Forbes Latam e LLYC lançam relatório sobre empresas multilatinas

-- "Multilatinas sob a nova normalidade" analisa uma enorme quantidade de big data para ajudar na tomada de decisões nos negócios na região -- A diálogo estudada se concentra sobre todo em Brasil, México e Chile e gira ao redor de 10 empresas procedentes dos setores energia e alimentação e bebidas

SÃO PAULO, 23 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- A LLYC fechou uma aliança com a Forbes Latam para analisar o novo contexto de um mercado que ambos conhecem bem, América Latina e o Caribe. Fruto deste acordo é a elaboração de um primeiro relatório conjunto, com o título "Multilatinas sob a nova normalidade". Com ajuda de inteligência artificial e através da análise de big data, se executou uma aproximação analítica e jornalística com o fim de fotografar o ecossistema empresarial e contribuir na tomada de decisões nos negócios.

Para Alejandro Romero, Sócio e CEO Américas da LLYC, esta aliança estratégica será um farol que guie muitas iniciativas: "Esta análise nos permite primeiro dimensionar e entender o impacto da marca Multilatina nas Américas, e determinar sua capacidade de adaptação e suas apostas, para valorar como estão impactando e alterando seus setores e como seus CEOs marcam a diferença no mercado".

Esta primeira entrega, que se baseou na análise de 7,3 milhões de mensagens de mais de 2 milhões de perfiles durante o primeiro semestre do ano, põe de manifesto que os países da região não tiveram sólidos planos de resgate como Estados Unidos ou Europa após a crises derivada da pandemia. Somente o Brasil figura entre os países que mais parte do PIB investiram em combater seus efeitos. As multilatinas enfrentaram, portanto, desafios particulares como área mais vulnerável e com menor capacidade de resposta.

O estudo diz que o diálogo sobre as multilatinas está concentrada, sobre todo, em Brasil, México e Chile, e 63% dela gira ao redor de 10 empresas e nesta ordem: Petrobrás, Nubank, Grupo Televisa, Grupo Bimbo, Natura, Bancolombia, Falabella, Cinépolis, Sigdo Koppers e Ambev. As multilatinas com maior protagonismo no diálogo pertencem aos setores 'Energia' e 'Alimentação e bebidas' e supõem quase um de cada duas mensagens (48,4%), pelo que se evidenciam áreas de oportunidade em outros setores para fomentar o diálogo.

A dependência do mercado raiz segue sendo alta, já que 68% da conversa se produz em seu país de origem. Ademais, os Estados Unidos costumam aparecer como segundo mercado de várias empresas multilatinas, pelo que em geral estas firmas tendem a buscar ou encontrar posicionamento ali depois de seu país de origem.

Conclusões

Estes são os desafios e oportunidades detectados para as multilatinas na "nova normalidade":

  • As empresas tendem à flexibilização, e as multilatinas por natureza desenvolveram certa resistência a crises pela vitalidade da região.
  • O uso do big data está menos massificado na América Latina e, ante um contexto mais volátil e incerto que a média, se torna mais valioso implementar modelos de predição porque outorgam uma maior vantagem competitiva.
  • Em 2021 o diálogo sobre as multilatinas se concentra maioritariamente em 5 países: México, Brasil, Chile, Argentina e Colômbia.
  • Se produziu uma concentração corporativa deste diálogo: 60% da conversa é sobre as primeiras 10 empresas que mais impacto tiveram na opinião pública.
  • A internacionalização do negócio das multilatinas não esteve acompanhada de uma internacionalização narrativa já que, na média, 68% do diálogo de uma multilatina se desenvolve em seu mercado de origem.
  • As novas tendências demandam uma infraestrutura digital mais sólida, mas as multilatinas têm um gap importante com seus homólogos norte-americanos ou europeus para poder implementar muitas destas estratégias.
  • O sucesso das empresas que redobraram sua aposta durante a pandemia revela que há um potencial de crescimento importante para as multilatinas na região.
  • A marca multilatina é um conceito de pouco uso narrativo, mas tem um grande potencial na região. Sob as estratégias de identidade de marca, cabe seu uso regional.
  • Sobre LLYC

    LLYC é uma Firma global de consultoria de comunicação e assuntos públicos, que ajuda seus clientes à toma de decisões estratégicas de forma proativa, com a criatividade e experiência necessárias, e a sua execução minimizando os riscos, aproveitando as oportunidades e sempre considerando o impacto reputacional. Em um contexto disruptivo e incerto, a LLYC contribui a que seus clientes alcancem suas metas de negócio a curto prazo e a fixar uma rota, com uma visão a longo prazo, para defender sua licença social para operar e aumentar seu prestígio.

