Grains of Truth: Nova pesquisa de consumo global da EAT-GlobeScan sobre sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis

Acessibilidade e disponibilidade são os maiores desafios para dietas saudáveis e sustentáveis

OSLO, Noruega, 23 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Apenas metade das pessoas em todo o mundo (53%) considera fácil comprar alimentos saudáveis e sustentáveis, de acordo com uma nova pesquisa global de consumo conduzida pela GlobeScan, uma consultoria de ideias e estratégias, e pela EAT, a organização sem fins lucrativos de base científica para a transformação do sistema alimentar global. No entanto, os maiores obstáculos para quem acha difícil comprar alimentos saudáveis e sustentáveis são a acessibilidade (48%) e a disponibilidade (36%), e um quarto das pessoas diz não saber o que é comida saudável e sustentável.

Os resultados apresentados neste novo relatório, Grains of Truth, analisam as opiniões de mais de 30 mil consumidores em 31 mercados em todo o mundo sobre sua definição de alimentos bons, saudáveis e sustentáveis. A pesquisa também fez perguntas às pessoas sobre outros problemas, incluindo suas maiores preocupações com a produção de alimentos e os desafios que elas enfrentam ao comprar alimentos saudáveis e sustentáveis, bem como sobre quem teria o impacto mais positivo na criação de um sistema alimentar mais saudável e sustentável. Esta pesquisa foi realizada como parte da atividade em torno da Cúpula de Sistemas Alimentares das Nações Unidas, onde a EAT liderou a linha de ação 2, com foco na mudança do consumo para padrões sustentáveis.

Embora muitas pessoas tenham dificuldade de entender o que é comida saudável e sustentável, também há o entendimento de que os dois termos têm significados diferentes. As descrições mais populares dos alimentos saudáveis são: nutritivos (47%), orgânicos (47%) e não processados/integrais (44%). Para alimentos sustentáveis, as três principais descrições são: bons para o meio ambiente (51%), orgânicos (42%) e de produção local (34%).

Diferentes gerações têm pontos de vista semelhantes sobre alimentos sustentáveis, mas há diferenças quando se trata de alimentos saudáveis. É mais provável que indivíduos geração Z descrevam os alimentos saudáveis como saborosos e nutritivos, enquanto os da geração pós-guerra os associam a alimentos não processados/integrais e de produção local.

Ao considerar algumas das questões do sistema alimentar, as duas maiores preocupações são o uso de pesticidas e fertilizantes químicos (81%) e os resíduos plásticos de embalagem de alimentos de uso único (78%). Em seguida, estão a fome e obesidade, com 76% das pessoas dizendo que estão preocupadas com ambos os problemas. Essas preocupações são respaldadas pelo fato de que uma a cada onze pessoas passa fome crônica e que um terço da população mundial está acima do peso. A questão com a qual as pessoas se preocupam menos é o transporte de alimentos.

Talvez surpreendentemente, a preocupação com cada um dos problemas tende a aumentar com a idade, sendo os indivíduos da Geração Z, em geral, os menos preocupados e os da geração pós-guerra, os mais preocupados. Do ponto de vista regional, os consumidores na América Latina, África e Sul da Europa expressam as suas maiores preocupações a respeito do sistema alimentar.

Quase metade dos consumidores (46%) acredita que a responsabilidade de fazer mudanças positivas para criar um sistema alimentar mais saudável e sustentável cabe aos governos nacionais. Mais de um terço (37%) pensa que as empresas de alimentos e bebidas estão melhor posicionadas para conseguir isso, enquanto 23% veem as pessoas como elas mesmas capazes de influenciar mudanças positivas, e uma em cada oito (15%) considera os jovens como agentes poderosos de mudança.

Comentando sobre a pesquisa, o Dr. Gunhild Stordalen, fundador do EAT e presidente executivo, disse: "há muito a ser incentivado pela nesta pesquisa – com as pessoas do mundo todo entendendo o papel importante que podem desempenhar na mudança dos sistemas alimentares por meio de seus próprios padrões de consumo. Mas também há muito a ser feito, tanto pelos governos, quanto pelos fabricantes de alimentos; esses são os atores que os consumidores consideram manter o poder e, consequentemente, ouvirão. E, crucialmente, embora queiram adotar hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis, as pessoas atualmente não acreditam que possam, porque, em sua opinião, os preços dos produtos são muito altos ou difíceis de encontrar. Isso significa que os formuladores de políticas, varejistas e fabricantes precisam trabalhar e melhorar, para que todos possamos trabalhar juntos na promoção de padrões de consumo mais saudáveis."

Chris Coulter, CEO da GlobeScan, disse: "Esta oportuna pesquisa oferece um guia para as expectativas do consumidor para um sistema alimentar sustentável. A demonstração de integridade ambiental é um definidor de alimentos sustentáveis para pessoas em todo o mundo, e existem altos níveis de preocupação com uma série de questões que afetam o sistema alimentar, desde o uso de pesticidas até plásticos, obesidade e os impactos sobre a natureza. Além disso, os consumidores têm o Governo e as empresas, em especial, como responsáveis por fornecer um sistema alimentar sustentável, tornando a Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU uma oportunidade essencial para demonstrar progresso às pessoas em todo o mundo."

A divulgação desta pesquisa faz parte das preparações para a Cúpula das Nações Unidas para Sistemas Alimentares em 23 de setembro de 2021.

Para baixar uma cópia do relatório completo, clique aqui.

