Federação Dentária Internacional (FDI): pesquisa global mostra que menos da metade (38%) dos pais limitam o consumo de alimentos e bebidas açucarados pelos filhos para garantir a boa saúde bucal

Dos 10 países pesquisados, os Estados Unidos se classificam em penúltimo lugar, com menos de um terço dos pais limitando os níveis de açúcar na dieta de seus filhos O Reino Unido ocupa o primeiro lugar com um pouco mais da metade dos pais indicando que restringem os níveis de açúcar Menos da metade dos pais levam seus filhos para um check-up dentário pelo menos uma vez por ano

GENEBRA, 16 de março de 2020 /PRNewswire/  Menos da metade dos pais limitam proativamente o consumo de alimentos e bebidas açucarados por seus filhos, tais como doces, refrigerantes e sucos, como um meio de proteger seus dentes, de acordo com uma pesquisa da YouGov em 10 países desenvolvidos e em desenvolvimento, encomendada pela Federação Dentária Internacional (FDI).

 

 

Divulgada em antecedência ao Dia Mundial da Saúde Bucal (WOHD – World Oral Health Day) em 20 de março, a pesquisa perguntou aos pais com filhos menores de 18 anos: "Quais das seguintes medidas, se alguma, você já tomou para garantir uma boa saúde bucal de seu(s) filho(s)?". Os resultados indicaram que menos de um terço dos pais nos Estados Unidos da América (EUA) limitaram o consumo de açúcar por seus filhos, enquanto os pais no Reino Unido (RE) são mais proativos, com um pouco mais da metade dos pais indicando que restringem os níveis de açúcar. Os pais no Reino Unido também ocuparam o primeiro lugar entre os que levam os filhos para um check-up dentário pelo menos uma vez por ano, enquanto menos da metade dos pais nos outros nove países o fazem.

"A doença bucal representa uma grande parte do ônus das doenças evitáveis e os resultados dessa pesquisa demonstram que não estamos fazendo o suficiente para evitar problemas de saúde bucal em uma idade prematura", disse o presidente da FDI, Dr. Gerhard K. Seeberger.

A doença bucal compartilha fatores de risco comuns com outras doenças não transmissíveis (NCDs – noncommunicable diseases), incluindo uso de tabaco, uso prejudicial de bebidas alcoólicas e dietas não saudáveis, especialmente as que têm alto teor de açúcar. Ela também tipifica os tipos de iniquidades da saúde que estão ligadas ao ônus das NCDs.

"A profissão da saúde bucal é largamente vista como uma especialidade separada, divorciada da medicina e do sistema de formação em medicina, mas o intenso debate sobre o açúcar nos últimos anos ilustra a falácia de se trabalhar em feudos. É simplesmente improdutivo discutir bebidas açucaradas e sua ligação com a epidemia de obesidade, sem incluir como fator o impacto óbvio que o produto exerce na saúde bucal das crianças", disse Seeberger.

A saúde bucal continua a ser uma das áreas mais negligenciadas da saúde global. A tragédia decorre do fato de que a doença bucal é uma epidemia silenciosa que aflige 3,58 bilhões de pessoas – mais da metade da população do mundo, embora seja grandemente evitável. As doenças bucais, tais como cáries dentárias, doença da gengiva e câncer bucal, constituem as formas mais comuns de NCDs evitáveis e afetam as pessoas durante toda a vida, causando dor, desconforto, deformações e até mesmo morte. A falha coletiva de prevenir a doença bucal custa à economia mundial cerca de US$ 442 bilhões.

A maior parte da negligência se deve a uma barreira principal: os altos custos do tratamento. Doenças bucais constituem a quarta doença mais custosa para o paciente pagar do próprio bolso. Além disso, a vontade política para mudar esse cenário praticamente não existe, devido, em parte, ao fato de que, historicamente, a boca tem sido tratada separadamente do "corpo" na formulação de políticas para a saúde.

A pesquisa relata que os pais nos EUA ocupam o penúltimo lugar, no que se refere a limitar alimentos e bebidas açucarados na dieta de seus filhos (ex. doces, refrigerantes, sucos), com 32% dos entrevistados confirmando que não o faziam. Os resultados dos demais países incluíram os do Reino Unido (52%), Suécia (44%), Austrália (41%), China (41%), Marrocos (40%), França (37%), Filipinas (36%), Egito (32%) e Argentina (30%).

Dos pais entrevistados nos EUA, 41% declararam que levaram seus filhos para um check-up dentário pelo menos uma vez por ano. Os resultados dos demais países incluíram os do Reino Unido (63%), Argentina (47%), França (42%), Suécia (41%), Austrália (37%), Filipinas (31%), China (18%), Marrocos (12%) e Egito (11%).

Neste ano, o Dia Mundial da Saúde Bucal assumirá o compromisso de inspirar o público em geral, os formuladores de políticas, os profissionais de saúde e outros interessados essenciais com a mensagem Unite for Mouth Health (Unam-se pela Saúde Bucal).

