério risco para a segurança dos pacientes, motivo pelo qual o grande aumento na prescrição de antibióticos odontológicos (mais de 25% nos três meses de abril a junho) é uma grande preocupação. Após anos de tendência de queda, o acesso restrito ao atendimento odontológico devido à COVID-19 impulsionou esse aumento repentino. Devemos evitar que isso aconteça novamente quando o Reino Unido estiver em outra situação de isolamento.

"Vivemos tempos particularmente desafiadores. Os pacientes que aguardam atendimento geralmente recebem mais antibióticos do que os pacientes que recebem o tratamento correto imediatamente. À medida que os atendimentos odontológicos voltam ao "novo normal" na era COVID-19, é importante garantir o acesso a atendimento odontológico urgente e de alta qualidade e otimizar o uso de antibióticos."

"Pandemia em câmera lenta" 

Reconhecendo a urgência da situação, a FDI lançou hoje seu relatório, O papel fundamental da equipe odontológica na redução da resistência aos antibióticos, que é respaldado por uma biblioteca on-line de recursos e acompanhado por um curso on-line aberto massivo (massive open online course, MOOC). O documento é um passo importante para entender que os dentistas em todo o mundo precisam ser reconhecidos por seu papel na prevenção e tratamento de infecções odontológicas e capacitados para otimizar a prescrição de antibióticos.

"Estamos diante de uma pandemia em câmera lenta e uma ação coletiva urgente é necessária para desacelerá-la", disse o Dr. Gerhard K. Seeberger, presidente da FDI.

"No futuro, a profissão odontológica tem a evidente responsabilidade de empenhar-se, comprometer-se e contribuir para os esforços globais, nacionais e locais visando combater a resistência aos antibióticos".

- A foto está disponível em AP Images (http://www.apimages.com) -

Mais informações:

Michael Kessler

Relações com a imprensa da FDI

Móvel: + 34 655 792 699

E-mail: michael.kessler@intoon-media.com

Sobre a Federação Dentária Internacional FDI: a FDI é o principal órgão representativo de mais de um milhão de dentistas em todo o mundo, com a visão de levar a saúde bucal ideal ao mundo. Seus membros incluem cerca de 200 associações nacionais e grupos especializados em mais de 130 países. www.fdiworlddental.org

Sobre a GSK: a GSK é uma empresa global de saúde, voltada à ciência, com um propósito particular: ajudar as pessoas a fazer mais, sentir-se melhor e viver mais. A GSK ofereceu assistência financeira para o desenvolvimento da biblioteca on-line de recursos que respaldam o relatório da FDI e o MOOC.

 

 

FONTE FDI World Dental Federation

Você acabou de ler:

Federação Dentária Internacional FDI: estudo mostra aumento dramático na prescrição de antibióticos a pacientes odontológicos na Inglaterra durante o isolamento em razão da COVID-19 no início deste ano

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/federacao-dentaria-internacional-fdi-estudo-mostra-aumento-dramatico-na-prescricao-de-antibioticos-a-pacientes-odontologicos-na-inglaterra-durante-o-isolamento-em-razao-da-covid-19-no-inicio-deste-an/