    Na atualidade, a LLYC tem 16 escritórios na Argentina, Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro), Colômbia, Chile, Equador, Espanha (Madrid e Barcelona), Estados Unidos (Miami, Nova York e Washington, DC), México, Panamá, Peru, Portugal e República Dominicana. Além disso, oferece seus serviços através de companhias afiliadas no resto dos mercados da América Latina.

    As duas publicações líderes do setor situam a LLYC entre as companhias de comunicação mais importantes do mundo. É a número 36 por ingressos a nível mundial segundo o Global Agency Business Report 2021 de PRWeek e ocupa o posto 46 do Ranking Global 2021 elaborado por PRovoke.

    No capítulo das premiações, LLYC obteve no ano passado 89 prêmios. Deles, 64 na Espanha. Foi eleita a melhor consultora de comunicação da Europa nos PRWeek Global Awards 2021. Foi reconhecida em 2020 como a melhor agência de comunicação em Branded Content, segundo o informe elaborado por Scopen para a BCMA Spain, e como uma das dez mais criativas para MarketingDirecto.com. Desde 2014 aparece entre as 100 melhores empresas para trabalhar na Espanha, segundo Actualidad Económica. No México, a revista Merca 2.0 a situou como a melhor consultora de comunicação do país por terceiro ano consecutivo.

    FONTE LLYC

    -- "Multilatinas sob a nova normalidade" analisa uma enorme quantidade de big data para ajudar na tomada de decisões nos negócios na região -- A diálogo estudada se concentra sobre todo em Brasil, México e Chile e gira ao redor de 10 empresas procedentes dos setores energia e alimentação e bebidas

    SÃO PAULO, 23 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- A LLYC fechou uma aliança com a Forbes Latam para analisar o novo contexto de um mercado que ambos conhecem bem, América Latina e o Caribe. Fruto deste acordo é a elaboração de um primeiro relatório conjunto, com o título "Multilatinas sob a nova normalidade". Com ajuda de inteligência artificial e através da análise de big data, se executou uma aproximação analítica e jornalística com o fim de fotografar o ecossistema empresarial e contribuir na tomada de decisões nos negócios.

    Para Alejandro Romero, Sócio e CEO Américas da LLYC, esta aliança estratégica será um farol que guie muitas iniciativas: "Esta análise nos permite primeiro dimensionar e entender o impacto da marca Multilatina nas Américas, e determinar sua capacidade de adaptação e suas apostas, para valorar como estão impactando e alterando seus setores e como seus CEOs marcam a diferença no mercado".

    Esta primeira entrega, que se baseou na análise de 7,3 milhões de mensagens de mais de 2 milhões de perfiles durante o primeiro semestre do ano, põe de manifesto que os países da região não tiveram sólidos planos de resgate como Estados Unidos ou Europa após a crises derivada da pandemia. Somente o Brasil figura entre os países que mais parte do PIB investiram em combater seus efeitos. As multilatinas enfrentaram, portanto, desafios particulares como área mais vulnerável e com menor capacidade de resposta.

    O estudo diz que o diálogo sobre as multilatinas está concentrada, sobre todo, em Brasil, México e Chile, e 63% dela gira ao redor de 10 empresas e nesta ordem: Petrobrás, Nubank, Grupo Televisa, Grupo Bimbo, Natura, Bancolombia, Falabella, Cinépolis, Sigdo Koppers e Ambev. As multilatinas com maior protagonismo no diálogo pertencem aos setores 'Energia' e 'Alimentação e bebidas' e supõem quase um de cada duas mensagens (48,4%), pelo que se evidenciam áreas de oportunidade em outros setores para fomentar o diálogo.

