Governo avalia inclusão no SUS de vacina que amplia a proteção contra pneumonia bacteriana em pacientes de risco

Consulta pública aberta pela Conitec recebe contribuições sobre a incorporação da vacina 13-valente até 17 de dezembro

SÃO PAULO, 7 de dezembro de 2018 /PRNewswire/ -- A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) abriu consulta pública para conhecer a opinião da população sobre a inclusão na rede pública, para grupos de pacientes de risco acima de 5 anos, da vacina pneumocócica conjugada Prevenar 13, da Pfizer. Trata-se do único imunizante que oferece proteção contra a pneumonia bacteriana causada pelos 13 sorotipos de pneumococo mais prevalentes em todo o mundo:1, 3, 4, 5, 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F e 23F.  O envio das contribuições pode ser realizado até o dia 17 de dezembro, pelo link http://conitec.gov.br/consultas-publicas.

A Conitec já emitiu, em seu relatório de recomendação, um parecer favorável à incorporação da vacina pneumocócica conjugada 13-valente para prevenção da doença pneumocócica em grupos de risco gravíssimo acima de 5 anos, o que engloba pacientes com HIV e oncológicos, além de indivíduos transplantados. Atualmente, Prevenar 13 está disponível na rede particular e é indicada para todas as idades, a partir dos 2 meses.

No mundo, a pneumonia bacteriana é uma das principais causas de hospitalização e mortes. Pacientes com condições clínicas que comprometem o sistema imunológico apresentam um risco aumentado para pneumonia e doenças pneumocócicas invasivas, na comparação com indivíduos saudáveis1,2. Em portadores de HIV, a diminuição da capacidade das células de defesa faz com que o paciente apresente um risco de contrair pneumonia até 100 vezes maior em relação a pessoas sem essa condição3.

Pacientes oncológicos representam outro grupo suscetível à pneumonia, uma vez que o sistema imune pode ser enfraquecido pelo próprio câncer e pelos tratamentos que afetam as células de defesa. Também devem receber atenção especial indivíduos que utilizam imunossupressores, como as medicações usadas para evitar a rejeição em transplantados.

Referências

1.   PELTON SI e al. Rates of pneumonia among children and adults with chronic medical conditions in Germany. BMC Infect Dis. 2015;15(1):470.

2.   WELTE T e al Clinical and economic burden of community-acquired pneumonia among adults in Europe. Thorax. 2012;67(1):71–9.

3.   ORTQVIST A e al. Streptococcus pneumoniae: epidemiology, risk factors, and clinical features. Semin Respir Crit Care Med. 2005;26(6):563–74.

4.   WELTE T et al. Thorax, volume 67(1), pages 71-79, 2012.

Mais informações: 3643-2785

FONTE Pfizer

Consulta pública aberta pela Conitec recebe contribuições sobre a incorporação da vacina 13-valente até 17 de dezembro

SÃO PAULO, 7 de dezembro de 2018 /PRNewswire/ -- A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) abriu consulta pública para conhecer a opinião da população sobre a inclusão na rede pública, para grupos de pacientes de risco acima de 5 anos, da vacina pneumocócica conjugada Prevenar 13, da Pfizer. Trata-se do único imunizante que oferece proteção contra a pneumonia bacteriana causada pelos 13 sorotipos de pneumococo mais prevalentes em todo o mundo:1, 3, 4, 5, 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F e 23F.  O envio das contribuições pode ser realizado até o dia 17 de dezembro, pelo link http://conitec.gov.br/consultas-publicas.

A Conitec já emitiu, em seu relatório de recomendação, um parecer favorável à incorporação da vacina pneumocócica conjugada 13-valente para prevenção da doença pneumocócica em grupos de risco gravíssimo acima de 5 anos, o que engloba pacientes com HIV e oncológicos, além de indivíduos transplantados. Atualmente, Prevenar 13 está disponível na rede particular e é indicada para todas as idades, a partir dos 2 meses.

No mundo, a pneumonia bacteriana é uma das principais causas de hospitalização e mortes. Pacientes com condições clínicas que comprometem o sistema imunológico apresentam um risco aumentado para pneumonia e doenças pneumocócicas invasivas, na comparação com indivíduos saudáveis1,2. Em portadores de HIV, a diminuição da capacidade das células de defesa faz com que o paciente apresente um risco de contrair pneumonia até 100 vezes maior em relação a pessoas sem essa condição3.

Pacientes oncológicos representam outro grupo suscetível à pneumonia, uma vez que o sistema imune pode ser enfraquecido pelo próprio câncer e pelos tratamentos que afetam as células de defesa. Também devem receber atenção especial indivíduos que utilizam imunossupressores, como as medicações usadas para evitar a rejeição em transplantados.

Referências

1.   PELTON SI e al. Rates of pneumonia among children and adults with chronic medical conditions in Germany. BMC Infect Dis. 2015;15(1):470.

2.   WELTE T e al Clinical and economic burden of community-acquired pneumonia among adults in Europe. Thorax. 2012;67(1):71–9.

3.   ORTQVIST A e al. Streptococcus pneumoniae: epidemiology, risk factors, and clinical features. Semin Respir Crit Care Med. 2005;26(6):563–74.

4.   WELTE T et al. Thorax, volume 67(1), pages 71-79, 2012.

Mais informações: 3643-2785

FONTE Pfizer

Você acabou de ler:

Governo avalia inclusão no SUS de vacina que amplia a proteção contra pneumonia bacteriana em pacientes de risco

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/governo-avalia-inclusao-no-sus-de-vacina-que-amplia-a-protecao-contra-pneumonia-bacteriana-em-pacientes-de-risco/