Sobre a pesquisa

Todos os números, a não ser que declarado diferentemente, são da YouGov Plc. O tamanho da amostra foi de 11.552 adultos, dos quais 4.056 eram pais com filhos de até 18 anos. O trabalho de campo foi feito de 30 de janeiro a 8 de fevereiro de 2018. A pesquisa foi realizada on-line. Os números foram ponderados e nossa representação nacional era de adultos com mais de 18 anos. A decomposição dos entrevistados que eram pais com filhos com menos de 18 anos foi a seguinte: Reino Unido (468), Austrália (311), Egito (463), Filipinas (506), França (357), EUA (295), Marrocos (386), Suécia (272), China (529) e Argentina (469).

Sobre o Dia Mundial da Saúde Bucal

Celebrado anualmente em 20 de março, o Dia Mundial da Saúde Bucal (WOHD – World Oral Health Day) foi lançado pela Federação Dentária Internacional (FDI) para despertar a conscientização global sobre a prevenção e controle de doenças bucais. www.worldoralhealthday.org; #WOHD20 #UniteForMouthHealth.

Parceira do WOHD Global: Unilever; Patrocinadores do WOHD: 3M, Planmeca, Wrigley Oral Healthcare Program.

Sobre a Federação Dentária Internacional (FDI World Dental Federation) 

A Federação Dentária Internacional (FDI World Dental Federation) é o principal organismo de representação de mais de um milhão de dentistas de todo o mundo. Sua filiação é composta por cerca de 200 associações nacionais de odontologia e grupos de especialistas filiados de mais de 130 países. A FDI tem a visão de liderar o mundo na otimização da saúde bucal. https://www.fdiworlddental.org/; facebook.com/FDIWorldDentalFederation; twitter.com/FDIWorldDental

Para obter mais informações:

Michael Kessler

Michael Kessler Media

Celular: +34 655 792 699

e-mail: michael.kessler@intoon-media.com

Infográfico - https://mma.prnewswire.com/media/1123889/World_Oral_Health_Day_2020_Infographic.jpg

Logo  - https://mma.prnewswire.com/media/1123888/FDI_World_Dental_Federation_Logo.jpg

 

 

FONTE FDI World Dental Federation

Dos 10 países pesquisados, os Estados Unidos se classificam em penúltimo lugar, com menos de um terço dos pais limitando os níveis de açúcar na dieta de seus filhos O Reino Unido ocupa o primeiro lugar com um pouco mais da metade dos pais indicando que restringem os níveis de açúcar Menos da metade dos pais levam seus filhos para um check-up dentário pelo menos uma vez por ano

GENEBRA, 16 de março de 2020 /PRNewswire/  Menos da metade dos pais limitam proativamente o consumo de alimentos e bebidas açucarados por seus filhos, tais como doces, refrigerantes e sucos, como um meio de proteger seus dentes, de acordo com uma pesquisa da YouGov em 10 países desenvolvidos e em desenvolvimento, encomendada pela Federação Dentária Internacional (FDI).

 

 

Divulgada em antecedência ao Dia Mundial da Saúde Bucal (WOHD – World Oral Health Day) em 20 de março, a pesquisa perguntou aos pais com filhos menores de 18 anos: "Quais das seguintes medidas, se alguma, você já tomou para garantir uma boa saúde bucal de seu(s) filho(s)?". Os resultados indicaram que menos de um terço dos pais nos Estados Unidos da América (EUA) limitaram o consumo de açúcar por seus filhos, enquanto os pais no Reino Unido (RE) são mais proativos, com um pouco mais da metade dos pais indicando que restringem os níveis de açúcar. Os pais no Reino Unido também ocuparam o primeiro lugar entre os que levam os filhos para um check-up dentário pelo menos uma vez por ano, enquanto menos da metade dos pais nos outros nove países o fazem.

"A doença bucal representa uma grande parte do ônus das doenças evitáveis e os resultados dessa pesquisa demonstram que não estamos fazendo o suficiente para evitar problemas de saúde bucal em uma idade prematura", disse o presidente da FDI, Dr. Gerhard K. Seeberger.

A doença bucal compartilha fatores de risco comuns com outras doenças não transmissíveis (NCDs – noncommunicable diseases), incluindo uso de tabaco, uso prejudicial de bebidas alcoólicas e dietas não saudáveis, especialmente as que têm alto teor de açúcar. Ela também tipifica os tipos de iniquidades da saúde que estão ligadas ao ônus das NCDs.

"A profissão da saúde bucal é largamente vista como uma especialidade separada, divorciada da medicina e do sistema de formação em medicina, mas o intenso debate sobre o açúcar nos últimos anos ilustra a falácia de se trabalhar em feudos. É simplesmente improdutivo discutir bebidas açucaradas e sua ligação com a epidemia de obesidade, sem incluir como fator o impacto óbvio que o produto exerce na saúde bucal das crianças", disse Seeberger.

