Guangzhou baseia seu maior desenvolvimento na ecoinovação

GUANGZHOU, China, 15 de dezembro de 2018 /PRNewswire/ -- A China tem aprofundado a proteção de seu ambiente ecológico durante as últimas quatro décadas de reforma e abertura, durante as quais sua cobertura de florestas quase duplicou de 12% para 21,66%. E o progresso ecológico da China tem sido cada vez mais reconhecido pela comunidade internacional. Em 14 de dezembro, teve início a primeira Conferência Mundial de Design Ecológico (World Eco-Design Conference) em Conghua, um distrito de Guangzhou com cobertura florestal de até 68,7%. Participantes de mais de 30 países e regiões se reuniram na cidade de design ecológico Conghua.

Vários novos produtos com design industrial, incluindo pesticidas potáveis, fonte de luz para a fermentação vegetal e skates elétricos inteligentes, foram lançados na conferência. É possível que a habilidade de Guangzhou de reunir talentos de alta qualidade, equipes de especialistas e enorme capital, voltado para design ecológico, irá acelerar a formação de um sistema mais competitivo de inovação e empreendedorismo.

Guangzhou, com o objetivo de tornar-se a iniciadora da campanha global de design ecológico e a capital do design ecológico, fez com que sua voz fosse ouvida através do lançamento da Iniciativa de Conghua para o Desenvolvimento Mundial do Setor de Design Ecológico (Conghua Initiative on the World Eco-design Industry Development) durante a conferência. A Iniciativa exige uma economia global inclusiva e crescimento sustentável através de design inovador para promover o bem-estar da humanidade.

Ao mesmo tempo, Guangzhou está tomando medidas para estimular a ecoinovação. A cidade resume a solução chinesa em busca do caminho do desenvolvimento ecológico durante as últimas quatro décadas.

Em abril de 2016, foi assinado o Memorando de Entendimento do Projeto Sino-Suíço para Cidades de Baixo Carbono (Sino-Swiss Low Carbon Cities Project) entre o Governo Popular de Guangzhou e a Agência Suíça de Desenvolvimento e Cooperação. Com o lançamento do projeto em Conghua, o centro ecológico da Área da Grande Baía, o distrito aprenderá com a Suíça a construir uma cidade de baixo carbono para estimular uma cadeia ecológica de indústrias de baixo carbono.

Enquanto constrói um centro de inovação tecnológica da Área da Grande Baía, através do design ecológico, Guangzhou está ganhando um forte impulso na integração com o mundo e estimulando o crescimento econômico sustentável, na medida em que indústrias de energia nova e materiais novos e novas tecnologias estão crescendo e a conscientização pública da proteção ambiental está aumentando.

Uma observação detalhada mostra que as mundialmente conhecidas áreas de baía de Nova York, San Francisco e Tóquio são centros globais não somente em termos de inovação tecnológica, mas também de design. Conghua, procurando ser a pioneira do setor global do design ecológico, atrairá maiores recursos para o Corredor de Inovação da Ciência e Tecnologia de Guangzhou-Shenzhen-Hong Kong-Macau para desenvolvimento acelerado.

"A Área da Grande Baía ostenta uma base industrial bem estabelecida, um grupo de pessoal de alto calibre e enorme mercado de capitais e capacidade. E, tendo como acelerador o design ecológico, a Área abrigará um forte mecanismo de crescimento movido pela inovação para indústrias mais ecológicas e design ecológico mais industrializado", disse Gao Yuyue, secretário geral adjunto do governo municipal de Guangzhou.

Durante a conferência, o Memorando de Entendimento Sino-Suíço de Design também foi assinado pelo governo de Conghua, pela Associação de Design Industrial da China e por suas contrapartes suíças, tornando claro que a cooperação será feita na construção conjunta de um Parque Industrial Sino-Suíço de Baixo Carbono, um Instituto de Pesquisa de Design Ecológico e Industrial de Hong Kong-Macau e uma Universidade Aberta de Design da Grande Baía.

Através de instituições e práticas, o desenvolvimento ecológico de Conghua foi mais rápido e uma prova disso é sua cidade com design ecológico. Através do fortalecimento de seu design ecológico, P&D e educação, Conghua ajuda a combinar todos os setores econômicos e estabelece uma cidade adequada para o crescimento da nova economia. Seguindo em frente, um fundo industrial para o design ecológico de 10 bilhões de yuans será criado em uma proposta para cultivar indústrias ecológicas, incluindo agricultura inteligente, robôs de serviço, skate elétrico inteligente e veículos movidos a hidrogênio.