 

 

FONTE EAT

Acessibilidade e disponibilidade são os maiores desafios para dietas saudáveis e sustentáveis

OSLO, Noruega, 23 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Apenas metade das pessoas em todo o mundo (53%) considera fácil comprar alimentos saudáveis e sustentáveis, de acordo com uma nova pesquisa global de consumo conduzida pela GlobeScan, uma consultoria de ideias e estratégias, e pela EAT, a organização sem fins lucrativos de base científica para a transformação do sistema alimentar global. No entanto, os maiores obstáculos para quem acha difícil comprar alimentos saudáveis e sustentáveis são a acessibilidade (48%) e a disponibilidade (36%), e um quarto das pessoas diz não saber o que é comida saudável e sustentável.

Os resultados apresentados neste novo relatório, Grains of Truth, analisam as opiniões de mais de 30 mil consumidores em 31 mercados em todo o mundo sobre sua definição de alimentos bons, saudáveis e sustentáveis. A pesquisa também fez perguntas às pessoas sobre outros problemas, incluindo suas maiores preocupações com a produção de alimentos e os desafios que elas enfrentam ao comprar alimentos saudáveis e sustentáveis, bem como sobre quem teria o impacto mais positivo na criação de um sistema alimentar mais saudável e sustentável. Esta pesquisa foi realizada como parte da atividade em torno da Cúpula de Sistemas Alimentares das Nações Unidas, onde a EAT liderou a linha de ação 2, com foco na mudança do consumo para padrões sustentáveis.

Embora muitas pessoas tenham dificuldade de entender o que é comida saudável e sustentável, também há o entendimento de que os dois termos têm significados diferentes. As descrições mais populares dos alimentos saudáveis são: nutritivos (47%), orgânicos (47%) e não processados/integrais (44%). Para alimentos sustentáveis, as três principais descrições são: bons para o meio ambiente (51%), orgânicos (42%) e de produção local (34%).

Diferentes gerações têm pontos de vista semelhantes sobre alimentos sustentáveis, mas há diferenças quando se trata de alimentos saudáveis. É mais provável que indivíduos geração Z descrevam os alimentos saudáveis como saborosos e nutritivos, enquanto os da geração pós-guerra os associam a alimentos não processados/integrais e de produção local.

Ao considerar algumas das questões do sistema alimentar, as duas maiores preocupações são o uso de pesticidas e fertilizantes químicos (81%) e os resíduos plásticos de embalagem de alimentos de uso único (78%). Em seguida, estão a fome e obesidade, com 76% das pessoas dizendo que estão preocupadas com ambos os problemas. Essas preocupações são respaldadas pelo fato de que uma a cada onze pessoas passa fome crônica e que um terço da população mundial está acima do peso. A questão com a qual as pessoas se preocupam menos é o transporte de alimentos.

Talvez surpreendentemente, a preocupação com cada um dos problemas tende a aumentar com a idade, sendo os indivíduos da Geração Z, em geral, os menos preocupados e os da geração pós-guerra, os mais preocupados. Do ponto de vista regional, os consumidores na América Latina, África e Sul da Europa expressam as suas maiores preocupações a respeito do sistema alimentar.

Quase metade dos consumidores (46%) acredita que a responsabilidade de fazer mudanças positivas para criar um sistema alimentar mais saudável e sustentável cabe aos governos nacionais. Mais de um terço (37%) pensa que as empresas de alimentos e bebidas estão melhor posicionadas para conseguir isso, enquanto 23% veem as pessoas como elas mesmas capazes de influenciar mudanças positivas, e uma em cada oito (15%) considera os jovens como agentes poderosos de mudança.

Comentando sobre a pesquisa, o Dr. Gunhild Stordalen, fundador do EAT e presidente executivo, disse: "há muito a ser incentivado pela nesta pesquisa – com as pessoas do mundo todo entendendo o papel importante que podem desempenhar na mudança dos sistemas alimentares por meio de seus próprios padrões de consumo. Mas também há muito a ser feito, tanto pelos governos, quanto pelos fabricantes de alimentos; esses são os atores que os consumidores consideram manter o poder e, consequentemente, ouvirão. E, crucialmente, embora queiram adotar hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis, as pessoas atualmente não acreditam que possam, porque, em sua opinião, os preços dos produtos são muito altos ou difíceis de encontrar. Isso significa que os formuladores de políticas, varejistas e fabricantes precisam trabalhar e melhorar, para que todos possamos trabalhar juntos na promoção de padrões de consumo mais saudáveis."

Chris Coulter, CEO da GlobeScan, disse: "Esta oportuna pesquisa oferece um guia para as expectativas do consumidor para um sistema alimentar sustentável. A demonstração de integridade ambiental é um definidor de alimentos sustentáveis para pessoas em todo o mundo, e existem altos níveis de preocupação com uma série de questões que afetam o sistema alimentar, desde o uso de pesticidas até plásticos, obesidade e os impactos sobre a natureza. Além disso, os consumidores têm o Governo e as empresas, em especial, como responsáveis por fornecer um sistema alimentar sustentável, tornando a Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU uma oportunidade essencial para demonstrar progresso às pessoas em todo o mundo."

A divulgação desta pesquisa faz parte das preparações para a Cúpula das Nações Unidas para Sistemas Alimentares em 23 de setembro de 2021.

Para baixar uma cópia do relatório completo, clique aqui.

 

 

FONTE EAT

Você acabou de ler:

Grains of Truth: Nova pesquisa de consumo global da EAT-GlobeScan sobre sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/grains-of-truth-nova-pesquisa-de-consumo-global-da-eat-globescan-sobre-sistemas-alimentares-saudaveis-e-sustentaveis/