    A dependência do mercado raiz segue sendo alta, já que 68% da conversa se produz em seu país de origem. Ademais, os Estados Unidos costumam aparecer como segundo mercado de várias empresas multilatinas, pelo que em geral estas firmas tendem a buscar ou encontrar posicionamento ali depois de seu país de origem.

    Conclusões

    Estes são os desafios e oportunidades detectados para as multilatinas na "nova normalidade":

  • As empresas tendem à flexibilização, e as multilatinas por natureza desenvolveram certa resistência a crises pela vitalidade da região.
  • O uso do big data está menos massificado na América Latina e, ante um contexto mais volátil e incerto que a média, se torna mais valioso implementar modelos de predição porque outorgam uma maior vantagem competitiva.
  • Em 2021 o diálogo sobre as multilatinas se concentra maioritariamente em 5 países: México, Brasil, Chile, Argentina e Colômbia.
  • Se produziu uma concentração corporativa deste diálogo: 60% da conversa é sobre as primeiras 10 empresas que mais impacto tiveram na opinião pública.
  • A internacionalização do negócio das multilatinas não esteve acompanhada de uma internacionalização narrativa já que, na média, 68% do diálogo de uma multilatina se desenvolve em seu mercado de origem.
  • As novas tendências demandam uma infraestrutura digital mais sólida, mas as multilatinas têm um gap importante com seus homólogos norte-americanos ou europeus para poder implementar muitas destas estratégias.
  • O sucesso das empresas que redobraram sua aposta durante a pandemia revela que há um potencial de crescimento importante para as multilatinas na região.
  • A marca multilatina é um conceito de pouco uso narrativo, mas tem um grande potencial na região. Sob as estratégias de identidade de marca, cabe seu uso regional.
  • Sobre LLYC

    LLYC é uma Firma global de consultoria de comunicação e assuntos públicos, que ajuda seus clientes à toma de decisões estratégicas de forma proativa, com a criatividade e experiência necessárias, e a sua execução minimizando os riscos, aproveitando as oportunidades e sempre considerando o impacto reputacional. Em um contexto disruptivo e incerto, a LLYC contribui a que seus clientes alcancem suas metas de negócio a curto prazo e a fixar uma rota, com uma visão a longo prazo, para defender sua licença social para operar e aumentar seu prestígio.

    Na atualidade, a LLYC tem 16 escritórios na Argentina, Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro), Colômbia, Chile, Equador, Espanha (Madrid e Barcelona), Estados Unidos (Miami, Nova York e Washington, DC), México, Panamá, Peru, Portugal e República Dominicana. Além disso, oferece seus serviços através de companhias afiliadas no resto dos mercados da América Latina.

    As duas publicações líderes do setor situam a LLYC entre as companhias de comunicação mais importantes do mundo. É a número 36 por ingressos a nível mundial segundo o Global Agency Business Report 2021 de PRWeek e ocupa o posto 46 do Ranking Global 2021 elaborado por PRovoke.

    No capítulo das premiações, LLYC obteve no ano passado 89 prêmios. Deles, 64 na Espanha. Foi eleita a melhor consultora de comunicação da Europa nos PRWeek Global Awards 2021. Foi reconhecida em 2020 como a melhor agência de comunicação em Branded Content, segundo o informe elaborado por Scopen para a BCMA Spain, e como uma das dez mais criativas para MarketingDirecto.com. Desde 2014 aparece entre as 100 melhores empresas para trabalhar na Espanha, segundo Actualidad Económica. No México, a revista Merca 2.0 a situou como a melhor consultora de comunicação do país por terceiro ano consecutivo.

    FONTE LLYC

    Você acabou de ler:

    Forbes Latam e LLYC lançam relatório sobre empresas multilatinas

    Compartilhe

    https://prnewswire.com.br/releases/forbes-latam-e-llyc-lancam-relatorio-sobre-empresas-multilatinas/