"A cidade com design ecológico de Gonghua representa um conjunto de sabedoria, talentos e ideias inovadoras e criativas", disse Li Yong, diretor geral da Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas. Em sua opinião, o design ecológico tem um enorme potencial e a criação da marca e do design têm um papel importante em uma empresa bem-sucedida. Isso estimulará de várias formas o investimento industrial nos setores de energia nova e materiais novos.

Um total de 65 empresas com design ecológico de todo o mundo se comprometeram, em 5 de dezembro, a se instalarem na cidade ecológica de Conghua. "No futuro, as indústrias locais irão progredir de forma ecológica, inteligente, criativa e reciclável", disse Ying Fangtian, secretário geral e diretor geral adjunto da Associação Chinesa de Design Industrial.

Desde as teorias até os resultados práticos, o processo levou o desenvolvimento econômico e social de Guangzhou para novos patamares. A cidade, usando constantemente novas tecnologias, tais como Internet de big data, manufatura flexível e inteligência artificial, criou novas plataformas e novas formas. Os resultados do design industrial e a ecoinovação continuarão a dar novos impulsos para a atualização das indústrias tradicionais de Guangzhou, na medida em que a cidade representa o local permanente da Conferência Mundial de Design Ecológico.

Wang Zhen, diretor para a Região Ásia-Pacífico da Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas, está ciente de que, como uma pioneira da reforma e abertura da China, Guangzhou está comprometida em promover a cadeia de valor industrial através da combinação do design ecológico com o desenvolvimento industrial. Estas práticas sustentáveis servem como um bom exemplo para as nações da Região Ásia-Pacífico.

Na verdade, o design e a construção da cidade ecológica aplicaram uma série de tecnologias ecológicas de baixo carbono e trouxeram de volta à vida, de forma eficiente, áreas dilapidadas, incluindo casas, fábricas e escolas em ruínas.

Este exclusivo design do local é uma demonstração de uma Guangzhou ecologicamente inovadora e dinâmica. Enquanto mantém um rápido crescimento econômico, a cidade jardim continua a melhorar seu meio ambiente. No ano passado, ela assumiu a liderança entre outras cidades centrais da China na diminuição do nível das perigosas partículas PM2.5 para o padrão estabelecido e sua proporção de cobertura verde alcançou 42,5%.

Na opinião de Kevin Rudd, o ex-primeiro ministro australiano, "Guangzhou, como uma cidade de primeira linha de todo o mundo, tem a base e a capacidade para promover a inovação científica e tecnológica dentro da Área da Grande Baía com conceitos de design ecológico". Ele também disse que o desenvolvimento ecológico é a tendência atual e que o design ecológico é a chave para o desenvolvimento sustentável.

"O design industrial fornece um bom ponto de partida e entrada para o desenvolvimento da qualidade na China. Com a Área da Grande Baía sendo construída, o conceito de desenvolvimento ecológico que ela defende e o design industrial se reforçarão mutuamente", disse Feng Changhong, vice-presidente executiva da Associação Profissional de Design Industrial de Shenzhen (Shenzhen Industrial Design Profession Association). Ela acredita que a força total da Área da Grande Baía, em termos de finanças, tecnologia e indústria se multiplicará se as cidades inovadoras como Guangzhou e Shenzhen puderem unir suas forças com os centros de manufatura de Dongguan, Foshan e Zhongshan e com metrópoles internacionais como Hong Kong e Macau.

"O design ecológico foi definido de várias maneiras no âmbito do empreendedorismo e da inovação na China. Um ecossistema industrial sólido e favorável pode ser conduzido e impulsionado pelo próprio design e, assim, alcançar o equilíbrio entre a natureza, a humanidade e a indústria", disse Pan Yunhe, acadêmico e ex-vice-presidente da Academia Chinesa de Engenharia (Chinese Academy of Engineering).

O desenvolvimento ecológico, o qual é representado pela qualidade mais alta e pelo dinamismo mais forte, juntamente com um estilo de vida ecológico, tem sido mais aceito pela população chinesa. No caso de Guangzhou, seu maior desenvolvimento é baseado no progresso e na inovação ecológicos, criando um futuro melhor e mais verde.