A saúde bucal continua a ser uma das áreas mais negligenciadas da saúde global. A tragédia decorre do fato de que a doença bucal é uma epidemia silenciosa que aflige 3,58 bilhões de pessoas – mais da metade da população do mundo, embora seja grandemente evitável. As doenças bucais, tais como cáries dentárias, doença da gengiva e câncer bucal, constituem as formas mais comuns de NCDs evitáveis e afetam as pessoas durante toda a vida, causando dor, desconforto, deformações e até mesmo morte. A falha coletiva de prevenir a doença bucal custa à economia mundial cerca de US$ 442 bilhões.

A maior parte da negligência se deve a uma barreira principal: os altos custos do tratamento. Doenças bucais constituem a quarta doença mais custosa para o paciente pagar do próprio bolso. Além disso, a vontade política para mudar esse cenário praticamente não existe, devido, em parte, ao fato de que, historicamente, a boca tem sido tratada separadamente do "corpo" na formulação de políticas para a saúde.

A pesquisa relata que os pais nos EUA ocupam o penúltimo lugar, no que se refere a limitar alimentos e bebidas açucarados na dieta de seus filhos (ex. doces, refrigerantes, sucos), com 32% dos entrevistados confirmando que não o faziam. Os resultados dos demais países incluíram os do Reino Unido (52%), Suécia (44%), Austrália (41%), China (41%), Marrocos (40%), França (37%), Filipinas (36%), Egito (32%) e Argentina (30%).

Dos pais entrevistados nos EUA, 41% declararam que levaram seus filhos para um check-up dentário pelo menos uma vez por ano. Os resultados dos demais países incluíram os do Reino Unido (63%), Argentina (47%), França (42%), Suécia (41%), Austrália (37%), Filipinas (31%), China (18%), Marrocos (12%) e Egito (11%).

Neste ano, o Dia Mundial da Saúde Bucal assumirá o compromisso de inspirar o público em geral, os formuladores de políticas, os profissionais de saúde e outros interessados essenciais com a mensagem Unite for Mouth Health (Unam-se pela Saúde Bucal).

Sobre a pesquisa

Todos os números, a não ser que declarado diferentemente, são da YouGov Plc. O tamanho da amostra foi de 11.552 adultos, dos quais 4.056 eram pais com filhos de até 18 anos. O trabalho de campo foi feito de 30 de janeiro a 8 de fevereiro de 2018. A pesquisa foi realizada on-line. Os números foram ponderados e nossa representação nacional era de adultos com mais de 18 anos. A decomposição dos entrevistados que eram pais com filhos com menos de 18 anos foi a seguinte: Reino Unido (468), Austrália (311), Egito (463), Filipinas (506), França (357), EUA (295), Marrocos (386), Suécia (272), China (529) e Argentina (469).

Sobre o Dia Mundial da Saúde Bucal

Celebrado anualmente em 20 de março, o Dia Mundial da Saúde Bucal (WOHD – World Oral Health Day) foi lançado pela Federação Dentária Internacional (FDI) para despertar a conscientização global sobre a prevenção e controle de doenças bucais. www.worldoralhealthday.org; #WOHD20 #UniteForMouthHealth.

Parceira do WOHD Global: Unilever; Patrocinadores do WOHD: 3M, Planmeca, Wrigley Oral Healthcare Program.

Sobre a Federação Dentária Internacional (FDI World Dental Federation) 

A Federação Dentária Internacional (FDI World Dental Federation) é o principal organismo de representação de mais de um milhão de dentistas de todo o mundo. Sua filiação é composta por cerca de 200 associações nacionais de odontologia e grupos de especialistas filiados de mais de 130 países. A FDI tem a visão de liderar o mundo na otimização da saúde bucal. https://www.fdiworlddental.org/; facebook.com/FDIWorldDentalFederation; twitter.com/FDIWorldDental

Para obter mais informações:

Michael Kessler

Michael Kessler Media

Celular: +34 655 792 699

e-mail: michael.kessler@intoon-media.com

Infográfico - https://mma.prnewswire.com/media/1123889/World_Oral_Health_Day_2020_Infographic.jpg

Logo  - https://mma.prnewswire.com/media/1123888/FDI_World_Dental_Federation_Logo.jpg

 

 

FONTE FDI World Dental Federation

Você acabou de ler:

Federação Dentária Internacional (FDI): pesquisa global mostra que menos da metade (38%) dos pais limitam o consumo de alimentos e bebidas açucarados pelos filhos para garantir a boa saúde bucal

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/federacao-dentaria-internacional-fdi-pesquisa-global-mostra-que-menos-da-metade-38-dos-pais-limitam-o-consumo-de-alimentos-e-bebidas-acucarados-pelos-filhos-para-garantir-a-boa-saude-bucal/