 

FONTE The People's Government of Guangzhou Municipality

GUANGZHOU, China, 15 de dezembro de 2018 /PRNewswire/ -- A China tem aprofundado a proteção de seu ambiente ecológico durante as últimas quatro décadas de reforma e abertura, durante as quais sua cobertura de florestas quase duplicou de 12% para 21,66%. E o progresso ecológico da China tem sido cada vez mais reconhecido pela comunidade internacional. Em 14 de dezembro, teve início a primeira Conferência Mundial de Design Ecológico (World Eco-Design Conference) em Conghua, um distrito de Guangzhou com cobertura florestal de até 68,7%. Participantes de mais de 30 países e regiões se reuniram na cidade de design ecológico Conghua.

Vários novos produtos com design industrial, incluindo pesticidas potáveis, fonte de luz para a fermentação vegetal e skates elétricos inteligentes, foram lançados na conferência. É possível que a habilidade de Guangzhou de reunir talentos de alta qualidade, equipes de especialistas e enorme capital, voltado para design ecológico, irá acelerar a formação de um sistema mais competitivo de inovação e empreendedorismo.

Guangzhou, com o objetivo de tornar-se a iniciadora da campanha global de design ecológico e a capital do design ecológico, fez com que sua voz fosse ouvida através do lançamento da Iniciativa de Conghua para o Desenvolvimento Mundial do Setor de Design Ecológico (Conghua Initiative on the World Eco-design Industry Development) durante a conferência. A Iniciativa exige uma economia global inclusiva e crescimento sustentável através de design inovador para promover o bem-estar da humanidade.

Ao mesmo tempo, Guangzhou está tomando medidas para estimular a ecoinovação. A cidade resume a solução chinesa em busca do caminho do desenvolvimento ecológico durante as últimas quatro décadas.

Em abril de 2016, foi assinado o Memorando de Entendimento do Projeto Sino-Suíço para Cidades de Baixo Carbono (Sino-Swiss Low Carbon Cities Project) entre o Governo Popular de Guangzhou e a Agência Suíça de Desenvolvimento e Cooperação. Com o lançamento do projeto em Conghua, o centro ecológico da Área da Grande Baía, o distrito aprenderá com a Suíça a construir uma cidade de baixo carbono para estimular uma cadeia ecológica de indústrias de baixo carbono.

Enquanto constrói um centro de inovação tecnológica da Área da Grande Baía, através do design ecológico, Guangzhou está ganhando um forte impulso na integração com o mundo e estimulando o crescimento econômico sustentável, na medida em que indústrias de energia nova e materiais novos e novas tecnologias estão crescendo e a conscientização pública da proteção ambiental está aumentando.

Uma observação detalhada mostra que as mundialmente conhecidas áreas de baía de Nova York, San Francisco e Tóquio são centros globais não somente em termos de inovação tecnológica, mas também de design. Conghua, procurando ser a pioneira do setor global do design ecológico, atrairá maiores recursos para o Corredor de Inovação da Ciência e Tecnologia de Guangzhou-Shenzhen-Hong Kong-Macau para desenvolvimento acelerado.

"A Área da Grande Baía ostenta uma base industrial bem estabelecida, um grupo de pessoal de alto calibre e enorme mercado de capitais e capacidade. E, tendo como acelerador o design ecológico, a Área abrigará um forte mecanismo de crescimento movido pela inovação para indústrias mais ecológicas e design ecológico mais industrializado", disse Gao Yuyue, secretário geral adjunto do governo municipal de Guangzhou.

Durante a conferência, o Memorando de Entendimento Sino-Suíço de Design também foi assinado pelo governo de Conghua, pela Associação de Design Industrial da China e por suas contrapartes suíças, tornando claro que a cooperação será feita na construção conjunta de um Parque Industrial Sino-Suíço de Baixo Carbono, um Instituto de Pesquisa de Design Ecológico e Industrial de Hong Kong-Macau e uma Universidade Aberta de Design da Grande Baía.

Através de instituições e práticas, o desenvolvimento ecológico de Conghua foi mais rápido e uma prova disso é sua cidade com design ecológico. Através do fortalecimento de seu design ecológico, P&D e educação, Conghua ajuda a combinar todos os setores econômicos e estabelece uma cidade adequada para o crescimento da nova economia. Seguindo em frente, um fundo industrial para o design ecológico de 10 bilhões de yuans será criado em uma proposta para cultivar indústrias ecológicas, incluindo agricultura inteligente, robôs de serviço, skate elétrico inteligente e veículos movidos a hidrogênio.

"A cidade com design ecológico de Gonghua representa um conjunto de sabedoria, talentos e ideias inovadoras e criativas", disse Li Yong, diretor geral da Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas. Em sua opinião, o design ecológico tem um enorme potencial e a criação da marca e do design têm um papel importante em uma empresa bem-sucedida. Isso estimulará de várias formas o investimento industrial nos setores de energia nova e materiais novos.

Um total de 65 empresas com design ecológico de todo o mundo se comprometeram, em 5 de dezembro, a se instalarem na cidade ecológica de Conghua. "No futuro, as indústrias locais irão progredir de forma ecológica, inteligente, criativa e reciclável", disse Ying Fangtian, secretário geral e diretor geral adjunto da Associação Chinesa de Design Industrial.

Desde as teorias até os resultados práticos, o processo levou o desenvolvimento econômico e social de Guangzhou para novos patamares. A cidade, usando constantemente novas tecnologias, tais como Internet de big data, manufatura flexível e inteligência artificial, criou novas plataformas e novas formas. Os resultados do design industrial e a ecoinovação continuarão a dar novos impulsos para a atualização das indústrias tradicionais de Guangzhou, na medida em que a cidade representa o local permanente da Conferência Mundial de Design Ecológico.

Wang Zhen, diretor para a Região Ásia-Pacífico da Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas, está ciente de que, como uma pioneira da reforma e abertura da China, Guangzhou está comprometida em promover a cadeia de valor industrial através da combinação do design ecológico com o desenvolvimento industrial. Estas práticas sustentáveis servem como um bom exemplo para as nações da Região Ásia-Pacífico.

Na verdade, o design e a construção da cidade ecológica aplicaram uma série de tecnologias ecológicas de baixo carbono e trouxeram de volta à vida, de forma eficiente, áreas dilapidadas, incluindo casas, fábricas e escolas em ruínas.

Este exclusivo design do local é uma demonstração de uma Guangzhou ecologicamente inovadora e dinâmica. Enquanto mantém um rápido crescimento econômico, a cidade jardim continua a melhorar seu meio ambiente. No ano passado, ela assumiu a liderança entre outras cidades centrais da China na diminuição do nível das perigosas partículas PM2.5 para o padrão estabelecido e sua proporção de cobertura verde alcançou 42,5%.

Na opinião de Kevin Rudd, o ex-primeiro ministro australiano, "Guangzhou, como uma cidade de primeira linha de todo o mundo, tem a base e a capacidade para promover a inovação científica e tecnológica dentro da Área da Grande Baía com conceitos de design ecológico". Ele também disse que o desenvolvimento ecológico é a tendência atual e que o design ecológico é a chave para o desenvolvimento sustentável.

"O design industrial fornece um bom ponto de partida e entrada para o desenvolvimento da qualidade na China. Com a Área da Grande Baía sendo construída, o conceito de desenvolvimento ecológico que ela defende e o design industrial se reforçarão mutuamente", disse Feng Changhong, vice-presidente executiva da Associação Profissional de Design Industrial de Shenzhen (Shenzhen Industrial Design Profession Association). Ela acredita que a força total da Área da Grande Baía, em termos de finanças, tecnologia e indústria se multiplicará se as cidades inovadoras como Guangzhou e Shenzhen puderem unir suas forças com os centros de manufatura de Dongguan, Foshan e Zhongshan e com metrópoles internacionais como Hong Kong e Macau.

"O design ecológico foi definido de várias maneiras no âmbito do empreendedorismo e da inovação na China. Um ecossistema industrial sólido e favorável pode ser conduzido e impulsionado pelo próprio design e, assim, alcançar o equilíbrio entre a natureza, a humanidade e a indústria", disse Pan Yunhe, acadêmico e ex-vice-presidente da Academia Chinesa de Engenharia (Chinese Academy of Engineering).

O desenvolvimento ecológico, o qual é representado pela qualidade mais alta e pelo dinamismo mais forte, juntamente com um estilo de vida ecológico, tem sido mais aceito pela população chinesa. No caso de Guangzhou, seu maior desenvolvimento é baseado no progresso e na inovação ecológicos, criando um futuro melhor e mais verde.

 

FONTE The People's Government of Guangzhou Municipality